Incolor Seguir história

delryne Delryne Aligheri

Eu era muito ingênua para acreditar que um dia as coisas mudariam completamente, seguiria a estrada ainda sem esperanças, sentindo o vazio com as cores preto e branco preencherem as bordas do meu coração. Até que, tu surgistes com um pincel pronto para pintar-me, mal podia eu esperar por tal surpresa.


Romance Todo o público. © Todos os direitos reservados.

#droubble #short fic #cores #artista #arte #namoro #amor #for arukobi #romance
Conto
4
6.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Pinte-me

A angústia em meu peito assemelhava-se não ter um ponto final, as tristezas e desilusões na qual minha miserável vida passara eram intermináveis fazendo com que pelos mesmos motivos minha alma perdesse completamente suas cores. Eu era muito ingênua para acreditar que um dia as coisas mudariam completamente, seguiria a estrada ainda sem esperanças, sentindo o vazio com as cores preto e branco preencherem as bordas do meu coração. Até que, tu surgistes com um pincel pronto para pintar-me, mal podia eu esperar por tal surpresa.

Pintou-me com o vermelho do teu amor, que me fizeste-me enxergar que a vida não é só sofrimento e dor.

Pintou-me com o branco da tua paz, que fizeste-me arrancar do meu coração todas as mágoas deixadas pelo doloroso passado.

Pintou-me com o castanho dos teus olhos, os mesmos fizeste-me ver além das galáxias e das estrelas, na qual eram mais brilhantes que todo o universo estrelado.

Pintou-me também com o azul da tua confiança, que fizeste-me acreditar que a fidelidade ainda existe e irá existir para sempre entre nós.

Tu coloriu-me de todas as cores possíveis, minha alma agora já não é mais incolor, és tão colorida como um arco-íris depois da chuva.

22 de Março de 2018 às 23:52 2 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Delryne Aligheri Apenas mais uma sorumbática escritora vagando por um funébre mundo. A partir do momento em que comecei a ter percepção da existência, prometi a mim criar inúmeras histórias onde o caos e a soturnidade reinavam como verdadeiros imperadores de um vazio já existente. O verdadeiro reflexo de Edgar Allan Poe procurando um espaço maquiavélico e silencioso. Além de autora, também sou artista, poetisa nas horas vagas e futura violinista.

Comentar algo

Publique!
Jenny Blanc Jenny Blanc
ai que lindinho *^*)
12 de Janeiro de 2019 às 09:13
Mateus Álvaro Mateus Álvaro
E foi assim que você que coloriu o meu mundo com estes olhos de arco-iris.
22 de Março de 2018 às 19:53
~