Atualize agora! Temos um NOVO aplicativo para Android! Baixe-o na Google Play Store. Leia mais.
johnsilas John Silas

A história do melhor investigador do mundo que acaba morto, então ele retorna para resolver todos os crimes pendentes.


Crime Para maiores de 18 apenas. © Todos os direitos reservados.

#fantasia #Crime #caso
0
824 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O caso da senhora Anny

ISSO É UMA HISTÓRIA FICTÍCIA, ELA NÃO TEM O INTUITO DE DENEGRIR OU INSULTAR NENHUMA IMAGEM OU DOUTRINA, OS NOMES, LUGARES, PESSOAS E OS CASOS NÃO TEM NENHUMA LIGAÇÃO COM A REALIDADE, QUALQUER SEMELHANÇA É UMA MERA COINCIDÊNCIA!


1

meio dia e meia, o telefone toca; É Terry meu ajudante e fiel companheiro.

- Mais um caso - falou Terry do outro lado do telefone - o filho da senhora Anny desapareceu ontem a noite.

- estou no escritório venha me buscar - falei enquanto pegava um casaco

- Tudo bem estou indo agora mesmo


A senhora Anny mora com seu filho Jack de 17 anos em uma cabana na floresta, o coitado sofre de uma doença e sua vida está contada; infelizmente os médicos já deram essa notícia; Ele deve estar na floresta ainda, talvez alguma crise de raiva?


- Cheguei senhor - gritou Terry entrando pela porta - vamos a senhora Anny nós espera


~No caminho~


Ela falou alguma coisa? - perguntei esperando algo a mais.

- Fora aquilo nada demais, acha que ele está na floresta ainda? - perguntou Terry enquanto estacionava na frente da casa.

- Ele está nessa floresta ainda.


A floresta estava úmida, na noite passada uma tempestade caiu na cidade, o ar estava puro, o cheiro de terra molhada, os raios de sol entre as vinhas e as folhas; A senhora Anny saiu de uma antiga cabana de madeira, essa casa tinha musgo e galhos no seu telhado, no canto da cabana existia algumas ferramentas, uma pá, e outros itens.


- Finalmente, meu filho ele sumiu! - falou desesperadamente enquanto soluçava.

- Porque você não nós comunicou ontem quando notou seu sumiço? - perguntou Terry enquanto tirava um bloco de notas do bolso direito do seu casaco - Bem vamos precisar saber exatamente o que aconteceu.


A floresta estava inquieta, insetos nas árvores, folhas,pássaros; o vento estava forte e gelado, concerteza iria vir mais uma tempestade por aí.


- Ele saiu ontem a noite, um pouco antes da chuva começar, falou que iria pegar frutas.

- Pegar frutas? a noite? - Perguntei olhando diretamente nos olhos da senhora Anny.

- Ele sempre fazia isso - respondeu rapidamente a minha pergunta.


Seu olhar de raiva e desespero, concerteza estava chorando antes da nossa chegada, o que realmente acontece ontem?


- Eu sempre cuidei muito bem dele, eu não sei mais o que fazer - falou Anny enquanto colocava suas mãos no rosto e enxugava suas lágrimas.


- Ela está mentindo em algo - pensei - nesse momento aconteceu uma contradição, logo algo nesse relato é falso, ela diz cuidar muito bem de seu filho, porém deixa ele sair a noite e andar sozinho pela floresta; E porque ela nos ligou só agora? se o Jack desapareceu ontem?


- Então Ethan me diga, você vai achar meu filho?

- Pensando - como ela deixa uma pessoa doente andar por aí sem um acompanhamento, ele deveria estar de cama.

- Vamos analisar a cena - respondeu Terry - você poderia nos dar um momento?

- Claro - falou a senhora entrando de volta na cabana.

Terry me puxou pelo casaco, e me deu o bloco de notas.

- Me fala o que você acha dessa história.

- Esse relato tem contradições até demais, ela está escondendo algum fato, bem de qualquer forma vamos ter que entrar na casa.


Fomos caminhando em direção a velha cabana, a lama no chão, o ar gelado, bati na porta três vezes.

- Podemos entrar?


Então uma voz saiu de dentro.

- Entre


- Temos que ver o quarto do seu filho - falei - vamos resolver isso não se preocupe.


Entramos no quarto, a cama estava bagunçada, um cobertor estava na cama, outro estava caído no chão, a janela estava aberta, ao lado da cama em cima de um criado mudo estava vários remédios.

Porém algo deu na janela deu uma dica e uma possível resposta desse problema.

- Isso é sangue? - Terry perguntou surpreso.

- Sim não a dúvidas que algo a mais aconteceu aqui.


Olhando pela janela do lado de fora existia uma cobertura de madeira para evitar que a chuva entrasse na casa pela janela.

- A terra está bagunçada, alguém correu por aqui - indagou Terry

- Acho que já descobri o que aconteceu aqui.


Então voltamos a sala aonde a senhora Anny estava sentada em um velho sofá.

- Dona Anny, o que aconteceu ontem?

- Nada, quando percebi ele já tinha sumido.

- Anny nós fale exatamente o quê aconteceu ontem com deu filho.

- Eu fui dar seu remédio, então quando vi ele já não estava lá, a janela estava aberta.

- Então ele não saiu buscar frutas como você disse, não teria porque sair pela janela nesse caso.


Dona Anny estava tremendo.


- Os remédios são dados as nove da noite.

- Dona Anny, acredito que já resolvi esse problema, Bem vamos lá - peguei o bloco de notas do Terry e comecei a explicar exatamente o ocorrido - Por alguma razão você agrediu seu filho ontem, com medo ele saiu pela janela, isso explica o sangue, então caiu para fora, explicando a terra bagunçada, ele correu para a floresta, então você foi atrás dele com uma faca, acredito que a mesma que está na pia, então você o matou na floresta e enterrou seu corpo com a mesma pá que está encostada do lado de fora da cabana, então hoje cedo você searrependeu e nos ligou, o que me fez saber disso foi quando você falou que percebeu seu sumiço quando foi dar seus remédios as nove da noite; Porém no primeiro relato você disse que ele um desapareceu pouco antes da chuva, a chuva aconteceu as 11:32, a minha suspeita de contradição estava correta, você mentiu porque percebeu oque tinha feito, por isso inventou toda essa história; Dona Anny você é a culpada.


Ela começou a tremer e chorar, Terry a algemou, ligamos para a polícia e esperamos ela chegar até a cabana, a minha resposta estava certa, o corpo foi encontrado na floresta, um tempo depois a senhora Anny confessou que ela tinha cometido esse crime.


~Na frente do escritório~


- Bem mais um caso resolvido - falei enquanto o Terry entrava no escritório.

- Você foi ótimo como sempre chefe.


Enquanto estávamos conversando um carro desgovernado vem pela rua, sem nenhum de nós perceber o mesmo me atinge em cheio, Terry saltou assim desviando do carro.


- ETHAN!!!!!! - Gritou Terry

O mundo escureceu.....

Será que eu estou morto?

então esse é o meu fim?

não tenho mais como sair desse vazio.... estou sentindo como a morte é.....

Quem diria que essa seria o motiva da morte do maior investigador do mundo.

foi aí que eu consegui abrir meus olhos

Ah?!

- Eu eu não estava morto? então quero dizer que eu estou vivo ainda.... espera...

Aquele ali não é meu corpo sendo colocado em uma ambulância?

espera aquele não é o Terry chorando.

Eu eu estou morto?!?

O que é isso, eu sou apenas uma alma agora? os outros não conseguem me ver, é estranho eu ainda consigo interagir com os objetos, eu consigo pegar meu celular tirar uma foto sem ninguém perceber, é como se o celular nunca tivesse saído de lá, mesmo assim a foto que eu tirei fica no celular e os outros conseguem ver.....

Bem isso não importa, minha vida chegou ao fim, porém agora vou ter muito mais tempo para o trabalho, não se preucupe Terry, eu vou resolver todos os crimes pendentes, e então poderei descansar em paz sabendo que meu trabalho terminou.

Vamos pegar meu bloco de notas, as investigações só estão começando.











9 de Novembro de 2021 às 18:31 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Ethan Dominic

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 14 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!