your shirt || pjm + jjk Seguir história

rapmonara Kim

Não me importava se meus dias eu não te tinha, se nas minhas noites tivesse meu quarto, meu emaranhado de edredom, você na sua camiseta favorita e eu te tenho adormecido e me mantendo seguro. Jikook + UA


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#romance #jeon jungkook #park jimin #songfic #bts
8
6767 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único.

Já é meio-dia e eu ainda estou deitado no mesmo lugar onde você me deixou. Ainda visto sua camiseta e seu cheiro ainda está por todo o quarto. A única coisa que falta aqui é justamente o dono de tudo isso. Não é como se eu esperasse encontrá-lo deitado ao meu lado. Eu já estou acostumado com o vazio na cama, mas é que tudo a minha volta parece muito solitário quando você sai.

Afundo meu rosto no travesseiro, inalando o que restou de você e da nossa noite. Me trazendo todas as sensações que só sua presença me fazia sentir e jogando na minha cara que eu sou o único que ainda continua caindo nesse precipício que nós dois somos. Você me disse que eu saberia quando fosse o melhor momento para cair, mas eu esperava que seus braços estivessem lá para me manter por perto.

Nossa história é tão antiga, e eu sei de cor todos os acontecimentos que virão pela frente, mas eu não consigo impedir que você volte, Jungkook. Você é o único na minha cabeça. Então porque não consigo tirá-lo? Eu ainda o quero aqui, na minha cama, entre meus edredons, onde somos apenas nós dois.

Sabemos que não nos encaixamos, eu não quero alguém pela metade e você diz sentir-se inteiro quando está comigo.

E não é como se eu já não tivesse tentado ter outras pessoas. Eu tinha conhecido caras diferentes, dado chances para que outro alguém me fizesse sentir o que eu parecia encontrar apenas em você. Mas meu peito não queria outro coração para preencher os buracos que você havia deixado nas minhas cobertas. Buracos estes que pareciam ser feitos para que eu me desencantar de você.

Eu odiava sentir a falta tua, porque você não parecia sentir a minha. Em todas as vezes me perguntava o que havia feito de errado? Por que você sempre partia? Mas por quê sempre voltava? Jeon, alguma vez você pensou em partir e não mais voltar? Seria tão mais fácil.

E eu ralhava comigo durante o dia inteiro, jurava que não abriria mais a porta para você, Jeon Jungkook, você não tinha mais espaço aqui. Mas a noite vinha e junto com ela seus abraços, seu cheiro, sua boca, seu toque... Tudo estava aqui de novo, emaranhado nos meus lençóis, vestindo sua camiseta favorita. Eu te tinha adormecido, me segurando próximo a ti.

Para no outro dia eu acordar sem você, apenas com a sua camiseta que você me deu.

E mesmo que eu tentasse negar ainda queria ter você comigo aqui, queria estar dentro do seu abraço, onde é meu lugar. Mas eu havia aprendido a aproveitar as minhas noites, que eram recheadas de tudo que nos tornava nós. O “nós” que nunca definimos de fato. Lembrava-me da noite em que te perguntei o que tínhamos e você me deu um daqueles sorrisos que me fazia perder o fio de qualquer raciocínio, me apertou contra seu peito e me beijou.

“Temos um ao outro.” sussurrou em meu ouvido. “Isso é o que importa.”

Você cessou o assunto como sempre fazia, com teus lábios trilhando caminhos pelo corpo. Naquela época, seus beijos foram o suficiente para que qualquer dúvida que eu tivesse fosse esquecida, porque era verdade, eu te tinha. Mesmo que em poucas horas, mesmo que depois você se fosse, eu me agarrava ao que podia ter de ti, e isso era o suficiente.

Mas os meses passaram. O tempo voou, e te ter apenas algumas vezes na semana, em um relacionamento que eu nem mesmo sabia nomear, já não era o suficiente. E quando esse assunto voltou a ser citado, a mesma frase foi usada, “nós temos um ao outro”. E nesse dia tivemos nossa primeira discussão. Eu não entendia o que acontecia entre a gente e você não parecia querer identificar também. Você foi embora no meio da noite, eu não tive nem mesmo seu calor para dormir, fiquei apenas com as palavras afiadas que dissemos um ao outro e a sua camiseta favorita, que você havia me dado.

Você não voltou nas noites seguintes, nem mesmo me mandou uma única mensagem pra dizer que estava bem. Taehyung e Hoseok tentavam me animar de todas as maneiras. Depois de um mês eu dei uma chance para as noites na cidade, mas elas eram solitárias demais para mim. Eu queria meu quarto, eu queria meu edredom e eu queria você emaranhado comigo.

E como uma piada ruim, de uma série horrível, você surgiu. Lá estava o dono dos olhos grandes e escuros e da boca pequena que me fazia esquecer o mundo a minha volta. Eu nunca falei isso, mas naquela noite eu tive certeza de que nunca me libertaria de você, Jungkook, mesmo que eu fugisse. Mesmo que corresse para o lado contrário, eu acabaria de volta aos seus braços.

A chuva forte que caia na madrugada foi a nossa trilha sonora, o barulho se misturava com as nossas respirações fortes, os gemidos altos e as batidas do meu coração. Eu adormeci sobre seu peito, seus dedos corriam pelos meus cabelos e eu nunca havia me sentido tão em paz. Que se dane se no outro dia você não estaria lá, eu precisava te ter, o pouco que fosse.

Você nunca pareceu querer tudo, se contentava com o fato de termos um ao outro apenas.

Eu ainda me perguntava o que tínhamos. E nós ainda caíamos na mesma discussão, porque eu tinha necessidade de entender tudo, eu não consigo ser como você. Mas depois tudo ficava bem, porque eu ainda tinha seu abraço pra adormecer.

Obrigo-me a levantar e a deixar para trás os rastros seus em minha cama. Encaro meu reflexo no espelho, meu pescoço ainda carrega as marcas que você faz questão de desenhar na minha pele. Porque você não se satisfaz em deixar apenas vestígios seus pela minha casa. Puxo a gola da sua camiseta e escondo metade do meu rosto embaixo dela, seu perfume nunca vai deixar de ser meu cheiro favorito. Ligo o chuveiro e deixo a torrente de água morna levar embora todas as lembranças da nossa noite do meu corpo.

Quando volto pro meu quarto meu celular vibra no criado mudo, é uma mensagem sua, algo que você vinha fazendo constantemente nos últimos dias.

Me espere essa noite, eu levo o jantar.

E toda aquela angústia de não te ter nas minhas manhãs some quando você me lembra de que eu te tenho em minhas noites. Porque eu sei que nada pode ser melhor do que te ter no meu quarto, onde eu quero você, emaranhado nos edredons da minha cama, vestindo sua camiseta favorita... Eu te tenho meio adormecido me segurando próximo a ti. 

27 de Fevereiro de 2018 às 03:38 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Kim Paulista de 18 anos, virginiana com um pouco de áries, gêmeos, touro, leão e sagitário. As três tindades: bts, naruto e deadpool.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~