5
7.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O melhor amigo.

De um canto, no acampamento onde os novos recrutas jantavam, Reiner observava Bertholdt comer um pedaço de pão, acompanhado de um prato de ensopado, sem pressa.

Não era nada incomum Reiner fazer aquele tipo de coisa. Desde pequenos, Reiner sempre esteve de olho em Bertholdt. Os dois cresceram juntos, e Reiner tinha muito orgulho em se considerar uma espécie de irmão mais velho para Bertholdt.

Bertholdt sempre foi um garoto amável e atencioso, com todos; especialmente com Reiner.

Talvez, o único defeito que Bertholdt possuísse fosse a timidez. Não que aquilo fosse realmente um defeito, pois era exatamente aquela timidez, que fazia de Bertholdt, um garoto adorável. Reiner não tinha certeza de que adorável seria a forma certa para se referir ao amigo, pois ele acreditava que esse adjetivo seria mais adequado a Christa, a menina doce e bonita com quem queria se casar.

Reiner desviou o olhar procurando agora pela menina. A encontrou dividindo um pouco de pão com Sasha, que engolia a generosa porção oferecida como uma verdadeira esfomeada. Christa ria muito vendo a forma engraçada como Sasha comia. Reiner acabou sorrindo junto. Adorava ver Christa agir daquela forma doce.

Reiner acabou gostando muito da menina. Ela era meiga, educada e delicada, parecia uma verdadeira boneca. Os olhos azuis e o cabelo dourado, davam a ela uma beleza única.

Qualquer um que perguntasse a Reiner se ele gostava de alguém, com certeza a resposta seria…

Inconsciente, Reiner procurou por Bertholdt mais uma vez. Seus olhos dourados encontraram os verdes, que pareciam já o mirar ha um bom tempo. Viu a sopa que acabara de entrar na boca de Bertholdt cair novamente no prato. Reiner riu de longe vendo Bertholdt limpar a boca e sorrir nervoso pela situação em que foi pego.

“Só podia ser você mesmo, Bertholdt!” foi o pensamento de Reiner que ainda mantinha um largo sorriso vendo Bertholdt voltar a comer totalmente envergonhado.

A expressão alegre do loiro, foi logo substituída pela dúvida.

Podia jurar que estava pensando em Christa agora mesmo, e o quanto a achava divertida e adorável. Então, porque continuava a olhar para um Bertholdt extremamente vermelho que tremia, na tentativa de levar mais uma colherada de sopa à boca? Talvez, fosse porque Bertholdt era bem mais engraçado que Christa! Não, a quem estava querendo enganar com isso? Bertholdt, definitivamente, não era uma pessoa engraçada. Bem, pode ser que não fosse para a maioria das pessoas, mas Reiner, sempre conseguia sorrir mais com o amigo por perto. Mas, se Bertholdt não tinha a menor graça, então o que fazia Reiner sorrir afinal? Nem ele sabia.

Ficar ali de longe apenas olhando, pareceu ser um grande desperdício, quando poderia ir até lá e se sentar perto da garota de cabelos claros.

E foi exatamente o que fez. Passou por Bertholdt piscando para ele em um gesto de cumplicidade, embora tenha notado que não foi correspondido como de costume. Talvez o garoto, tivesse apenas distraído com a comida.

— Oi! - Reiner se sentou ao lado da garota, que cedeu um pouco mais de espaço no banco para o loiro.

— Reiner! - a menina sorriu para ele. Naquele momento Reiner quis explodir de tanta felicidade. – Que surpresa você vir aqui falar comigo.

— Oh, sério? - Reiner coçou a nuca nervoso. – Desculpe, não era minha intenção ser inconveniente.

— Não, não você não é inconveniente, Reiner! Eu até acho você bem legal, sabe. Eu gosto de conversar com pessoas mais amadurecidas assim que nem você. - a garota corou um pouco com o elogio que fez ao loiro. – É só que você nunca fala comigo, aliás você não costuma falar muito com ninguém, além do Bertholdt.

— Ah sim, mas isso é só porque eu e o Bertholdt temos muitos assuntos em comum, nos conhecemos desde criança. E somos homens, e homens passam muito tempo falando sobre coisas de homens, sabe?

— Sei, você deve gostar muito mesmo dele, né?

— Sim, eu gosto mesmo!

— E, sobre que coisas de homens, vocês costumam falar.

— Ah, muitas coisas!

Reiner mais uma vez buscou Bertholdt por entre as mesas. Mas, ele não estava mais lá.

Ficou chateado. Poxa vida, não podia nem desviar os olhos que Bertholdt, simplesmente, desaparecia? E agora, como poderia conversar tranquilamente com Christa, se Bertholdt não estava ali para dar aquele incentivo a ele? Não sabia que o amigo podia ser tão egoísta assim, e abandoná-lo em um momento tão importante como aquele.

Viu o livro que Bertholdt costumava ler sobre a mesa. Além disso, um pedaço de pão ainda permanecia ali, intacto, ao lado do prato.

Bertholdt nunca largava daquele livro, era sua companhia favorita; depois dele é claro! Ficou apreensivo. Seria possível que Bertholdt estivesse com algum problema e ele não percebeu? Será que não aguentou toda aquela pressão e fugiu?

— Me desculpe Christa, mas, você viu o Bertholdt? - Reiner se levantou aparentando preocupação. – Ele estava aqui agora mesmo!

— Ah sim, ele saiu assim que você se sentou aqui! Por quê? O que houve, Reiner?

— Não, nada. Só fiquei preocupado.

— Tudo bem ele só deve ter ido tomar um pouco de ar!

— Ou… se encontrar com alguém em segredo!

Ymir acabava de chegar. A garota se espremeu entre Reiner e Christa.

— Não seja maliciosa, Ymir! O Bertholdt não foi atrás de ninguém.

— E como você pode saber? Pode até parecer, mas você não é a mãe dele.

— Porque eu sei tudo sobre o Bertholdt! - Reiner fechou a cara. Ymir sabia ser irritante como ninguém.

— Ah é! Pois quer saber de uma coisa, Reiner. - a garota de cabelos negros se inclinou sobre a mesa ficando bem próxima a Reiner. – Eu acho que o mais importante, você nunca soube!

— Com licença Christa, mas, preciso ir agora.

Reiner se retirou sob o olhar desconfiado de Ymir. O loiro passou pelo lugar onde antes Bertholdt comia e recolheu o livro do garoto.

3 de Março de 2018 às 14:20 2 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Ruínas.

Comentar algo

Publique!
Okaasan Ackerman Okaasan Ackerman
Ai que delícia de fic, caraaaaaaaaaaaaaa *-* EU AMO REIBERT!!
11 de Março de 2018 às 11:10

  • Takkano Takkano
    Ai nem me fale Okaasan! Escrever essa fic foi a melhor forma de demonstrar toda a minha paixão pelo shipp! E não adianta tentar fugir viu, porque eu quero aquela fic sua lá pra mim!!!! *w* 12 de Março de 2018 às 17:21
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 17 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!