nnylice03 Nnylice Costa

Jeon Jungkook é um homem completamente focado no trabalho, era um dos principais advogados de Nevada, e não sobrava muito tempo para se divertir. Em uma bela tarde Taehyung invadiu seu escritório pedindo para que o acompanhasse para uma boate, e imediatamente recusou o convite. Não era fã de lugares barulhentos e cheios, mas com tamanha insistência Jeon não resistiu e foi com ele para a tal boate. Só não contava que iriam para uma boate gay, e aquele lugar lhe proporcionaria a melhor noite de sua vida.


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#oneshot #fanfic #bts #jungkook #Jimin #jikook #kookmin
0
916 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Os Fios Ruivos São Uma Perdição

Nascido e criado em Nevada especificamente em Las Vegas, Jeon Jungkook um homem de 22 anos, era um advogado muito bem sucedido, escritor de alguns livros e concedia várias entrevistas por aí, era realmente um homem realizado em questão profissional, porém sempre sentia que faltava algo para que fosse verdadeiramente feliz, afinal se sentia um tanto solitário mesmo com tanta gente à sua volta.

Estava em escritório assinando algumas papeladas quando Taehyung, seu melhor amigo, abriu a porta do escritório. O moreno apenas o encarou sério e impaciente, odiava ser incomodado no meio do seu expediente.

— O que quer Taehyung?

— Hoje você irá comigo á uma boate.—o encarou com as sobrancelhas arqueadas, realmente não acreditando que o azulado havia invadido seu escritório para fazer um convite tão fútil como aquele.

— Sabe que eu não gosto de lugares cheios.

— Qual é, iremos nos divertir muito, Jungkook. Você só tem olhos para o trabalho e mal se diverte.

— Não tenho tempo para diversão, agora por favor me deixe trabalhar em paz.

— Por favor, se você vier hoje comigo para a boate, eu prometo nunca mais invadir sua casa de noite.

Pensou um pouco, a ideia de ir para um lugar onde claramente irá ter várias pessoas pulando, gritando, bêbadas ou até drogadas, não era muito atrativo, porém não ter Taehyung em sua casa de madrugada chorando bêbado lhe parecia algo muito atrativo.

— Okay, temos um trato,me busque em casa as 20:00.

— Então até as 20:00 e nada de ir com esses seus ternos, você irá para uma boate não um enterro. — e então depois de falar de suas vestimentas que usava para quase tudo deixou sua sala.

Qual era o problema com seus ternos?Eles eram perfeitos para usar em qualquer ocasião. Mas,o que poderia falar, sua diversão era pegar casos e resolvê-los, não sair por aí indo para festas e vadiar, como um inconsequente. Como um dos melhores advogados dos Estados Unidos, Jeon tinha que prezar pela sua imagem.

Porém, já fazia anos que que não ia para lugares que não tinham qualquer tipo de ligação com a área de advocacia, então se analisando por um tempo, viu que realmente era um viciado em trabalho, e chegou a conclusão que talvez se distrair em meio a uma multidão de pessoas suadas não seria tão ruim.

Eram 18:00 quando saiu de seu trabalho e dirigiu até seu apartamento. Em Vegas era quase impossível se locomover de carro sem pegar sequer um engarrafamento. Jogou sua maleta no sofá cor creme em formato de L que havia em sua sala e foi até seu quarto.

Abriu seu guarda-roupa, e se descabelou todo até achar uma muda de roupa que não fosse um terno, escolheu uma calça de couro e uma blusa social de botões branca, andou até o banheiro de seu quarto, removeu as roupas de seu corpo, as colocando em cima da pia, e entrou dentro do box.

Vestiu as roupas escolhidas por si, e em seguida foi em direção ao grande espelho que havia em seu quarto, se olhou de cima a baixo e sorriu orgulhoso quando percebeu o quão belo havia ficado, seus olhos foram sobre seus cabelos negros e grandes, se perguntando se havia chegado a hora de os cortar, fazendo uma nota mental para ir ao cabeleireiro dar um trato em seus fios, mas por agora resolveu os prender em um coque despojado deixando alguns fios soltos propositalmente.

Só faltavam 15 minutos para o relógio marcar 20:00, então entrou na cozinha e resolveu comer alguma besteira que havia em sua geladeira, e quando já estava sentado no banquinho do balcão que separava a cozinha da sala, a campainha tocou.

— Caralho. 'Tá bonitão, hein.

— Eu sei. — falou em puro convencimento. — Me deixe escovar meus dentes que já partiremos. — deixou o azulado entrar e sentar em seu sofá.

Entrou em seu banheiro e escovou seus dentes, por fim deu mais uma olhadinha no espelho, e sorriu orgulhoso quando conferiu seu visual pela última vez.

Os dois entraram no carro luxuoso que Taehyung possuía, afinal não era de se esperar menos de um modelo, era garoto propaganda da Gucci, os produtos que fazia propaganda se esgotavam como água, e as vezes tinha participação em algumas séries. Eram amigos desde a escola e eram como carne e unha, inseparáveis.

Quando o carro estacionou em frente ao local, se surpreendeu quando notou que se tratava de uma boate gay, não que fosse segredo para todos que era bissexual, porém o azulado não havia lhe especificado o lugar onde iriam.

—Por que não me disse que vamos para uma boate gay?

— Eu queria lhe fazer uma surpresa, agora vamos. desceram do carro e andaram até a entrada do local.

Os dois entraram no lugar sem dificuldade alguma, e Jungkook se surpreendeu com o lugar. Haviam garotos esbeltos no palco exibindo seus belos corpos, e toda a plateia jogava altas quantias de dinheiro para eles, sua vontade era de catar tudo aquilo do chão, e levar para si.

Se sentaram em uma das mesas do centro os dando uma visão privilegiada do palco.

— Jeon, se prepare por que daqui a pouco começa o show do Park Jimin.

— Quem?

— Simplesmente um dos melhores dançarinos que já tive o prazer de assistir, se hoje esse lugar está cheio assim é por causa dele.

— Hm, ele é tão importante assim?Estou curioso para vê-lo.

— Claro, ele é tão incrível e se você pagar bem ele pode ser seu por essa noite. — Jungkook nunca gastaria seu dinheiro com uma futilidade dessas.

Passaram mais alguns minutos conversando e tomando algumas bebidas. De repente as luzes do lugar se apagaram tomando uma coloração avermelhada e todos inclusive Taehyung gritaram quando a luz no palco se acendeu.

Largou o copo de Whisky, focando sua atenção ao palco, podendo ver quem era o tal Park Jimin, e finalmente entendeu tamanha afobação de seu amigo ao falar sobre ele. O Park se assemelhava à um deus da mitologia grega, uma figura tão esbelta que podia afirmar com os pés juntos que o ruivinho era um anjo. Seus cabelos eram ruivos e seu rosto era repleto de sardas, seus lumes eram azuis e o corpo...ah, lhe faltavam palavras para descrever o quão perfeito eram as curvas do acobreado. O glitter estava espalhado por todo seu corpo, e vestia apenas uma calcinha de renda preta que deixavam todas suas curvas ainda mais valorizadas, uma cinta-liga realçavam suas coxas, e nós pés calçava um salto preto.

Andou lindamente até o pole dance que ficava ao centro do palco, e quando ele começou a se movimentar ao som da música, Jeon esqueceu tudo ao seu redor, e focou sua total atenção no ruivo, que aos poucos estava o deixando duro com toda sua dança, as vezes ele ia ao chão e empinava sua bunda ao ar e rebolava, enquanto sorria ao ver que toda plateia o encarava de olhos abertos e praticamente babando, e em específico uma pessoa.

Jungkook se imaginou marcando aquelas bandas branquinhas com sua boca e suas mãos, adoraria as esfolar até ficarem vermelhinhas com a marca da mão. As palavras de Taehyung há minutos atrás de repente vieram a sua mãe e abriu um sorriso.

" — E se você pagar bem, ele pode ser seu por essa noite."

— Está gostando do show, Jungkook? — escutou Taehyung falar em um tom irritante recheado de deboche.

Era quase impossível não notar o interesse no olhar do mais velho, e o azulado nunca perdia a oportunidade de zoar com Jungkook.

— Caralho, ele é muito bom. — falou em um tom quase pausado, hipnotizado com os movimentos leves e as manobras que ele fazia naquela barra de ferro.

Seu coração errou as batidas quando por um segundinho fizeram contato visual, ficou tenso e Park como o bom provocador que era sorriu ladino para o mesmo, e sentiu ali que precisava do corpo daquele cara coladinho no seu, pelo menos por essa noite.

— Como faço para poder...você sabe, né.

Estava claramente envergonhado, pois não era de seu feitio se aventurar em algo assim, era um homem consideravelmente reservado, mas tudo valia para aquele ser.

— Me acompanhe. — Taehyung se levantou e Jeon fez o que foi lhe pedido. Foram para os fundos do local e subiram as escadas.

Andaram mais um pouco e Taehyung parou em frente á uma porta, tocou a campainha e ela logo se abriu lhes dando a visão de um homem alto e de cabelos castanhos.

— Podem entrar.

Entraram no que parecia um escritório, e fez uma leve careta analisando a decoração do local, aquele homem definitivamente tinha um péssimo gosto para decoração.

— O que querem?

— Suho, o meu amigo aqui quer ter uma noite com o Park Jimin. — Jungkook estranhou a intimidade aparente que ele tinha com aquele homem.

— Quer? Então diga-me o quanto pode pagar.

— O quanto quiser. — realmente dinheiro não era um problema para si. Trabalhar como um louco trazia seus benefícios.

— Uau, gostei. Irei fazer um preço cabível, afinal Jimin é o nosso principal e melhor dançarino, o que acha de 200 mil dólares?

— Okay, depositarei agora mesmo. — Taehyung engasgou. 200 mil dólares? Uau, Jeon deve ter mesmo gostado daquele garoto. Pensou.

Após Lee Suho lhe repassar os principais dados da conta da boate, assim como havia falado, depositou o valor exato. Taehyung o olhava perplexo, nunca havia visto seu amigo gastar tanto dinheiro assim, estava se perguntando o tamanho do poder que Jimin tinha, pois estava sendo o motivo de uma cena jamais vista por ele, Jungkook gastando dinheiro e saindo sem reclamar, inclusive com uma expressão satisfeita.

— Jungkook, você está bem?

— Claro que sim, Taehyung. Agora se me der licença irei atrás do ruivo.

— Que você tenha uma boa foda.

— Que deus te ouça, meu caro.

Apreensivo Jungkook abriu a porta que Lee Suho havia lhe indicado e sentiu- se paralisar quando pôde ver a imagem do ruivo, exatamente com as mesmas roupas da apresentação deitado de bruços e balançando suas lindas pernas ao ar.

Paralisou quando os lumes azuis os capturaram. Ele o analisou de cima abaixo e deixou um sorriso safado escapar.

— Então você é o Jungkook, certo? — assentiu e o ruivo se levantou, andou lentamente até si, e ficou estático por um momento, estava desejando tanto aquele ruivo que mal tinha atitude diante dele. Hum, você é bonito. Muito bonito.

— Você não fica para trás, é também muito belo.

— Obrigado.

Os braços do ruivo circularam o pescoço do moreno, e o outro levou suas mãos para a cintura bem feita do ruivo. Não podendo evitar, levou seus olhos até os lábios fartos e tão convidativos que Jimin possuía.

E sem pensar em suas atitudes invadiu a boca do acobreado. Que que aceitou o contato retribuindo o beijo repentino, desceu suas mãos até o traseiro tão ressaltado pela calcinha que o mesmo usava.

Sentindo o toque tão bruto do Jeon, ele apertou com força a camisa do mesmo, descontando ali todo seu anseio em ser tocado assim mais vezes.

Observou com cuidado todo o corpo esculpido do advogado, suas mãos desceram pelo abdômen do Jeon.

— Você é tão gostoso, Jeon. Muito gostoso.

Sentiu ser puxado por Jimin e ser jogado sem muitas cerimônias na cama de casal do quarto decorado em tons fortes de vermelho.

O ruivo montou em seu colo e não pôde deixar de admirar a face bonita do mesmo, e se sentiu abençoado pelos deuses por poder estar com alguém tão belo como ele.

Revirou seus olhos ao sentir o atrito gostoso que Jimin causava rebolando em si, ondulava seus quadris graciosamente, e sentia que poderia gozar somente com aquilo, porque...Céus, era tão bom.

E tudo se tornava ainda mais gostoso quando via as expressões de prazer do ruivo, enquanto rebolava em si, seus dedos longos apertavam a carne macia das bandas dele. Os gemidos agudos e baixinhos que Jimin soltava, eram como a mais bela e suave melodia, sentia que a qualquer momento seu membro poderia explodir com tamanha estimulação.

— Está gostando, Jungkook-ah? — não conseguiu sequer formular uma frase.

Suas mãos desceram pelo abdômen trincado, e quando chegou perto da masculinidade do outro, ele o apertou.

— Oh, mu-muito.

Só de imaginar o Park, ajoelhado com a linguinha de puta para fora, implorando por leite, Jeon já ficava perto do orgasmo.

Foi até a cabeceira da cama e se sentou encostando suas costas nela, Jimin se aproximou engatinhando fazendo questão de empinar bem o seu rabinho para Jeon, esse que não conseguiu desviar seus olhos das nádegas de Jimin, ajoelhou como o bom menino que era e desabotoou a calça do mesmo, logo a retirando do seu corpo malhado.

Sentiu a baba escorrendono canto de sua boca, ao observar o volume bem visível na box branca que Jeon usava, essa que já continha uma mancha de pré-gozo, sem perder muito tempo também retirou a box do homem e a jogou em qualquer canto daquele quarto.

— Você é tão grande, Jungkook-ah. Deve ser uma delícia montar no seu caralho.

Levou suas mãos travessas até o falo rijo do moreno.

Jungkook arfou ao finalmente sentir seu caralho sendo estimulado diretamente, sem qualquer tipo de tecido para atrapalhar.

Quando Jimin cansou de brincar com suas mãos, decidiu abocanhar de vez o cacete do advogado, mas como era um provocador nato, se aproximou do membro róseo e encharcado de pré-gozo do maior, começando a mover sua lingua lentamente, e sorriu ao ver Jungkook bufar irritado com tamanha enrolação.

— Pare de me provocar, e chupa essa porra logo, Jimin.

— Deixe-me brincar um pouco, Jungkookie. — seu nome saiu manhoso da boca do diabinho ruivo.

Rodeou sua lingua experiente pela cabecinha inchada, enquanto isso Jeon apertava os lençóis, nunca havia sentido tanto tesão como naquele momento.

Deixando de lado as provocações, Jimin abocanhou de uma vez o membro de Jungkook, o fazendo gemer alto sentindo a boquinha quente de Jimin o abrigar. Dizer que o ruivo era bom naquilo era pouco demais, porque ele obtinha o poder de lhe levar para o céu com apenas um boquete.

Jimin deixava o cacete do Jeon ir até sua garganta, tomando cuidado para não se engasgar.

Jungkook tinha certeza que aquele fora o melhor boquete que já havia recebido, não que fosse um poço de experiência. Sua rotina era corrida e não tem muito tempo suficiente para ir a procura de sexo, contudo existem momentos em que precisamos relaxar.

Com sua mente nublada pelo prazer que o acobreado lhe proporcionava, Jungkook mantinha os olhos apertados e movia seu quadril para cima, fodendo a boquinha experiente do Park.

Nem precisava agarrar os fios ruivos para o mesmo aumentar a velocidade, pois Jimin o chupava tão gostoso que a velocidade nem fazia tanta diferença.

Jimin sabia que o orgasmo de Jeon estava perto, então deu o seu melhor para não perder o ritmo e o aguentar até que o mesmo gozasse, o que não era tão difícil, até porque Jeon era lindo e um gostoso, um de seus únicos clientes que gostava verdadeiramente de dar prazer.

— Ruivinho, eu estou tão pe-perto...

— Você vai gozar, Jeon? Então encha minha boca de porra. Pode fazer isso?

Jimin não gostava muito de engolir o liquido branco, pois tinha um gosto ruim, no entanto Jeon era tão gostoso que não se importaria em engolir toda a sua porra.

Não demorou muito para que Jeon se desmanchasse em sua boca, e como havia falado engoliu tudo sem sequer fazer uma careta.

O acobreado novamente montou nas coxas grossas de Jungkook, e se inclinou para beija-lo.

Jungkook já beijou muitas bocas e se achava experiente nessa área, mas com certeza o Park era mais, ele chupava sua lingua e puxava seu lábio inferior, dando um sorriso sujo logo depois.

De repente o moreno trocou as posições ficando por cima de Jimin, suas mãos deslizaram pela lateral do corpo esbelto do ruivo, apreciando as belas curvas que o ruivo tinha.

Retirou os saltos de Jimin e os jogou em um canto qualquer, seus olhos escuros se perderam por um momento enquanto encarava Jimin de tão pertinho.

Segurou o ruivo pela cintura e o colocou de bruços, separou as pernas torneadas, e cobertas de gritter. Jimin empinou sua bunda, balançam as bandas levemente.

Jeon aproximou-se das bandas redondinhas, e arredou a calcinha feita de renda preta para o lado, expondo buraquinho que se contraia implorando para levar pau.

Levou suas mãos pequenas até os cabelos longos de Jungkook o incentivando a intensificar os movimentos que ele fazia com sua lingua.

Jungkook chupava o cuzinho do acobreado com gana, os gemidos manhosos e altos que ele soltava eram como a mais bela melodia de uma música, ainda mais quando ele dizia o seu nome.

Entrava e saía com a língua, provando daquele lugarzinho tão sensível. Sua sede de o provar aumentava mais ainda. Iria esporrar aquela bundinha até que seu leite escorresse.

Pronto para se afundar naquela bundinha gostosa, e esporra-la até que estivesse escorrendo leite pelas coxas roliças.

Simplesmente rasgou o tecido fino da calcinha e jogou os restos do pano em algum canto do quarto, suas mãos foram para o pau gotejante do ruivo, masturbando em dois lugares ao mesmo tempo.

Jimin rebolava ansiando por mais como uma verdadeira puta, uma vadia que ansiava por algo o preenchendo.

Jimin estava gemendo manhoso e arrastado, sempre querendo mais.

Retirou os dedos do membro do ruivo e os levou para a sua entrada, os penetrando na cavidade quente dele.

Jimin afundou-se ainda mais no travesseiro, se empinando mais ainda.

— Chega. Eu não quero seus dedos. Eu quero o seu pau, Jun. — seu tom de voz era manhoso, e ao ouvir suas palavras sujas, retirou imediatamente seu dedo de dentro dele, esticou seus braços até a pequena mesinha que havia ao lado da cama, pegando o pote de lubrificante e um pacote de camisinha. — eu quero tanto ele, Jungkookie. Mete ele em mim, mete.

Rasgou o pacote e deslizou a camisinha pelo seu membro, despejando uma boa quantidade de lubrificante em seu membro. Assistiu soltando um suspiro de admiração, o rapaz retirar a calcinha de seu corpo e joga-la em algum lugar do quarto, ficou vidrado no corpinho delicioso do ruivo, completamente despido. Lubrificou seus dedos e os levou até a entrada do acobreado.

Segurou seu membro pela base e o posicionou no cuzinho de Jimin, em seguida metendo seu caralho todo no ruivo. Jungkook gemeu rouco quando sentiu seu membro ser esmagado pelas paredes apertadas dele. O ruivo gemeu alto quando sentiu o membro de Jungkook o invadir por inteiro.

— Isso, Jungkook. Me come, Kookie.

As estocadas se iniciaram lentamente, seu corpo estava inclinado para frente, depositando beijos por toda a extensão do pescoço branquinho de Park, enquanto seus quadris se movimentavam para frente e para trás. Suas mãos marcavam as coxas fartas do ruivinho dando diversos tapas.

— Fica de quatro, e empina bem essa bundinha pra mim, Ji.

Se levantou e ficou na posição pedida, empinando bem sua bunda, Jeon levou suas mãos até as nádegas fartas deixando um tapa forte em uma das bandas.

Se posicionou atrás do ruivo e o penetrou de uma vez, o fodendo ainda mais rápido. Suas mãos foram para o membro do Jimin o masturbando na mesma velocidade em que o comia.

— Você fode tão bem, Jungkook-ah. — Falou entre gemidos agudos que saíam de sua boca. — O melhor que eu já tive. — óbvio que ego de Jungkook foi as alturas quando o escutou.

A cama rangia a cada nova estocada de Jungkook, o mesmo surrava a próstata de Jimin várias e várias vezes, o fazendo até mesmo ficar sem voz.

Agarrou os fios cor de fogo e os puxou para trás. Ao que puxava os cabelos de Jimin, Jeon espeava a bunda grande.

Continuou metendo no interior de Park, até que o ruivo decidiu trocar de posição. Óbvio, Jeon não perderia a chance de ter o menor cavalgando em cima de si, então novamente se sentou com as costas apoiadas na cabeceira da cama voltando a mesma posição de momentos atrás.

Jimin engatinhou o olhando de forma felina e sentou no colo do advogado. Jungkook apenas levou suas mãos ao rosto do ruivo, o puxando delicadamente para um beijo. Os lábios carnudos do stripper eram viciantes, poderia ficar o beijando por toda a noite, mas Jimin cortou o contato e meteu o caralho do Jeon dentro de si.

Um sorriso por puro tesão se formou em sua face. Jogou sua cabeça para trás ao sentir a violenta invasão.

Jungkook apertou forte as bandas do acobreado, as estapeando posteriormente.

Subiu suas pernas e segurou o quadril largo no lugar, impulsionando-se para cima, comendo o ruivinho.

Eram realmente uma dupla perfeita no sexo, quando Jimin se cansava Jeon tomava as rédeas e mexia seus quadris o fodendo, e quando o moreno se cansava Jimin voltava a cavalgar.

O ruivo obviamente tinha vários outros clientes, e nenhum deles conseguiram deixar Jimin delirando de prazer como Jeon estava fazendo, e para si é uma surpresa não ter que fingir um orgasmo como fazia diariamente, mas com Jeon era diferente, mesmo que não tivessem se encontrado antes, parecia que Jungkook conhecia todos os seus principais pontos de prazer, e quando mal pôde perceber já havia gozado na barriga definida do advogado.

Jeon continuou fodendo, prolongando a sensação gostosa do recente orgasmo. Soltando um gemido rouco e alto quase animalesco. Jeon se desmanchou dentro do preservativo, e em seguida Jimin caiu em cima de Jungkook completamente exausto.

— Isso foi incrível. — Jeon disse com seus olhos fechados, levando suas mãos até os fios ruivos. Os cabelos dele haviam se se tornado seu novo vício.

— Foi. — olhou para o teto letárgico. — Você conseguiu me cansar.

— Uma de minhas especialidades, ruivinho.

Jimin gargalhou e deitou na cama ao seu lado sem se afastar do moreno, esse que apenas aproveitou o corpo do ruivo colado ao seu e sem que percebessem ambos cairam no sono com os corpos agarrados um ao outro.



19 de Dezembro de 2021 às 18:43 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Nnylice Costa nunca irei saber os motivos para gostar tanto de ler e escrever fanfics

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~