Call It What You Want Seguir história

sr.-artie

Sasuke ainda não era bem visto na Vila. Mas ele não se importava. Não enquanto a Sakura estiver ao seu lado.


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#songfic #fluffy #naruto #Sakura-Haruno #Sasuke-Uchiha #sasusaku #romance
Conto
9
7.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único: Call It What You Want

Notas da História:
Os personagens pertencem ao Masashi Kishimoto, porém, a história é de minha autoria.
Capa criada pela Fellurian
História betada pela Mandy ( Nyah - Liga dos Betas).
História baseada na Música Call It What You Want da Taylor Swift
História postada no Inkspired, SocialSpirit e Wattpad
*SasuSaku*

Notas Inicias do Capítulo:

Eu escrevi essa one no início desse ano. Disponibilizei ela anteriormente no Nyah e Spirit, e agora estou trazendo-a para o Inksipred e Wattpad.

Boa leitura =) 


Call It What You Want

By: Sr. Artie

Capítulo Único


Frio. Essa era a única palavra, naquele momento, que estava passando pela mente de Sasuke.

Deitado na cama de um quarto de hotel que encontrou em Kirigakure para passar a noite com a Sakura, ele observava, ao som dos pingos de chuva batendo no telhado, enquanto a Kunoichi acendia a lareira para mantê-los aquecidos.

Assolado por uma forte gripe há alguns dias, Sasuke recebeu uma série de conselhos da sua esposa para tratar a virose, mas não deu ouvidos. O resultado por ter feito pouco caso dos conselhos da médica foi uma febre alta. E por essa razão que o portador do Sharingan estava pensando tanto sobre a palavra frio. Essa era a única coisa que ele estava sentido: frio, devido a febre.

Olhando a kunoichi fazer a fogueira, a mente do Uchiha começou a esquecer sobre o frio e passou a ter outro alvo como objeto dos seus pensamentos: a Sakura.

Sorriu. Era engraçada a maneira como ela nunca deixou de estar ao seu lado, embora ele tenha dado inúmeros motivos para isso.

Era somente uma criança quando a vida do Sasuke se tornou um pesadelo. O extermínio do seu clã através do Itachi, a pessoa que ele mais admirava no mundo, o quebrou de modos imagináveis. Repentinamente, as flores que haviam na sua vida transformaram-se em espinhos. E esse acontecimento horrível foi apenas o início de uma história marcada por ódio e vingança.

Destruído, com o coração partido e a alma em frangalhos, Sasuke era, além de tudo, uma pessoa enganada. Itachi, na noite que matou seus pais, o disse: “me odeie”. E o ex-membro do Time 7 realmente seguiu a ordem: sentiu ódio. Cada novo dia em que abria os olhos, ele amaldiçoava o Itachi.

O ódio por Itachi guiou o Sasuke até o dia em que ele conseguiu, finalmente, executar sua vingança. No entanto, logo após, descobriu que tudo não passava de uma encenação para proteger o governo de Konoha. O seu irmão, aquele cujo o seu amor por ele era maior que tudo, fez todas aquelas atrocidades para evitar um golpe de Estado. Itachi não era um vilão, era um herói. E mesmo assim, ele estava morto. Sasuke o matara porque foi engando, desde sempre. Não por uma escolha sua, jamais lhe contaram a verdade.

Descobrir que foi enganado, aumentou potencialmente a sua raiva. O alvo, dessa vez, era Konoha, uma vez que Itachi já estava morto. Todavia, antes de atacar a vila, foi preciso que o Uchiha se envolvesse na Quarta Guerra Ninja, o que ele fez. Trabalhando em parceria com seus antigos companheiros de Time, Sasuke salvou o mundo. E embora fosse um dos salvadores, foi ele que, em seguida, precisou ser salvo pelo Naruto.

Quando brigou com Naruto no Vale do Fim, até que as suas últimas gotas de chakra e energia fossem usadas, Sasuke conseguiu observar todo o mal que causou durante a sua jornada. Todas as pessoas que ele machucou. À Sakura. Tudo que conseguiu fazer foi chorar.

Em virtude disso, Sasuke decidiu sair em uma viagem de peregrinação, buscando redenção, curioso com a expectativa de se conhecer e de conhecer o mundo sem que seus olhos estivessem manchados de ódio. Por isso, ele partiu. Apenas quando se sentiu em paz consigo mesmo, ele decidiu retornar à Vila. Fazia anos que estava longe e ansiava pela Sakura, mais que tudo. O amor e a saudades são amigas de longa data.

Em Konoha, na sua primeira noite, Sasuke encontrou-se com Sakura no apartamento da médica, que morava sozinha. Não disseram muitas palavras. Existia uma necessidade gritante neles que palavras não seriam capazes de cessar. No chão da sala, eles se amaram.

Na manhã seguinte, Sakura fez questão de mostrar ao Sasuke a nova organização da vila, as coisas que mudaram no decorrer dos anos em que o ninja passou longe. Infelizmente, durante essa tuor por Konoha, Sasuke percebeu os olhares tortos que os moradores da vila dirigiam a ele. O cochichado e a cara de desgosto. Sasuke se perguntou qual a razão daquilo, até que conseguiu usar o sharingan e ler os lábios de uma senhora que passava ao seu lado, numa rua qualquer.

— Esse Uchiha pensa que esquecemos que um dia ele foi um ninja renegado – disse a velha. – Traidor.

Assim, Sasuke compreendeu. Ele ainda não era bem visto pelos moradores de Konoha, talvez nunca chegaria a ser. Contudo, não podia apagar o seu passado, por mais que quisesse esquecê-lo.

Sentiu a mão da Sakura apertar a sua com uma certa força. Olhou-a de relance e percebeu a ira que transbordava em seu rosto, levando-o a concluir que ela também havia escutado o que a senhora falou. Mas antes que fosse possível que a kunoichi reagisse ao comentário de mal gosto da idosa, Sasuke a puxou pela mão e a retirou de lá, indo em direção a casa.

No exato momento que passaram pela porta de entrada, Sasuke fechou-a e virou-se em direção à Sakura.

— Sakura – começou a dizer com seu tom de voz calmo e sereno –, eu sei que eu sempre cometo os mesmos erros quando diz respeito a nós. Pontes queimam e eu nunca aprendo. Mas chegou o momento em que eu quero que você use o símbolo Uchiha, que o ostente por toda a Konoha. Mas não desejo isso para mostrar que eu sou o seu dono, mas porque você realmente me conhece.

Sakura estava no ápice da sua felicidade e pretendia dizer alguma coisa, mas Sasuke levantou a mão, pedindo com o gesto que ela não falasse e assim ele continuou a dizer.

— Então, você não precisa me salvar, mas fugiria comigo?

— Sim! – respondeu eufórica – Sasuke-kun, eu vou com você.

E ela realmente veio. Então ali estavam eles, num quarto de hotel depois de duas semanas de casados. Mais uma vez naquela noite, Sasuke sorriu. Levantando-se da cama, caminhou até a Sakura e a agarrou pela cintura, aproximando o corpo da médica ao seu.

— Sasuke-kun! – Exclamou, assustada.

O Uchiha não deu importância para o sobressalto da esposa e a arrastou até cama, onde a fez deitar, caindo por cima dela em seguida.

— Sasuke-kun, você está doente... – tentou argumentar

— Shh – essa foi a única resposta que Sakura obteve antes de Sasuke beijá-la.

Sakura riu. Sasuke também.

Estar ali com a Sakura implicava que, por mais que a sua vida fosse uma entrelaçado de erros, pelo menos uma coisa ele tinha feito certo. Ele estava rindo com seu amor, construindo fortalezas debaixo das cobertas, confiando nela como uma irmã. Os olhos esmeraldinos da sua esposa eram faróis para a sua noite escura. Sim, ele tinha feito uma coisa certa.

E apesar de tudo o que ele passou, o Uchiha continua não sendo bem visto na Vila. As pessoas ainda comentam sobre o seu passado. Elas não sabem de nada, mas o chamam de bandido e, pior, de traidor. São mentirosos, estão o chamando disso ou daquilo, porém, ninguém sabia dele há meses, até ele voltar para pedir Sakura em casamento.

A verdade é que Sasuke está melhor do que estava, porque o seu amor – a Sakura – é como um sonho. Ela caminha constantemente de cabeça baixa, tímida, mas ele é o único com quem ela caminha. A Sakura voa como um jatinho, acima de toda essa bagunça que foi sua vida. Ele estava calmo em relação a como as pessoas o chamavam. Sakura o amava como se ele fosse novo, então o chamem do quiser, ele não liga.

27 de Fevereiro de 2018 às 02:44 1 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
1 de Março de 2018 às 18:45
~