hyoupelegri Pelegri Hyou

Johnny havia me dito mais cedo para ir em seu dormitório quando a noite caísse. Disse que faríamos minha iniciação na ROR. Entendo que essas questões envolvem iniciação e essas coisas, mas achei que todos os membros da ROR estariam presentes. Espero, sinceramente, que eu não faça nenhuma burrada ainda mais com Javier ao lado.


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#javier #johnnywhorthigan #randallboggs #monstrosa #universidademonstro #pixar #monsterinc #monsteruniversity
Conto
2
5.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Iniciação?

  Johnny havia me dito mais cedo para ir em seu dormitório quando a noite caísse.   Disse que faríamos minha iniciação na ROR. Entendo que essas questões envolvem iniciação e essas coisas, mas achei que todos os membros da ROR estariam presentes. Espero, sinceramente, que eu não faça nenhuma burrada.

  Decidido, me arrumei, coloquei minha jaqueta da fraternidade e fui.

  Chegando lá bato 3 vezes na porta, como Johnny havia me dito. Quem abre a mesma é Javier, sem blusa. Corei instantaneamente, nunca havia percebido o quanto o peitoral dele era definido e tentei desviar o olhar.

  -John. -disse aquele que havia me deixado corado.- Randall chegou.

  Após dizer isso, Javier abriu espaço na porta para que eu entrasse.

  -O... Obrigado. -foi a única coisa que consegui dizer enquanto entrava.

  O quarto estava arrumado, parecia o lado do quarto do Wazowski de tão organizado. Achei que, sei lá, estaria, no mínimo, uma arrumação disfarçada. Mas não, tudo em seu canto e o quarto não cheirava mal.

  A iluminação era pouca, apenas o abajur à frente da janela (dava para iluminar boa parte do quarto) me permitia ver alguns pôsteres da ROR nas paredes. Meus olhos passeavam por aquele lugar até chegar na cama da direita.
Johnny estava lá, deitado de barriga para cima, por cima das cobertas e, apenas de calça jeans.

  -Randy! Fico feliz que tenhas vindo. -disse levantando da cama.

  Seu jeito sempre cordial, educado e assustador lhe permitia um contraste tão incrível que eu sentia meu corpo formigar.

  -Hé...rs -droga, eu não sabia o que dizer.- Obrigado por me convidar.

  Ouço a porta fechar gentilmente atrás de mim e vejo Javier sentar-se na cama à esquerda pegando, logo em seguida, um livro para estudar.

  -Que isso! Hahaha! Por nada. Sinta-se à vontade.-ele apontou para que eu sentasse na cama dele. Assim o fiz... tremendo, mas fiz. -Quer uma bebida? -Disse abrindo o frigobar.

  -Eu... aceito uma bebida, sim. Obrigado rs. -Ver dois armários musculosos no mesmo quarto que eu, fazia sentir-me tenso.

  -Coca, Sprite ou água? -Enquanto perguntava, ele jogou uma lata de Coca-cola para Javier que, habilmente, pegou e abriu.

  -Água, pode ser água.

  Com uma lata de Coca em uma das mãos, ele deixa o frigobar fechar sozinho e me entrega um copo de água.

  -O... Obrigado. -disse abrindo a tampa do copo.

  Johnny sorriu e puxou uma cadeira sentando-se logo em seguida e abrindo sua lata. Ver o sorriso dele me deixou desconcertado.

  -Então, Randy. Parabéns por ter entrado na Ruge Omega Ruge. Tenha em mente que isso é um privilégio para poucos. Sinta-se honrado e, claro, faça por onde permanecer nela. -parecia uma ameaça mas soava gentil.

  -Sim... Sim. É uma grande honra entrar para a ROR... -não gagueje agora, Randall. -Gostaria muito de agradecer por terem me chamado e, por favor, podem contar comigo. -o que meu corpo não reagiu nas cordas vocais, reagiu na cor das minhas bochechas.

  Johnny ficou me olhando por um tempo, acho que percebeu o quanto era ridículo um magrelo medroso entrar para a melhor universidade de monstros. Talvez até estivesse se arrependendo de me chamar para a fraternidade.

  Um sorriso apareceu nos lábios do Armário desnudo.

  -Sei que poderemos contar com você, Randy. -ele me observava, eu sentia como se mil câmeras estivessem miradas em mim. -Randy. -houve um instante de silêncio. -Nossa fraternidade, geralmente, faz as iniciações com algum tipo de ato corajoso ou desafiante, porém... -Javier se levantou jogando a latinha vazia no lixinho ao lado da porta. -Eu e Javier decidimos fazer algo diferente para a sua iniciação.

  Eu não sabia se agradecia, ou perguntava ''por quê?'' ou simplesmente me permitia continuar sendo hipnotizado por àqueles olhos, voz e músculos nus pelo quarto quase escuro. -O... o que eu tenho que fazer? -a última palavra saiu um pouco falha.

  -Levante-se Randy. -seu dedo indicava a direção enquanto ele também se levantava.

  O obedeci e fiquei, uma certa distância, á frente dele.

  Javier passou por mim e perdi a visão do mesmo.

  Johnny se aproximava cada vez mais, até eu prender a respiração.

  Sua mão veio em direção a meu queixo e segurou. Percebi que o mesmo analisava meu pescoço.

  -Randy, tire a jaqueta, por favor. -disse desencostando a mão.

  Não se passava nada em minha mente. Nada de útil. ''Calma, Randall, talvez ele só queira analisar o que vai entrar para sua fraternidade. Creio que quando as pessoas entram para algum tipo de esporte, também passam por isso.'' A quem eu queria enganar? Eu estava nervoso e tremia por isso.

  Quando tirei a outra manga, a mão gentil de Johnny segura minha jaqueta e a coloca na cadeira junto à sua lata vazia de Coca-Cola.

  -Certo... Vamos ver isso aqui.

  Ao terminar de falar, sinto uma mão vir por trás de mim segurar meu pescoço (sem machucar) enquanto outra mão vindo da mesma direção segura meu pulso esquerdo e o coloca no meio de minhas costas me fazendo inclinar um pouco para frente. Ao mesmo tempo, um corpo forte e grande encosta-se no meu por trás. Era Javier. Quando eu penso em reagir, Johnny segura meu pulso direito e coloca a mão em minha cabeça.

  -Calma, Randy. Não vamos te machucar, eu lhe prometo. -Johnny diz isso com uma voz calma e acolhedora, me faz perder os sentidos por alguns lapsos de momento. -Sua iniciação será simples, essa noite, você será nosso. De acordo?

  Mal entendendo o que Johnny dissera, senti a mão de Javier acariciar meu pescoço sem parar de segurar e junto a esse movimento, a mão do líder da ROR acariciava meus cabelos.

  Fechei os olhos por instinto e balancei a cabeça positivamente sentindo meu rosto inteiro queimar de vergonha e meu corpo inteiro queimar de... excitação?

  Mesmo sem ver, sentia que minha boca quase encostava no queixo de Johnny. Sentia, também, a respiração pesada de Javier em meus cabelos.

  -Ótimo, Randy... -a voz rouca, de tão baixa, de Johnny me fez inspirar com força -Continue sendo esse bom menino.

  Sinto a boca do monstro á minha frente tocar meus lábios, gentilmente, como um caçador que está prestes a ter sua caça. Sua língua invade minha boca e encontra a minha, que implora para dançar junto á dele. E assim o faz. O corpo de Javier reage a situação enquanto seus lábios passeiam pela minha orelha, pescoço e ombro. Javier levanta um pouco mais um meu punho em minhas costas, que me faz inclinar um pouco mais meu torso para Johnny e me permite sentir ainda mais a parte ereta do monstro atrás de mim.

  Nossos lábios se desencostam e a mão em meu pescoço caminha para minhas costas me arrepiando por completo.

  -Deite-se. -Ouvir a voz de Javier atrás de mim me deixava tonto.

  Johnny se afastara o suficiente para que eu fosse em direção à cama do lado direito do quarto. Faríamos isso na cama do líder da ROR.

  Deitei de barriga para cima e vi Javier ajoelhado do meu lado esquerdo e Johnny, no direito.

  A boca de Javier vem de encontro á minha. Diferente do beijo gentil de Johnny, o beijo do monstro azulado era agressivo e cauteloso. Dava a impressão de que, se fizesse algo errado, ele lhe comeria vivo. Retribui seu beijo me entregando cada vez mais à situação, e parece que Javier gostara.

  Johnny brincava com a língua em meu tórax, e a mão na minha barriga o que me fazia suspirar na boca de Javier. A mão do líder passou pela minha parte mais sensível do corpo, me fazendo contorcer em reação ao seu toque. O acariciou por um tempo antes de tirá-lo da calça, tirando-a logo em seguida. O mesmo acariciava minha ereção enquanto Javier colocava seu dedo em minha boca, me fazendo brincar com a língua no mesmo.

  Javier troca seu dedo pela sua língua, que invade minha boca novamente. Sua mão levanta um pouco minha perna e começa a acariciar a entrada que logo seria violada. Suspiro em sua boca sentindo a mão de Johnny e o dedo de Javier me fazendo entrar em quase êxtase.

  Johnny encostou sua boca gentil onde acabara de acariciar e começou a brincar com sua língua. Meu corpo reagia perfeitamente ao seu toque. Minha mão direita queria ir ao seu encontro, mas meu corpo não correspondia. Senti a mão de Johnny segurar a minha, e sua boca preencher a parte dura entre minhas pernas. Gemi na boca de Javier, o que o fez sorrir.

  Javier, por sua vez se ajeitou na cama perto de minha cabeça abrindo o zíper e expondo o resultado de toda essa situação. Confesso que me assustei com o tamanho, mas a mão firme e cuidadosa dele me mostrou o caminho. Sua virilidade em minha boca me fez delirar no começo, algo em mim rugia e queria sentir mais essa sensação. Minha língua dançava espirais no que invadia minha boca. A sensação era incrível, generoso na minha parte sensível e firme em minha boca. Juntar essas duas sensações me dava vontade de soltar tudo que havia guardado durante anos brincando sozinho. Sentia o olhar sério e firme de Javier me consumir e a língua do Johnny, me levar à loucura.

  Com toda essa sensação, minha respiração começou a ficar forte e, a de Javier também, ambos quase em sintonia. Johnny sugava mais forte e mais rápido, minhas pernas tremiam e a mão de Javier me comandava. Quase como uma explosão de prazer, encho a boca de Johnny que engole com maestria toda minha excitação, em seguida, minha boca é preenchida com o prazer de Javier que, segurando minha cabeça com tal força, me faz engolir cada gota sua.

  Javier e Johnny se movem quase ao mesmo tempo, Johnny volta a me beijar e sorri ao me ver mole e ofegante.

  As mãos fortes de Javier posicionam minhas pernas em sua cintura. O mesmo encaixa-se com cautela e firmeza, pouso meus punhos contra o peito forte de Johnny por causa da dor. O mesmo acaricia meu peito e beija meu pescoço como se quisesse me acalmar. Javier não se move por um tempo, tempo o bastante para que aquela dor lancinante se transformasse em puro êxtase.

  O líder da ROR se ajeita perto de minha cabeça, assim como o monstro sádico fizera á pouco. Sua masculinidade, já úmida encontra meus lábios molhados. Javier começa a se mover cuidadosamente. A sensação ultrapassa o nível de prazer e me faz gemer em Johnny, fazendo-o acariciar meus cabelos.

  Uso o corpo duro de Johnny como ele, gentilmente manda. Acariciando-o com a língua e com os lábios enquanto Javier posiciona meus pés em seus fortes ombros.

  Após um tempo sentindo esses dois Monstros me usando como quisessem, meu corpo reagiu novamente. Minha respiração voltou a ficar forte e Javier aumentou a velocidade.

  Johnny passou a mão por minha nuca segurando para que não não saísse de minha boca. Respondendo aos estímulos, foi a vez de Johnny liberar todo seu prazer em minha garganta. O mesmo segurou meu queixo e observou o resto do seu prazer líquido escorrer em meus lábios.

  A explosão em meu corpo veio forte ao sentir Javier acariciar minha parte sensível e escutar sua respiração pesada enquanto enchia-me por dentro. Quase não aguentando a situação, gemi sem ar como resposta ao prazer imenso que estava sentindo.

  Javier movimentou-se mais um pouco, inclinando seu corpo sobre mim. Beijou algumas vezes meu abdômen e mordiscou me fazendo suspirar na boca de Johnny que já encostava-se na minha.

  O sádico enlouquecedor deitou-se ao meu lado.

  -Fica de quatro... -ao dizer isso, Johnny mordisca minha orelha e sorri.

  Tento o máximo que posso fazer meu corpo me obedecer mas, sem forças ele recusa.

  Javier, por sua vez, me ajuda e me coloca por cima de seu corpo suado.

  Johnny levanta minha cintura e, finalmente meu corpo volta a me obedecer.

  A boca do monstro abaixo de mim, me convida e eu simplesmente aceito seu convite. O mesmo segura meus cabelos firmemente, o que me faz gemer baixinho em sua boca.

  Johnny se ajeita e se encaixa segurando minha cintura. Meu corpo responde a dor enrijecendo-se por cima do corpo de Javier, que se permite passar seus lábios pelo meu pescoço e ombros.

  Respiro fundo e prendo a respiração logo em seguida soltando o ar com dificuldade no ombro de Javier que acaricia nossos membros na tentativa de amenizar a dor, e dá certo. A dor infernal aos poucos se transforma no prazer gentil de Johnny que acaricia minhas costas me arrepiando por completo.

  O mesmo começa a se mover devagar, com calma enquanto Javier mordisca meu ombro, nuca até chegar em minha orelha.

  Johnny, já aumentando a velocidade, puxa minha cintura para mais perto dele, deixando completamente exposta a minha feição de dor e prazer para Javier, que, com seu olhar sádico, solta um sorriso de canto de boca.

  A dor gostosa de Johnny em mim e o olhar sádico de Javier junto à seu toque em nós dois me faz entrar em puro êxtase. Encosto meu rosto no peito de Javier deixando a cabeça do mesmo entre meus braços esticados. Javier acaricia meus braços até as costas com sua mão livre enquanto a outra age com mais firmeza. Johnny me faz rebolar com suas mãos e assim vou sentindo o mais puro prazer. Sua ereção toca minha parte interna mais intensa, me fazendo gemer no peito de Javier. Gemi com gosto, mas não pareci vulgar. Javier, como eu, sentia que ia explodir de tanto prazer, Johnny não ficou para trás, rosnou e aumentou a velocidade das estocadas e Javier segurou com força meus braços acima de sua cabeça.

  Me sentir preso aumentou absurdamente a sensação que já me consumia. A força de Javier em meus braços e seu toque em nossos membros, e a velocidade e precisão de Johnny dentro de mim fizeram os três soltarem um gemido intenso de prazer, liberando todo o líquido que restava em nós.

  Fui preenchido mais uma vez por dentro, e meu abdômen e o de Javier ficaram extremamente molhados.

  Johnny deixou seu torso cair sobre minhas costas me deixando no ombro de Javier. Ouço o beijo dos dois em meu ouvido e sinto a mão de Johnny virar meu rosto para encontrar a língua de ambos.

  Johnny deita-se exprimido ao lado de Javier enquanto o mesmo me faz deitar sobre seu corpo. Ambos ofegantes e exaustos.

  -Agora sim... -Johnny pausa para tomar ar -você é um membro oficial da Ruge Omega Ruge.

  Javier sorri com a mão em minha nuca.

  Como resposta, sussurro algo como um ''obrigado'' e sou acolhido pelo o braço do Líder por cima de minhas costas.

3 de Abril de 2018 às 02:51 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Photograph Photograph
A linguagem das flores A linguagem das flores
Protect your e-mail Protect your e-mail