Não Abraçar Seguir história

taimatsu_kinjou Taimatsu Kinjou

Ryoga definitivamente não estava o abraçando! (escrito em 2015)


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Shin Yoshida, Naoto Miyashi, Kazuki Takahashi

#Ryoga Kamishiro/Shark #Thomas Arclight/IV #oneshot #yu gi oh! zexal #hellshark #comédia #fluffy #yaoi #romance
Conto
1
7.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Oneshot

Tive a ideia depois de umas conversas com a minha parceira fujoshi Loli!

A história é meio bobinha, mas espero que gostem. ^^

***

Ryoga suspirou virando a página do livro em suas mãos, aquele era apenas um de seus vários livros sobre animais marinhos que tanto adorava, mas naquele dia não estava conseguindo se concentrar. Talvez por já ter lido aquele mesmo volume vezes o suficiente para saber o que está escrito ou era apenas o calor insuportável naquela sala. Até pensou em abrir a janela, mas estava confortável demais deitado no sofá para fazer isso. Novamente suspirou virando outra página.

Ouviu o som de passos se aproximando e ergueu os olhos para ver Thomas entrar na sala; franziu o nariz se perguntando porque diabos o mais velho insistia em continuar com a camisa de mangas compridas num dia abafado como aquele. Bem, IV e suas manias; pensou balançando a cabeça e voltou os olhos para a imagem de uma espécie de peixe colorido que tinha um nome complicado demais para o seu tamanho.

Tentou ignorar o suspiro frustrado do mais velho e torceu para Thomas apenas o deixar sozinho, estava com preguiça demais para lidar com ele agora. Mas claro que isso não aconteceu, as forças que regem o universo pareciam nunca estar do seu lado quando se trata de Thomas. Franziu a testa desconfortavelmente forçando os olhos a permanecerem na imagem - agora de um peixe grande e nada bonito - tentou se mover pra uma posição mais confortável e só então percebeu o par de braços envolvendo seu corpo.

Com uma careta engraçada ergueu o livro pra encontrar uma cabeça de cabelos loiros e ruivos apoiada em seu peito - Você está me abraçando? - perguntou com um toque de diversão na voz.

- Não. - veio a resposta abafada, Thomas não havia nem se dignado a erguer a cabeça para olhá-lo. E Ryoga podia sentir a respiração quente contra sua pele.

- Serio? Porque isso se parece muito com um abraço. - ironizou soltando um bufo.

O mais velho gemeu virando a cabeça para lado, a bochecha marcada pela cicatriz pressionada contra a camiseta escura do outro - Não estou te abraçando, estou entediado. Agora cala a boca e volta a ler esse livro estúpido. - resmungou de olhos fechados.

É desnecessário dizer que o Kamishiro não gostou nada daquele tom, mas se limitou a suspirar e voltar a folhear o livro tentando não prestar atenção no corpo pesado sobre suas pernas e estômago. Humf! Não era um abraço? De qualquer angulo que olhasse aquilo era definitivamente um abraço. Qual era o problema dele afinal?

Claro, não que Ryoga se importasse se ele chamava aquilo de abraço ou não, só estava estranhando o comportamento excessivamente carente do mais velho. Sim, porque, para qualquer desconhecido IV era quase um príncipe; educado, gentil e de sorriso fácil; quantas vezes já não havia escutado sussurros e comentários por onde passavam de quão sortudo ele era por namorar Thomas? Porém o que as pessoas de fora não imaginam é que o idiota na verdade tem uma personalidade horrível; irritante, manipulador, convencido e o maior talento daquela boca é soltar insultos.

Ryoga ainda se perguntava por qual parte de Thomas havia se apaixonado para conseguir aturar todos aquele defeitos da personalidade dele, devia ser uma parte boa demais pra compensar tudo aquilo. Mas, bem, não era como se ele próprio fosse um grande exemplo de personalidade no fim das contas; pensou virando mais uma página sem prestar atenção ao que via.

Estava tão distraído com os pensamentos que só foi notar que Thomas tinha subido um pouco mais quando sentiu a respiração dele em seu pescoço. E os braços continuavam em volta do seu corpo - Isso ainda se parece com um abraço. - murmurou para si.

- Mas não é. - IV bufou.

O mais novo fez uma careta para a sensação de cócegas em sua pele - Thomas, o que tem de errado com você hoje? Você não costuma ser tão pegajoso.

Parecendo irritado o ruivo ergueu a cabeça para encarar o outro - Agora não posso mais deitar no sofá com você? - perguntou num tom de insulto, os lábios curvados para baixo numa meia carranca.

- Não distorce as minhas palavras. Só quero saber se aconteceu alguma coisa.

- Nada aconteceu, você que está todo agitado por uma coisa pequena. E não respondeu minha pergunta. - Thomas retrucou.

- Eu não me importo. - resmungou com um encolher de ombros para demonstrar indiferença.

Uma sobrancelha grossa se ergueu - Então por que está fazendo alarde sobre isso?

- Eu não estou! - se defendeu com um revirar de olhos se segurando para não dar com o livro na cabeça do idiota. Droga, não queria começar outra discussão por causa de besteiras, mas era quase impossível quando Thomas estava se empenhando tanto em ser irritante. Ele não podia apenas cuspir de uma vez o que estava errado?

- Certo, se você diz. - o Arclight bufou com sarcasmo e voltou a se deitar sobre o mais novo, os braços apertando ainda mais o corpo magro.

Desconfortável e desconfiado Ryoga tentou se livrar do 'não abraço', mas se viu incapaz de empurrar o outro, afinal, Thomas era maior e mais pesado que ele, não tinha a força e nem a vontade o suficiente para tirá-lo dali. Sim, porque Ryoga não ia admitir que estava gostando só um pouquinho do 'não abraço'; como se IV precisasse de mais aquilo pra ser um idiota ainda mais convencido.

Tentando não se irritar fechou o livro - Thomas, ou você admite que está fazendo isso só pra me irritar ou diz o que está te incomodando. - e bateu com o livro no braço dele.

- Qual o seu problema? - o mais velho disparou o encarando com uma careta - Não estou fazendo nada de errado agora pra você ficar todo irritadinho comigo! Será que não posso querer passar um tempo com você, Ryoga?

Ryoga piscou os olhos azuis, sua mente trabalhando rapidamente numa resposta, mas para o seu horror não tinha o que dizer. Thomas estava certo. Estava exagerando só porque não estava habituado aquele tipo de demonstração de afeto, não havia problema nenhum se seu namorado queria passar algum tempo daquele jeito, certo? E estava tão perturbado com aquilo que nem havia pensado na possibilidade de Thomas estar hesitante por causa da sua reação ao gesto nada comum entre os dois.

Com um encolher de ombros olhou para o par de magenta que continuavam o encarando e de repente se sentiu culpado por agir daquela forma. Qual era o seu problema? Estava tão assustado assim com uma pequena mudança? IV podia ser um completo idiota, mas ainda devia ter seus momentos de carência e vulnerabilidade. Agora se sentia tão mal....

- E agora você se sente culpado. - o mais velho zombou com um olhar de triunfo.

- Eu não estou! - rapidamente fez uma careta franzindo os lábios para disfarçar - Não dou a mínima.

Thomas riu - Eu discordo. Admita, você se importa comigo o suficiente para se sentir culpado por ser tão estúpido.

- Definitivamente não. Apenas te aturo. - o menor retrucou cruzando os braços.

- Claro, com certeza. - ironizou com um gesto exagerado - Por isso você acaricia o meu cabelo quando acha que estou dormindo. - completou com um sorriso cheio de dentes.

- E-eu não faço isso! Você está imaginando coisas! - virou o rosto para o outro lado sentindo o rosto esquentar. Droga, não era para o seu rosto corar!

- Mas eu não me importo, eu até gosto disso, sabe? - sussurrou sedutoramente se inclinando mais perto, as mãos apoiadas no braço do sofá, prendendo o outro ali.

Ryoga ficou ainda mais vermelho e o fuzilou com o olhar, disfarçando a vergonha com a raiva - Cala a boca. Você deve ter sonhado.

- Sim, provavelmente. - retrucou irônico antes de pressionar os lábios contra os dele num beijo que começou lento, mas que foi ganhando intensidade conforme Shark relaxava. Chupou o lábio inferior dele ouvindo um gemido como resposta e ao se afastar teve como recompensar a visão do seu peixinho corado e ofegante - Se você não se importa, então me explica porque você agarra a minha mão cada vez que te beijo? - perguntou com diversão.

Seu sorriso cresceu observando os olhos azuis olharem para baixo onde suas mãos estavam unidas, os dedos finos entrelaçados aos seus, os apertando com força. Ryoga tentou se soltar, mas IV não ia deixá-lo escapara tão facilmente. Para grande diversão do mais velho o Kamishiro parecia estar alheio àquilo até aquele momento, mas há muito tempo havia notado que Ryoga iria entrelaçar os dedos aos seus como se nunca fosse soltá-los sempre que o beijava daquele jeito.

Riu da careta que o menor lhe lançava - Apenas admita que me ama e não consegue viver sem mim, peixinho.

- Como se eu fosse fazer isso. - ele murmurou carrancudo envolvendo os braços sobre os ombros de Thomas e o puxou para baixo, o obrigando a pressionar o rosto contra seu peito. Agora podia corar em segurança sem o idiota o provocar por isso.

- O que você está fazendo? - o ruivo indagou com curiosidade o olhando sob a franja loira.

- Definitivamente não estou te abraçando, idiota. - resmungou mal humorado arrancando uma gargalhada do mais velho.

***

Espero que tenham gostado! Fiquem à vontade pra criticar, dar sugestões, dar um 'oi' pra autora etc.... :3

Qualquer erro me avise! Escrevi de madrugada e sempre acaba passando algo na hora de revisar.

~Kissus~

26 de Fevereiro de 2018 às 03:34 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Taimatsu Kinjou Fanfics também no Nyah!; Spirit; fanfiction.net; ao3 e Wattpad

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~