Consequências Seguir história

kalinebogard Kaline Bogard

Draco vira a casaca, é acolhido pela Ordem da Fênix e levado para Grimmauld Place, onde Harry está. (Clichê Semi-Supremo)


Fanfiction Livros Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#violencia #incesto #estupro #homossexualidade #Drarry #mpreg #Harry-Potter #Draco-Malfoy #Linguagem-Impropria
9
5966 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Consequências...

O campo de batalha era o caos. E nem de longe seria a última batalha. Estavam apenas enfrentando alguns dos mais terríveis Comensais da Morte. Mas Voldemort não estava ali.

Maldições e azarações cruzavam de um lado para o outro. Inclusive as Imperdoáveis.

Em algum lugar Lupin gritou para terem cuidado. Uma voz, terrivelmente parecida com a de Fred Weasley, berrou de dor.

Harry mal podia parar para socorrer os amigos. Tinha que se defender. Procurou por Ron e Hermione. Não os viu.

Foi no meio daquela batalha que reconheceu uma cabeça loira, apesar dos fios loiros estarem um tanto sujos, era terrivelmente inconfundível. Draco Malfoy.

Pelos breves segundos em que observou o ex-rival de colégio, Potter compreendeu: ele lançava feitiços de forma desordenada contra os Comensais. E parecia fugir desesperadamente de alguém.

A cena fez o Gryffindor perder o foco. Praticamente esqueceu de tudo mais ao ver o garoto que procurava de forma insana desde o trágico final do sexto ano. Então fez o que sabia fazer de melhor: ágil de forma impulsiva, correndo em direção ao loiro.

Por breves segundos os olhos de ambos se cruzaram. As chamas esmeraldas capturaram o brilho gélido das íris mercúrio. Houve tanta coisa naquele segundo. Eras pareceram se passar antes que o contato fosse quebrado.

Draco fechou os olhos. A varinha escapou-lhe da mão e foi ao chão, caindo quase ao mesmo tempo em que o corpo magro, atingido em cheio pela Crucciatus.

Os lábios de Harry se entreabriram. O coração saltou, sem poder acreditar que alguém tivera coragem de usar a Imperdoável em um garoto que parecia tão frágil. Em Draco Malfoy.

Apertou a própria varinha entre os dedos. Sabia bem como era aquela dor, compreendia o que o loiro sentia, contorcendo-se no chão de pedras. Virou-se para a direita e viu Rodolfus que ainda infligia a tortura contra Malfoy. Os lábios estendidos num sorriso de satisfação, de prazer quase carnal.

Sem hesitar um segundo sequer Potter gritou de raiva e apontou a varinha para o Comensal da Morte. Quando o brilho esverdeado saiu da ponta do bastão ele não se arrependeu.

oOo

Draco acordou sobressaltado. Os olhos grises se arregalaram enquanto o garoto tentava sentar-se. Gemeu quando mãos fortes e preocupadas o obrigaram a deitar-se novamente.

– Está tudo bem, Draco. Calma. – a voz de Harry soou macia, tentando fazer o outro relaxar.

O loiro evitou olhar de volta. Diante do silêncio o Gryffindor continuou:

– Eu te trouxe pra base da Ordem da Fênix. – evitou dizer como a presença do jovem Malfoy causara discordância entre os outros bruxos – Está seguro aqui.

Calou-se. O silêncio estendeu-se por um tempo prolongado. O Garoto Que Viveu observou a face magra, quase encovada. As mãos, também magras, descansavam sobre as cobertas quentes. Mesmo que os olhos não fitassem o moreno, permanecendo perdidos num ponto da parede, Harry podia ver o brilho da experiência nas íris mercúrio. Teve medo de sequer imaginar o que Draco tinha passado nas mãos dos inimigos.

Sem que pudesse controlar, revelou:

– Eu procurei por você esse tempo todo. Sinto muito não ter chegado antes.

– Não tive escolha... – Draco revelou baixo. A voz rouca como se não falasse a tempos. – Não tinha pra onde ir...

– Sinto muito. – Harry repetiu sem saber o que falar.

– Sente...? – o loiro soou indiferente, como se ter qualquer sentimento, mesmo raiva e rancor, fosse esforço demais. E Potter entendeu que algo no loiro estava quebrado, talvez para sempre – Você escolheu a Weasley no fim, não foi...?

A pergunta não chegava nem a ser uma acusação. Era mais como uma constatação dolorosa de uma rejeição no passado. Um fato, nada mais.

– Fiz a escolha errada e me arrependi. Muito. Mas ainda há tempo...

Draco virou-se na cama e deu as costas para o moreno.

– Tempo, Potter? Não faz muita diferença.

Harry engoliu em seco. Mal percebeu as lágrimas que escorriam pelo rosto. Doía, mas Harry chegou a compreender: mesmo que ainda houvesse tempo, lá no fundo ele sabia que por algum motivo era tarde demais.

Draco estava a salvo ali na base da Ordem da Fênix. Mas, ainda assim, inalcançável aos sentimentos de Harry Potter.

30 de Março de 2018 às 00:00 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo ...são para...

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!