Amantes Seguir história

karambola Karol Karambola

A regra não permitia o amor. Eramos eu, você e o prazer dos nossos corpos. A regra não permitia cobranças. Eu gostava de ser um homem livre e você gostava de estar casado. Porém, inevitavelmente algo em mim mudou. Desculpa meu amor, eu quebrei todas as regras.


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#Oneshot #Naruto/Sasuke #Naruto
Conto
50
7.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Erro meu

   Eu trago o cigarro, enquanto observo as nuvens que cobrem o horizonte. A nicotina entorpece os meus sentidos ao mesmo tempo que a fumaça preenche os meus pulmões. Tento espairecer minhas ideias confusas mas minha mente não consegue se desligar de nós.

  Eu estou na varanda do meu apartamento, esperando mais uma vez que você venha preencher cada metro quadrado com sua essência. Afinal, hoje é uma quinta-feira e nas quintas-feiras eu posso me iludir com as migalhas do seu amor.

   As nuvens carregadas e tempestuosas deste fim de tarde, me trazem um sentimento intenso de melancolia. Talvez seja porque meus sentimentos estejam parecidos com este céu: Nublado e turbulento. Não te culpo por isso, você sempre foi sincero em relação a nós dois, a culpa de estar apaixonado era somente minha.

    Fecho os olhos em prece e agradeço a Deus por hoje o céu está tingido em cinza, pois se ele estivesse azul como os seus olhos, talvez eu não suportaria a dor de imaginar que você divide sua vida com ela e não comigo. Mas, como eu disse antes, a culpa disso é somente minha. Eu sempre soube que nunca seria a primeira opção na sua vida e sinceramente pensei que isso não me machucaria. Doce ilusão.

    Há dez meses atrás, quando você me segurou e tomou meus lábios em um beijo, encorajado pelos copos de whisky que tomamos, eu deveria ter sido um bom amigo e te empurrado para longe. Eu deveria ter pensado na Shion - sua esposa - deveria ter pensado em nossa amizade, mas eu fui egoísta e só pensei em mim. Pensei na vontade intensa que eu sempre tive de beijar seus lábios rosados com volúpia, pensei na ânsia do contato de ter minha pele na sua, do meu corpo dentro do seu.

    Não te impedi quando você desabotoou minha camisa e disse que já me desejava a muito tempo. Do mesmo jeito que não te impedi quando você me pediu que eu penetrasse em você. Se eu tivesse te impedido aquela noite, talvez agora eu conseguiria dormir em paz. Só talvez.

    Olho para o meu relógio de pulso e confirmo minhas suspeitas: você está atrasado. Trinta minutos de atraso, significam trinta minutos a menos com você e esse pensamento me causa um nó na garganta.


- Será que você desistiu, Dobe?


    A fumaça sobe em tons de um cinza suave, já estou no fim do meu terceiro cigarro. A ansiedade pelo seu atraso me faz querer fumar mais um, mas eu me controlo. Estou tentando ser racional e não ficar chateado, mas não consigo. Eu só tenho duas horas por semana do seu amor e isso se tornou muito pouco para a minha necessidade de estar ao seu lado.


- Boa tarde Sas, desculpa pela demora. A porta da frente estava encostada e eu entrei, espero que não se importe.


    Sua voz rouca preenche o espaço. Eu estava tão submergido em meus pensamentos que sequer te ouvi chegar.

Não viro de frente para você de imediato, não quero que você note minha expressão de alívio. Trago o cigarro pela última vez e apago a ponta acesa na grade de proteção da sacada. Tento acalmar as batidas aceleradas do meu coração, mas não tenho êxito. O que me resta é torcer mentalmente para que você não perceba o poder que sua voz tem sobre mim.


- Demorou hoje. Aconteceu alguma coisa?

- Shion. Como sempre.


    Você não precisa completar a frase, porque já sei o que quer dizer. Conheço mais detalhes do seu casamento fracassado e sua vida conjugal infeliz, do que eu realmente gostaria. Não era novidade para ninguém que conviveu com você, que esse relacionamento tóxico te machucaria no futuro. Porém, você fechou seus ouvidos para os conselhos e fechou seus olhos para as evidências. Você estava apaixonado e pessoas apaixonadas são cegas e surdas.

    Não foi surpresa pra mim, quando você veio até meu apartamento dizer que descobriu que Shion estava tendo um caso. Minha surpresa, foi você decidir manter essa relação por causa de uma promessa de um “até que a morte os separe” no altar.

“Jurei que ficaria com ela pra sempre, no altar de uma igreja, Sasuke. Eu não volto atrás com a minha promessa, ainda mais uma promessa perante a Deus”.

    Senti raiva da Shion por machucar meu melhor amigo, senti raiva de você por não querer colocar um ponto final nessa relação e senti raiva de mim, por ter permitido que você acabasse na minha cama, mesmo sabendo que tudo era só uma vingança para você. Sua voz me interrompe dos meus pensamentos e eu sinto raiva de mim mais uma vez.


- Estava com saudade, meu moreno. Você tá tão lindo hoje.


    Sinto seus braços envolverem meu corpo e seu peito encostar nas minhas costas. Respiro fundo para acalmar meus sentimentos, mas eu estou tão envolvido por você... Viro de frente e tomo seus lábios em um beijo suave. Você está tão bonito e eu estou com tanta saudade.

   Suas mãos seguraram meu cabelo, enquanto sua boca acaricia a pele do meu pescoço com um beijo. Neste instante nada mais existe além de nós, sinto como se o mundo parasse de girar. Inferno! Eu te amo tanto.

   Queria te ter pra mim todos os dias. Poder abraçar seu corpo e me perder dentro do seu abraço, provar o sabor de cigarro mentolado que a sua boca tem, todas as vezes que eu quisesse.

   Passo minhas mãos por suas costas viris, ao mesmo tempo que sinto as suas mãos passearem pelo meu corpo. Eu queria conversar sobre banalidades com você, ouvir você me contar como foi o seu dia, mas meu corpo quer matar a saudade de outro jeito. Você parece querer isso tanto quanto eu.

    Seu corpo empurra o meu para o quarto, ainda com teus lábios grudados aos meus. Tiro sua roupa com carinho e você me indaga com o olhar qual o motivo para eu estar sendo tão gentil. A verdade é que de alguma forma, eu desejo que você perceba o meu amor pelos meus atos, já que não posso confessar esse afeto com todas as letras e acentos.

    Você se encarrega da tarefa de tirar minha blusa de algodão e minha calça de moletom. O olhar lascivo que você lança pra mim, faz eu me sentir o ser humano mais sexy da Terra. Quando não há mais nenhuma peça de roupa entre nós, te deito no colchão e distribuo beijos por cada centímetro do seu corpo. Quero marcar sua pele, do mesmo jeito que você marcou a minha alma.

     Seus olhos se fecham, você arfa e arqueia as costas quando minha boca envolve seu membro ereto, olho para o seu rosto e memorizo cada expressão de deleite que você faz - Seus olhos cerrados, sua cabeça jogada para trás, sua boca levemente aberta e o corar das maçãs do seu rosto, que evidenciam as três marcas em cada bochecha, tudo em você é perfeito. Narciso se sentiria ofendido pela beleza que os deuses te presentearam.

   Minha língua acaricia sua entrada e sinto seu corpo tremer com o contato. Sua voz saiu embargada pelo desejo ao me dizer que não aguenta mais esperar, que precisa do meu corpo no seu. Meus lábios sorriem com ternura e te faço meu.

    Sua respiração pesada, suas unhas curtas que arranham a pele das minhas costas, suas pernas abraçadas a minha cintura, sua voz que vez ou outra chama pelo meu nome em tom rouco, são um convite para o delírio. Deposito beijos por seu rosto, seu pescoço e beijo as marcas que você tem nas bochechas coradas. Eu o amo tanto meu amor, se você ao menos soubesse.

   Me enterro mais fundo em você, me torno mais agressivo nos movimentos, mas isso ainda não é o suficiente. Eu quero entrar na sua vida, na sua alma, nos seus pensamentos e no seu coração. Entrar no seu corpo se tornou muito pouco pra mim.

    Sinto a prova quente da sua luxúria sujar meu abdômen e me derramo dentro de você. Te envolvo em mais um beijo calmo e deito o meu corpo sobre o seu.

   Quero dizer que te amo, que desejo que você escolha viver ao meu lado, que essa brincadeira já foi longe demais e eu estou me machucando. Mas não digo nada, engulo todas as minhas súplicas e meu sentimento egoísta. Não posso correr o risco de perder você.


- Você foi incrível Sas. É tão bom ficar assim com você.

- Também gosto de ficar assim com você Naru. Você também foi maravilhoso.


   Sinto os nós dos seus dedos acariciarem o meu rosto. Fecho os olhos e me permito ser invadido por esse sentimento quente e acolhedor que seus carinhos me trazem. Deito minha cabeça em seu peito e pela primeira vez, quero me render ao amor que queima em meu coração. Te ouço sorrir baixinho, enquanto acaricia meus cabelos. Queria poder ficar assim para sempre, ser seu para sempre, te ter para sempre.


- Posso te contar um segredo?

- Um-hum. - Concordo, já quase embalado pelo sono que suas carícias me trouxeram.

- Gostei de fazer amor com você. Sabe, o sexo é sempre tão selvagem. Fazer amor foi uma experiência muito boa também.


   Sua declaração me pegou de surpresa, levanto a cabeça e encaro seus olhos azuis. Meu coração batia tão intensamente, que o sorriso divertido que se formou em seus lábios, com certeza foi por você ter sentido.


- Foi uma experiência nova, mas foi muito boa. Podemos repetir de novo se você quiser. - minha voz sai oscilante e eu me amaldiçoo por isso.

- Eu adoraria. Acho até que prefiro desse jeito.


    Deito novamente minha cabeça no seu peito para tentar esconder o sorriso idiota que se formou no meu rosto. Você aperta mais meu corpo no seu abraço e eu me aconchego no calor que sua pele emana. Aquilo parecia um sonho e como todo sonho que se preze, a realidade vem bater na minha face e me lembrar como é patética minha ingenuidade.


- Sas, tenho que ir. Já deu minha hora.

- Não pode ficar aqui hoje? Poderia dormir aqui se quisesse.

- Não posso meu moreno. Tenho que ir para casa, você sabe.


    Seus lábios tocam os meus com carinho antes de você levantar e ir para o banheiro para tomar banho. Deito de barriga para cima na cama e encaro o teto branco do quarto, como se assim eu achasse as respostas para o meu dilema. Eu sei que chegou a hora de colocar um ponto final nessa história, eu conheço o meu lugar. Sou o amante, só o amante. Mas eu não consigo abrir mão de você, eu não quero ter que abrir mão de você.

    A porta do banheiro abre e te vejo já completamente vestido. Você sorri pra mim e eu retribui o gesto, espero que você não perceba que meu sorriso é falso.


- Eu estou indo ta bom? Vai rolar futebol no domingo, você vai ir?

- Não vai dar. Domingo o Itachi vai apresentar a nova namorada para família. Vai rolar um almoço na casa dos meus pais.

- Ah sim, dê parabéns ao Itachi por mim.


   Você se aproxima e beija minha testa, não resisto e início um novo beijo. Suas mãos percorriam pelo meu corpo ainda nu e eu quis te fazer meu outra vez, mas você não permitiu. Selou seus lábios nos meus com carinho uma última vez e acariciou meus cabelos. Você nunca esteve tão carinhoso antes e isso me confunde.


- Você é feliz? - Pergunto baixo, interrompendo o beijo. - Com a Shion?

- Se eu fosse feliz com ela, não me sentiria tão vivo quando estou com você.


   Respiro fundo e resolvo apostar todas as minhas fichas. Eu preciso saber o que fazer daqui para frente, continuar desse jeito só vai me trazer mais sofrimento.


- Você acha que poderia ser feliz comigo?

- Como um casal?

- Exatamente. Você acha que se escolhesse ficar comigo, você seria feliz?

- Onde você quer chegar Sas? Você falando desse jeito parece até…

- Que estou apaixonado? E se eu estiver? E se eu fui idiota a esse ponto?

- Você acha que se apaixonar por mim é uma idiotice?


    Sua voz saiu magoada, porém seu rosto transmitia raiva. Eu não entendi sua atitude, menos ainda quando você se afastou de mim abruptamente.


- Acho. E sim, eu fui um estúpido que se apaixonou por um cara casado. Fui um idiota, um burro, o que você quiser chamar.

- Estou indo embora Sasuke. Talvez eu não venha na próxima semana.


    Você se retirou e andou em direção a porta. Seu semblante estava mergulhado em ira e isso me magoou. O fato de eu ter me apaixonado era assim tão descabido e ultrajante?


- É tão ridículo assim pra você saber que eu te amo? Eu não passo da porra de um passatempo pra você, não é?


Quando seus olhos se voltaram para mim eles brilhavam em fúria.


- Passatempo? Você tá ouvindo as coisas que você tá dizendo?

- E eu não sou? Então o que eu sou pra você Naruto? Você vem toda semana, me deixa tocar em você, beijar você, impregna meu quarto com a porra do seu perfume e vai embora brincar de casinha com a Shion. Já se perguntou como eu fico todas vezes que você cruza o caralho daquela porta?

- Eu não sei, como você fica? Deve se sentir horrível, já que nas suas próprias palavras, me amar é uma burrice. Não é Sasuke? Me amar é uma idiotice pra você. Então estou te poupando da situação patética de amar alguém tão ridículo quanto eu.

- Naru, não foi isso que eu quis dizer. Eu disse que fui ridículo por me iludir com um amor que nunca poderia ser meu. Você transa comigo e nem está aqui no dia seguinte. Eu quero você aqui o tempo inteiro, não quero só duas horas por semana Naruto. Já tô cansado de migalhas.


    Quando a surpresa pintou seu olhos em um azul anil, eu percebi as palavras que saíram da minha boca. Levantei da cama e vesti a calça rapidamente antes de caminhar até você. Não era para eu ter me exposto dessa maneira, não era pra eu ter perdido o controle. Eu não poderia perder você.


- Olha esquece o que eu disse, eu me exaltei. Você sempre deixou claro que era só sexo sem compromisso, eu sei que você é casado, mas isso é tão injusto…


   Senti você se aproximar e acariciar meu rosto com os nós dos dedos. Me envolveu em seu abraço e isso confortou o meu coração estilhaçado. Eu senti medo do que viria a seguir. Você nunca me iludiu, nunca disse que deixaria ela por mim, nunca me prometeu um romance. Era sexo. Sexo entre amigos. Eu gostava da minha liberdade e você gostava de transar comigo, não era para o desfecho da história ser tão dramático. Então eu me preparei pra te ver partir.


- O que é injusto Sas? Diz pra mim o que você sente de verdade.


   Minha garganta se tornou amarga por um segundo. Me expor ainda mais do que já me expus, não fazia parte dos meus planos. Eu me preparei para assistir você ir embora, não para estar em pé, me envolvendo em seu abraço, enquanto acaricia meus cabelos no meio da minha sala de estar. Minha mente nebulosa não conseguia entender o que estava acontecendo, mas movido por uma coragem troiana, resolvi arriscar.


- Não é justo você dividir sua vida com ela. Ela não te ama, ela já deixou isso claro tantas vezes. Ela trai você com aquele cara e nem sequer disfarça mais. Mas ainda assim você prefere ficar com ela e isso me machuca tanto… Eu cansei de torcer pra ela perceber o que rolava entre a gente, cansei de torcer para ela ver as marcas que eu deixo no seu corpo, mas ela não repara em você a esse ponto. Isso é tão ridículo… E eu que amo tanto você, eu que realmente posso te fazer feliz, tenho que te ver se despedir de mim todas as vezes.


     Nenhuma palavra saiu da sua boca, você se mantém sério em um silêncio sepulcral. Eu não sei o que ronda em sua mente e isso me apavora. Suas mãos ainda alisam os fios do meu cabelo e seus braços ainda circundam o meu corpo. Seu suspiro pesado foi a única coisa que rompeu a quietude.


- Sas, vou ir para casa agora, amanhã a noite eu passo aqui para resolver as coisas, ta bom? Não posso te responder nada agora, mas amanhã sem falta eu estarei aqui.


    Eu não lhe respondi, não existiam palavras em minha boca ou sangue nas minhas veias. Eu perdi você, sei que perdi.

   Seus lábios tocaram a minha testa e você sorriu com suavidade antes de sair pela porta. Minha alma explodiu assim que meus olhos contemplaram o vazio do meu apartamento. Eu xinguei, chorei, quebrei o vaso de planta, soquei a parede. Destruí as coisas por fora, para combinar com a destruição que havia aqui dentro.

    Assim que o dia amanheceu, meus olhos contemplaram a alvorada pincelar o céu em tons de laranja. Eu não quis que as horas passassem, eu não queria que seus lábios falassem o que eu não estava preparado para ouvir. Porém por sadismo ou ironia dos deuses, os ponteiros do relógio avançavam de forma contínua e veloz. Quando dei por mim, já era noite e a campainha anunciava a sua chegada.


- Boa noite Naru, tudo bem?

- Tudo, podemos conversar?


   Concordei com um aceno de cabeça e te concedi a passagem para entrar no apartamento. Meu peito estava apertado e eu sentia cada célula do meu corpo vibrar em ansiedade. Minhas mãos suavam e minha garganta estava seca. Eu não poderia mais adiar, suas palavras precisavam ser ditas naquele momento, não podemos mais adiar o inadiável. Eu tinha que me manter forte. Não abaixo a cabeça para nada, sou um Uchiha afinal.


- Ontem você me contou muitas coisas, desculpa não te responder na hora. Eu precisava ficar sozinho e pensar em como resolver essa situação.

- E pensou?

- Sim. Acho que devemos ir com calma, deixar as coisas fluírem no tempo certo.


   Respirei fundo e o ar veio pesado, acalmar meu coração ferido era uma tarefa árdua. Não posso desmoronar na sua presença, não posso demonstrar fraqueza.


- Entendo e está tudo bem. Como eu disse ontem, eu me exaltei. Você nunca me prometeu nada, eu que…

- Como eu dizia, eu quero ir com calma. Acabei de terminar um casamento de quatro anos, quebrei uma promessa importante, tive que voltar a morar com a minha mãe. Então vamos devagar, vamos nos curtir primeiro, eu durmo aqui aos fins de semana, só até eu alugar um apartamento pra mim. Não acho uma boa ideia transarmos na casa dos meus pais. Se der certo, nós oficializamos as coisas. O que você acha?


    Minha mente não processava direito as informações, eu não estaria ouvindo direito, estaria?


- Você tá dizendo que terminou com a Shion e quer tentar… comigo?

- Você acha que foi o único idiota que se apaixonou? - Seu sorriso iluminou seu rosto - Eu estou apaixonado por você há algum tempo já, só não sabia que você sentia o mesmo. Não poderia te dar uma resposta ontem sem estar disponível para viver esse amor com você. Por isso fui embora, fui terminar meu casamento. E então, você aceita tentar?


     Eu sorri com a alma e me afoguei no teu afago. Abri meu coração para que o seu amor entrasse e era como se as horas tivessem parado. Te tornei meu aquela noite e todas as outras noites seguintes. Para minha felicidade, na manhã seguinte você ainda estava lá. Em todas as manhãs.

     Seu amor foi como metanfetamina, me viciei nos toques dos seus dedos e nas juras do seu amor. Você era meu, só meu e de mais ninguém. Agora posso te amar sem hora para o fim, posso contemplar seus olhos azuis em cada alvorecer.

     Nossas quintas-feiras, agora são todos os dias. Eu me prendi nas grades do seu coração, sou um prisioneiro do seu amor e nunca na minha vida eu estive mais feliz.

26 de Fevereiro de 2018 às 03:44 4 Denunciar Insira 24
Fim

Conheça o autor

Karol Karambola Apaixonada livros, filmes, séries e animes - Principalmente Naruto. A louca do yaoi. Pregadora da palavra dos deuses SasuNaruSasu / Shiita

Comentar algo

Publique!
Lucas Lucas
Não sei pq, mas me lembra Romeu e Julieta
30 de Dezembro de 2018 às 15:38
Jessie Teixeira Jessie Teixeira
to com um nós fodido na garganta.... amei
25 de Novembro de 2018 às 22:35
Marcia Castro Marcia Castro
Muito lindo cheguei até a chorar..
7 de Março de 2018 às 19:55
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
3 de Março de 2018 às 18:40
~