Atualize agora! Temos um NOVO aplicativo para Android! Baixe-o na Google Play Store. Leia mais.
J
João Jacome


Pablo Experto é um detetive que junto com Guto Travares tentam resolver crimes, alguns deles descritos neste livro. Esse projeto é feito por diversão e é uma óbvia referência a Sherlock Holmes, apenas quero escrever as histórias que criminais que achar interessante. Espero que goste.


Crime Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#Crime # #Sherlock #detetive #sherlockholmes
1
667 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Comerciante Misterioso

Detetive Pablo estava deitado em sua cama assistindo o Jornal na televisão e espantado o quanto a emissora tinha perdido a qualidade em suas reportagens quando ouviu a campainha tocando, rapidamente pois seu casaco para parecer um pouco mais apresentável do que de ficar apenas de pijama, atendeu a porta e viu uma mulher de uns trinta anos de cabelos negros e olhos verdes parecia bem abalada com algo, vestia um casaco simples.

"Detetive Pablo ao seu dispor,o que quer?"a mulher respirou fundo e respondeu "meu marido foi assasinado ontem e polícia se recusa a me ajudar porque dizem que foi suicidio, mas eu sei a verdade!eu sei!" a mulher realmente não estava muito calma e por isso Pablo lhe levou ate o sofá dando-a um copo d'água."por favor, diga em detalhes o que aconteceu" calmamente diz Pablo

" O Sr.Carlos Wilson, meu marido, sempre teve uma boa condição financeira e por isso sempre foi muito conhecido por onde vivia,eu o conheci na faculdade e logo nos apaixonamos e alguns anos depois fui ao altar com aquele lindo homem assim vivemos muito felizes por um bom tempo"

"me desculpe interromper, mas com que trabalhava seu marido?"

"ah.." pausa por um tempo "ele trabalha no escritório de uma grande empresa"

"qual exatamente?"

" pensando bem acho que ele nunca me falou diretamente"

"hum... pode continuar"

"No dia da tragedia saímos e jantamos em um restaurante depois disso ele me levou até uma loja, uma loja meio isolada e estranha chamada Utencilios e Diversidades Machado da Costa. ele me deixou do lado de fora e vi ele conversando com o Logista e após disso ele saiu da loja com uma sacola em mãos e recusou-se a mostrar os conteúdos dela."

"Durante o resto do caminho de volta para casa eu me senti como se estivesse sido observada,por isso constantemente olhava para trás tentando de descobrir se minha desconfiança era infundada ou não, em uma dessas vezes juro por Deus e pelo meu marido que vi o rosto pálido do Logista por alguns segundos antes de sumir em um beco"

"Quando finalmente cheguei a meu destino já era noite e fui para cama, eu fiquei acordada por um bom tempo pensando no que vi, mas como estava cansada adormeci, porém quando acordei vi que meu marido não estava ao meu lado e fui até a sala de estar, quando cheguei lá vi uma horrível imagem, a imagem de meu marido com a faca enfiada em seu peito e ele a segurava como se ele mesmo tivesse se esfaqueado mas eu sei que não foi suicidio e sim um assasinato e é por isso que falei com o senhor, Sr.Experto

"realmente uma história intrigante, porém já sei oque aconteceu" disse Pablo se levantando e indo ao quarto se trocar, a moça ficou imóvel por alguns segundos pensando na curiosa reação do detetive, alguns minutos depois Pablo volta vestindo seu usual sobretudo marrom e seu chapéu da mesma cor "vamos Sra.Wilson a alguns lugares e não se preocupe pois será rápido"

Quando saíram para a rua andaram alguns quateiroes até a Utencilios e Diversidades Machado da Costa e quando chegaram Pablo notou a pintura desbotada e a variedade de produtos gigante que tinham lá. e outra coisa que tambem notou foi o homem dentro da loja, um antigo conhecido: o inspetor Guto Travares inspecionando o local.

"olá novamente Sr.Travares!"comprimentou Pablo o inspetor teve um sobressalto e correu com raiva em sua direção, ele era um homem médio que sempre usava um goro magenta surrado que cobria todo seu cabelo menos a única mecha cinza dele, também usava seu cachecol(também surrado) e seu colete que deixava a mostra é claramente seu distintivo "eu simplesmente não acredito nisso, você sempre se mete nos casos que eu tô, sempre!sempre!" Pablo riu um pouco e retrucou "sim é verdade! parece coisa do destino, mas não entendo seu aborrecimento quanto a isso"

"eu fico com raiva porque sempre que você aparece você magicamente descobri o caso!" Pablo riu um pouco mais e respondeu "gosto de sinceridade, mas não temos tempo a perder, antes de começar a investigação, porque está aqui" "ah! a firma não acredita no que a senhora Marie disse, mas me mandaram aqui para ter certeza" com as respostas em mãos o detetive começou a tirar foto de várias coisas na loja por algum tempo.

"tenho algumas bem interessantes que gostaria de mostrar a vocês dois, primeiramente, qual foi a arma utilizada no crime?" o inspetor ficou um tempo pensando "foi uma faca de carne da marca Tramonguina" " hum! olhem aqui!"apontou para uma embalagem aberta do que seria de três facas, porém com uma faltando

"nossa!" disse a Sra. Wilson surpresa " elas são idênticas a que estava no corpo dele!" o detetive não ficou muito surpreso e perguntou "os peritos já tentaram encontrar as digitais na faca?" o inspetor olhou rapidamente no telefone "creio que não"

"tudo bem, afinal de contas não tão importante" após isso ele foi até uma prateleira quase vazia " isso, diferentemente é" Travares deu um empurão em Pablo " está maluco!não tem nada aí!" Pablo riu novamente como sempre fazia quando o inspetor fazia o usual de desacreditar em seus métodos e respondeu " o produto comprado pela vítima obviamente não está mais aqui, porém se olharem para baixo iram notar algo" em baixo de um grande espaço vazio estava escrito em um pedaço de papel preso na estante: Estatueta de Buda 100,00 r$

" mas como assim! meu marido sempre foi um homem cristão, porque pagaria tanto por algo assim?"

"então ele não pagou por interesse próprio..."murmurou Pablo pensativo "a última coisa que achei interessante nesta loja aqui no balcão" ele andou até o balcão e tirou de lá uma nota de 100 reais amassada, Travares rapidamente pegou a nota da mão do detetive para analisá-la "hum..Hum! essa nota me parece estranha..espera um minuto,é falsa!" Pablo teve uma pequena crise de risos baixos antes de responder "isso! a última coisa que faltava! o motivo! vamos a cena do crime"

A casa dos Wilson era de tamanho médio feita de madeira escura estilosa com um vasto jardim verde , mas linda visão do jardim estava tapada com fitas de sinalizações e alguns polícias, com 5 minutos de conversasão permitiram a entrada de Pablo, a esposa da vítima e Guto.

o corpo estava jogado no carpete da sala e claramente Marie Wilson não parecia nem um pouco confortável na companhia do cadáver " eu só vim aqui por 1 coisa, e ela é o celular de Carlos, onde ele está?"

"n-no quarto dele e c-laro" disse apontando para a porta do quarto, o quarto era pequeno com uma cama de casal, uma cabeceira para cada lado e um armário expremido no quanto contrário a janela, rapidamente Pablo pegou o telefone do morto e viu suas mensagens por pouco tempo e desligou-o satisfeito " oque descobriu?" a senhora disse com enorme curiosidade como o esperado nessa situação

"esse caso é extremamente simples, seu marido não trabalhava em uma grande empresa, Sra.Wilson, e sim era um patife, fazia parte de uma organização criminosa e ganhava o dinheiro em jogos de poker, mas pelo visto uma maré de má sorte o atingiu e foi forçado por um membro de alta classe da organização a comprar uma estatueta do Buda para ele, pelo visto não existe uma motivo claro para isso, oque Carlos não sabia era quanto iria custar, então sendo um trapaceiro com é usou uma nota falsa e o lojista, que provavelmente tem relações com a organização, notou isso e assim com sangue nos olhos foi atras do sujeito e o matou em sua casa. esse caso por incrível que pareça foi incrivelmente simples, mas acho que foi um bom relaxamento para mim, sabem o nome do proprietário da loja?"

"sim brother! o tribunal é amanhã e esse safado vai disparado pro xilindró! é isso aí!" o inspetor saiu do quarto repetindo várias frases de exitação para mostrar seu entusiasmo, como sempre fazia.

13 de Novembro de 2021 às 01:22 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Toda semana.

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas