nnylice03 Nnylice Costa

Park Jimin era um ômega lindo, sedutor e manipulador, usava de seus encantos para enganar os alfas, e obter tudo aquilo que mais queria. Foi em uma balada no centro de Seoul que Jimin achou sua próxima vítima; Jeon Jungkook, um alfa de 24 anos. Jungkook era festeiro e dormia com vários ômegas em uma noite. Tinha o seu pensamento extremamente fechado sobre as pessoas, especificamente sobre os ômegas. Sentia-se superior somente por ser um alfa. Mal sabia o alfa que aquele que tanto inferiorizava, estava o enganando a meses e o alfa que sequer havia percebido.


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#fanfic # #oneshot #abo #bts #jungkook #Jimin
0
428 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Não Se Deixe Enganar Pelo Anjo

— Esses ômegas são todos um bando de putas. — Jeon dizia para Namjoon, um de seus melhores amigos.

A balada que frequentava estava extremamente lotada. O cheiro de álcool e maconha estava por todo o ambiente, as pessoas dançavam bêbadas e se esfregavam como loucas uma nas outras.

Jeon era herdeiro de toda a fortuna dos seus falecidos pais, e se desfrutava dela como bem queria. Além de ser extremamente rico, era dono de uma beleza estonteante, tinha um corpo forte e repleto de tatuagens.

— Olha aquela ali, viu a roupa que ela está vestindo?

— Sim, está muito vulgar.

— Vi ela beijando uns três alfas diferentes essa noite. Uma vadiazinha de quinta. — Jeon dizia com desdém.
Preferia mil vezes um ômega fofo e recatado, do que esses sem valores e sem dignidade.

Pediu mais uma dose de Whisky, e ah, também odiava ômegas que bebessem.

Passou seus olhos por todos os ômegas pegáveis daquele lugar e foi aí que colocou seus olhos no ômega mais belo que já havia visto.

Seus olhos era azuis claros, e seus cabelos eram tingidos em um tom forte de rosa e sua pele era bronzeada. Jurou que estava alucinando, aquele ômega não parecia ser real.

Mal sabia Jeon que o ômega já estava o curiando desde que havia chegado naquela balada, de primeira sua beleza e o corpo bonito o deixaram com um desejo enorme, mas seu interesse só aumentou quando percebeu que o Jeon possuía o que mais lhe interessava além de beleza e um corpinho bonito, ele possuía dinheiro.

Park era um ômega ambicioso, viciado em dinheiro, sabia muito bem que com sua beleza, sedução, e um toque de manipulação, poderia deixar qualquer um ao seus pés.

Vinha de uma família, onde todos os ômegas eram conhecidos por sua manipulação e sedução, aprendeu com uma mãe todos os truques para deixar qualquer alfa em suas mãos, de preferência os mais bobos e ricos.

E Jimin ao notar que o alfa estava o observando, lançou-lhe um sorriso e logo obteve seu resultado, o alfa após conversar algo com seu amigo, caminhou até si.

— O que um ômega tão bonito como você está fazendo aqui sozinho? — o ômega era muito mais lindo quando visto de tão perto.

— O-obrigado. — forçou timidez, e vomitou por dentro.
Sua tática de sempre agir como um garotinho tímido e inocente sempre funcionava, a maioria dos alfas que já conheceu, preferiam os mais tímidos. Era óbvio que Park Jimin estava longe de ser tímido.

— Por nada, coração. Parece tão alguém tão tímido, o que faz em um lugar como esse?

— Estou aqui pela primeira vez, confesso que nunca vim em um lugar como esse, estou um tanto perdido. — Jimin gargalhou internamente.

— Aceita uma bebida?

— Não gosto muito de beber. — Jeon sorriu ao ver que aquele ômega era totalmente perfeito para si.

— Não gosta? Então me conte, o que você mais gosta?

— Eu gosto muito de cozinhar e de bordar, para mim isso é como uma terapia.

Jimin odiava a cozinha, não sabia muita coisa sobre cozinhar. Por isso contratou uma cozinheira para fazer todo o trabalho para si e mal sabia o que era bordar.

Jungkook sorriu, aquele ômega era maravilhoso.

— O que acha de irmos para um local mais reservado? Por exemplo, a minha casa? — lançou o convite.

— Eu não costumo fazer muito isso, mas dessa vez eu vou aceitar. — Jeon sorriu vitorioso, não via a hora de se gabar para os seus amigos, aquele ômega era melhor que todos aqueles que seus amigos já pegaram.

— Então vamos, meu doce.

Passou as mãos nos ombros do ômega e ele sorriu lindamente para si.

Os dois caminharam até o carro do alfa. E Jeon poderia ser muito bonito, mas sem sombra de duvidas aquele carro era muito mais.
Seus olhos chegaram a brilhar com tamanha luxuosidade. O alfa de forma cavalheira abriu a porta do carro para si, e Jimin entrou no veículo e esperou pacientemente o alfa dar a volta e entrar também.

Enquanto faziam o caminho até a casa do moreno, Jimin observou o alfa detalhadamente, Jungkook era lindo, repleto de tatuagens e musculoso, de fato uma perdição. Sem sombra de dúvidas Park adoraria transar com ele essa noite.

Jimin era tão articulado que na maioria das vezes nem precisava ir para a cama com um alfa, somente usando toda a sua lábia, Jimin conseguia depósitos gordos em sua conta e logo depois sumia do mapa.

Essa vida não era tão estável assim, por isso dedicou quase 8 anos de sua vida fazendo faculdade de administração. Se tudo fosse para o caralho, pelo menos Park tinha o seu plano B.

– Então Jimin, quantos anos você tem?

– 25.

– Eu tenho 24, quem diria, hein. Você é mais velho que eu. – Park forçou uma risadinha.

Quando chegaram no prédio que Jeon morava, Jimin perdeu todo o seu fôlego. O prédio ficava em um dos lugares mais caros de toda a Seoul.
Jeon entrou no estacionamento do prédio e parou na vaga reservada para si, e então os dois desceram do carro.

– Me acompanhe, Park. – estendeu sua mão tatuada para o rosado e então os dois seguiram até o elevador.

A tensão sexual estava pairando no ar, Jeon se encontrava logo atrás do ômega. Uma ereção havia se formado, Jeon estava com olhar fixado nas nádegas do ômega, as bandas eram grandes e redondinhas.

Jimin sentia o caralho duro do alfa
roçar entre suas nádegas e se empinava cada vez mais contra ele, uma vez ou outra se esfregava nele.

Jeon estava se controlando para não foder aquele ômega ali mesmo naquele elevador. Até que finalmente as portas se abriram e Jeon puxou o mais velho para o seu apartamento.

Desesperadamente abriu a porta e quando entraram em sua casa, Jeon o tacou na parede, e o prensou contra ela.

Tomou a boca do ômega e suas mãos foram a cintura dele,o trazendo para mais perto de si.

O beijo entre ambos, foi repleto de luxúria, as bocas dançavam em perfeita sincronia. As mãos grandes do alfa desceram até a bunda do mais velho, o fazendo soltar um gemido baixo, esse que foi abafado pelos lábios do mais novo.

Jimin soltou um gritinho surpreso quando Jungkook o ergueu em seu colo e caminhou até o seu quarto.

[...]

Jimin acordou todo acabado, seus cabelos estava todo bagunçado e em seu pescoço haviam marcas de chupões e arranhões.

Observou o alfa adormecido ao seu lado, Park franziu o cenho e fez uma careta.

– Fica lindo dormindo, pena que ronca muito alto. Credo, parece até um porco.

O ômega observou o quarto espaçoso e sorriu votorioso, Jeon havia virado sua galinha dos ovos de ouro.

– Já acordou? – escutou a voz rouca do homem ao seu lado.

– Sim, eu costumo acordar um pouco cedo. – mentiu. Odiava acordar cedo, sempre virava as noites em baladas ou então estudando.

– Isso é bom.

Jeon se sentou e sorriu vitorioso ao notar as diversas marcas que havia deixado no pequeno corpo do Park.
Se fosse qualquer outro ômega, Jungkook já teria o expulsado de sua casa, mas Jimin era diferente. Era lindo, tinha um jeitinho inocente, e tinha o incrível bônus de ser excelente na cama, sabia muito bem o que fazer com um pau.

Após Jungkook lhe dar uma escova nova, escovaram os dentes e tomaram banho juntos, os dois foram tomar café da manhã, Jungkook iria pedir para que o ômega fizesse, afinal aquele era seu dever, porém acabou optando por comer algo que já estava pronto na geladeira.

[...]

Após 4 meses, Jimin já não estava suportando mais, aquele alfa era tão mimadinho, um playboyzinho de merda, também tinha o pensamento extremamente fechado. Jimin amava o luxo, porém ficar perto dele já estava o estressando.

Estava difícil manter seu teatrinho perto dele.

Além do alfa querer decidir o que iria vestir, o alfa fazia questão de contar sua vida sexual para o seus amigos em sua frente.

Jimin não era muito de ficar com outros alfas, enquanto estava com um, mas aquele em questão estava merecendo. Fez questão de foder com o amiguinho dele, o Taehyung, um beta de cabelos longos e escuros, achava que ele seria mais fiel ao seu amiguinho, mas em sua primeira investida o beta cedeu e transaram na cama do Jeon.

– Não gostei de ver aquele atendente te olhando naquela loja que nós fomos. Será que não entendem que você é só meu? – Park revirou os olhos.

Não era de ninguém, era só seu.

– Se acalme, Jun. Sabe que eu só tenho olhos para você. – ele e mais 300.
Notou os olhares do atendente sobre si, e mesmo não estando interessado nele, não deixou de provoca-lo.

– E é assim que tem que ser, você tem que ser fiel a mim, ômegas devem ser fiéis. – caralho, aquela porra era tão cansativa.

Aquele alfa passava o dia todo falando merda. Ele falava como se apenas os ômegas tivessem que ser fiéis, e os alfas não. Tudo bem que Jimin não era fiel à ele, mas caralho, aquilo era tão babaca.

– Sim. – forçou um sorriso. Mesmo querendo socar Jungkook.

– Agora que já comprei as roupas, o que acha de irmos comprar seus sapatos? – haviam parado na praça de alimentação do shopping.

Após o ômega concordar, ambos caminharam à uma das lojas mais caras daquele shopping.

Chegava a ser engraçado como Jungkook pensava tão pouco dos ômegas, burros e ingênuos era isso que pensava deles, fáceis de agradar e enganar, mas o alfa não percebia que estava sendo enganado e manipulado, por aquele que sempre inferioriza.

O sábado se encerrou com muitas compras, e sexo bom. Jungkook podia ser um babaca, mas sabia como fazer o sexo ser incrível.

– Isso, Jungkookie.

Jimin gemia alto, cavalgava e rebolava no rosto do alfa, sentia a língua quentinha o chupar inteirinho.

Jimin amava receber tapas durante o sexo, seja na bunda ou até mesmo na cara. Gostava da brutalidade.

[...]

No domingo à tarde Jimin cuidava da sua pele e fazia suas unhas.

Enquanto isso do outro lado da cidade, Taehyung entrava no elevador do prédio suando frio, tinha decido contar para o amigo sobre Jimin, mas não era fácil. Jungkook era impulsivo e até mesmo um pouco violento, sabia que assim que contasse iria levar porrada, mas não estava aguentando o sentimento de culpa.

Saiu do elevador e bateu na porta gigante feita de madeira.

– Taehyung? O que estava fazendo aqui?

– Eu q-quero te contar uma coisa.

– Oh, entre. – Jungkook abriu espaço e ambos andaram até o sofá, se sentando logo em seguida. – Então o que quer me contar?

Taehyung sentiu um arrependimento enorme de ter decido o contar, mas já que estava ali, não podia amarelar agora.

– Eu transei com o J-jimin.

– Como? Fale novamente, Taehyung, não escutei direito.

– Eu transei com o Jimin. – o beta sentiu as mãos do alfa irem de encontro com sua bochecha, o soco fora tão forte que caiu no chão.

– COMO VOCÊ TEVE CORAGEM DE FAZER ISSO COMIGO? HEIN, SEU FILHO DA PUTA!

– Eu juro que eu não queria, mas o Jimin veio para cima de mim e eu não resisti. – Não interessa, caralho! Vocês me trairam, porra. Debaixo do meu próprio nariz. – debaixo da sua casa também.

Jungkook estava cego de raiva, nunca imaginou que Jimin faria algo assim consigo. Óbvio que ele já transou com outros ômegas, enquanto ele estava com Jimin, mas ele podia, afinal os ômegas que devem ser fiéis.

– Saía da minha casa, traidor! Não quero ver a porra dessa tua cara nunca mais.

O beta correu até a porta, temia pela sua vida.

Assim que ficou sozinho, Jeon quebrou tudo que estava ao seu redor, sempre teve problemas para controlar sua raiva.

Após tudo já estar destruído, Jeon pegou seu telefone e discou o número do ômega.

– Essa vadia, quero ver o que ele vai me dizer agora.

O telefone chamou, e Jimin atendeu.

– Alô? Jungkook?

– Venha para minha casa.

– Por que? Algo aconteceu? Sua voz está estranha, Jun.

– Só venha.

E desligou.

Jimin estranhou aquela ligação repentina, mas se apressou para se arrumar e logo saiu de casa.
Jungkook esperou sentado em seu sofá, estava ansioso para ver qual seria as mentiras que ele contaria para si, ou ele iria finalmente abrir o jogo.

Ouviu batidas na porta e sorriu ladino, foi até a porta e viu o ômega ali, com aquele sorrisinho falso.

– Nossa Jungkook? O que aconteceu? – o cabelo do alfa estava todo bagunçado, parecia um ninho de passarinho.

– Você mentiu para mim... – Park franziu o cenho.

– Como assim?

– Você me traiu, transou com meu melhor amigo.

Oh, então ele descobriu. O corno deve estar putinho. Park pensou.

– Claro que não, Jungkookie. Eu nunca seria capaz disso.

– Ainda tem coragem de mentir para mim? Taehyung, veio me falar que vocês transaram. – então ele finalmente pensou no amiguinho?

– Ele mentiu para você, Jungkook. Eu juro.

– Me diga a verdade, Jimin. Deixe de ser falso.

– Já que você quer a verdade, eu irei lhe dar a verdade. Eu menti, menti sobre tudo e você caiu em todas as minhas mentiras, como um patinho. – Jeon o olhou com fúria, com seu ego abalado.

– Você mentiu? Tudo que você falou para mim era mentira?

–– Era. –– disse simplista.
–– VOCÊ É UMA VADIA! –– o alfa gritou e Jimin apenas riu debochado.

– Sou. Você é tão burrinho que sequer percebeu. Ah Jungkook, você é tão insuportável, sua sorte é que você tem dinheiro e é bonitinho, fora isso, você é um merda.

– Eu queria lhe encher de tapas. – sua mão estava coçando para acertar o rosto daquele ômega.

– Quer me bater? Vá em frente, me bata. – se ele encostasse o dedo em si, se vingaria no dia seguinte. – Inclusive falando em tapas, seu amigo Taehyung tem uma mão pesada, né? A marca dos dedos dele ficaram semanas na minha bunda, aquele lá adorou me dar tapas durante o sexo e eu adorei os receber.

– Como você teve coragem?

– Sabe, você até que fode bem e tem o pau bonito, mas existem melhores, como por exemplo; o atendente daquele shopping que fomos na semana passada. Ah, Jungkook, ele ele me comeu tão bem que eu o procurei novamente para repetir a dose.

– Você literalmente não passa de uma vagabunda, ficou comigo apenas pelo meu dinheiro.

Jungkook estava chateado consigo mesmo, era uma vergonha ter sido enganado por um ômega esse tempo todo. Seu ego inflado estava gravemente ferido.

– Eu não quero mais olhar para essa sua cara, sua puta do caralho. Se você quer saber de algo, seu boquete foi um dos piores que eu já recebi e você sequer sabe como sentar em um pau.

– Vai me dizer que não gostava de como eu rebolava em você e sentava com força? Ou quando eu lhe engolia até seu pau alcançar minha garganta? Jungkook pare de mentir, todos nós sabemos o quão alto você gemia quando estava dentro da minha boca ou dentro da minha bunda.

– Você é tão vulgar. Como eu nunca percebi antes? Você é tão falso, Jimin. Todos os ômegas são como você, um bando de vadias. – Jimin riu, não ele gargalhou, riu até o ar lhe faltar e seu rosto tomar uma coloração vermelha.

– Ei, Jungkook. Não fale dessa forma, os ômegas não tem culpa se você é burro. Você acha mesmo que uma pessoa como eu, iria querer ficar com uma pessoa como você? Sem querer nada? Jungkook para alguém querer ficar com você, somente por interesse. Você é insuportável, não tem nada a oferecer além do seu dinheiro.

– Ah é? Sabe com quantos ômegas eu fiquei, enquanto eu estava com você?

– Acha que eu me importo com isso? Eu estou pouco me fodendo, Jungkook.

– Saía da minha casa, não quero lhe ver nunca mais. – o alfa andou até a porta e a abriu.

Jimin agradeceu aos deuses por aquilo. Como era libertador.

– Tchauzinho.

Assim que se viu sozinho, Jungkook pegou sua carteira e partiu para um bar, decidiu se encher de cerveja para tentar esquecer tudo aquilo.

– Você acredita que um ômega me enganou?

– São todos iguais, não se pode confiar cegamente em um.

– Cara, ele pegou o meu melhor amigo. Aquele puto.

Jungkook contava suas frustrações para o barman, esse que escutava tudo atento.

Já com Jimin, o mesmo se divertia com um alfa. Ele o comia com força, estava de quatro e com sua bunda empinada contra o alfa loiro.
Sua boca estava entreaberta, sentia seu cuzinho sendo invadido brutalmente. Sentia seu orgasmo próximo, porém aquilo estava longe de acabar.

























23 de Outubro de 2021 às 01:17 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Nnylice Costa nunca irei saber os motivos para gostar tanto de ler e escrever fanfics

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~