naotohachioji12 Bruno Pereira dos Santos

Felipe é um adolescente tímido e super sincero em suas atitudes, seus sentimentos são uma bagunça, após um acidente sua memória ficou confusa e o seu medo de machucar as pessoas o fazia se afastar de todos, no seu aniversário de 16 anos ele resolveu conhecer o mundo, enfrentar seus medos, aprender a como ser sincero em seus sentimentos e realmente reencontrar a pessoa amada, será que ele realmente vai reencontra-la? embarque nesta aventura adolescente, com este adolescente carismático.


Ficção adolescente Todo o público. © Todos os direitos reservados Autor: Bruno Pereira dos Santos

#]
1
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo 01

Naquela fria e chuvosa manhã de segunda, Felipe levantara ainda sonolento e se espreguiçando gostosamente sentado na cama.
- acho que vou dormir mais um pouco. - pensava ele sozinho enquanto se levantava rumo ao banheiro.
- Que este dia seja lindo e cheio de novidades e muitas coisas boas aconteça. - disse ele enquanto se olhava no espelho ainda com cara de sono.
Tomou um banho bem quente e relaxante, se arrumou e foi em direção a sala pegou celular, bolsa e sombrinha e dirigiu-se a porta.
- Tchau mamãe, já estou indo para escola tenha um bom dia. - dizia Felipe todo feliz enquanto fechava a porta, caminhando todo contente na rua encontrou com sua amiga Luana, e seguiram rumo a escola caminhando e conversando, seu dia na escola foi perfeito se empenhou nos estudos fez a prova com muita atenção e no final do dia passou na casa da sua avó para visitá-la.
- Oi vovó, como foi o seu dia? Você está bem? - disse ele enquanto dava um forte e carinhoso abraço na sua avó.
- Oi meu neto, meu dia foi bom não sai para lugar algum, e só fiquei aqui fazendo crochê. - disse ela pegando o casaco de lã que tinha cosido para o neto.
- Que maravilha vovó fico feliz pela senhora estar muito bem. Disse ele voltando a abraçar ela.
- toma aqui meu neto, fiz este casaco de lã para você. - disse ela entregando o casaco ao neto que todo contente agradece a avó e veste o casaco.
Ele conversando com sua vó pegou seu telefone para tirar uma foto junto a ela e quando abriu a câmera do celular recebeu uma ligação de um número desconhecido atendeu meio receioso mais logo ficou feliz pois reconheceu a voz da pessoa do outro lado da linha, despedindo-se da sua avó seguiu rumo a sua casa, mais mudou seus planos e seguiu para a pracinha para o encontro de sua amiga de escola.
Naquela bela tarde ensolarada de primavera, onde as flores desabrochavam e mostravam seu delicioso cheiro perfumando os campos, parques e praças. Felipe apenas estava deitado na grama verde do parque para admirar aquela visão esplêndida e deixava as idéias fluírem.
- Porque será que a Luana fez aquilo? Tipo foi meio que me pegou de surpresa com aquele beijo e não devia ser uma confissão de amor porque somos amigos, mais e se for e eu não deixei ela terminar? Mais e se não for e eu to fazendo papel de bobo aqui, pensando nisso, será que ela gosta tanto de mim assim a ponto de me beijar, sem ao menos me explicar nada? - enquanto Felipe está imerso em seus pensamentos o telefone começa a tocar interrompendo o raciocínio e tirando ele do seu transe.
- Oi Felipe, sobre ontem me desculpa eu me deixei levar pelo sentimento e se você poder vir a pracinha para eu te explicar melhor eu vou agradecer. Disse Luana muito confiante na resposta de Felipe.
- Você vai tentar me beijar de novo sem antes me avisar? Porque da última vez você me pegou desprevenido e me beijou, fiquei até assustado e nem sabia o que eu iria fazer ou falar e saí correndo sem reação. - Disse Felipe relembrando a cena.
- Prometo que vamos só conversar. - Disse Luana com uma risadinha mal intencionada.
Felipe então deu tchau a sua amiga e se levantou da grama que estava deitado e se ajeitou tirando resquícios de grama ou terra em sua roupa e seguiu para a pracinha meio receioso pelo que ia acontecer e muito desconfiado da risada de Luana, eles antes de chegar a pracinha resolveu ir em casa se arrumar melhor para ir e quando Felipe terminou de se arrumar e estava prestes a sair sua mãe chega atrás dele.
- Aonde o senhor pensa que esta indo mocinho? Disse sua mãe dando leves cutucadas em seus ombros.
- Mamãe. Você esta tão bonita hoje, foi ao salão? Disse Felipe se virando e tentando mudar o assunto para não responder a pergunta de sua mãe.
- Não tente mudar de assunto Felipe, e me responda logo o que eu te perguntei. Disse Sandra Luiza com um tom de raiva.
- Está bem mamãe. Você venceu eu respondo eu estou indo ao parque visitar Luana.
- Você vai ver aquela menina que te beijou de novo? Disse Sandra Luiza espantada com a resposta.
- Mamãe como sabe disso? perguntou Felipe assustado com a pergunta da mãe.
- Ué você sonhando não parava de falar o nome dela e o que ela fez com você, mais mudando de assunto você já arrumou seu quarto? Respondeu Sandra Luiza.
- Já sim mamãe. Respondeu Felipe dando um imenso sorriso e seguindo rumo a porta novamente, foi barrado pelo seu pai que lhe pediu ajuda com as compras e quando terminou de ajudar seu pai já era noite, então ele decidiu sair a noite mesmo e naquela gelada e escura noite de domingo Felipe divertia-se caminhando pelas ruas rumo a pracinha, na queda de pequenas gotas de chuva ele olhara para o céu enchendo de nuvens e a Lua escondida entre nuvens perdia todo o seu brilho intenso, pensava consigo mesmo "hoje não verei seu lindo brilho mais ficarei feliz porque irei ver outra Lua tão bela quanto você." e sorrindo tirou o celular do bolso que insistia em tocar e vibrar em seu bolso.
- Oi Lua, já estou a caminho da pracinha, e sim estou ansioso para te ver novamente, estou com muitas saudades de você. - disse ele após atender a ligação de sua amiga de escola após uma pequena conversa, ele encerra a chamada e virando a rua ele guarda o celular e vai a pracinha se encontrar com sua amiga.
- Oi Lua, consegui chegar a pracinha que me disse mais é um pouco longe da minha casa se você já conhecia a minha casa porque não foi lá? - perguntou ele após ganhar um abraço surpresa de sua amiga.
- Eu queria te ver, mais fiquei meio envergonhada de ir na sua casa depois de tanto tempo que não nos vemos. - disse ela toda envergonhada abraçada a ele.
Felipe afastou se um pouco e admirou sua amiga, com um lindo e cacheado cabelo loiro até a altura da cintura, olhos azuis cintilantes, corpo de uma baixinha escultural.
- Você mudou muito em 8 anos que não nos vemos, parece até outra pessoa está muito diferente. - disse ele sentando-se no banco e convidando ela pra se sentar.
- Então! você sabe porque eu te trouxe até aqui? - perguntou ela segurando nas mãos de Felipe e olhando em seus olhos cor de um castanho bem clarinho, mordeu os lábios de ansiedade e receio pela resposta.
- Bem. Eu acredito que seja para matar a saudade pois há muitos anos não nos vemos. - disse ele meio aflito olhando para ela e para o chão, sua beleza era radiante e ele não conseguia encará-la por muito tempo e disfarçava seu nervosismo olhando para o chão, manteve se firme ali sentado naquele banco, mais seus pensamentos estavam longe querendo fugir dali, Luana olhando fixamente para ele chegou mais perto do seu rosto e cochichando em seu ouvido disse - bem é para isso também mais o real motivo é este. Disse ela chegando bem perto dos lábios dele e o beijando, ele assustado e sem reação deixou que sua amiga de infância roubasse seu primeiro beijo ali naquela pracinha, após o beijo manteve se calado sem reação e sem palavras e ela encarando ele passou a mão no rosto dele e puxando-o pelo queixo beijou mais uma vez, Felipe já assustado com tal atitude da amiga interrompe o beijo e se levantando meio ofegante e cambaleando vai embora sem olhar para trás ou dizer adeus a Luana que fica sentada no banco sem entender nada. Chegando em casa, Felipe sobe para seu quarto e se joga na cama lembrando do ocorrido de mais cedo e num acesso de vergonha afoga sua cabeça no traveseiro, mergulhado em seus pensamentos Felipe não nota a entrada da sua mãe que se senta na cama e com uma expressão séria e muito brava fica o encarando.
- Posso saber onde o senhor estava até esta hora mocinho? - disse ela passando a mão em seu cabelo e sentindo molhado.
- Mãe. Como você entrou aqui? Deveria ter batido na porta e se eu estivesse pelado? - Disse felipe se levantando e sentando na cama meio espantado.
- Ora mocinho, não me venha com desculpas já vi todo seu corpo e não tem nada ai que já não tenha visto antes, agora me responda a pergunta de uma vez. - disse ela em um tom meio sarcástica e séria ao mesmo tempo.
- Mãe! eu fui na casa da vovó, ganhei um belo casado dela e vim para casa ajudei o papai nas compras e fui na pracinha e encontrei minha amiga de infância a Luana então ficamos ali conversando só isso. Felipe escondeu de sua mãe o fato de Luana ter roubado seu primeiro beijo e ele ter fugido dela assustado com o ocorrido.
- Bem seja o que for que aconteceu, fico feliz por você voltar com vida e saúde, agora se levanta e vai tomar seu banho para jantar vai. Disse ela dando palmadas em suas costas para ele sair da cama.
- Tá bom mamãe. Já estou indo tomar banho. - deu um beijo em sua mãe e seguiu para o banheiro.
Naquela noite Felipe teve um sonho com sua melhor amiga ao qual deixou ele muito pensativo no que ocorreu naquela noite.
- Será mesmo que ela me beijou porque sente algo por mim ou só me beijou por beijar? Se bem que aquele foi meu primeiro beijo e o mais importante, e se, ela apenas me beijou para ganhar alguma aposta? O que eu vou fazer ou falar se ela sentir alguma coisa por mim? Nossa são tantas dúvidas eu fico aqui lotado em perguntas sem resposta. Pensava Felipe imerso novamente em seus pensamentos, ao passar das horas o dia ia amanhecendo e suas belezas ocultas iam se mostrando aos poucos, Felipe levantou da cama e seguiu rumo a janela abriu e admirou aquele belo amanhecer.

- Já que não consigo dormir o que farei? Não consigo parar de pensar naquele ocorrido são tantas perguntas que eu acho que vou enlouquecer o que eu faço Deus me ajude. Disse Felipe com as mãos sobre a cabeça, encostou sua cabeça no para-peito da janela e apenas ficou ali olhando aquele lindo amanhecer e suas belezas se mostrarem cada minuto mais bonitas e intensas, Felipe então rodou em seus calcanhares e seguiu e direção ao banheiro, olhando para o espelho notou olheiras em seu rosto e apenas deixou sua mente viajar novamente nas lembranças do beijo que Luana tinha lhe dado, tirou seu pijama e vestiu o uniforme escolar e desceu as escada para a sala de jantar para tomar café, sua alegria era iminente e a troca de olhares que seus pais trocavam, o deixou receioso de uma pergunta inconveniente, mais preferiu calar-se e apenas tomar seu café e seguir para a escola, beijou sua mãe e seu pai e seguiu a caminho da escola.

5 de Fevereiro de 2022 às 00:07 2 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capitulo 02

Comente algo

Publique!
Gustavo Penatieri Gustavo Penatieri
Olá, eu sou o cara que você conversou no ônibus. Essa história está me parecendo bem intrigante, algo me diz que todos sabem de algo mais que Felipe. Eu não sei não, mas creio que uma grande reviravolta vai ocorrer.

  • Bruno Pereira dos Santos Bruno Pereira dos Santos
    Obrigado por reservar um tempo pra ler. Bom eu vou dar um pequeno spoiler aí é Luana lilina e Estela tem um segredo em comum as três gostam dele e as três estão competindo tipo sem o Felipe saber para ver quem quem vai ficar com ele no final então a cada momento que se passa da vida do Felipe ele não se lembra de nada por causa do acidente mas a cada momento que se passa elas vão cada vez mais é uma postando mais elas vão ficando mais ousadas e quem o Felipe se apaixonar primeiro que vai ganhar aposta mas no final é um final bem fechadinho que eu não vou falar eu não vou te dar esse spoiler eu já te dei um resumo mas é só para você entender a ideia eu tentei passar a ideia de que todas guardam um segredo e que Felipe não sabe desse segredo que é a aposta delas eu não sou muito de rodeios já desenrola a história porque é uma história longa então eu não gosto de um de uma história muito longa por isso que os meus capítulos são pequenos e a história mais enxuta e isso que eu tô tentando passar no livro a história dele de uma forma diferente de um jeito diferente assim que todo mundo possa entender eu posso até achar um pouco engraçado seus comentários são muito bem-vindos e eu vou ler e você se eles forem edificantes eu vou usar na criação dos últimos capítulos muito obrigado tá pela sua consideração. 1 week ago
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 13 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!