ace-ely-entj Ély Ribeiro

Em um mundo onde anjos e demônios são inimigos, Richard que é obrigado a fingir ser um anjo tem seu irmão morto e vai em busca de vingança, mas para isso acaba se juntando ao seu pior inimigo. – Por que você me odeia tanto? – Eu nunca disse que te odeio. ####### A família de Richard está morta, sua mãe se suicidou mas ele a odiava. Seu pai teve um acidente mas ele também o odiava. Um dos irmãos está em coma e o outro foi assassinado. Richard sempre reprimiu sua natureza vingativa pelo seu irmão mas agora ele quer vingança por tudo que fizeram com ele. Para isso ele se juntará ao seu completo oposto. Kolin é odiado pela sociedade. Ele é violento, bruto e constantemente toma atitudes pela força. Há poucas pessoas que ousam desafia-lo, Richard é uma delas. Desde criança Kolin tem uma certa obsessão por Richard pelo fato de ele ter começado a namorar a garota que ele gostava apenas por implicância. Com essa união eles tentam superar as diferenças e entender juntos o que é o amor, Richard escolhera a vingança, o amor ou os dois? História de minha autoria. Plágio é crime! Boa leitura.


Suspense/Mistério Todo o público.

#Amor
0
78 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Ataque ao instituto

Estava um verdadeiro caos, Marina estava deitada em um sono pacífico, Richard ficou perplexo ao ver que ele mesmo estava sem roupas com exceção das suas luvas negras.

Ele se vestiu rapidamente evitando as náuseas que lhe atingiram.

A garota dormia pacificamente como se nada no mundo há pudesse fazer mal, ela possuía os mesmos lábios repugnantes daquela mulher, com o arco do cupido bem acentuado.

Richard concentrou uma camada de energia na ponta de seus dedos afiando uma faca invisível.

Seria apenas um movimento e ela estaria morta, se a matasse seria um caminho sem volta, Richard sabia disso, mas ele não teria outra chance como essa.

Não poderia mata-la sem que seu irmão soubesse.

E elaborar um plano estava fora de questão, Rarlee via através de todas as suas ações, um passo em falso e seu irmão descobriria.

Richard estremeceu um pouco ao pensar no que Narlan — seu segundo irmão — faria se soubesse que ele planejava matar alguém, mas ainda posicionou a faca no pescoço da garota.

Apenas um movimento, tão fácil, tão simples. Sua pele macia seria cortada e a garota desprezível a sua frente nunca mais abriria os olhos.

No entanto ele não costumava ser impulsivo, na última vez que foi as coisas não acabaram bem, nunca acabavam bem.

Os ouvidos de Richard zumbiram e uma sirene soou em alto e bom som, ao invés de diminuir se tornava cada vez mais alto e estridente.

— Atenção todos, isso não é uma simulação, repetindo, isso não é uma simulação, a nossa instituição foi invadida, bestas estão por todas as partes em grandes quantidades, permaneçam calmos e sigam o protocolo de segurança, vão para os quartos mais próximos e vocês e selem os portões. — A voz grave soou em todos os cantos daquele lugar sempre tão silencioso.

Richard se afastou abruptamente da garota, e correu para os corredores, ele não se importava com sua própria segurança se seu irmão não estivesse seguro, ele tinha que encontrar Rarlee.

Mas assim que saiu ele viu que o lugar estava um verdadeiro caos, havia gritos por todas as partes, e sangue espalhado pelos pilares acinzentados.

Richard evitou os corpos mortos no chão, tentando ultrapassar o máximo de bestas possíveis, apesar de serem chamados de bestas, eles possuíam a forma de um humano, a diferença é que eles possuíam olhos negros que escorriam líquido da mesma cor.

Suas bocas eram também maiores e seus dentes possuíam pontas afiadas capazes de dilacerar qualquer carne que tivesse contato.

Richard evitou olhar naqueles olhos negros e ergueu uma barreira ao seu redor, ele não tinha vocação para lutar e também não perderia seu tempo com isso.

Ele havia ignorado algumas pessoas que imploraram por ajuda no caminho, não que ele fosse completamente insensível, ele simplesmente odiava todas e cada uma daquelas pessoas.

Bestas batiam de forma contínua em sua barreira desesperados para se saciar com a sua carne e beber do seu sangue.

Mas Richard fechou os olhos fingindo não os ver e aumentou os passos ao ver a quantidade de sangue nas paredes.

Uma mão agarrou a sua perna e ele quase lhe deu um chute no rosto mas quando olhou, notou que não era uma besta e sim uma pessoa que tinha seu peito sendo devorado por três bestas.

Richard reconheceu essa pessoa, esse homem era um amigo próximo de Marina — a garota desprezível com quem ele havia acordado — no passado esse amigo e Marina haviam espancado Kolin juntos.

Havia um grupo inteiro com eles, um grupo de jovens espancando uma criança de seis anos.

Ele se perguntou por um momento se Kolin, aquela pessoa que o odiava tanto havia sobrevivido, mas logo afastou esse pensamento.

— Por favor, me ajude, por favor. — A pessoa gritava em agonia.

Richard apenas o observou por um momento até que os gritos da pessoa se tornaram incessantes e as bestas por fim arrancaram seu coração do peito lhe dando uma enorme mordida.

Suas línguas viscosas brigando pelo sangue que escorria do órgão ainda batendo.

Ele sentiu seu estômago se revirar e se afastou da mão daquela pessoa, a partir dali um medo surgiu na mente de Richard, se um daqueles inúmeros corpos no chão era o seu irmão.

Com um pouco de hesitação ele continuou indo até o escritório de Rarlee mas dessa vez conferindo se os corpos no caminho não possuíam nenhuma das características do seu irmão.

Quando faltava apenas dois corredores mais alguém agarrou novamente o seu pé.

Inúmeras pessoas agarraram seu pé no caminho e ele havia ignorado, mas dessa vez por algum motivo ele decidiu olhar.

A pessoa em seus pés tinha a perna sendo devorada por uma besta, seu olhar estava repleto agonia mas ele ainda tentava demonstrar calma.

— Richard, o que você está fazendo aqui? Vá para um lugar seguro, rápido, o que o seu irmão pensaria se...

Carten parou de falar abruptamente, a besta lambendo e mordendo com mais vontade sua panturrilha.

Richard finalmente o reconheceu, esse homem havia lhe dado aulas depois que sua mãe morreu, ele foi uma das primeiras pessoas que conheceu que não possuía segundas intenções em suas ações.

Apesar de seus ensinamentos terem sido breves e eles não terem passado tanto tempo assim juntos.

Seu irmão era próximo de Carten, eles ficavam juntos as vezes, Richard não sabia se havia algo a mais, mas como o homem era próximo de seu irmão ele o investigou.

Depois de pesquisar seu passado ele deixou que Carten continuasse próximo de Rarlee e até passou a simpatizar um pouco com ele, embora sempre achasse que as atitudes do outro fossem tolas.

Isso só confirmava seus pensamentos, apesar de ter sua perna devorada o homem ainda não se preocupava consigo mesmo.

Richard olhou por um longo tempo até que finalmente tomou uma decisão.

Ele rompeu a própria barreira e lançou um ataque defensivo aos monstros a sua volta.

— Não, o que você está fazendo, se romper a barreira, não vai conseguir fazer outra em até duas horas. — Carten o repreendeu ofegante.

O efeito defensivo não duraria muito, então ele lançou uma adaga energizada no monstro que devorava a perna de Carten, sentindo grande parte da sua energia ser sugada.

Ele ignorou e agarrou Carten, o levando para o quarto mais próximo, após o jogar abruptamente lá dentro e trancar a porta com força sem dizer uma palavra Richard voltou para o seu caminho.

Mesmo se seu irmão estivesse vivo, ele ficaria triste se não sobrasse ao menos um amigo para ele conversar.

Com isso Richard voltou a correr chegando finalmente no escritório do seu irmão, ele havia lançado ataques pequenos para desviar das bestas no seu caminho, mas quando finalmente chegou ao corredor engoliu em seco.

A porta do escritório do seu irmão estava trancada firmemente mas havia mais de vinte bestas amontoadas na sua porta, ou eles brigavam por um cadáver muito saboroso ou havia algum farol que os atraia para a sala do seu irmão.

Assim que foi avistado cinco monstros correram desesperadamente em sua direção, suas garras afiadas esticadas para o estilhaçar e suas bocas abertas demais repletas de sangue.

Richard se esquivou e o atingiu com outra adaga de energia, o monstro caiu no chão enquanto se contorcia, mas os outros quatro ainda o seguia.

Por um momento ele pensou se deveria elaborar um plano, então uma ideia surgiu em sua mente.

Ele perfurou mais fundo a adaga no crânio da besta e a ergueu no ar a usando de escudo.

As bestas perfuraram as entranhas de sua mesma espécie e Richard aproveitou a oportunidade lançar a besta por entre suas pernas, dando uma rasteira na maioria deles.

Assim que atingiram o chão, Richard endureceu a energia no chão e os prendeu ali.

Por sorte havia atingido todos mas Richard ainda teria que andar entre eles para chegar a sala e suas forças já estavam esgotadas demais para isso.

Sem mais escolha enquanto sentia sua ansiedade aumentar, Richard pensou em um plano arriscado.


10 de Maio de 2022 às 18:35 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Meu irmão Rarlee

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!