2minpjct 2Min Pjct

Após Yoongi e Jimin terem um término difícil e imaturo na adolescência, cada um segue a sua vida, o Park vai para a capital fazer faculdade e o Min continua em sua cidade natal. Jimin tem um filho com uma amiga do curso, e Yoongi adota uma criança no orfanato em que trabalha. Os dois passam quinze anos sem se ver, até que o Park retorna à cidade em que passou sua adolescência, e Park Namjoon e Min Hoseok têm uma briga física na única escola da cidade, fazendo com que ambos fossem chamados até o local. E isso seria apenas o começo de uma convivência forçada pelos dois, já que uma gincana na escola dos seus filhos é uma ótima desculpa para um perturbar a vida do outro. O que eles não esperavam era que seus filhos se juntassem em uma operação para reuni-los secretamente.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#yaoi #sujim #romancegay #Ojopym #gay #boyxboy #boyslove #Bangtan-Boys-BTS #2minpjct #bts #yoongi #jimin #yoonmin #papais #sugamin #minimini #suji #2min #acampamento #minmin #enemies-to-lovers #2minjct #yoonminpapais #OJOPYM #btsfic #ficbts #btsfanfic #fanficbts
1
1.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nada dura para sempre

Escrito por: @nameisabelle/@nameisabelle , @scarisvancci / @scarisvancci e @mimi2320ls / @bebeh1320alsey


Notas iniciais:

Bella: Olá, amiguinhos 🥺 Bem-vindos a mais uma história do 2minpjct! Estou muito ansiosa para vocês lerem essa história! Foi muito divertido trabalhar em trio com outros escritores como a Mi e Scar. Demos altas risadas, brigamos e nos divertimos criando esse universo dos papais yoonmin.
Quando vocês lerem esse capítulo vai ser postado uma enquete no twt e terá duas tags #timeJM #timeYG façam suas apostas! Todo capítulo postado será postado uma enquete! Quem vai vencer no final? Vocês vão concordar com o Jimin ou com o Yoongi?

Mi: Oi, gente, sejam bem-vindos a J&H... em OJOP, espero do fundo do meu coração que vocês embarquem nessa estória louca e super-hiper-mega divertida que eu, a Isa e Scar humildemente criamos.
Espero que vocês se divirtam, chorem, se identifiquem e tenham ataques de fofura com os Yoonmin e com os Namseok (eles são demais!).

Scar: Fala, galerinha, tudo bom? Pela primeira vez eu estou escrevendo uma história com mais escritores e devo dizer que foi uma experiência e tanto.
Bella, Mi e eu conversamos por horas e horas e planejamos bastante esse mundo e felizmente tudo deu mais do que certo, então espero que todos vocês possam desfrutar de um bom entretenimento que é dois personagens que brigam ao invés de ir pra terapia ;P
Gostaria de, em nome do trio, agradecer à beta @ksjtiny / @ksjtiny que betou toda essa loucura, e à capista @Nutella_KPOP_/@Nutella_KPOP_ que fez um trabalho ótimo com as capas da história, muito obrigado!
E agradeço a cada um que der uma chance de ler essa história, espero que se divirtam!
Boa leitura!


~~~~

Na adolescência, é sempre comum ter um namorado na escola, pois é o início de transformações nos corpos das crianças que agora se tornam jovens. Eles passam a olhar de uma forma diferente seus coleguinhas de classe, agora como possíveis pares românticos e não só um parceiro das brincadeiras de pula-corda ou tica-tica.

Quando Jimin colocou os olhos em Min Yoongi pela primeira vez, sentiu seu coração errar uma batida. Ele tinha dezesseis anos na época e tinha acabado de se mudar para Jeog-aein. Isso significava nova escola, novos amigos e, quem sabe, o primeiro namorado.

O novato sabia que estava sonhando alto querendo namorar o Min, pelo fato de ele ser desejado por todos da escola, mas se surpreendeu quando Yoongi o chamou para sair após o último jogo de xadrez que Jimin ganhara.

Desde aquele dia, eles começaram a conversar e a sair juntos, até que Yoongi se declarou para o Park, dizendo que se apaixonou no instante em que o viu. Eles já eram amigos àquela altura e seis meses já haviam se passado desde a chegada de Jimin à escola.

O coração de Jimin palpitou e ele não acreditava que o cara mais lindo e popular da escola gostava dele. O garoto de cabelos pretos e brilhosos como um céu estrelado, de rosto sereno e fofo, e de um sorriso gengival de tirar o fôlego estava se declarando para ele.

— Eu aceito! — Jimin disse rapidamente. Seu rosto se iluminou em uma expressão de felicidade, com seus olhos se tornando apenas dois riscos.

— Ah… — Yoongi arfou aliviado. — Eu ainda não tinha pedido, mas eu quero sim namorar com você! — O moreno sorriu com suas gengivas e o coração do Park disparou, fazendo-o beijar a boca do outro garoto de modo casto.

— Me desculpa — Jimin pediu assim que finalizou o beijo, olhando para a face do seu hyung, que estava surpresa, mas também muito vermelhinha e feliz. — Você é tão fofo, eu nem tô acreditando que a gente tá namorando! — exclamou no meio do parque que estavam.

Aigoo! Eu vou ficar com vergonha, Jiminnie! — Yoongi se virou e começou a seguir em direção à sua casa, muito tímido pelo momento.

— Yoon, você vai ficar tímido toda vez que eu chamar meu namorado de fofo?! — O Park correu ao seu encontro com um pequeno sorriso nos lábios, provocando o seu hyung.

— Aigoo, eu vou desistir disso! — Yoongi correu mais rápido, e Jimin o seguiu rindo.

Os primeiros meses de namoro foram ótimos, e Jimin e Yoongi não se largavam. Eles assistiam às aulas, faziam trabalhos da escola e passavam o dia inteiro juntos. Seus pais ficaram preocupados, porque aquela relação não era saudável, visto que eles não estavam mais tendo seu tempo individual como tinham antes.

Porém, os jovens achavam que os pais estavam exagerando e que eram coisas da cabeça deles. Até que algo realmente aconteceu, algo que lhes mostrou que os progenitores nunca estavam errados.

Jeon Jungkook foi o que aconteceu!

O garoto de cabelos castanhos e olhos grandes que parecia um anjinho foi o que arruinou todo o relacionamento de Jimin, segundo o Park.

Jungkook era o melhor amigo de Yoongi e há mais de um ano havia se mudado para a Califórnia com os pais, porém havia voltado para Jeog-aein quando sua mãe recebeu uma proposta de emprego melhor em sua cidade natal.

Jimin sempre tinha ouvido falar do melhor amigo do namorado, e de vez em quando participava de chamadas de vídeo entre os dois. Contudo, o estudante morria de ciúmes dessa amizade pelo fato de os rapazes terem segredos entre eles e não lhe contarem, além de Jungkook dar apelidinhos carinhosos a Yoongi, como ursinho, bolinha, gatinho, honey, baby e tantos outros que só o Park deveria ter permissão para usar, já que era seu o namorado.

Yoongi achava o ciúme bobo e fofo, e dizia para Jimin deixar de besteira, pois o Jeon era seu melhor amigo de infância e sempre haviam se tratado assim. O Park tentou relaxar, mas, quando Jungkook voltou para a cidade e começou a levar o Min para festas de pijama e compras no shopping a sós, Jimin se sentiu deixado de lado.

As pessoas até perguntavam se ele estava solteiro ou se Yoongi também estava, porque o casal não vivia grudado como antes. E o Park era um rapaz bonito com seus cabelos loiros como mel, boca avermelhada como uma cereja e seus olhos sedutores como os de um cigano que poderiam conquistar qualquer um sem que precisassem olhar para o seu corpo bonito. Todavia, o loiro só queria o Min, mas em seu pensamento esse parecia se afastar dele cada vez mais.

Era uma sexta-feira, único dia da semana em que Jimin poderia almoçar com o namorado. Yoongi tinha trazido seu almoço de casa e o loiro estava na fila para comprar o próprio.

O Park estava todo alegre por poder compartilhar uma refeição com seu namorado. A semana havia sido cansativa por ele ter tido que fazer diversos trabalhos e ajudar no clube de xadrez. Antes o Min e ele realizavam as atividades juntos, porém, com a volta de Jungkook, Yoongi pediu para fazer com o amigo as atividades em dupla, já que ele tinha voltado há pouco tempo e não queria deixá-lo desamparado.

Jimin não queria ser um otário e disse que estava tudo bem. Ele poderia ver seu namorado em outros dias, como na sexta, mas o que era um coração feliz e radiante tornou-se raivoso e quebrado.

Qual era o problema de Jungkook? Já não bastava roubar Yoongi durante toda a semana? Ele ainda queria roubar o seu namorado no dia de eles compartilharem as refeições? A cara do Park fechou e suas mãos apertaram a bandeja que segurava com mais força, observando o Jeon se sentar no banco com as pernas abertas e envolver os braços no corpo do Min, que sorriu, colocando a cabeça em seu ombro.

Jimin queria quebrar a bandeja na cabeça de um certo alguém…

— Ei, cara, relaxa! — uma voz grossa, mas de tom suave, falou com ele. Jimin olhou para o lado e percebeu que era o novato da sua turma, Kim Taehyung. Depois que o Min o largou, eles começaram a fazer atividades juntos; quando Yoongi passara a fazer dupla com Jungkook, Jimin não teve a quem recorrer senão a Taehyung, que um dia entrou atrasado na sala e sentou ao seu lado. Conversavam desde então.

— Não há como relaxar, não quando meu ponto de calmaria está me deixando irritado e sendo roubado por outra pessoa — murmurou com os dentes pressionados uns nos outros e ainda apertando a bandeja, olhando à distância a cena dos amigos na mesa do refeitório.

— Eles só são colegas. Lá em Seul, eu também ficava assim com meus amigos. — Colocou o braço ao redor do pescoço do Park e o puxou para caminhar na fila, que já estava andando. — Pronto, eu e você estamos abraçados de lado. Tá bom para você se acalmar? — perguntou e passou o nariz pelos cabelos loiros do Park, que ficava na altura do seu ombro, já que era mais alto.

Jimin deu uma cotovelada no Kim e seguiu para colocar a sua refeição com tanta raiva que até os cozinheiros estavam assustados, pensando que ele havia se dado mal em alguma prova.

— Ai, eu só estou querendo ser seu amigo. É normal ter amizades em que as pessoas são carinhosas, Jimin.

— Tá… tudo bem! — disse, virando-se e seguindo com Taehyung em direção à mesa onde estava o Min e o Jeon. — Mas eu queria um abraço do meu namorado, no entanto eu vou chegar naquela mesa e ele só vai me dar um beijinho e o Jungkook vai continuar agarrando ele. Isso não é certo, Tae. Eu quero meu namorado de volta. Além disso, tenho que passar o dia aguentando gente dando em cima de mim e em cima do Yoongi, porque eles pensam que a gente terminou por causa dessa nova ordem no nosso relacionamento que essa coruja colocou.

— Coruja? — Taehyung perguntou, confuso.

— O cara de olhos grandes ali, abraçando meu namorado.

O novato riu e balançou a cabeça negativamente, devaneando e chegando à conclusão de que havia arranjado um garoto bem… bem excêntrico para ser seu amigo. Mas qual era a pior coisa que poderia acontecer?

— Deixa ele, vai. — Os dois finalmente chegaram à mesa e, como Jimin profetizara, ele se aproximou do namorado, Yoongi o beijou brevemente e voltou a conversar com o melhor amigo, como se a presença de Jimin não tivesse acrescentado nada demais.

O loiro virou o rosto na direção de Taehyung e murmurou com um tom irritado um "viu?!", e o novato riu nervosamente tanto por não saber o que dizer quanto por não querer estar muito envolvido naquela história, por mais que tentasse compreender a forma como o amigo se sentia.

Eles se sentaram e começaram a comer, Jimin mantinha os olhos vidrados no prato e Taehyung orava para ter um almoço tranquilo.

Infelizmente, ele viu sua paz de espírito saindo na ponta dos pés quando uma garota se aproximou, sentou na mesa e começou a falar com Yoongi enquanto mexia no cabelo e ria a cada coisa que o garoto dizia.

Jimin olhou para aquilo e sentiu a comida querer voltar. Sua jovem mente de adolescente nunca havia se preparado para saber como lidar com aquela visão: seu namorado nos braços de outro garoto enquanto uma garota estava praticamente sentada com as pernas abertas de frente para ele e com a mão descansando em seu ombro.

Ele fechou os olhos e suspirou. Queria chorar, mas também queria gritar. A cada dia seu coração se partia mais e mais.

Não suportando mais se sentir daquela forma, ele se levantou, e o arrastar de sua cadeira acabou chamando atenção.

— Para onde você vai? — Taehyung tocou sua mão com cautela, olhando-o aflito.

Jimin abaixou a cabeça e sua voz saiu baixa, sem forças:

— Perdi a fome. — Ele pegou sua bandeja e foi caminhando a passos quase contidos até os baldes onde deveria colocar o resto da comida mal tocada.

Só ele seria capaz, ou melhor, talvez nem ele fosse capaz de descrever a força que fazia para conter o choro.

Você consegue, Jimin. Entre uma respirada e outra. Inspira… Expira…

Olhou para trás, já em frente ao balde, e notou que Yoongi não havia movido um músculo sequer em sua direção, como se nem tivesse notado que ele fora embora.

Quando olhou novamente para frente, acabou se atrapalhando e, ao invés de derramar o conteúdo do prato no balde, sua bandeja se desprendeu de suas mãos e caiu aos seus pés, sujando o chão e suas calças com a comida.

Inspira…

Mas nem toda a meditação que tentava executar foi capaz de fortalecê-lo ao ouvir burburinhos e risadas direcionados a si.

Fez o que seu coração clamava no momento, chorou e correu, como se estivesse em um filme, pois, dado como sua vida se sucedia, era dessa forma que se sentia.

Ignorou todos ao seu redor enquanto corria o mais rápido que conseguia até parar atrás das salas, em um canto afastado e quase esquecido da escola. Ele se encostou ali e se arrastou até sentar no chão, abraçando os joelhos e pondo para fora o que sentia.

Apenas uma coisa se passava em sua mente naquele momento e era que seria trocado sem que pudesse fazer nada para impedir.

— Achei você. — Assustou-se quando ouviu alguém se aproximar e rapidamente enxugou o rosto.

— E por que você estava me procurando? — perguntou com um tom de mágoa, ignorando quando Yoongi sentou ao seu lado e pôs a mão em seu joelho.

— Eu fiquei preocupado, você saiu correndo e eu achei que estivesse chorando. Pelo visto, eu estava certo.

Jimin enxugou o rosto mais uma vez para ter certeza de que não estava mais molhado.

— O que foi?

O loiro se encolheu no próprio abraço. Não bastasse estar se sentindo daquela forma, ainda teria que verbalizar suas emoções.

— Nada.

Yoongi suspirou.

— Jimin…

— Você disse que a gente ia almoçar junto hoje. — Fungou. Talvez pudesse fazê-lo entender a situação sem que tivesse que falar exatamente o que lhe incomodava. — Sozinhos — completou.

— Ah… É que, você sabe, Jungkook não tem ninguém para almoçar junto, então eu disse que ele podia comer com a gente, achei que você não se importaria. Você até levou o Taehyung junto também.

É, mas eu não fico agarrando o Taehyung, foi o que quis dizer, mas ele se segurou, respirando fundo.

— Eu sinto falta de ficar sozinho com você — falou apenas. — Você está o tempo todo com o Jungkook.

Pronto, havia dito, não tinha mais volta.

Pensou que Yoongi negaria e se irritaria, mas ele o puxou e deitou o rosto de Jimin em seu peito.

— Desculpa. — Jimin sentiu seu coração esquentar. — Eu estava com muitas saudades dele, entende?

— Já sei. — Suspirou.

É o que você sempre diz…

— Vamos fazer o seguinte. — Yoongi virou-se para ele, parecendo empolgado. — Vou almoçar com você na segunda.

Jimin franziu o cenho.

— Mas durante o meu almoço, você tem aula de…

— Eu falto! — Deu de ombros, rindo da própria ideia. — E Jungkook nunca falta, então vai ser só nós dois. O que me diz?

O loiro sorriu tímido, feliz por ver que o namorado estava disposto a se arriscar para estar com ele.

Talvez as coisas não estivessem tão ruins, afinal.

— Se você tem certeza de que quer faltar, então por mim tudo bem. — Riu baixinho.

Yoongi sorriu e beijou sua bochecha.

— Ótimo! E durante o final de semana vou tentar ir à sua casa, okay?

Jimin virou o rosto para ele, sorriu junto ao encarar o seu sorriso e lhe deu um selinho.

— Okay…

Não estava nada okay!

Dois dias; quarenta e oito horas. Foi o tempo que passou sentindo aquela angústia e ansiedade já tão familiar para si, já que sempre a sentia toda vez que o namorado lhe prometia algo só para no final descumprir a promessa.

No sábado, Jimin sentiu a ansiedade. Repetiu durante o dia inteiro que Yoongi a qualquer momento mandaria uma mensagem avisando que estava a caminho, mas nada.

No domingo, Jimin sentiu a angústia ao receber uma mensagem de Yoongi, "não posso ir, vou estudar", e depois ver o story que ele postou junto de seu melhor amigo. Ele estava cansado de tudo aquilo, não aguentava se sentir assim, e esperava que ficar com o namorado na segunda-feira pudesse fazê-lo se sentir melhor.

Na segunda, foi com esse pensamento que ele saiu de casa.

Já na escola e fugindo de suas atividades, Yoongi batucava os dedos ansiosos na mesa que escolhera para almoçar com Jimin. Estava nervoso porque há tempos eles não tinham um momento como aquele, e esperava conseguir compensar o loiro por estar sendo tão compreensivo em relação a Jungkook.

Falando em Jungkook…

Yoongi suspirou, inquieto.

— Te achei. — O garoto sorriu e se sentou ao seu lado, suspirando audivelmente e deitando a cabeça em seu peito. — O que está fazendo aqui? Vamos nos atrasar para a aula de informática.

— E-eu… Por que estava me procurando? — Pigarreou, voltando a atenção ao suspiro de frustração dado por Yoongi há segundos.

— Ai… Eu não sei mais o que fazer! — Choramingou. — Acho que ele nunca vai me notar… — Fez um bico triste, e Yoongi sorriu com um revirar de olhos.

Claro, seu melhor amigo estava apaixonadinho, e sobrava para ele a função de dar conselhos amorosos quando não sabia o que fazer nem com a própria vida.

— Dê uma folga ao Taehyung, você também não tem feito muita coisa para ele te notar. — Ergueu as sobrancelhas, e Jungkook virou o rosto, olhando-o com indignação.

— E você quer que eu faça o quê? Quer que eu o puxe pela camisa e largue nele um beijo na frente de todo mundo?!

Yoongi riu.

— Não precisa ser na frente de todo mundo. Mas não é uma ideia ruim… — Olhou para o relógio do refeitório e engoliu em seco. — Po-por que você não tenta fazer isso agora, hein? Va-vai lá procurar ele. Só se vive uma vez. — Sorriu, sentindo o suor querer descer pela testa.

Jungkook riu e virou o corpo em sua direção.

— E eu vou fazer isso como?! — exclamou na tentativa de enfatizar o absurdo da situação. — Não vou simplesmente chegar nele e fazer isso, olha. — Yoongi quase teve um ataque do coração quando Jungkook o puxou pela gravata e seus rostos ficaram a milímetros de distância. — Viu como é estranho?!

Basta. Jimin disse em pensamentos ao passar pelas portas do refeitório e dar de cara com aquela cena.

Não aguentaria aquele circo por mais nenhum segundo. Nunca foi nenhum palhaço.

O lugar não estava lotado, mas estava cheio o suficiente.

Sentiu suas mãos tremerem.

Dessa vez Taehyung não estava ali para tentar ajuizá-lo.

Tudo tinha limite, e sua paciência estava se esticando com uma elasticidade que não possuía.

Seus passos fundos e raivosos ecoavam pelo refeitório e muitos alunos ao redor, com óbvia exceção dos seus alvos, pareciam notar o que estava acontecendo ali.

Ele chegou bem perto e, quando Yoongi o viu, apressou-se em levantar.

Estava prestes a cumprimentar Jimin com um beijo, mas seus atos foram mais rápidos e o paralisaram por um momento.

Pôde apenas observar o momento em que seu namorado abriu a lata de refrigerante e a virou em cima do seu melhor amigo, em seguida ele jogou a lata vazia em seu peito, proferiu o maior palavrão que já ouvira e saiu quase correndo do lugar, sem lhe dar chance alguma.

Teve duas escolhas no momento: ajudar o melhor amigo ou correr atrás do namorado.

— Vá falar com ele. — Jungkook interrompeu sua batalha mental.

— Tem certeza? — O garoto confirmou com a cabeça enquanto secava o rosto com a palma da mão e jogava os cabelos para trás.

— Ele precisa de você.

Precisava. Durante semanas, Jimin precisou de Yoongi. Durante dias, Jimin fez de tudo para ter sua atenção. Naquele momento, o que ele precisava era de algo ou alguém em quem pudesse descontar sua raiva. Jimin queria gritar, chorar ou cometer qualquer loucura que fosse. Estava ficando louco, seu coração estava no chão espalhado em um milhão de pedaços, como um espelho da sua própria alma ferida.

Espelhos quebrados só significavam uma coisa, e não era nada boa.

— Não quero falar com você. — Recuou quando Yoongi o encontrou novamente atrás das salas. — Eu queria há cinco minutos, mas a vontade acabou.

— Minnie…

— Não me chame assim! — Sentiu seu coração doer ao ouvir o apelido que pensava não ser sincero.

Se fosse sincero, ele não receberia tanto descaso.

— Eu cansei, Yoongi. Cansei!

— O Jungkook só estava…

— Claro! — interrompeu. — Ele sempre "só está", não é? Sempre tem alguma desculpa. "Ai, o Jungkook isso, o Jungkook aquilo, não porque o Jungkook…", e eu?! Onde eu me encontro na sua vida? Onde eu me encaixo, Yoongi?

— Você significa muito para mim, Jimin. — Olhou-o aflito.

Seu coração batia acelerado naquele momento, ele gostava muito do Park e o entristecia vê-lo daquela forma. Amedrontava-se com a possibilidade de ele não lhe querer mais. Há dias vinha planejando como confessar que o amava, e se aquela situação perigosa e cheia de mágoas o obrigasse a fazê-lo, então que assim fosse.

— Eu… — Respirou fundo. Suas mãos tremiam e ele se sentia tonto de tão nervoso, como um introvertido prestes a apresentar um trabalho na frente da turma. Fechou os olhos e preparou o seu psicológico. — Eu te amo, Jimin.

Pronto, havia dito.

Quando abriu os olhos, viu Jimin o encarando com descrença, rindo soprado.

— Isso significaria alguma coisa para mim se eu conseguisse acreditar.

Ele não disse de volta? Ele não está sorrindo e dizendo de volta? E vindo me abraçar para darmos beijinhos um no outro? Por que ele não está dizendo de volta?

De novo o coração acelerado do Min se afligia.

— Que amor é esse? — cuspiu as palavras com claro desgosto. — Você sequer olha para mim quando eu me aproximo. É como se eu tivesse sido só uma conquista para você. Uma medalha que você pendurou na parede e esqueceu lá. Só que, adivinha? A medalha conseguiu pular do prego que a prendia.

Yoongi arfou em silêncio, desesperando-se com as palavras que ouvia.

Jimin mal conseguia respirar direito, seu rosto se banhava em lágrimas e seu coração estava amargo, como o gosto em sua boca que funcionava como combustível inflamável para todo aquele diálogo.

Nunca foi frio ou malvado, pelo contrário, Jimin sempre foi doce, paciente e carinhoso.

Mas as estações mudaram. E o inverno que acabara de chegar mostrava-se rigoroso e perigoso para sair nas ruas.

Não seria bom estar com o coração desabrigado ao se encontrar com o inverno que abraçava Jimin.

— Co-como assim? — A voz de Yoongi saiu insegura. Desabrigada. — O que está dizendo?

Jimin nevou pelo olhar, e Yoongi se viu atingido por uma chuva de granizos.

O Park sequer piscou, como se não sentisse mais nada no corpo a não ser prazer pelo frio.

— Estou dizendo que acabou.

"Você ficou sabendo?! Min Yoongi e Park Jimin terminaram! É! Não sei, parece que Yoongi terminou com Jimin porque ele ficou louco. Você viu a cena que ele fez no refeitório? Amigo, foi ridículo!"

Jimin bateu a porta do armário com força, respirando fundo e afundando a testa no metal.

Estar com Yoongi e ser ignorado era melhor do que não estar e ter toda a atenção desagradável da escola inteira.

Nenhum dos dois disse a ninguém sobre o que aconteceu, mas os alunos não precisavam de fatos para espalhar por aí contos e fofocas mal intencionadas.

Jimin apostava que seu "ex" estava amando a narrativa que criaram. Em que ele, o garoto popular e galanteador, estava sendo visto como o grande herói, o fodão, e Jimin, que havia entrado depois na escola e, agora sem o Min, era apenas o nerd do xadrez, sobrou com o papel de desequilibrado e espalhafatoso.

Não importava para ninguém ali a forma como estava magoado. Não importava para ninguém que ele amava Yoongi, mas era incapaz de acreditar na mutualidade dos seus sentimentos.

Dias já se haviam passado desde que terminara com o Min, e os dois se sentiam tristes.

Ambos estavam com os corações partidos, mas para o mundo apenas um deles era realmente relevante.

Jimin estava arrependido da cena no refeitório. Estivera com raiva e havia agido sem pensar, mas era justo que o seu único erro mudasse a narrativa inteira?

Sentia-se roubado. Roubaram-lhe a chance de ficar triste, o direito de ser a vítima, o papel de protagonista magoado juntando os cacos no decorrer do terceiro ato.

Suspirou e respirou fundo.

Se ali houvesse uma câmera, Park Jimin estaria quebrando a quarta parede ao olhar diretamente para ela com um belo sorriso tendencioso no rosto.

Aproximou-se lentamente — como uma leoa se aproximava da presa — dos alunos que fofocavam sobre ele e deu-lhes um sorriso gentil, máscara das suas verdadeiras intenções.

— Oi, gente, não pude deixar de ouvir a conversa de vocês. — O sorriso não deixou seu rosto por nenhum momento. — Mas vocês estão atrasados, sabiam? — Ergueu as sobrancelhas, e os dois ficaram confusos. — Yoongi e eu não terminamos.

— Mesmo?! — Dava para ver que a garota estava em choque, mas não duvidava de suas palavras; como se um nerd fosse incapaz de mentir.

— Mesmo. — Deu de ombros. — Cá entre nós — chamou-os mais para perto com o dedo e sussurrou: — Mas é segredo, tudo bem? — Os alunos concordaram rapidamente, ansiosos. — Eu tentei terminar com ele, mas Yoongi se ajoelhou e implorou para ficarmos juntos. É verdade. — Sorriu satisfeito quando eles riram incrédulos. — Só não contem para ninguém, certo? Imagina o escândalo que seria se todos soubessem disso? — Afastou-se como se suas palavras não tivessem peso algum.

O garoto e a garota saíram correndo aos risos, e o Park teve que se segurar no lugar de tão satisfeito que estava. Tinha a certeza de que em menos de um dia toda a escola estaria a par de suas palavras.

Queriam que ele fosse o vilão, não queriam? Então ele seria o vilão mais desagradável e memorável que todas aquelas pessoas jamais viram.

Porque Jimin estava só começando.

~~~~


Notas finais: Bella: Oii, gostaram do capítulo? Nós vamos ler todos os comentários! Quais são as suas opiniões sobre o início ??? Estamos curiosos! Não esqueçam de responder a enquete no twt, por favor! Bjos até o próximo!☺️😚


Mi: Acho que a Bella já disse tudo, mas quero agradecer a quem chegou até aqui, muito obrigada por doar um minuto do seu tempo para ler nossa fic. Vocês são maravilhosos!


Scar: Esse é o primeiro capítulo de muitos que vem por aí, e garanto que vocês ainda não viram nada! Continuem ligados que na próxima att vem muito mais!



7 de Agosto de 2022 às 23:58 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo O velho fim e o novo início

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!