D
Diego bispo santos


Apenas um simples descanso momentâneo, se torna eterno


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.
Conto
0
507 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Esquecida ♣︎versão original♠︎

♥︎ Ao abrir meus olhos, percebo que estou em um quarto de hospital,

mais como? como eu vi parar aqui?

começo a chamar por Mark, meu noivo, Uma enfermeira entra na sala , e ao me ver, ela fica pasma e sai correndo , mais antes ela grita dizendo " Ela acordou" será que eu não deveria ter acordado, não entendi , não sabia o que estava aconteçendo, Tento me levantar , mais ao por os meus pés no chão, acabo caindo, como se eu não soubesse como andar, senti meu corpo estranho, como se aquela não fosse eu, me levanto e na segunda tentativa, enfim consigo andar, Mais quando estou me aproximando da porta para sair daquela sala , um homem entra e me segura , dizendo " Você não pode sair daqui, depois de tanto tempo, enfim você acordou"

oi? ainda não entendi o que estava acontecendo, Decidi perguntar , e a resposta me deixou sem palavras, Eu tinha entrado em coma a dez anos atrás,


_eu fiquei dormindo por dez anos!? isso não é possível, mais como?


ele tenta me por na cama de novo, mais eu o empurro e saio correndo, caindo para os lados, mais consigo sair do hospital, vou para a casa da primeira pessoa que vem a minha cabeça, meu amado Mark, espero que ele ainda esteja no seu apartamento, vou até o hotel em que ele deveria estar , pergunto por ele , e os funcionários me dizem que ele está com a esposa.


_Esposa!!?? mais eu sou a noiva dele.


eu vou até o seu apartamento, toco a campanhia, mais não é ele que atende , e sim uma mulher loira , usando uma roupa de dormir, ela tinha acabado de acordar, ela pergunta quem sou eu , e eu respondo


_Sou a Amber.


Ela fica sem reação ao ouvir o meu nome, Sem pedi a sua permissão eu entro no apartamento e ouço uma voz dizendo " Quem é amor? "


Amber: Amor?


ao entrar na sala , ele olha para mim, sem saber o que dizer , eu caio em lágrimas, e saio dali o mais depressa possível, Corro tanto que acabo dando de cara com a casa dos meus pais, ou deveria ser deles, eu vou até uma janela que está aberta , e vejo minha mãe, meu pai , e minha irmã com uma criança no colo, penso em chamar a atenção deles, mais ao ver a felicidade de ambos , decido sair dali ,


_eles estão felizes, não sentem a minha falta .

Eu não posso voltar para aquele hospital, não posso ir atrás do Mark de novo, e meus pais... não se lembram mais de mim, eu volto para o hospital, o homem que tentou me deitar naquela cama , apenas me olha , eu passo por ele sem falar com o mesmo, vou até o quarto que eu estava , e me deito naquela cama , pego uma agulha que estava por ali , e injeto direto no meu peito, eu fui esquecida, eles não sentiram falta de mim, não faz mais sentido viver , eu a injeto, injeto direto no meu peito, uma morte lenta e sozinha, sem meu amor, sem meus pais , sem ninguém, dez anos dormindo , se tornaram uma vida toda em um sono eterno.


FIM





30 de Junho de 2022 às 19:23 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~