Criminal Seguir história

carol1918 Carol Silveira

UN Porque, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso E esse tipo de amor não é racional, é físico Mamãe, por favor não chore, ficarei bem Pondo a razão de lado, não posso negar, eu amo aquele cara Afinal não importa o que acontece esse amor ja é eterno. SasuSaku


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#universo naruto #romance #Sasusaku #erotico
Conto
4
6.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Mamãe estou apaixonada por um criminoso


Fanfic publicada tambem no spirit e NyahFanfiction sem fins lucrativos

Ele é um trapaceiro, ele não é bom de jeito nenhum

É um perdedor, ele é um vagabundo

Ele mente, ele blefa, ele não é confiável

Ele é um otário com uma arma

Era um dia comum em konoha, estávamos todos receosos com a iminente guerra que se mostrava no horizonte e uma ameaça que até então não parecia tão grande, essa ameaça, bem tinha nome e sobrenome. Uchiha Sasuke. Aquele quem sempre amei.

Sasuke-kun tinha se tornado tudo o que nunca desejamos. Um criminoso. Sem dó nem piedade, era o que ouvíamos, matava sem nem pensar. Todos andavam receosos, eu , Naruto e Kakashi, também tristes.

Eu sei que você me disse que eu deveria ficar longe

Eu sei que você me falou que ele é um cão vira-lata

Ele é um cara mau com um coração podre

E até eu sei que isso não é sensato

Eu pensava em tudo isso enquanto chegava a minha casa apos o turno no hospital, Sasuke, nunca saia da minha mente mesmo que sempre minhas então amigas,minha mãe e todos falassem. “Esqueça ele Sakura, ele já não presta, esta perdido, não é confiável, ele não vai voltar. Eu tento, é isso que eles não entendem, eu sempre tentei, eu sei que o Sasuke-kun já não é o mesmo, não parece mais o meu Sasuke-kun, que mesmo emburrado fazia parte da minha vida, do time 7. P]assei pela cozinha escura, meus pais estavam longe, pois konoha já não era tão segura, e eu, como ninja não fui, para proteger minha vila, entrei em meu quarto e então fiquei em alerta, alguém esteve ali.

Mas, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso

E esse tipo de amor não é racional, é físico

Mamãe, por favor não chore, eu ficarei bem

Pondo a razão de lado, não posso negar, eu amo aquele cara

Vi sobre a cama um pedaço de pergaminho, me aproximei com cautela, vai que é uma armadilha, peguei o papel e o li, ficando então paralisada.

“Me encontre da floresta a 1 km da entrada da vila, perto da cachoeira sozinha à meia noite.

Uchiha Sasuke”

Não era possível, não podia ser, ele não iria vir atras de mim, ou iria. O que ele quer? Eu não devo ir.

Foi o que pensei de inicio, mas a vida prega peças e mesmo que eu soubesse que era perigoso, aqui estou eu, cinco para meia noite chegando a cachoeira, eu posso sentir o cheiro da mata, o silencio na noite pairando sobre mim.

Ele é um vilão pelas leis do diabo

Ele é um assassino só por diversão

Ele é um dedo-duro, imprevisível

Ele não tem consciência, ele não tem nada

Oh-oh...eu se-ei

Deveria abandonar, mas não

Porque ele é um cara mau com um coração podre

E até eu sei que isso não é sensato

Meia noite em ponto, eu estou parada na frente da pequena lagoa e da cachoeira, a lua reflete na água quebrando a escuridão.

‒Sakura- escuto uma voz rouca falar atras de mim. Me viro vendo, depois de anos, sua imagem, estava diferente, mais alto, bem mais alto que eu, a roupa que usava deixava boa parte de seu corpo amostra, o peito largo e definido, assim como os braços, o cabelo negro mais longo e aquele olhos como breu olhando-me fixamente.

‒Sasuke-kun- falei pronta, caso sua intenção fosse me atacar.

‒Que bom que venho- ele disse um leve sorriso no canto do lábios, largou sua espada em uma pedra próxima e se aproximou lentamente, como um tigre encurralando a presa.

‒O que você deseja, Sasuke-kun- falei vendo-o se aproximar.

‒Você- foi o que ele disse, então eu senti seu corpo puxar o meu, suas mãos em meu cabelo, me beijando com volúpia, paixão e um fervor que me eram desconhecidos.- Sinto sua falta- disse apos se afastar um pouco.

‒Sasuke- sussurrei sentindo meu corpo amolecer- por que?- perguntei, ele estava brincando comigo só pode, sempre me desprezou.

‒ Por que eu te amo- falou e voltou a me beijar.

Mas, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso

E esse tipo de amor não é racional, é físico

Mamãe, por favor não chore, ficarei bem

Pondo a razão de lado, não posso negar, eu amo aquele cara

Eu sentia meu corpo esquentar em seus braços, seus lábios então começaram a descer pelo meus rosto, chegando a meu pescoço me fazendo arrepiar. Então senti uma onda de fogo e meu corpo flutuar no ar.

‒ Sasuke-kun- chamei segurando seu corpo com força, senti meus pés baterem no concreto e abrindo os olhos que não tinha percebido terem se fechado, então estava em outro lugar, um tipo de quarto as paredes cinzas assim como o chão, tudo era concreto, uma cama simples e grande no meio do quarto estava perfeitamente arrumada com lenções de uma azul tão escuro que parecia preto e um pequeno armário e criado mudo ao lado da cama.

‒Onde estamos- perguntei assustada, vendo no chão ao nosso lado sua espada.- O que você quer?- estava na defensiva, uma coisa era estar em uma floresta, aberta e conhecida outra em um quarto fechado que eu não fazia ideia de onde estava.

‒Estamos no meu esconderijo- disse ele se aproximando mais uma vez- não se preocupe Sakura- falou me puxando pela cintura em direção ao seu peito- não quero lhe fazer mal, ao contrario- disse e então sussurrou em meu ouvido com a voz ainda mais sedutora- Só quero lhe dar prazer- e voltou a me beijar suas mãos passeando por meu corpo, apertando,acariciando, possessivamente, meu corpo foi então levantado o que fez que eu automaticamente envolvesse sua cintura com minha pernas, eu estava entregue e sabia onde aquilo provavelmente ia acabar.

E ele tem meu nome

Tatuado no seu braço, é o seu amuleto

Então eu acho que está tudo bem

Ele está comigo

E nós escutamos pessoas falando (pessoas falando)

Fazendo comentários maldosos, tentando nos separar

Mas eu nem escuto

Eu não ligo

Fui praticamente jogada na cama macia, seu corpo forte vindo sobre o meu me beijando, suas mão puxaram minha blusa a retirando rapidamente, enquanto as minha fizeram o mesmo abaixando sua camisa aberta, então meus olhos capitaram algo novo, alem de seu belo corpo.

‒ O que é isso- perguntei virando nosso corpos na cama, ficando por cima.

‒Uma tatuagem, um tanto recente- falou apertando minhas coxas que estavam e cada lado de seu quadril, a tatuagem era pequena e me surpreendeu, era o simbolo do seu clã cercado de algumas flores rosas.

‒Isso são...

‒Sakuras- falou me puxando para mais um beijo.

‒Por que?- perguntei, ele então mais uma vez mudou nossa posições.

‒Você é minha- disse retirando minha bermuda e eu estava ali, somente de roupa intima, seus olhos parecia decorar casa pedaço de mim, seus lábios passaram a beijar todo meu corpo ate chegar ao seios que foram despidos com presa, suas mãos passaram então a massagear o local, uma mão sendo então substituída pela boca, mas logo ele parou o que fazia.

‒Eu preciso de você- falou e então retirou minha calcinha, vi seus corpo se levantar um pouco e o resto de sua roupa sumir.

‒Sakura- ele chamou me beijando mais uma vez- Você é virgem?

‒Não- respondi e vi em seus olhos um pouco da raiva já por mim conhecida, puxei seu rosto para o meu o beijando, e então ele se posicionou entrando em meu corpo de uma só vez. Eu somente gemia e chamava seu nome, ouvindo se arfar e rosnados baixos em meu ouvido, seu corpo cada vez mais forte contra o meu sua boca me mordendo, sugando, beijando e sabia que ficaria com muitas marcas.

Porque, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso

E esse tipo de amor não é racional, é físico

Mamãe, por favor não chore, ficarei bem

Pondo a razão de lado, não posso negar, eu amo aquele cara

‒Sasuke-kuun- gemi sentindo meu corpo tremer junto com o seu, suas mão me apertarem e então chegamos ao limite, juntos de forma intensa e poderosa.

‒Eu te amo- falei quando sua cabeça repousou em meu peito.

‒Eu também te amo Sakura- falou mais calmo e então dormimos ate o amanhecer.

--

‒Você vai voltar para vila?- perguntei assim que chegamos a cachoeira.

‒Não- falou, era como uma faca em meu coração- ainda não- completou afagando meu rosto- ainda não terminei o que tinha para fazer Sakura- falou me abraçando.- mas quero que espere por mim- falou me beijando por um tempo.

‒Posso perguntar uma coisa- falou apos o beijo ficando extremamente serio.

‒Claro- respondi igualmente seria.

‒Quem?- perguntou e eu fiquei sem entender.

‒Quem o que Sasuke-kun?

‒Quem tocou em você- perguntou e então eu percebi, um tom de algo desconhecido naqueles olhos negros.

‒Sabaku no Gaara- falei vendo-o fechar as mãos em punhos.

‒Logo um kage- falou baixo então olhou para mim mais uma vez- agora não importa- falou e me beijou mais uma vez- eu tenho que ir- falou em meu ouvido- mas ele me paga depois que tudo isso acabar- disse beijando meu pescoço- você é minha, para sempre.

‒Sempre- concordei e com um toque em minha testa o vi sumir mais uma vez.



Porque, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso

E esse tipo de amor não é racional, é físico

Mamãe, por favor não chore, ficarei bem

Pondo a razão de lado, não posso negar, eu amo aquele cara

26 de Fevereiro de 2018 às 16:19 1 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Carol Silveira Haverá um momento em que teremos que escolher entre o que é fácil e o que é certo. (A.D)

Comentar algo

Publique!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Ah, esses dois me enlouquecem de qualquer jeito, aí encontro uma autora que ainda vem dar um empurrãozinho na situação! rsrsrs Me deixou encucada com uma continuação maravilhosa em minha mente! rsrsrs Bjs!
3 de Maio de 2018 às 20:54
~