0
571 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Quando ele entrou no carro pegou minha sacola e colocou no banco detrás junto a dele, a proximidade de segundos de sua pele com a minha era um deleite, além do perfume inebriante, o calor, ele sabia do efeito que causava em mim, e cada gesto naquele ambiente tão controlado era quase um convite. Senti meu rosto aquecer, logicamente ele percebeu e riu, aquele riso me acalmava como nada no mundo. - Onde você tá morando agora? - Alameda do Sabiá 1288, Vila Alpina. - Não é tão longe, acho que em 40 minutos chegamos.

- Talvez menos, esse horário tem muita gente almoçando.

- Então vamos.

Quando ligou o carro o bluetooth conectou com o celular e baixinho tocou uma versão de Good for me.

- Fazia muito tempo que não ouvia essa música.

- É uma das nossas.

- É sim.

- Como foi sua viagem?

Ele respirou fundo, como se captasse das lembranças as sensações, cores, lugares, seus olhos se encheram d'água e só então respondeu.


- Foi maravilhosa, eu vi o sol nascer e se pôr sob as grandes dunas, dormi em barracas de tecido feito de cacto, frias ao toque mas muito resistentes.


As pirâmides em sua grandeza milenar, a escrita hieroglifica, as pinturas e entalhes de cores diversas.


Você tinha que estar comigo pra entender que cada minuto naquele lugar te levaria pro passado, para um reino de sonhos, o povo hoje é bastante amigável, gostam dos brasileiros até, muito educados, me levavam para cear junto quando eu alcançava alguma tribo nômade ou acampamento familiar. As músicas que tocavam, a língua, as danças era tudo tão fantástico, fiz algumas fotos, não com o celular, não estão aqui, estão no cartão de memória da câmera, quando for pra casa mando todas pra você. Me banhei em oasis, sobrevivi a 5 ou 8 tempestades de areia, cruzei 8 países em 6 meses, houve vezes que me senti tão em casa que não cogitava voltar, mas, o que eu buscava lá só veio a mim quando percebi que já estava aqui dentro. Dizendo isso ele pegou minha mão esquerda beijou e levou ao peito, senti seu coração acelerado, a emoção era completamente verdadeira.

- E a comida, é boa?

- Muito boa, um pouco carregada na pimenta e especiarias, eles gostam muito de carne, pães, tâmaras, geleias de outras frutas, mel, quero fazer algumas coisas que aprendi pra você experimentar, vai gostar também, tenho certeza, trouxe uns temperos locais, você precisa provar bebê, é surreal.


Sim, ele me chama assim, e de outros jeitos que só nós sabemos.


- Já tô curiosa anjo.


Ahh olha, a gente tá chegando, dobra aqui à esquerda em 2 km a gente entra no prédio.

O condôminio fechado era bastante seguro, as portarias tinham acesso via biometria mas com 2 porteiros em cada, tecnologia pura era impessoal e pouco eficaz, um dos acordos com a reforma do conjunto de condôminios era manter o quadro de funcionários e os capacitar em outras áreas, além de residir no próprio local com um custo reduzido. Passamos pelo primeiro bloqueio e no segundo o pessoal do turno já me conhecia, me liberaram em poucos minutos.

Estacionamos e fomos diretopara o hall.

- Gostei daqui, me parece um lugar calmo, aconchegante até, você parece tranquila.

- Estou sim, pago um valor até justo sabe, posso usufruir tudo que o lugar oferece sem me preocupar com um monte de boletos, e tempo, pagamentos em dias separados, e o melhor de tudo, o apartamento é meu. Demorei um pouco mas consegui o meu lugar.

- Tô feliz por você, muito, você é tinhosa demais conseguiu tudo que queria e ainda mais meu bem.

- Bom; tudo, tudo ainda não, tem muita coisa pra fazer anjo, em breve vou entrar no meu curso de cosmetologia em 2 anos vou poder mudar de área e finalmente fazer o que eu sempre quis.

- Você vai conseguir.

- E você, já tem uma previsão de quando retorna ao trabalho no mar?

- Vou matricular minha filha na escola nova nos próximos dias, ela vai ficar na minha casa no interior, já começou a preparação pra o vestibular, escolheu o campus que é perto de casa, não vai precisar ir pra outro lugar, passei esses dias com ela, ela vai ficar um tempo por conta, depois eu volto, volto pro mar e volto pra ficar em casa com ela.

- Chegamos, esse é o meu andar.

Saímos do elevador, e fomos em direção a minha porta. Uma guirlanda de espinheiro branco, arruda e alecrim a enfeitavam, além das inscrições e pequenos entalhes de símbolos que discretamente cobriam todo o portal, um carpete com um pantáculo vermelho no verso não deixava nada que não fosse bom para mim entrar.


- Você continuou os estudos, que coisa boa.


- Tinha que continuar meu anjo, e com a terapia, os remédios, estou bem melhor da ansiedade, pratico yoga, quase não tenho mais pesadelos, é muito raro agora, consigo ir em um terreiro aqui na cidade mesmo e tenho aprendido bastante por lá também. O centro espiríta consigo visitar em dias alternados do mês e é um lugar acolhedor e decente. Se quiser podemos ir juntos antes de você voltar ao trabalho.


Tateei minha bolsa buscando a chave mas estava nervosa, não consegui encontrar, tive que usar a digital mesmo,a fechadura inteligente leu meu polegar e abriu com um estalo a porta. O cheiro de casa limpa, incenso e flores nos recepcionou.


- Seja bem vindo anjo, esse lugar também é seu.


Entramos deixando os sapatos no móvel os casacos pendurados, depois de receber uma chuva de álcool 90° e seguimos casa adentro.


A sala ampla abria para 2 ambientes, na varanda batia o sol da manhã abrigando algumas plantas, ervas de cozinha, os sofás altos e fofos, tapetes, a tv ficava em uma estante de madeira vermelho escura, o sistema de som em torre ficava ao lado da estante, que estava com alguns livros e pequenos enfeites. Grandes almofadas nos tapetes, piso escuro e frio, as paredes eram de um rosado claro, combinadas com pesadas cortinas vinho com black out, quando afastadas deixavam o sol entrar fazendo sombras que se alongavam pelas cumpridas horas da manhã. A mesa de jantar ficava a poucos metros do sofá e um aparador perto deixava o ambiente sofisticado, monocromático muito simples de cuidar e manter limpo. No aparador um belo altar com velas acesas em pratos brancos, flores ofertadas aos deuses, incenso de attar, taças com água e vinho, acima um espelho com moldura esculpida em madeira negra como todos os móveis.



28 de Julho de 2022 às 09:08 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Continua… Novo capítulo Toda semana.

Conheça o autor

Siph Ferreira Nerd de maquiagem, amante de música, livros e quadrinhos, amiga de Meia Noite e Qliph, viciada em podcast e buscando seu rumo nesse mundo.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~