aridnadoudement Aridna Doudement

Avye Jones, segue determinada em fazer mudanças, fazer o seu último ano valer a pena, porém, mesmo jogando toda a sua disciplina e vida correta, de anos, para o ar, ainda tem a sensação que a sua vida está certinha demais. Felizmente, ela sempre pode recorrer ao seu novo grupo integrado de amigos para proporcionar as melhores ideias e deixar os seus dias agitados, além de ter aulas de dança com o xodó da família Jones. Ten Chittaphon entrou em um limbo em relação aos seus sentimentos a respeito da sua vizinha, um tanto irritante quanto persuasiva até demais, fazendo com que as coisas mudem perigosamente, deixando as aulas um tortura para o seu lado indeciso e o seu coração que clama por Jones. As encrencas ainda continuam a chamar pelo Tailandês, em simultâneo, as mudanças que Jones está tentando pôr em prática começam a entrar em uma nova proporção, deixando tudo uma verdadeira confusão e propicia para as consequências entrarem em ação. Adeus Avye, desengonçada e olá futura dançarina de deixar os queixos no chão? O que mais a nossa Jones vai aprontar para dar mudanças nos seus últimos dias escolares? Ten vai ouvir o seu coração e sair dessa imensidão indecisa? Entre novas façanhas de Avye e as indecisões de Ten, ambos continuam a tentar entrar no ritmo. No entanto, até lá, não só corações ficarão em jogo, como amizades entrarão em prova, pois as consequências estão por vim.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#dreamcatcher #competição #sana #fanfiction #HUMOR #twice #chaeyoung #rosé #lisa #teen-fiction #dança #colegial #258 #taeil #ateez #yeosang #lucas #joy #hendery #kpop #johnny #irene #redvelvet #im #jungwoo #monstax #wayv #blackpink #nct #ten
1
739 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Todos amam a Avye Jones

[NOTA DA AUTORA]

Sejam bem-vindos a segunda parte/segundo livro de No Ritmo!

Obrigado por seu apoio e por aguardar essa continuação após algum tempinho sem postar.

Espero que gostem dessa nova aventura que vai se iniciar!

Boa leitura, pessoal!

...



O coração prestes a estalar
Me ame, me ame, me ame
Derramando esse eco
Me ame, me ame, me ame
Amor, me ame, me ame agora
Novamente me ame, me ame agora, sim.

Eu continuo pensando em você
Acidentalmente, há o seu cheiro no meu caminho
Eu te procuro de novo
A chuva caindo me leva a esse tempo
Em que a rua me presenteou com você
Agora sigo sozinho, não como um casal, sim, sim.

LOVE ME NOW - NCT 127.

............................................


O apelido de Hendrey seria Sunshine.

É impossível você não encara-lo e sentir instantaneamente, não só o mundo, como ele também, se iluminar.

Com certeza esse apelido é perfeito para ele.

Venho pensando em um apelido para Hwang desde que me acostumei de ser chamada de "Gatinha" em um tom carregado de entusiasmo em todas as vezes que nos encontrávamos pelos corredores, antes de receber um abraço caloroso do mesmo. Queria dá-lo um apelido também e mostra-lo, que a nossa amizade estava florescendo e sendo regada mutualmente, de forma genuína e mais linda possível.

Gatinha! – saúda Hendrey, me surpreendendo no corredor em direção ao refeitório, me abraçando apertado e nos balançando de um lado para o outro – estava morrendo de saudades de você.

–Oi Hendrey. – cumprimento de volta, retribuindo o abraço apertado e ampliando o meu sorriso, com a sua forma carinhosa de me saudar; sempre fico uma pilha de amor depois das suas saudações – nos vimos na segunda feira.

–Mas hoje já é sexta-feira! – reclama, fazendo uma feição injuriada e desolada, seu olhar arregala levemente quando se recobra de algo e vejo o seu semblante ficar preocupado – você evaporou essa semana, está muita atarefada? Lembrou de descansar e se hidratar? Está se alimentando direitinho?

– Eu estou bem, Hendrey. – tranquilizo-o, apertando em meus braços e inclinando de leve a cabeça para encara-lo melhor – faz muito tempo, né? – logo me vejo repetir suas palavras, com o olhar semicerrado – e você? Está descansando e se hidratando? Está se alimentando direitinho, Sunshine?

–Sim.... – concorda, balançando a cabeça veemência e suas madeixas escuras se movimentam adoravelmente, antes de parar abruptamente ao notar como o chamei, seus olhos brilham enquanto a áurea iluminada ressurgia, ao se certificar – Sunshine? Tenho um apelido só para mim?

–Gostou? – questiono-o, compartilhando com o entusiasmo, toda sorridente e ansiosa – eu pensei bastante e combina muito com você, você brilha como o sol e vejo tudo florescer quando está por perto.

–Eu amei. – responde, sorridente e todo agitado, Hwang volta a me puxar para outro abraçar apertado – temos apelidos, nossa amizade subiu mais um degrau, estou muito feliz.

–Eu também. – refuto, retribuindo o abraço, nos balançando de um lado para o outro.

–Vem almoçar com a gente. – convida, nos afastando de leve e conectando os nossos olhares – vamos matar a saudade zoando com Tennie.

Que tentador... – comento, fazendo suspense e pensando como seria um intervalo divertido.

–Isso foi um Sim? – certifica, ampliando o seu sorriso e ao ponto de saltitar enquanto me arrastava até o refeitório e para o lugar que eles estavam sentados hoje.

Hendrey teria feito todo o caminho saltitante comigo, se uma chega inesperada brotando do nada não tivesse pausado todos os seus planos.

A chegada do enciumado Kim Jungwoo.

–Nem por cima do meu cadáver. – profere Snoopy, brotando no lugar e nos separando ficando no nosso meio – fique longe da minha amiga, seu usurpador.

–Bom dia, Jungwoo. – saúda Hwang, caloroso e amigavelmente, estendendo a bandeira branca para um Kim arisco e contrariado.

Snoopy! – censuro-o, chocada e desacreditada, com a forma que Jungwoo está o tratando gratuitamente – Não fale assim com ele.

–Mal dia para você. – cumprimenta de volta, fazendo uma careta enquanto o encarava de cima a baixo, antes de desviar a sua atenção para mim e continuar a agir de forma malcriada – eu falo do jeito que eu quiser com esse usurpador.

–Vou fingir que você não está fazendo birra, Snoopy. – repreendo-o, fechando a cara e cruzando os braços.

–Ele quer roubar o meu lugar no seu coração, Avye. – choraminga, desmontando a sua pose malcriada e ficando com a feição desolada.

–Meu coração é igual de mãe. – tranquilizo-o, deixando os meus braços caírem rente ao corpo e o encarando com carinho – ele é enorme e cabe sempre muito amigos.

–Viu? – comenta Hendrey, cutucando o tigre com a vara curta e não perdendo a oportunidade – Aprende com a Gatinha o significado de compartilhar.

–Eu vou pegar meu teaser e te eletrocutar, isso sim. – resmunga Kim, voltando a ficar irredutível e arrisco.

Você tem um teaser?! – questionamos juntos, em puro choque e descrença.

–Para emergências, ganhei do meu avó depois do episódio do Lucas tentando se reconciliar comigo na fazenda. – explica, dando ombros e com a feição emburrada – Isso está quase se tornando uma emergência.

–Pode me eletrocutar. – provoca Hwang, dando ombros nada abalado com a ameaça do rapaz ao seu lado – Avye vai continuar sendo a minha BFF mesmo, temos uma amizade forte que chegou no degrau de apelidos.

–Não se você for para o além. – rebate, dando um sorriso malvado e começando a gostar da ideia.

–Eu volto para te atazanar. – implica, mostrando a língua pra ele e fazendo uma careta – só de implicância.

–Já chega vocês dois. – decreto, ficando no meio deles e os empurrando de leve para se afastarem.

Os seus olhares estavam quase faiscando, onde Hwang deixava evidente uma mistura de implicância e divertimento brilhar enquanto Kim deixava brilhar o seu desgosto e contrariedade a respeito da nossa amizade, os dois estavam brigando por algo tão sem sentido que eu estava tentando com muito custo manter a postura e não sucumbir a uma crise de risadas.

Snoopy estava sendo tão adverso a essa amizade, pois lá no fundo sentia que Hwang tem uma personalidade parecida demais com a sua e só esse fato estava o deixando, inseguro e se sentindo ameaçado a respeito da nossa amizade, ligando não o seu lado arisco, mas super protetor.

Não duvidava nada Kim usar o seu teaser depois de arrancar uns punhado dos cabelos negros do Hendrey.

Todavia, eu deixo uma ideia interessante começar a se formar na minha cabeça na mesma proporção que um sorriso cresce nos meus lábios em total aprovação a essa proposta feita pelos meus pensamentos.

Uma confraternização entre os dois grupos poderiam reder muitos furtos, onde ambos poderiam se conhecer melhor no meio que se sentem confortáveis enquanto ao todo uma barreira entre "populares" e os "tesouros das atividades extracurriculares" poderiam ser desmoralizada com um interação animada em um intervalo, se tudo der certo em muitos outros intervalos.

Conversas e comida são sempre os pilares de estabelecer grande recomeços e novos conceitos.

Essa ideia é perfeita.

–Quer saber, tive uma ideia. – anuncio, quebrando o contato visual faiscante dos dois e chamando suas respectivas atenções para mim – vamos almoçar todos juntos, os dois grupos.

–Isso é uma péssima ideia. – profere Kim, de imediato e contra a ideia, balançando a cabeça em negativo enquanto cruza os braços – Escute a voz da sabedoria, eu.

–É uma ideia fantástica, Gatinha. – pronuncia, animado e aprovando total a ideia, ao contrário de Snoopy que revira os olhos com o jeito espalhafatoso do outro – Assim todos nós podemos nos conhecer e confraternizar.

–Exatamente! – concordo, tendo essa conexão de pensamentos com o rapaz e sentindo o meu entusiasmo sendo compartilhado, desvio a minha atenção para o emburrado ao nosso lado e faço uma feição meiga para ele enquanto peço com jeitinho para amolecer o seu coração – por favorzinho, Snoopy.

–Ainda sou contra. – profere irredutível, desviando a sua atenção para as unhas e não me dar atenção.

–Eu deixo você contar os seus planejamentos do casamento ATen no intervalo. – proponho, recebendo o seu olhar a favor dessa proposta instantaneamente e aceitando pôr fim a minha ideia para o intervalo de hoje – e eu ajudo dando indiretas para o seu casamento com o Lucas.

–Agora falamos a mesma língua. – concorda Kim, de imediato e ansioso, com um sorriso arteiro.

Com a aprovação dos dois, Snoopy manda mensagem para o nosso grupo enquanto retomávamos a caminhar rumo ao refeitório, fico no meio dos dois e engato os nossos braços empolgada com a minha expectativa sendo criada para o intervalo.

–Posso sentar ao seu lado? – pede Hwang, de maneira meiga e animada, assinto em concordância e amplio o meu sorriso – Minha melhor amiga é perfeita.

–Pare de monopolizar a Avye, Hendrey – resmunga Kim, ainda atento ao celular e sua digitação rápida.

–Por que eu sinto que vocês vão virar melhores amigos depois desse intervalo? – profiro, com pergunta retorica e totalmente humorada, recebendo olhares dos dois não tão crentes nessa possibilidade.

Também não exagera. – ambos murmuram juntos, me fazendo rir de leve.

Mal estávamos no refeitório e já tinha feito ambos discordarem de algo, com certeza eles serão grandes amigos.

Ao entramos no local, somos recebidos pelo cheiro maravilhoso de comida quentinha e a nossa espera ao mesmo tempo por olhares confusos e curiosos das pessoas presentes no ambiente. Hendrey nos puxa com a força da sua fome em direção a fila, pelo caminho pega as nossas bandejas na pilha e as distribui quando começa a se aproximar das nossas vezes para escolher o nosso almoço.

Kim nos informa que o pessoal está nos esperando perto do caixa para irmos juntos a mesa do Tennie e sua companhia. Deixo ambos irem na minha frente e os observo se ajudando genuinamente com as escolhas dos lanches, as caretas de Jungwoo me fazem rir, por estar concordando vezes demais com os gostos de Hwang,

Assim que passamos no caixa, cumprimento o pessoal enquanto apresento Hendrey para eles devidamente. No caminho até a mesa da turminha do Tennie, Im e Chaeyoung não perdem a oportunidade de implicar com Snoopy ao mesmo tempo que Joy se vangloria por não se deixar bater por essas trivialidades e fica feliz por mais um na turminha, Irene rir enquanto Yeosang colocava mais pilha entre os dois, Lucas ficava com a parte de conter o Kim e dar atenção para o mesmo, que se derretia e esquecia os demais.

–Pessoal, olha quem vai almoçar com a gente e trouxe a turminha divertida junto? – anuncia Hwang, destrinchando o pessoal recém chegado aos lugares na mesa enquanto recebia a atenção dos demais já estabelecidos.

Percebo a falta de Sana e Lisa na mesa instantaneamente, pois Yuta estava meio cabisbaixo e dividindo uma quantidade muito grande de chocolate com um Ten distraído no celular e Johnny um pouco agitado por conta do doce. Seo acena de forma incessante para mim já dando um espaço para que eu me sente, esbanjado um sorriso meigo e eu retribuo com amorosidade.

Sorrisos amigáveis são esbanjados enquanto observava o meu grupo se estabelecerem e começar a interagir, com cumprimentos animados e o começo de conversas paralelas entre si, sorriu feliz e caminho com Hendrey até Ten, onde sento ao seu lado e Sunshine ao meu, fazendo Johnny se relocar na cadeira vazia ao seu lado fazendo uma feição tristonha resmungando um "Hendrey mal".

–Por que o Yuta está cabisbaixo assim? – questiono, para me certificar aos sussurros para Tennie ao meu lado, que trava a tela do celular e desvia sua atenção para o amigo antes de encontrar o meu olhar, apoiando o cotovelo na mesa e descansando o rosto no punho.

–Sana ficou na biblioteca fazendo o trabalho bimestral de química com a Jihyo, Nayeon e a Jeongyeon. – conta, me observando almoçar todo atencioso e esquecendo as mensagens no celular – Yuta está preocupado com a alimentação da namorada e essas coisas.

Chittaphon estala os dedos para chamar a atenção do Hendrey, que estava prestando atenção na conversa dos meninos do grupo sobre os jogos e a temporada que estava iniciando, o rapaz o encara atento esperando as palavras do amigo com uma feição meio confusa.

– Vamos animar o Japonês. – pede, manejando a cabeça de leve para o dito cujo no outro lado da mesa – o que tem no seu repertorio de assuntos para distrair o Nakamoto?

– Posso contar do meu apelido novo para eles? – pergunta Hwang, me pedindo permissão para contar o motivo da sua animação anterior.

Eu assinto em concordância um pouco tímida com o pedido, porém, humorada com o olhar mesclado de Tennie para nós é impagável, me fazendo sorri internamente com a sua transparência. Com a minha permissão– no qual nem precisava– Hendrey estala os dedos pedindo atenção e sorri adoravelmente, quando todo o foco está em si.

–Pessoal, hoje é um dia importante na minha amizade maravilhosa com Gatinha. – anuncia, unido as mãos e esbanjando um sorriso meigo ao encostar sua bochecha no meu ombro – eu ganhei meu apelido de amizade, sou o Sunshine da Avye, porque brilho como o sol diante dos seus olhos.

–Que brega. – caço-a Rose, com um sorriso zombeirão em provocação clara a Hwang, que amua os lábios e a encara com os olhos semicerrados.

–Estamos falando do Hendrey. – continua Taeil, recebendo o mesmo olhar do receptor da novidade, fazendo o restante rir – ele consegue ser pior que o Yuta na Breguice.

–Príncipe Takoyaki está chateado com você, cara. – repreende Nakamoto, balançando a cabeça de leve em falsa negação e decepção, começando a se distrair com a conversa e ficando mais leve.

–Falar de você na terceira pessoa só piora mais as coisas. – graceja John, continuando com a zoação e fazendo Yuta voltar para os chocolates enquanto lança olhares mortais para os seus amigos.

–Seu apelido na mesa é Príncipe Takoyaki? – questiona Joy, com curiosidade, se inclinando sobre a mesa para encará-lo melhor.

–É, porém, não com um bom significado que eu pudesse me gabar como o Hendrey. – conta, meio desgostoso e contrariado.

–Takoyaki é uma comida tradicional japonesa. – conta Rose, puxando a história por trás do apelido enquanto os demais se atentam.

–Yuta é japonês nato e é péssimo em fazer Takoyaki. – continua Taeil – o seu apelido é um lembrete dessa verdade.

–Fim da história. – conclui Tennie, sorridente.

Plus da história. – incrementa Hendrey, chamando a atenção para si – Taeil é melhor fazendo Takoyaki do que o Yuta.

–Acho que eles já entenderam, seus engraçadinhos. – resmunga Yuta, para os seus amigos cheio de risadinhas – eu vou melhorar na cozinha, vocês vão ver.

–Tadinha da Sana. – comenta Rose com pesar, fazendo o Nakamoto estalar a língua ao céu da boca e se abster de responde-la de forma malcriada – com certeza você vai fazer ela de cobaia.

–A gente te ama, Yu. – graceja John, todo amoroso e atencioso com o amigo.

Seo manda um coração no ar para o Nakamoto, no qual corta o coração no meio e joga no chão com um sorriso maldoso sendo esbanjado nos lábios, recebendo um semblante chocado do grandão e risada dos demais.

Yu. – comento, baixinho e pensativa, mas para mim do que para os demais, porém, Yuta ergue o olhar ao escutar o meu comentário – Gostei de Yu.

–Você pode me chamar assim se quiser, Avye. – prefere, de forma doce e gentil para mim, mudando abruptamente seu jeito ao falar comigo, recebendo uma cara incrédula de Johnny sentado ao lado de Hendrey, causando mais uma onda de risadas na mesa.

–John parece bem carente hoje. – comenta Lucas, rindo do amigo que tem os seus sentimentos negados pela mesa.

– Oh, tadinho dele. – caço-a Hwang, apertando de leve a bochechas do grandão sentando ao seu lado – quer sentar ao lado da Avye?

–Que pergunta perigosa, Hwang. – comenta Chang, com o olhar enigmático e humorado, fazendo Irene e Joy soltarem risadinhas enquanto eu o encaro com o meu pior olhar ao dar uma garfada do meu almoço.

–Eu quero. – responde, com o olhar pidão e um sorriso esperançoso, não me fazendo engasgar como o Tennie também com o chocolate dele ao meu lado.

–Vai ficar querendo, porque eu vou te dar carinho hoje. – graceja, com um sorriso divertido e recebendo uma careta desolada de Seo, fazendo os demais riem dos dois – Quer que eu leve a comida estilo aviãozinho até a sua boca, Johnny Boy?

–Que cena. – comenta Moon, aos pedidos para a garota ao seu lado que já saca o celular do bolso – Rose grave.

–Ah, agora eu quero um apelido também. – pede Ten, com o olhar pidão para mim e se inclinando na minha direção enquanto pisca os olhos de forma lenta e fofa, pego o guardanapo e limpo os cantos da sua boca sujas de chocolate.

–Tennie já é um apelido. – lembra Snoopy, respondendo no meu lugar e parando de furtar o lanche do Moon ao seu lado, para esbanjar um sorriso amplo e deixando os seus olhos brilharem com o momento ATen gratuito, logo solta um comentário que nos faz congelar e quase engasgar com o ar – pode até ser o nome para o segundo filho de vocês, olha só.

Snoopy! – exclamamos juntos, nos recuperando do engasgo enquanto o encaramos pasmos.

–Segundo? – questiona Moon, chocado e surpreso, gostando do caminho da conversa.

–Dez é o primeiro filho deles. – conta Seo no nosso lugar, fazendo todos o encararem em surpresa – eu passeio com ele aos domingos, sou quase o padrinho.

–Se o Ten não agilizar logo, vai virar o padrasto. – ouço Moon, murmurar de forma despretensiosa, recebendo um olhar matador do Chittaphon enquanto o mesmo ergue sua faca na direção do amigo de maneira ameaçadora.

–Lucas já conheceu o Unicórnio? – indago-o, como não se fosse nada demais, mas com todas as intenções do mundo.

– Vou conhecer no final de semana com o Jungwoo. – responde, esbanjando um sorriso genuíno e animado, recebendo um sorriso abobalhado de Kim – senhor Kim disse que vai chegar mais um pônei lá que será amiguinho dele e estávamos pensando em nomeá-lo juntos.

–Um dia ainda vou ter diabetes por conta de tanto amor contido em uma mesa de refeitório. – comenta Joy, recebendo um aceno positivo de Moon que finge ter calafrios.

–Então eu tenho um apelido desde sempre. – conta Tennie, retomando o assunto ao processar a informação, com olhar vitorioso e um sorriso enorme, batendo palminhas e balançando a cabeça de leve mexendo as suas madeixas de maneira fofa – Tomem essa.

–Quando isso virou uma competição mesmo? – questiona Chae, de forma retorica e zombeira.

–Larga de ser chata, Chae. – resmunga Tennie, semicerrando o olhar para ela – deixa eu ficar feliz com o meu apelido.

–Tennie e seu lado competitivo, não é uma novidade. – comenta Im, dando ombros.

–Ele tem que ser periodicamente lembrado disso. – caço-a Yeosang, fazendo os demais rirem.

–Isso, vamos nos juntar e tirar uma com a cara do Ten. – profere Chittaphon, aos resmungos e injuriado.

–É praticamente o motivo principal de sentar nessa mesa todos os dias. – graceja Hendrey, não perdendo a oportunidade, fazendo um hi-five com Yuta e um Johnny risonho.

–Eu tenho um apelido? – questiona Johnny, com curiosidade, inclinando o seu corpo para trás e abaixando a cabeça de Hendrey contra a mesa para me encarar melhor.

–Tem. – conto, engolindo em seco e sentindo o meu rubor começar, fazendo-me desviar o olhar para um ponto qualquer – Mas não posso dizer.

Por que? – questiona Johnny, Yuta, Ten e Hendrey ao mesmo tempo, me encarando.

–Tem história por trás. – comenta Irene, com um sorriso ladino e olhar provocativo.

O seu comentário faz com que todos me encarem em expectativa e demasiado interesse em saber não só o apelido como também a história por trás. San, Chae e Joy dão umas risadinhas enquanto Chang murmura "se ferrou", eu arregalo os olhos para Bae e peço silenciosamente para que ela não diga nada.

Contudo, a atenção voltada para mim logo é redirecionada aos garotos que se aproximam e param diante a nossa mesa. Jeong Yunho, Na Jaemin, Choi Soobin e Xiao Dejun nos encaram amistosamente e cumprimentam os demais de forma amigável – meu coração fica quentinho com o animado "oi Noona" vindo de Choi junto com um aceno empolgado –, os sentados na mesa cumprimentam de volta e os encaram cheios de curiosidade.

Yunho estava com um envelope nas suas mãos, segurando-as como se fosse algo precioso; Xiaojun, Soobin e Jaemin tinham câmeras com as guias passando os seus pescoços enquanto seguravam uma folha avulsa em uma das suas mãos.

–Yunho, se você veio me mostrar de novo as suas fotos tiradas pela escola. – profere San, de forma firme e irredutível, já deduzindo a presença do amigo no memento – pode voltar para a sua mesa.

–Você nem as viu e já decretou que elas estão horríveis! – exclama Jeong, exasperado e tristonho para o amigo, erguendo os braços – nem me deu uma chance!

–Quantas vezes eu tenho que te dizer que fotografia não é para você? – rebate Kang, de forma dura e nada maleável – Yunho, procure alguma atividade que você produza e não uma que não tem tato nenhum.

–Por isso eu estou aqui. – profere, decidido e firme, balançando de leve o envelope em uma das suas mãos e gesticulando com a mão livre para os meninos – trouxe três novos integrantes para o grupo de fotografia, mas eles só vão entrar quando você ver as fotos contidas nesse envelope.

–Fotografia, Jun? – questiono-o alegre, apoiando os meus cotovelos sobre a mesa e descansando o meu queixo nos meus punhos unidos.

–Sim, acho que estamos quites com as novidades. – comenta humorado, ampliando o seu sorriso e conectando o seu olhar comigo.

– Contou sobre as aulas de dança para o Dejun?– questiona Ten, torcendo o nariz e fechando a cara encucado.

– Contei.– respondo-o, com um sorriso amplo e empolgado, antes de retomar a minha atenção para o Dejun, peço amigavelmente– Depois você me mostrar algumas fotos tiradas por você?

– Claro. – concorda, meigo e timidamente, com um sorriso fofo.

Suspeito demais...– ouço Tennie murmura ao meu lado, mesclando o olhar para nós dois.

–Ah, Xiaojun! – exclama Soobin, batendo de leve no ombro do mais velho que o encarar com um certo custo, ao se recordar de algo – conta a novidade dos doces para a Noona.

–Ah, minha avó queria mostrar algumas outras lojas das amigas dela para nos patrocinar com os doces. – conta, batendo as mãos de leve ao se recordar também, antes de me convidar meio sem jeito e ficando com as bochechas um pouco rosadas – você quer ir comigo e os meninos para ver as lojas nesse final de semana?

–Eu adoraria. – aceito, com os olhos brilhando ao recordar do paraíso de doces que foi no final de semana na casa dos avós do Xiao, sorriu suavemente.

–Meu casal. – comenta Choi, de forma zombeira, mesclando o olhar radiante para nós.

Casal? – questiona a maioria em conjunto, nos encarando.

–Xiaojun e a Avye namoraram por um final de semana. – conta Chae, rapidamente, como se tivesse tirando um peso das suas costas de compartilhadora em primeira instancia de Kang.

O que? – questionam todos juntos, arregalando os olhos.

Chaeyoung! – arfo, com os olhos esbugalhados e sentindo minhas bochechas queimarem de vergonha.

Desvio o meu olhar para o chão ficando envergonhada de encarar o Xiaojun que parecia estar envergonhado de me colocar em uma situação dessas por conta das brincadeiras da sua avó em conjunto com os meninos, que alcançaram proporções maiores do que ele poderia imaginar.

–Eu necessitava contar para alguém. – Chae se justifica, erguendo as mãos em redenção – Essa bomba do Kang eu não poderia guardar para mim.

–Teve beijinhos? – questiona-a Kim, com preocupação e aflição.

Não! – exclamamos juntos, abanando as mãos.

–Então não foi nada sério. – comenta Kim, mais aliviado e calmo, voltando a ficar mais relaxado na sua cadeira – Ainda está tudo certo com o meu ATen.

–Foi só uma brincadeira interna nos dias. – explica San, tentando apagar o mal entendido da cabeça dos presentes.

–Dias? – balbucia Tennie, com o cenho franzido e fazendo uma careta.

–É, foram dois dias. – explica Hendrey, o obvio para um Tennie perdido na informação.

–Yunho, é melhor você retomar a conversa – pede Jaemin, vendo a situação caminhar em linhas perigosas para Dejun – porque acho que o Xiaojun está em um perigo em potencial.

–Logico. – comenta Lucas, com um sorriso pequeno e dando de ombros – Xiaojun está ameaçando os outros dois potenciais namorados da Jones, então certamente ele está em apuros.

–Lucas fica quietinho. – pede Yuta, juntando as mãos em preces e mandando um olhar de aviso – não piore a situação.

–Então, San? – retoma Yunho, voltando a conversa para o proposito que ele estava ali com os meninos – Vai ver as minhas fotos e ter novos integrantes ou nada?

–Chantagem, Yunho? – retruca San, pasmo e desacreditado com a artimanha do amigo, soltando uma risada forçada.

–Não é lá uma novidade vindo do Yunho. – comento, deixando escapar as palavras pela minha boca, não conseguindo me manter quieta sobre a situação, antes de bebericar o meu suco, chamando a atenção de ambos para mim – convenhamos.

Já estava queimada na mesa, um comentário a mais não faria diferença.

Foi o que eu pensei, antes de me arrepender profundamente.

–Vejo que finalmente reivindicou o seu lugar entre os populares, Avye. – comenta Yunho, parando o seu olhar em mim e esquecendo o seu proposito por alguns segundos – e conseguiu juntar dois grupos distintos em uma única mesa, parabéns pela proeza, Jones.

– Você precisa fazer comentários desnecessários enquanto volta a mesma mania de me reduzir, a status e rótulos. – retruco, com sarcasmo e sem paciência, esbanjo um sorriso falso e já começo a batucar com os meus pés no chão para descontar o meu estresse crescente – felizmente, não me importo com o que você acha e o que fala, não mais, Yunho.

–Você mudou, Avye. – profere, com o olhar nublado cheio de nostalgia e provocação, esbanjando um sorriso pequeno e pretencioso, fazendo os olhares alheios desviarem de um para o outro como se tivesse em um jogo de tênis – mas não o bastante para os meus comentários terem efeitos em você, pois ainda continuo te estressando mais rápido que um piscar de olhos.

Paro de batucar com o pé enquanto o nosso olhar permanece conectado por um certo tempo até eu quebrar o contato visual, voltando a minha atenção para a minha comida e tentando apagar todos emaranhado de lembranças que ressuscitaram após tantos anos enterrando com toda a determinação do mundo, por conta de uma simples troca de olhares.

Eu odeio o Jeong Yunho e todas as minhas memorias com ele.

– Nossa, que tensão papável entre vocês dois. – comenta Hendrey, fingindo cortar a tensão com os dedos enquanto mesclava o olhar entre nós – vamos cortar.

–Vocês não parecem se dar bem.... – aponta Rose, com curiosidade crescente enquanto apontava para nós, deixando a sua frase no ar em uma tentativa de obter alguma informação – vocês parecem ter um passado...

–Eles são ex-namorados. – conta Tennie, dando de ombros.

Chitta! – exclamo, repreendendo-o instantaneamente, olhando para ele de relance.

–O que? – retruca, na defensiva e me encarando com os olhos levemente arregalados – É verdade!

–Bocudo. – resmungo, fechando a cara.

–Essa informação explica muita coisa agora. – comenta Hwang, divagando e balançando a cabeça na medida que compreende a informação.

O que vocês são ex-namorados?! – exclama Taeil, chocado e de forma espalhafatosa, praticamente berrando lá da ponta da mesa saindo de seu estilo quietinho e observador – hoje essa mesa está muito reveladora e meu processamento está lento.

Moon praticamente dá a volta na mesa e fica no espaço entre o Sunshine e eu, Ten revira os olhos com a forma exagerada do amigo que apontava para o Yunho e para mim, várias vezes antes de arfar um "como assim?".

–Nossa, Taeil berra mais. – Ironiza Rose, fazendo uma careta – acho que a lanchonete do outro lado da rua não escutou.

–Desculpe, Rose. É que bem.... Quando? Como? Minha cabeça está explodindo. – se defende, incorporando um rapper enquanto se explicava, gesticulando as mãos como se sua cabeça estivesse explodindo, percebo Jeong ficando inquieto – eles se odeiam tanto, que uau, eu sou observador, mas vocês estão de parabéns.

–Yunho e Avye namoraram no fundamental dois. – Joy começa a contar, respondendo os questionamentos não só do Taeil, mas do restante da mesa – mais terminaram na metade do primeiro ano do ensino médio.

–Por isso quase ninguém que não fez o fundamental conosco sabe desse relacionamento. – Chae pega a deixa para continuar – Só a parte que eles se odeiam e um certo motivo por trás.

–Ele foi o meu motivo de parar de shippar meu ATen por um certo tempo. – continua Kim, de forma desgostosa e contrariada – porque eles eram bonitinho juntos e todo o glitter do mundo.

–Então Yunho fez o favor de ser um egoísta babaca com a Avye e ambos terminaram. – conclui Chang, torcendo o nariz e tentando não deixar seu lado amigo ficar revoltado com o passado.

–Yunho não admite mais ainda é louquinho pela Avye. – caço-a San, não perdendo a oportunidade, dando ombros; Yeosang sempre foi o maior torcedor do nosso relacionamento no passado até descobrir todo o ocorrido recentemente – porém, não é mais um lance reciproco.

–Estou tentando melhorar com o tempo. – Jeong se defende, dando ombros – mesmo com as novas implicâncias somos amigos.

–Também não força, cara. – intercede Chittaphon, erguendo um olhar sério e nada amigável para o rapaz em pé próximo a ele, trincando o maxilar.

–Vou ver suas fotos. – Kang se prontifica – vamos.

Observo Yeosang se levantar do seu lugar e dando uma corridinha para alcançar o amigo em pé do outro lado da mesa com os novos membros do clube de fotografia, vejo-o empurrar de leve o amigo que encarava a altura um Chittaphon com as mãos fechadas em punho pronto para recorrer a outras vias.

Tennie estava tomando as minhas dores de novo.

– Vamos, antes que o Tennie lembre a sua aversão com a sua pessoa e quebre o seu nariz de novo. – ouço-o murmurar, em tom de aviso para o altão que não estava arredando o pé do lugar, mas começou a se movimentar após o apelo do amigo.

Os meninos se despedem rapidamente de nós antes de seguir os dois para longe da mesa, observo-os se afastando e tento esquecer o peso que meu coração estava começando a ficar, odeio esse sentimento.

Na verdade, na época quem quebrou o nariz dele foi a Lin fula da vida com ele, porém, quem levou o credito por conta da sua super proteção pelos corredores da escola foi o Tennie, pois Lin tinha ido para faculdade tempo depois do ocorrido e o olhar mortal dos Chittaphon deixava qualquer um com medo.

Meu namoro com Yunho foi bem reduzido e via que meus amigos deixaram muito por fora para me proteger dos meus próprios pensamentos ao contar sobre esse passado em especifico. Jeong foi o primeiro em tudo na minha vida – desde o meu primeiro relacionamento até a minha primeira vez –, mas a traição dele por conta da sua ambição mesmo nós sendo tão jovens e espirituosos... Fez-me ser arisca por muito tempo antes de abrir o meu coração para as pessoas de novo e não quero repetir o mesmo erro.

Seguro o punho de Tennie com carinho e vejo-o relaxar as mãos capturando as minhas entre as suas, em conforto. Seu semblante suaviza e seu olhar se encontra com o meu, abrindo um sorriso tranquilizante e eu retribuo.

–Eu estou de cara no chão. – comenta Taeil, já sentadinho no espaço entre Hendrey e eu, comendo os brócolis do amigo, porque ele tinha terminado as batatas primeiro.

–Nunca ouviu dizer que a linha que divide o amor e o ódio é tão tênue que quase não há divisão? – Indaga Johnny, todo sabichão e cheio de citações, tomando toda atenção da mesa para si – sinceramente, não me surpreende, apenas confirmar as coisas.

–Lá vem o Johnny com seu QI sem limites. – zomba Moon, revirando os olhos e encarando as nossas mãos unidas debaixo da mesa, abrindo um sorriso enigmático.

–Você que é ingênuo demais em certas situações, Moon. – retruca John, dando ombros não se deixando se abater enquanto come o restante do seu almoço.

–Por isso que shippo o Ten com a Avye, essa implicância toda.... – comenta Hendrey, de forma pensativa e encucada, fazendo nós dois soltarmos as mãos e fazer cara de paisagem – Tem caroço gigante nesse angu.

–Que aleatório, Hendrey. – profere Ten, no automático e tentando apagar essas ideias do amigo, antes de tomar todo o seu suco – Pare de distorcer as coisas, Avye é como uma....

–Se você completar da maneira que eu estou supondo, eu não vou só dar um play em um vídeo bem comprometedor de um dia que não só rolou as fotos no grupo de amigos, como também um vídeo. – Taeil ameaça-o, interrompendo a sua frase e apontando o garfo tirado do prato de Hwang para o rapaz sentado na ponta da mesa – como também vou mandar para a própria Avye.

–Você gravou? – balbucia Tennie, arregalando os olhos e sentindo em apuros.

–Que vídeo? – indago, cheia de curiosidade e gostando de saber desse fato, mesclando o meu olhar com os dois.

–Você gravou ele naquele dia que mandou as fotos no grupo? – questiona Yuta, risonho e orgulhoso da esperteza de Moon.

–Que fotos? – questiono-os, querendo saber mais e não ficar de fora, percebo os ouvidos atentos de Kim na conversa e um sorriso suspeito crescendo em seus lábios.

–Taeil, eu só ia dizer que a Avye é a minha melhor amiga. – explica Chittaphon, erguendo as mãos em rendição e encarando o amigo em suplica.

–Ótimo saber. – comenta Taeil, com o olhar semicerrado para o amigo.

–Ah, melhores amigos também podem fazer cores. – comenta Kim, não perdendo oportunidade e esbanjando um sorriso amplo.

–Você quer mesmo entrar nesse detalhe, Snoopy? – pontua Tennie, de imediato, erguendo uma das sobrancelhas.

– Você consegue desviar de tudo com tanta maestria, Ten. – graceja Rose, espertamente, fazendo os demais assenti e encurralar o Chittaphon – Que quase dribla todo mundo.

– Você ainda vai ter muita dor de cabeça com as suas palavras e afirmações, Chittaphon. – concorda Nakamoto, todo enigmático.

–Taeil, olha o que você desencadeou. – resmunga Ten, carrancudo.

–Ah, me tira dessa. – profere sagaz, com a atenção no seu celular que mexia habilidosamente.

–Taeil, como sempre sabe de algo. – comenta John, curioso e cheio de suposições, fazendo os demais o encararem – desembucha.

–Eu sou um túmulo. – pronuncia Moon, terminando de mexer no celular e voltando a dar atenção para o pessoal da mesa ao mesmo tempo sinto o meu celular vibrar varias vezes com chegada de mensagens – Porém, nesse requisito eu não fico quieto, Jones depois veja as minhas mensagens.

Taeil! – exclama Ten, horrorizado e ficando mais branco que papel.

–Minha hipótese tem base e confirmação subtendida do mais velho. – conclui Hendrey, com um sorriso enorme e olhar brilhante – questão de tempo até acontecer.

–Hwang, você é ATen? – questiona Jungwoo, maravilhado e amigável, se debruçando na mesa de forma adorável.

–Como não shippar um clichê ao vivo e em cores? – rebate, compactuando com o brilho nos olhos de Snoopy.

Observo em silencio a cumplicidade e o florescer de uma nova amizade com objetivos em comum entre os dois, eu não poderia dizer se esse ponto era bom ou ruim, porém, estava amando.

No fim das contas, eu estava certa sobre esses dois.

–É, Avye, no final você estava certa. – profere Kim, se levantando da mesa e sendo acompanhado por Wong ao mesmo tempo que ressoa o sinal avisando o fim do intervalo – Hendrey e eu seremos ótimos amigos.

30 de Novembro de 2021 às 00:50 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo O apelido cheio de história e as novas instruções de dança.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 24 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!