baebs_baebs B. Wanarant

Se me perguntassem como exatamente tudo começou, eu não saberia o que dizer. Apenas pensei por um momento em colocar Hans na minha confusão pessoal com a minha família. Não queria impressionar ninguém, não queria sair por cima da situação. Tudo que queria naquele mês era uma trégua, que todos me deixassem em paz por mais algum tempo antes de retornarem a cobrar de mim casamento e filhos. No final não foi para nós dois uma boa ideia aquela aproximação. A nossa mentira.


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#ceo #258 #melhoramigo #namoradodealuguel
0
591 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Fitei a fumaça que saía da caneca em minhas mãos; suspirei a trazendo para próximo da boca e senti o calor abraçar meu rosto. Fechei os olhos por alguns segundos deixando minha mente vagar rumo ao nada.

Ouvi as batidinhas na madeira da porta.

— O que anda te preocupando, princesa?

Levantei o olhar encontrando o homem alto na soleira encostado ao batente; a camisa branca de tecido leve estava com os dois primeiros botões desabotoados — permitido ver parte de sua pele — e as mangas dobradas até o meio do antebraço, calça jeans claro e o par de botas coturno preto, sabia que eram o seu favorito. O fitei quieta; estava vestido como a primeira vez que nos virmos há três anos atrás, quando roubou o meu coração; naquele dia imaginei que fosse o homem mais lindo que havia visto na vida. E de fato para mim ele era, o mais lindo, o mais sexy e o dono do meu coração também.

Hans deitou a cabeça para o lado levando as mãos aos bolsos da calça. Aquela expressão, eu sabia bem o que se passava por sua mente.

— Não precisa me dizer nada. – suspirei e virei o rosto fitando a janela.

A chuva fina que caia lá fora tocava o vidro e as gostas deslizavam de forma majestosa hipnotizando os meus olhos. Me sentia tão distante de mim que até o mais simples poderia prender a minha atenção.

— Quando a veja observar os mínimos das coisas, sei que está preocupada ou apreensiva com algo. – meu corpo respondeu ao som daquela voz rouca com ondas de arrepios e batidas fortes dentro do peito.

— Me conhece tanto assim? – questionei fechando os olhos por alguns segundos e puxando o ar dos pulmões. Precisava estabelecer novamente o controle na confusão de sentimentos.

Senti seus braços passarem em volta do minha cintura deixando-me sentir o calor do seu corpo tocar minhas costas. Dentro do peito o coração deu um salto, tão alto que imaginei perde-lo. Quebrou o autocontrole que há dias vinha lutando para manter e não causar mais feridas a mim.

Tentei regularizar a respiração que junto do o coração faziam um motim deixando que todos os sentimentos e emoções trancados em algum lugar do peito se libertassem. Respirei fundo tentando me controlar e o seu perfume invadiu o meu interior. Nada estava ao meu favor.

— Você sabe que a conheço até um pouco mais. – sussurrou repousando o queixo no meu ombro.

Por que estava me torturando? Por que judiava dos meus sentimentos?

Seus lábios tocaram a pele do meu pescoço causando ondas e ondas de arrepios, iniciando pane total por dentro de mim.

— O que... Está...? – minha voz saiu em um fio enfraquecida e baixa me deixando perdida no toque quente de seus lábios.

Esse homem estava me sugando as forças.

— Shh... – pediu com um som gostoso e tão baixo quanto um sussurro.

Ele tirou a caneca das minhas mãos e a deixou sobre o móvel a baixo da janela. Estremeci por dentro. Novamente os lábios macios tocaram a pele exposta fazendo meu corpo se render ao toque; minhas mãos se fecharam no seu pulso quando sentir a língua quente e molhada subir por minha pele até a orelha.

Um risinho baixo e sexy me desestruturou por inteiro antes que mordesse o lóbulo da orelha.

Por Deus! Por quê faz isso comigo, Hans Lee?

28 de Novembro de 2021 às 11:02 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Todos os Domingos.

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~