Believe Seguir história

valdieblack Valdie Black

Amy Pond sempre acreditou no Doutor, Rory Williams sempre acreditou na Amy.


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Doctor Who não me pertence, fanfic criada sem fins lucrativos.

#fanfiction #romance #amy pond/rory williams #doctor who
Conto
2
6.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Believe

Ele a viu parada do outro lado da sala. Não conversava com ninguém, fingia que estava vendo alguma coisa importante no celular mas Rory percebeu que de vez em quando Amy erguia o olhar para a janela. Sabia o que ela esperava. Todo natal era a mesma coisa.


Amy tinha esse amigo imaginário quando criança que ela chamava de “Doutor Maltrapilho”, era um homem magricela e mal vestido que “apareceu” para Amy numa noite e nunca mais voltou. Rory lembrava que ela passou vários anos dizendo que ele era real e depois de se consultar com vários terapeutas acabou confessando que isso não passava de uma fantasia infantil.


Mas Rory sabia. Ele conhecia a Amy o bastante para saber que ela ainda acreditava nele. Amy acreditava no Doutor mais do que as crianças naquela festa acreditavam no Papai Noel. Estava sempre esperando por ele. Quando um carro fazia muito barulho, ela abria a porta para olhar. Quando os cachorros da vizinhança latiam muito, ela ia para rua. Quando saiam de casa, ela deixava um recado. Rory nunca lia os recados mas sabia que era para o Doutor caso ele aparecesse quando ela estava fora.


Eles nunca falavam sobre o Doutor, mas ele estava sempre ali. Entre os dois. Quando eram crianças Amy fazia Rory se vestir como o Doutor e eles brincavam assim. Rory nunca se importou, gostava de ser presente no mundo da Amy Pond. Perto dos outros ela colocava uma máscara, mas não com ele. Gostava de ser a segunda pessoa mais importante para Amy Pond.


Seus amigos pensavam que ele era doido. Quem gosta de estar em segundo lugar? Rory gostava. O segundo lugar estava bom para ele. Era melhor do que lugar algum. Melhor do que viver sem a Amy. Diziam que ele devia ter mais auto-estima e procurar outra namorada.


Rory tentou. Já saiu com outras mulheres, uma vez ou outra. Elas eram simpáticas, bonitas e ele até se deu bem com elas. No entanto, elas não eram a Amy e isso o desanimava. Não era uma questão de ser ruiva ou escocesa nem nada desse tipo. Era outra coisa que a Amy tinha que as outras não tinham, algo no seu espírito.


Nunca tentou explicar isso aos seus amigos pois sabia que eles não iriam entender. A maioria das pessoas usam as outras para passar o tempo ou para sentirem-se menos solitárias. Não o Rory. Ele estava convencido de que só poderia amar a Amy e ninguém mais. Não fazia aquilo por escolha, as coisas simplesmente eram assim. Amy Pond ou nada.


Ela não era sua alma gêmea, de jeito nenhum. Amy era muito agitada, muito mimada, muito egoísta, exatamente o oposto dele em todos os sentidos. Amy provavelmente nunca iria querer se casar e ter vários filhos como ele queria. Tudo bem, então ele também não teria essas coisas pois não iria querer fazer aquilo sem a Amy.


Provavelmente havia alguma mulher em algum lugar que queria exatamente as mesmas coisas que ele, mas aquilo não importava. Rory não queria uma mulher perfeita, ele queria a Amy. Às vezes tinha a impressão de que a amiga deles, Mels, entendia o que ele sentia mas a Mels era tão doida que Rory preferia não ser entendido por ela.


Foi graças a Mels que os dois se tornaram namorados. Ela fez algum comentário jocoso sobre a amizade deles ser um romance o que levou a Amy a descobrir que Rory era apaixonado por ela. Até então Amy era a única que não sabia disso porque ela era completamente avoada, estava sempre pensando no Doutor.


Rory nunca teve coragem em pedi-la em namoro nem nada desse tipo, então ela teve que gritar com ele até que o fizesse. “Se você gosta tanto de mim por que não fez nada?”, perguntou naquele dia, “Por que nunca me chamou pra sair?”. Rory não respondeu, eles não falavam sobre o Doutor. Numa troca de olhares cheios de significado ele conseguiu notar que ela entendeu.


Eles saíram depois disso e Rory percebeu as tentativas dela de fingir que não estava pensando no Doutor, não gostou daquilo. Não queria que Amy deixasse de ser quem ela era para agradá-lo. Amy Pond estava sempre esperando pelo Doutor, ponto. Rory Williams nunca iria ser o Doutor, ele só podia ser o Rory, e tinha se conformado com isso. O segundo lugar.


Se ele queria estar em primeiro lugar? Sim. Rory queria muitas outras coisas que nunca teria. Queria ser médico ao invés de enfermeiro, queria ser menos idiota o tempo todo, queria que Amy o amasse tanto quando ele a amava. Mas tinha que se contentar com o era lhe dado.


“E se o Doutor voltar?”, se perguntava às vezes, “O que vai acontecer?”. Claro que aquilo era loucura. O Doutor era tão real quanto o Papai Noel. Mas Rory tinhas esse medos irracionais de que a Amy acharia alguém que ela amava mais do que ele ou do que o Doutor. O que seria dele então?


Rory se aproximou da namorada que tomou um susto quando o viu.


- Está quase na hora de abrir os presentes. - ele comentou, um pouco nervoso. Era o único homem no mundo que não se sentia seguro conversando com a mulher que namorava há anos.


- É...


Ela lançou um breve olhar para a janela.


- Ah, olha só.. - Rory apontou para cima. Um visco estava pendurado no teto.


- Odeio essas coisas. - Amy comentou.


- É, eu também. - mentiu. - Ei, eu estava pensando... o que foi?


Amy tinha lágrimas nos olhos.


- Nada... é só... a festa de natal, é muito emocionante. - ela rapidamente limpou os olhos com a mão.


Rory não soube o que dizer. Ele não queria quebrar o acordo tácito que eles tinham de nunca falarem sobre o Doutor.


- Você quer casar comigo? - perguntou. Sua mente entrou em pânico, “por que diabos você disse isso?”.


Amy também espantou-se. Era difícil saber se tinha ficado com raiva da pergunta ou não.


- O quê?


- É, sabe... somos namorados há bastante tempo. Eu gosto de você, e acho que você gosta de mim, então...


- Sim.


Rory ficou confuso.


- Desculpe, acho que não ouvi direito.


- Sim, quero me casar com você.


Ele sorriu, ainda em choque.


- Certo... bem, não precisamos anunciar agora. Também não precisamos fazer uma festa do tipo...


- Eu quero uma festa. - disse, irritada.


- Certo, vamos ter uma festa.


  Rory não disse, mas já imaginou a Amy casando-se com ele várias vezes e nunca acreditou que aquilo um dia seria real. Ela lhe deu um beijo. Rory não acreditava no Doutor, mas ele acreditava na Amy. Poderia esperar por ela. Talvez, um dia, estaria no primeiro lugar.

11 de Março de 2018 às 00:04 2 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Andre Tornado Andre Tornado
Oi Valdie! Bem-vinda. Foi muito bom (re)descobrir esta hisória. Beijo!
11 de Março de 2018 às 11:38

  • Valdie Black Valdie Black
    Obrigada! Você é muito fofo. =*** 11 de Março de 2018 às 13:42
~