0
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

E então... é a minha segunda internação em 3 meses, faz 5 dias que estou no Cisam novamente. Vim quinta buscar o resultado da minha biópsia e felizmente não era nada tão grave, mas ao sair do consultório do ginecologista fui direto pra emergência, foram dias muito intensos, crises e mais crises de ansiedade seguidas da perda irreparável do meu amigo Elton.Ainda não consigo acreditar que ele decidiu ir embora, pra mim é como se estivesse em uma estranha suspensão da realidade, nos conhecemos quando eu já tinha uns 15 anos, e crescemos até a fase adulta juntos. Foram ótimas tardes na companhia dele, com seu carisma, alegria e coração de ouro cativava muita gente. É doloroso demais pensar que nunca mais vou ver ou abraçar meu amigo. Parece que ainda escuto ele revoltado comigo por não querer ajuda pra nada, ou me dando conselhos com meu problema com álcool e a maldita depressão. Elton tava se acabando e a gente não percebeu. Ainda não chorei sua perda, sequer aceitei essa partida tão repentina. Doente como estava não pude ir ao velório e ao sepultamento, sequer pude me despedir dele. Isso me frustra tanto. Que agora esteja onde estiver Elton que você encontre a paz que buscou nesse mundo, o descanso, a harmonia pra sua alma tão bonita e tão sofrida.

...


Aqui no silêncio que fica no quarto as vezes penso em como a vida pode ser tão frágil e dar tantas reviravoltas.

Sinto uma estranheza tão grande quando percebo isso e que não estamos no controle de absolutamente nada. Conheci outras pessoas, elas me fazem companhia aqui, tentamos nos ajudar a medida do possível e cuidar. Completas estranhas dividindo um pequeno intervalo de vida, teimando com a dor, a doença, a espera e a morte. Quase ninguém morre aqui por estarmos em uma maternidade, casos mais complexos são enviados a hospitais maiores, a lugares com um suporte extra, outros procedimentos. Aqui é um lugar onde a vida, muitas vidas começam. Essas dualidades me deixam muito pensativa. Não sei se dualidade é bem a palavra, foda-se.


Os médicos começaram aquela campanha babaca de não tirar meu útero, pq sou jovem, jovem aonde, passou dos 30 ninguém é jovem mais.

Pode até parecer mas o organismo avisa que não. Mesmo que o sangramento não esteja igual ao anterior, é preocupante demais continuar tomando remédio, sentindo fraqueza e passando mal o tempo todo. Vamos começar a repetir os exames, e fazer aquilo tudo, do começo da semana pra hj, realmente estou melhor, mas ainda assim sem falar com o médico especializado, sem conversar com o cirurgião, apesar da comida e atendimento serem bons apesar dessa demora toda eu quero ir embora com minha cirurgia marcada, seja aqui ou em qualquer outro hospital. Eu não quero mais sofrer com esses sangramentos.

Não é só o incomodo físico, a impossibilidade de seguir minha vida mas meu psicológico que está completamente abalado. Pela doença maluca, pelo tempo e repetição de tudo. Dá muita raiva. Parece que estou num maldito looping furreca de história mal feita. Bem... Acredito firmemente que ficarei bem, que vou me recuperar de mais essa lapada do destino e seguir em frente. Não tenho outra opção.


13 de Agosto de 2022 às 23:03 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Continua… Novo capítulo Todos os Sábados.

Conheça o autor

Siph Ferreira Nerd de maquiagem, amante de música, livros e quadrinhos, amiga de Meia Noite e Qliph, viciada em podcast e buscando seu rumo nesse mundo.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~