A Acompanhante da Noiva Seguir história

slowqueen SlowQueen

" Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Ama-me assim escondidinho Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho... " - Mário Quintana


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#Uchiha Sasuke #Haruno Sakura #Amante #Traição #Acompanhante #Adulterio #UniversoAlternativo #SasuSaku #Hentai #Sexo #Familia #Naruto #Amor #Drama #Romance
39
7.6mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Chegada.

Sejam todxs bem vindxs e espero que gostem ❤ 
Boa Leitura ❤ 


26/07/2016

Fanfic / Fanfiction A Acompanhante da Noiva - Capítulo 1 - A Chegada.


A Chegada



O som da porta de madeira antiga chamou a atenção do homem, tirou os olhos negros do livro de contabilidade em suas mãos e levantou o rosto, a biblioteca com tons predominantemente marrons estava vazia e mal iluminada à sua frente, fechou o livro calmamente, soltou-o sobre a mesa e empurrou-o lentamente para a direita, ouvindo então novamente o som das batidas na porta, coçou a garganta e então mandou que entrasse...


A maçaneta de ouro girou e a porta se abriu, o jovem entrou calado e fechou a porta atrás de si, caminhou até a mesa onde o homem mais velho se encontrava sentado e observou-o por algum tempo, naquela luz baixa seu pai parecia muito mais velho que o normal, podia até jurar ver alguns cabelos brancos no patriarca da família Uchiha, o quimono todo em tons escuros e marrons também não ajudava a rejuvenescê-lo, mas ele não se importava com isso afinal, foi obrigado a fazer uma pausa em seus pensamentos ao ouvir a voz do pai...


— Sasuke acredito que saiba porquê lhe chamei até aqui.

— Para falar a verdade pai, tenho certo receio de que seja o que estou pensando...


Ele respondeu, sem dar muito valor ao tom serio que o homem mais velho usava, sabia exatamente o que o pai queria, afinal estava evitando aquele assunto por meses, mas sabia que não seria mais possível adiar aquilo, suspirou fundo e fechou os olhos por alguns segundos, e a voz do pai voltou a ecoar pelo local...


— Meu filho, eu não estou ficando mais jovem, e você não parece estar se esforçando para cumprir nosso combinado.

— Não posso apressar essas coisas pai, não é simples assim. Não posso decidir que vou me apaixonar por alguém e pronto, está feito.

— Mas você se quer da chance para as moças filho, passa dois, três dias com elas e logo se cansa e parte para outra. E é uma longa fila, alias, só este mês vi três meninas diferentes saindo de seu quarto.

— Dois dias são o suficiente para eu perceber que não é o que eu quero em uma mulher, e a grande maioria delas só esta interessada no dinheiro, são como abutres.

— Ok. Mas fazem meses desde nossa ultima conversa, e não houve evolução alguma aqui, você não esta indo a lugar nenhum pulando de cama em cama. Saiu com modelos, com atrizes, cantoras, e isso só para inflar seu próprio ego.

— Isso é injusto, se bem me lembro a loira da semana passara era neurocirurgia.


O homem levantou-se furioso, batendo as duas mãos na mesa e encarando o filho ainda sentado a sua frente quase sem expressão no rosto, o jovem não parecia nem um pouco interessado naquilo, mas ele não poderia deixa-lo ganhar novamente, suspirou fundo se acalmando e arrumou o quimono que havia se desalinhado com o movimento brusco, e com a voz mais firme ele recomeçou.


— Seu tempo acabou Sasuke. Você me pediu um tempo para achar alguém que gostasse e não encontrou, agora eu vou acha-la para você.

— Eu não sei porquê insiste em me casar, não estamos mais no século passado, já não esta satisfeito em fazer Itachi casar-se com aquela víbora?

— Ora Sasuke, não fale assim de sua cunhada, e seu irmão esta muito feliz com o casamento. Você sabe o quanto eu prezo por manter as tradições dessa família, e esta é uma delas.


O silêncio se fez por alguns segundos no lugar, e então o jovem se levantou, olhando o pai a mesma altura, o homem já se preparou para retruca-lo, não queria força-lo a aquilo, e muito menos entrar em uma briga, mas era algo que não abriria mão, não mais, mas para a sua surpresa o jovem falou baixo e serio, em um tom quase de derrota.


— Tudo bem meu pai, pode procurar uma noiva para mim. Sei que é importante para as empresas e principalmente para o senhor. Mas não pense que não tentei encontrar alguém de quem gostasse, simplesmente não a encontrei, parecem todas tão burras e interesseiras. Espero que o senhor tenha mais sorte que eu.


O homem quase não acreditou naquilo, pensou por um segundo que era uma brincadeira do filho, já que este era sempre tão teimoso, mas isso não importava agora, fez a volta na mesa e colocou o braço por cima do ombro do filho, sorrindo e falando alegre...


— Eu vou achar a melhor esposa para você. Na verdade já tenho até uma pretendente...

— Mas já? — Sasuke teve vontade de retruca-lo, mas preferiu aceitar calado.

— Estou em contato com o pai dela há meses por motivos de negócios, é uma família que preza pelas origens assim como a nossa, moram na China, e tem uma grande fortuna, e por acaso ele comentou que estava à procura de um pretendente para sua filha mais nova, disse que é linda com uma flor, e inteligente também, formou-se em administração internacional em Stanford. Se me der o seu aval, posso dizer ao pai dela que se interessou e quem sabe já até marcamos a data do casamento...

— Eu acho que o senhor esta se apressando um pouco, mas.. – Ele suspirou – Tudo bem, faça como o senhor achar melhor...



Os dias se transformaram em semanas, e estes em alguns meses, o inverno chegava ao fim e a primavera começava a dar seus primeiros sinais. O sol estava brilhante naquele fim de manha, uma gota de suor escorreu pelo lado do rosto do Uchiha mais novo, correu por seu pescoço e por fim sumiu em seu peito ofegante, Sasuke usava um quimono preto com o símbolo branco e vermelho que representava a família nas costas, os pés já estavam acostumados a ficar descalços, apesar de sua mãe achar isso uma terrível ideia, o som das batidas repetidas ecoava pelo lugar, a espada de madeira nas mãos do Uchiha mantinha seus movimentos constantes e firmes, mas então a porta do dojo que era feito completamente de madeira crua correu para o lado, e Sasuke parou de se mover nesse momento, suspirou fundo recuperando o folego e saiu de sua posição de combate, caminhou firme até a base do tatame e colocou a espada sobre uma pequena elevação, só então ele virou-se para olhar quem entrava...


O irmão mais velho estava escorado na porta com o costumeiro sorriso de canto, o cabelo mal preso, vestia uma calça e sapatos sociais, mas a camisa branca com o slogan que dizia “why so serious?” e o sorriso do vilão dos quadrinhos quebrava o ar serio...


— Você e papai pensam que estão no século passado ainda.

— Não me culpe por gostar das artes antigas. – O mais jovem se aproximou..

— Mamãe esta a sua caça. Quer que vá colocar um terno pelo menos.

— Um terno? Para que?

— Se você se esqueceu, a sua noiva esta chegando daqui a pouco.

— Bom, se essa mulher realmente pretende se casar comigo, não tem o porque de eu vestir um terno, seria quase como uma propaganda enganosa já que eu evito usa-los.

— Eu diria que um terno é totalmente dispensável nessa ocasião, mas bem que poderia pelo menos tomar um banho para não ir conhecê-la todo suado e pegajoso.


O mais novo parou diante do irmão, puxou a parte de cima do quimono de dentro da calça e tirou-a por cima da cabeça, jogando a peça pesada de suor no chão e ficando com todo o tórax a mostra, e com um sorriso irônico reiniciou...


— E por que eu faria isso? Ainda tenho esperança de ela me achar um relaxado e ir embora, nosso pai teria que aceitar e cancelar esse casamento.

— Ora, não seja tão teimoso. Ele até sabe o que faz – O homem sorriu ao lembrar da esposa.

— Por favor, me poupe.


O som chamou a atenção dos dois, os empregados da propriedade começaram a correr e murmurar, afinal, as coisas tinham que estar perfeitas naquele momento...


— Parece que ela se adiantou um pouco... – Itachi falou, e viu o irmão mais novo passar por ele com uma expressão não muito alegre...

— Que sorte a minha...


Os empregados da propriedade estavam ansiosos, muito deles, os que iriam conviver mais com a futura nova Uchiha estavam nos portões do lugar junto com a família, devidamente uniformizados e em fila, Fugaku estava com seu costumeiro quimono escuro em tons de marrom e a esposa logo ao lado, com seus lindos cabelos negros soltos vestindo um leve e comportado vestido amarelo, que ia até seus joelhos e tinha mangas curtas e rendadas extremamente delicado, a matriarca sempre estava linda aos olhos de todos, e esse era um dos grandes orgulhos de seu marido, a beleza de sua esposa, ao lado dela estava à esposa de Itachi, com um lindo e fino terno feminino em um tom cinza claro, deveria estar chegando do escritório de advocacia em que era sócia, com os cabelos loiros presos em um coque estrategicamente bagunçado, Itachi abraçou-a pela cintura ao se aproximar e viu a mulher sorrir...

Quem não sorriu foi a mãe deles, assim que olhou para o filho mais novo ficou pasma, de pés descalços com as calças do quimono e nada mais, suado e ainda um tanto ofegante, Sasuke até arriscaria dizer que ela ficou furiosa por ele não ter se arrumado para receber a noiva, mas sabia que ela não falaria nada naquele momento, e depois da chegada da noiva certamente esqueceria, estaria ocupada de mais tentando descobrir tudo sobre a vida da jovem...


A limusine passou pelos portões, e enquanto se aproximava contornando os jardins todos ficavam mais ansiosos, com exceção do único que deveria ficar, Sasuke só queria que aquilo acabasse, sabia que aquele casamento tinha que acontecer, e aceitaria a mulher que o pai havia lhe escolhido, mas não poderiam lhe pedir para ficar feliz com aquilo, por um momento até desejou se apaixonar por ela da mesma forma que Itachi havia se apaixonado depois do casamento, também arranjado, mas no fundo não tinha esperanças de que isso realmente fosse acontecer. A limusine parou finalmente diante deles, o homem com o quepe desceu do lugar do motorista e caminhou até a porta traseira, cumprimentando a família parada ansiosa ali...


A porta da limusine foi aberta e por ela saiu à linda mulher, ela usava um sapatinho simples numa cor neutra, Sasuke lembrou-se da cunhada lhe explicando que aquela cor era chamada de nude para acessórios femininos, as pernas eram lisas e longas, o corpo induzia o olhar pelas lindas curvas, o quadril largo e a cintura fina, os seios não eram nem grandes nem pequenos, eles apenas estavam no tamanho ideal para compor aquele corpo, e isso tudo era visto com nitidez graças ao vestido que ela usava, de tirantes com um leve decote e solto no corpo, todo na cor branca e com uma linda renda por cima que acabava um pouco acima do meio de suas coxas, os cabelos tinham a cor mais exótica que ele já tinha visto em alguém, em um tom cor de rosa muito claro, que caiam sobre os ombros em ondas e se estendiam até a metade de suas costas, e o rosto.. Ah, como era linda, os lábios naturalmente avermelhados e o pequeno nariz, as bochechas rosadas e os olhos verdes como duas esmeraldas, sem perceber Sasuke engoliu a seco a própria saliva, ela era deslumbrante, com seus movimentos leves e soltos, era quase como assistir uma boneca de porcelana se movendo... Os olhos verdes dela se chocaram então com os dele, e Sasuke teve a certeza de que seu coração falhou uma batida, ela sorriu levemente, e foi como assistir o sol nascendo, e não foi só nele que a moça causou tamanha impressão, o Uchiha pode ouvir a mãe suspirar e sussurrar “ela é linda” para o marido, e então, deixando todos confusos por um pequeno instante ela se afastou da porta do carro colocando as mãos na frente do corpo e voltando os olhos para a pessoa ainda lá dentro...


A jovem dos lindos cabelos róseos esticou a mão, e então a segunda mulher apareceu, segurou a mão da jovem e Sasuke não pode não pensar em como aquela mão deveria estar pesada, devido aos grandes anéis nesta e as varias pulseiras douradas, os sapatos altíssimos no mesmo tom que os da primeira, mas com muitas pedrinhas brilhantes na parte de trás, as pernas também de fora em um tom um pouco mais bronzeado, usando um vestido dourado colado ao corpo, com muitos paetês brilhantes e sem mangas, o corpo dela tinha lindas curvas avantajadas, ela tinha os cabelos castanhos em um tom claro, presos em uma trança lateral, o rosto era fino e delicado, e os olhos eram de um verdes escuro, e habilidosamente delineados pela maquiagem ao redor, ela era inegavelmente linda... Mas por algum motivo Sasuke não conseguiu desviar os olhos da outra por muito tempo. A simplicidade e o sorriso da primeira tinham roubado toda sua atenção...


— Mei Huang?


Fugaku chamou pelo nome da noiva, e a linda mulher vestida de dourado virou-se para ele, sorrindo e caminhando em direção ao homem com a mão esticada em sua direção...


— É um prazer finalmente conhece-lo pessoalmente senhor Fugaku, nos falamos muito por telefone, sua voz firme realmente condiz com o senhor

— É um prazer conhece-la também querida. – O homem curvou-se e beijou a mão da jovem mulher. – Esta é minha esposa, Mikoto.


Mei então soltou a mão do homem e virou-se para a mulher de amarelo cumprimentando-a também enquanto sorria...


— É um imenso prazer conhece-la. Já haviam me falado da beleza da matriarca dos Uchiha, mas jamais poderia imaginar tanto, a senhora é espetacular.

— Oh, imagine... – A mulher sorriu um tanto sem graça.. – Seja muito bem vinda a nossa casa.


A palavra “casa” era muita humildade da parte da mulher, já que a propriedade se estendia além da perda de vista, a chinesa virou-se e chamou delicadamente a primeira mulher, e a jovem dos cabelos cor de rosa então se aproximou, curvando-se levemente a frente dos dois...


— Esta é Sakura Haruno, minha acompanhante. Ela vai a todo lugar que eu vou, e estou certa de que me ajudara muito nos preparativos para o casamento, por isso achei injusto vir sem ela, espero que não se importem.

— Imagine. – A mulher falou rápido e alegre... – É um grande prazer recebe-la, seja muito bem vinda.


Finalmente Sasuke decidiu se aproximar, os passos firmes dele no chão chamaram a atenção das duas recém chegadas, ele era alto, com os pés descalços e sujos de areia, a calça do quimono preta fazia um barulho forte de tecido quando ele se movia, e esta terminava em sua cintura, o corpo dele poderia facilmente ter sido esculpido por um artista veemente talentoso, o abdômen definido com duas linhas que desciam até a barra da calça, o peito estufado, os braços treinados, os traços fortes e os cabelos incrivelmente negros, e os olhos pareciam dois buracos negros, prestes a sugar qualquer um que se atrevesse chegar muito perto


— Eu sou Uchiha Sasuke. É um prazer conhece-las.


Ele se curvou levemente ao dizer seu nome, e apesar de falar olhando para a noiva, assim que terminou a frase voltou a colar seus olhos na jovem e atraente acompanhante, sem fazer questão nenhuma de esconder o olhar de qualquer um presente ali... 

26 de Fevereiro de 2018 às 23:15 0 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Doce Flor.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 13 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!