pensadorlouco Pensador Louco

Uma história body horror de sarcasmo, gore e reflexões sobre a vida cotidiana, inspirada em David Cronenberg, Kafka e Nelson Rodrigues.


Horror Literatura monstro Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#misterio #bodyhorror #comedia #378 #metamorfose
3
584 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo um

Há personagens tão desprovidos de propósito na vida que parece um crime dar a eles nomes. Passageiros. Ignoráveis. Desnecessários. Irrelevantes para o próprio umbigo, até.

Quanto pleonasmo para definir tipos desinteressantes. Afere a eles um valor que por princípio nem deveriam ter. Bem contraditório.

Mas eles estão por aí, certo?

Do jeito certinho como cenário passa rápido quando estamos com pressa. Simples linhas de movimento, suas presenças denotam existirem só para não andarmos em meio a um fundo branco, ou a imensidão preta do esquecimento espacial. Relembrando jogos de luta em velhos arcades de rodoviária, ou lojas de entretenimento infantil em shopping centers decadentes: os personagens principais lá na frente, quebrando o pau entre golpes especiais, combos, bloqueios e macetes, enquanto o fundo é composto por um cenário em movimento repetitivo, cuja determinação é decorar sem nunca tirar a atenção dos jogadores da luta em questão.

Ora, vamos, todo mundo conhece alguém assim.

Seja ele, ela, quem for, um parente, conhecido, amigo — digo, o máximo real de amigo-de-fé-irmão-camarada que se pode ser quanto a um espécime assim — todos sabemos de sua presença. Está sempre por perto, mas sua validade como pessoa é de tal maneira improvável a ponto de nos relembrar o sabor residual de lanches de fast-food, propagandas em vídeos na internet, revistas em salas de espera de dentistas.

Ou quão pouco tudo isso dura na memória.

Mesmo existindo, portando CPF, RG, certidão de nascimento, histórico escolar, carteira de trabalho — você pode colocar o próximo item nesta lista de troféus cíveis —, pessoas dessa estirpe não vertem nada de real e aproveitável além dos dados em papel. Trabalham, consomem, dão audiência a telejornais, aplicativos de vídeo, grupos de Whatsapp ou revistas semanais, sim, claro, por quê não? Contudo, não é isso que dá a um vivente o posto de sapiens no homo de sua categorização biológica. É na constatação de não usarem suas vidas para nada mais além disso, a conferi-los o dom da invisibilidade. Nada de criatividade, vontade, desejo ou progressão. Eles apenas estão.

Traçou já tua lista de quantos conhece nestes quesitos?

Ótimo.

Temos um bem nesta escala, em nossa história.

A este nosso podíamos chamar Cláudio, Romero, Edimar, talvez Brito, Valério, Nestor, Adalberto, mas poderia ser Fabrício, Paulo, César, Gomes, Jurandir, Roberto, quem sabe Magalhães. Uma pessoa tão genérica ao absurdo de não soar absurdo seu nome variar ou ser esquecido durante a saga. No fim das contas, sua vida nunca fora algo de renome, e volta e meia ele ou o homem bastaria para referir-se à figura.

Se procurarmos um alicerce em meio a esse caos de não-identidade, ao menos seu sobrenome era Silva. Como se a Terra já não contasse com Silvas bastantes para entupir vulcões, ganhar guerras, encher países.

Imagine, realize, todo um planeta de Silvas, do Silva cão ao Silva pastor; da Silva lontra ao Silva senador. Silva, Silvas, Silvérios, Silveiras, Silvas para todos os lados.

Viu? É mais prático assim.

Teóricos de conspirações poderiam traçar várias e intermináveis teses nas quais Silvas seriam na realidade um exército de intenções escusas por trás de todas as maquinações mundiais. Erich von Däniken? MK Ultra? Illuminati? Shadow People? Reptilianos? Eles não chegariam aos pés de uma boa tropa de Silvas. Sem chance.

Esta estória roda ao redor de um desses soldados sem nome ou motivo aparente para respirar. Não por ser Silva, mas por ser um dos desvanecidos de vontade própria que tanto conhecemos, e que em meio a isso também se chama Silva.

Onde eu estava mesmo? Acho que perdi momentaneamente o fio da meada.

No Abelardo.

Ou seria Gildo?

Claro.

Nem vale muito a pena perder tempo em assuntos menores.

Seguindo adiante.

Nossa história começa por um fim da semana operária, último dia de trabalho.

Vamos?

13 de Junho de 2022 às 13:59 6 Denunciar Insira Seguir história
4
Leia o próximo capítulo Capítulo dois

Comente algo

Publique!
Norberto Silva Norberto Silva
Eu simplesmente adorei essa apresentação daquele que pode, ou não, ser o protagonista dessa história. o modo como você o deixou detalhadamente genérico, por mais que essa afirmação seja contraditória, foi algo incrível! Tanto que, ao contrário do que fiz com a Joana Ninguém, vou ser obrigado a ver logo o próximo capítulo. Parabéns!
June 28, 2022, 01:33

  • Pensador Louco Pensador Louco
    Norberto, tem tanta gente falando sempre em anti heróis, quem diria que eu criei o primeiro anti protagonista, haha. Desculpe a demora em responder, agora estou tentando recuperar o tempo perdido. Espero de coração que goste. 4 weeks ago
Evaristo Ramos Evaristo Ramos
Começou bem, me deixou com a pulga atrás da orelha e curioso pra saber o que vem pela frente.
June 14, 2022, 03:05

  • Pensador Louco Pensador Louco
    Este foi, de longe, o escrito mais drogado que já fiz na vida. Pode largar de lado o ralo tecido da realidade, que isto aqui vai dar errado demais, haha. Brigadão. June 14, 2022, 11:46
Lanthys LionHeart Lanthys LionHeart
Muito bom, venho de uma temporada, lendo textos que praticamente seguem uma "ordem", um "cronograma", a gente começa a ler e embora sejam bons, já sabemos o que pode e o que não pode acontecer dentro deles... Essa sequência do capítulo 1, além de nos colocar em um cenário onde podemos identificar vários "Silvas" que existem em nossas vidas - alguns mais próximos do que esperávamos que estivessem - nos coloca em uma expectativa de não ter a mínima ideia do que vem pela frente e isso, instiga e incentiva a leitura! Parabéns pelo capítulo, gostei muito da leitura e fiquei curioso, sem falar na excelente narrativa que não nos deixa fixos em "agora vai acontecer tal coisa", isso foi a cereja do bolo, irei acompanhar com certeza!
June 13, 2022, 16:35

  • Pensador Louco Pensador Louco
    Muito obrigado, bróder. De coração. Espero que aprecie a noveleta. June 13, 2022, 19:46
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 11 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!