pato-escritor Vinicius Calefi Almagro

Nos anos 2067 a humanidade quase foi extinta, alguns humanos conseguiram sobreviver saindo da terra e indo até o planeta denominado por eles mesmo de Krotths. Anos de passaram, agora em 5067 a humanidade já havia se esquecido de quem os quase extinguiu e seu aviso, acompanhe os 2 protagonistas em uma jornada por alguns planetas no universo, e descubra o motivo da humanidade ter sido quase extinta.


Ficção científica Todo o público.

#order # #carmesim #Carmesim
0
240 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sem rumo

Neste planeta, tudo gira entorno de lucro, tudo e todos são meios de venda, lucro e até mesmo "máquinas". Aqui neste planeta se você não aprender a sobrevier desde que nasce, pode se considerar morto. Essa é Krotths, um planeta com leis super abusivas, inflação alta e crimes, muito crimes.

KROTTHS, ÁREA INDUSTRIAL 14:43

Robô de segurança— Para maior segurança de nossos trabalhadores, implementamos uma nova regra, trabalhadores teram o dobro de carga horária sem alterações salariais, além disso, deveram viver neste local para maior proteção dos nossos operários. Isso é tudo, voltem ao trabalho.—

Ryan— Ótimo, além de trabalhar feito idiota agora tenho que ficar aqui até 4 da noite, maravilha... *suspiro* que merda de lugar, eu até sonharia em conhecer pessoas, viver uma vida normal, mas seria julgado como um criminoso por ter minhas próprias ideias e opiniões. Queria ao menos conhecer uma garota...—

Guarda— Anda porra!! tá achando que os entulhos vão se limpar sozinhos é?

—Ryan— Não senhor, eu estava... só... respirando o ar deste local tão agradável.—

Guarda— Sei, trabalhando, você viu oque fizeram com o outro cara não é?—

Ryan— oque? Ah sim claro que vi, vi sim... eu... vou trabalhar... então...—

O guarda se vira e volta até o seu posto, Ryan por outro lado, pensava um plano para sair deste lugar.

05:12 DA NOITE, BAR LOCAL

*multidão rindo*Cristian— ele veio para min dizendo " aí você tá fodido parceiro, eu vô meter você no B.O" hahaha foi a última coisa que ele disse antes de morrer hahaha— Cristian e a multidão começam a rir, Dentro desta multidão estava Ryan, bebendo para se esquecer de algo que o incomodava.

Cristian que estava bêbado começa a conversar com Ryan, e mesmo bêbado Cristian mantém um certo nível de bom senso.

Cristian— Você jovem,como veio parar nesse lixão?— pergunta Cristian para Ryan.

Ryan—Bom... minha família era uma bosta, meu pai chegava bêbado e batia em todo mundo, minha mãe culpava eu por tudo que acontecia... e minha irmã... ela... meu pai acabou... matando ela.. depois disso, eu saí fora daquele hospício, lembro de ficar tão irritado e chocado quando minha irmã morreu que cheguei a quase matar meu pai, mas não o fiz. Fui preso e condenado a morte, mas me fizeram uma proposta melhor, trabalhar nesta merda de lugar em troca de migalhas. E aqui estou—

Cristian— Caralho! pesado, lamento por sua família, agora... porque está bebendo em um bar onde só se encontra almas sem rumo?—

Ryan olha para Cristian que ja era meio velho com os cabelos crespos, porém ele era bem músculo e tinha 2 metros de altura. — Porque mais eu estaria aqui? Óbvio que estou sem rumo, por hora, eu ainda vou sair daqui.—

Cristian olha para a Ivete que cuidava do bar e diz— desce duas por minha conta Ivete—

Ivete— duas, pode deixar.—

Cristian— disse que vai sair daqui não é? se for fazer isso sua primeira e última chance será amanhã depois do horário de trabalho, tem uma galera organizando uma fuga aqui, pode ser sua chance.—

Ryan agradece Cristian pela cerveja e diz— valeu, eu vou ver isso, mas e você, não vai sair. Digo parece velho, deve estar cansado não?—

Cristian olha em volta antes de responder e— As vezes um homen só precisa de um lugar para viver, amigos e cerveja. tudo que este lugar tirou de min eu tenho novamente, família tenho uma família aqui rapaz. É disso que um homem precisa para viver—

Ryan dá um tapinha na costa de Cristian e se levanta— valeu hé... Cristian certo? te vejo amanhã então, até...—

Ryan derruba sem querer três copos de cerveja quando se levanta em um cara com o dobro de sua força e altura.

Ryan—o... opa... amigo então foi mal... tipo assim eu não ti vi aí então...—

quando o cara se levanta ele é o dobro do tamanho de Ryan, chegando ao ponto de que Ryan precisa olhar para cima para falar com ele.

Cristian— merda, ele tá fodido— Cristian se levanta e é barrado por quarto pessoas no bar.

pessoas aleatórias— opa, opa, nesta briga você não se mete grandão.—

Cristian— cala boca! ele vai ser morto por ele, esse cara é peso pesado pro Ryan—

Pessoas aleatórias— só se acalme assista—

*multidão grita* Pega ele Gregório!!

Gregório— você não vai ter um rosto para ser chamado de deformado quando isso acabar moleque—

Uma cadeira sai voando na direção de Ryan, ele pega a cadeira, e logo em seguida Gregório dá um murro no Ryan que usa a cadeira de escudo. Porém ela quebra com o soco do Gregório.

Ryan— OPA, VAMO CONVERSAR, SÉRIO!!—

Gregório— conversar? vai pro caralho moleque, você tá morto! entendeu?—

Gregório pega Ryan pelo pescoço com uma das mãos e o empurra contra a parede, Ryan pega um copo de uma das mesas que quebra ele na cabeça do Gregório fazendo ele o soltar.

Ryan sai andando sem ar meio agachado e diz— sério... foi um mal entendido, nós não... podemos resolver isso na lábia não?...— Ryan não tem uma resposta além de um copo que voa até a perna de Ryan fazendo um ferimento no local.

* sons de apito* os policiais chegam ao local e começam a bater no Gregório e no Ryan.

depois da multa do espancamento de "lição" os policiais dizem aos dois— Se eu ver os dois brigando novamente vão os dois para detenção. estão liberados, andando—

Cristian corre até o Ryan com uns trapos que ele usa de curativo— ei Ryan, tome mais cuidado, esse pessoal é meio emocionado sabe? qualquer merda você tá na parede então fica esperto.—

Ryan_ é eu vi... valeu por jogar a cadeira para min usar—

Cristian— que cadeira rapaz, eu não joguei nada—

Ryan— não? então quem foi?—

Cristian— não sei, mudando de assunto, como estão os cortes?—

Ryan— eles vão ficar bem, valeu de novo Cristian—

Cristian— não me agradeça jovem, só fiz oque faria pela minha família—

Ryan fica agradecido e os dois voltam até sua as casas.

10:00 ZONA INDUSTRIAL DIA DA EXTRAÇÃO.

Todo dia antes do trabalho, todos os trabalhadores formam um quadrado de pessoas esperando as ordens. Hoje, não foi diferente.

uma pessoa sobe no palco onde falam as tarefas do dia, mas desta vez uma figura inusitada aparece, a figura usava um terno com um tênis social, falava de jeito fino e se comportava do mesmo jeito.

Após apresentar as tarefas ele foi embora.

Ryan—bom tenho que trabalhar então, que merda, será que um dia vou ter uma vida?

CONTINUA...


9 de Novembro de 2021 às 05:16 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Uma fagulha de fogo.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!