2minpjct 2Min Pjct

Tudo o que sabemos sobre o futuro é que ele é incerto. Uma palavra dita ou não, uma atitude tomada ou deixada de lado, uma decisão bem ou mal pensada, tudo isso afeta de alguma forma cada um de nós; seja de uma boa ou má forma. Nossos futuros somos nós quem escrevemos a cada instante. Ele pode ser daqui a cinco segundos, cinco minutos, cinco semanas, cinco meses ou cinco anos, afinal, o futuro é o reflexo do presente e um mínimo erro poderá transformar-se em uma tragédia, assim como uma decisão bem tomada acarretará uma vida feliz.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#futuro #tablet #jimin-bottom #yoongi-top #menção-taekook #bigarmys #sujim #bts #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
0
711 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Escrito por: @Bigarmys/@Bigarmysss

Notas Iniciais: Oii, espero que estejam todos bem, bom, estou vindo com mais uma one shot, só que diferente das anteriores está é um plot doado e assim como a minha one shot abo, ela foi escrita em um momento difícil, por tanto ela não está tão boa como gostaria....

Sem mais enrolação, boa leitura e até a nota final!


~~~~

Tudo o que sabemos sobre o futuro é que ele é incerto. Uma palavra dita ou não, uma atitude tomada ou deixada de lado, uma decisão bem ou mal pensada, tudo isso afeta de alguma forma cada um de nós; seja de uma boa ou má forma. Nossos futuros somos nós quem escrevemos a cada instante. Ele pode ser daqui a cinco segundos, cinco minutos, cinco semanas, cinco meses ou cinco anos, afinal, o futuro é o reflexo do presente e um mínimo erro poderá transformar-se em uma tragédia, assim como uma decisão bem tomada acarretará uma vida feliz.

Park Jimin e Min Yoongi são dois jovens rapazes que se conheceram no 6° ano do fundamental e logo se tornaram muito amigos, faziam quase tudo juntos.

Aos 14 e 15 anos, descobriram-se bi e panssexual ao irem a uma festinha na casa de Taehyung, amigo de ambos os rapazes, e acabando por brincar de verdade ou desafio, onde Jimin havia sido desafiado — pelo seu soulmate, cobra: Taehyung — a sentar no colo de Yoongi e beijá-lo calientemente na frente dos cincos rapazes presente na festa, que se consistiam no próprio Taehyung, Namjoon, Jungkook, Jin e Hoseok, todos amigos dos dois rapazes.

Assim como foi naquela noite que o Min e o Park descobriram sua sexualidade, também foi naquela noite que os sentimentos começaram a mudar de amizade para algo a mais.

A cada dia que passava, a paixão ia se transformando para amor e os sentimentos se tornavam mais difíceis de lidar. Assim como Yoongi, Jimin tentava ocultar aqueles sentimentos e até mesmo apagar, saindo com outras pessoas, namorando outras pessoas — namoros esses que nunca duravam mais do que um mês e meio —, e, no final, Jimin acabava a noite chorando no telefone ou até mesmo no quarto, sob a cama e o colo de Taehyung, contando-o sobre o quão difícil era aquele sentimento que o devorava a cada instante, a cada mensagem recebida do Min, a cada ligação e a cada vez que se viam pessoalmente.

Era desesperador e triste ver o estado do pequeno Jimin, esse que era sempre tão alegre, tão sorridente e sempre espalhava amor e fofura por onde andava, mas sempre que via Yoongi com outra pessoa morria por dentro. Ainda sim, com teimosia, afirmava para Tae “Se o Yoongi hyung está feliz, eu também estou!”, mas a verdade era que, assim como Jimin estava infeliz, o Min também estava.

Jungkook estava cansado, havia perdido as contas de quantas madrugadas fora acordado ou por um Min Yoongi bêbado, ou por um gerente de bar furioso pela confusão causada pelo mais velho, ou por um barman cansado e que só queria ir para casa descansar após uma noite cheia, mas que era impedido por um Min Yoongi que só queria afogar a dor em um copo de vodka.

— Eu já não aguento mais, Tete hyung — disse Jungkook em uma sexta, após ele e o mais velho fazerem amor.

— O que você não aguenta mais, amor? — disse enquanto fazia carinho nos braços do namorado.

— Yoongi hyung fazendo merda. Você acredita que ele está saindo com o Hoseok?

— O amigo do Minnie? O que está na mesma companhia de dança que o nosso Minnie? — Taehyung estava incrédulo.

— Sim! E ele pretende pedir o garoto em namoro.

— Ah, e eu não aguento mais ver o Minnie se afundando porque não tem coragem de dizer ao Yoongi que o ama, e sabe o que é o pior de tudo?

— Não, o quê?

— O Yoongi faz merda e eu saio perdendo.

— O quê? Como assim? — JK ergueu a cabeça para olhar melhor o namorado e percebeu que o mesmo estava com os olhos lacrimejando.

— Jimin pedirá transferência semana que vem para uma filial que abriu em Busan...

— Ele irá voltar para Busan? — Taehyung balançou a cabeça positivamente, várias vezes deixando as lágrimas escorrerem por seu rosto.

— Calma, calma, amor, nós vamos dar um jeito.

[...]

— Jungkook? Você sabe que horas são? — Yoongi atendeu a porta de seu apartamento com uma mão na cabeça.

— Hora de você criar vergonha na cara e ir atrás do Minnie antes que seja tarde.

— Dá para falar baixo? Estou com dor de cabeça.

— NÃO, NÃO DÁ! E SABE POR QUÊ?

— Que inferno, Jeon, eu estou de ressaca.

— Problema é seu. Eu não ligo. As únicas coisas que ligo agora é com o Minnie, que deve estar fazendo as malas com o rosto vermelho de tanto chorar, e com o meu namorado que deve estar se fazendo de forte, mas por dentro está destroçado.

— Espera... Espera... Como assim arrumando mala?

— Jimin está voltando para Busan, pediu transferência ontem, porque não aguenta mais te ver nos braços de outro qualquer que não seja ele. — Min estava estático devido ao choque; ele não poderia perder o seu Jiminnie... Ah, quem ele queria enganar? Jimin não era seu e nunca seria...

— Jiminnie está indo embora — disse quase sem voz. — Ele está me abandonando.

— Não, ele está indo embora, porque não suporta a ideia de você estar quase namorando o amigo de dança dele, e nem alguém que não seja ele. — Antes que Yoon pudesse falar algo a mais, Hoseok apareceu na sala com apenas uma camiseta.

— Yoon? Que gritaria é essa? Ah, Kookie.

— Somente o Minnie pode me chamar de Kookie — respondeu-o Jeon com cara de poucos amigos.

— Hoseok, você sabia? Sabia que o Jiminnie pediu transferência?

— E-eu... bom... é...

— É claro que ele sabia, quem você acha que o ajudou com uma transferência rápida?

— Isso é verdade, Hoseok? Vamos, me responda.

— Sim, é verdade. — Abaixou a cabeça.

— Pegue suas roupas e saia por favor. Só saia!

— Me desculpe. Eu fiz tudo isso porque estou gostando de você, e é de verdade, nunca quis magoá-lo — falou Jung, já vestido e na porta do apartamento.

Após a sua saída, um silêncio se instalou.

— Agora vamos atrás do Jimin hyung.

— Eu estraguei tudo.

— Não, não estragou.

— Agora ele não me quer mais e deve me odiar.

— Ah, droga, eu não queria chegar nesse ponto, mas a situação requer medidas drásticas. Além do mais, estamos sem tempo.

— Do que está falando?

— Lembra do tablet que lançou?

— O que mostra o futuro?

— Exato! — JK tirou um de sua mochila.

— Onde conseguiu isso?

— Pai do Tete.

— Aaaaah. Mas o que faremos com isso?

— Ele irá nos mostrar o seu futuro caso não vá atrás do Minnie.

— Essa merda nem deve funcionar.

— Vamos descobrir. Preencha os dados, por favor, hyung, e corretamente. Aí pede algumas coisas do Jimin, quer que eu ligue para o Tae e pergunte?

— Não, não tem nada dele que eu não saiba.

— Exceto que ele te ama desde sempre.

— Pirralho irritante.

Após preencher tudo o que foi pedido, o tablet, como se fosse um mega holograma, mudou todo o cenário da sala

— Hyung, até quando você se afundará assim?

— Ele foi embora... Ele foi embora, Jungkook. — Os dois se encontravam em um bar de esquina, Yoongi tinha um rosto todo vermelho e inchado, lágrimas grossas escorriam por seu rosto que um dia fora limpo, hoje encontrava-se com uma cicatriz perto do olho e outra perto da boca. devido à uma briga de rua em que se meteu. e vários hematomas e cortes provocados por outra briga que ocorreu mais cedo.

— Já tem dois anos, uma hora você terá que superar.

— Superar como? O meu amor me deixou.

— E você deixou que ele o deixasse.

— Eu sinto tanta a falta dele, eu só queria vê-lo... Só mais uma vez, uma última vez.

— Err, vamos, temos que ir embora. Tenho que te dar um banho e cuidar dos seus machucados.

— Somente Jiminnie pode tocar nos meus machucados, ninguém mais.

— Você sempre fala isso e eu sempre cuido deles.

— Você não tem a delicadeza e cuidado que o Jiminnie tem.

— Vem, vamos...

[...]

Os dois rapazes entraram no apartamento do mais novo. JK deu banho no Min e cuidou de seus ferimentos.

— JK...

— Sim?

— O Jiminnie vem para o seu casamento?

— Falamos sobre isso depois, agora durma, hyung.

[...]

Seis meses haviam se passado e, com isso, o casamento de Taehyung e Jungkook havia chegado. Os dois não só casariam em uma cerimônia, como também no civil, afinal, eles estavam no final de 2039, toda a comunidade LGBT havia lutado por esse direito, mas isso não queria dizer que todo o preconceito havia sido erradicado. Uma luta de cada vez. Entretanto, dizer que esta não foi a maior e mais importante conquista seria mentira, afinal, uma coisa de cada vez. Primeiro consegue-se os direitos e depois, aos poucos, vão sendo eliminados todos os preconceitos e reconstruindo mentalidades longe da homofobia.

Nesse meio tempo, Yoongi não sabia se Jimin iria ou não para a cerimônia, o que ele duvidava muito era Jimin não ir, afinal, estávamos falando de Kim Taehyung, soulmate do Park. Da mesma forma que Yoon ficou no escuro sobre Jimin ir ou não, ele estava completamente às cegas sobre como o mais novo andava nesse meio tempo; sempre que perguntava sobre o mesmo para o casal Taekook, os dois desconversavam.

[...]

— Ai, Yoongi hyung, eu estou tão ansioso. E se o Tae desistir?

— Por que ele desistiria? Vocês lutaram muito para estarem onde estão e, além do mais, ele te ama infinitamente infinito.

— Você e o Jimin hyung sempre falavam isso um para o outro...

– É... Então, vai parar de suspense e me contar quem será o padrinho do Tae junto comigo ou não? — Jungkook olhou pela janela e deu um sorrisinho.

Antes que o mesmo dissesse algo, a cerimonialista apareceu, dizendo-o que estava na hora. Sem dar tempo a Yoongi, JK saiu, arrastando-o.

— Porra, Jungkook, que merda, quase amarrotou a bosta do terno. — Jeon apenas abriu um sorriso sapeca e, então, uma voz doce surgiu por detrás do mais velho.

— Vejo que continua o mesmo boca suja de anos atrás, Yoongi hyung. — Yoongi se virou lentamente e deu de cara com o Park, esse que, quando foi embora, tinha cabelos rosas; agora, tinha cabelos azuis.

— Jimin? — disse incrédulo.

— MINNIIIIE HYUNGGGGG! — Jeon estava empolgado quando o abraçou, tirando-o do chão.

— Calma, pentelho, seu terno vai amarrotar. Não vai me dizer nada, Yoongi hyung?

— O que está fazendo aqui?

— Bom, não era o que eu imaginava, mas se me lembro bem, hoje é o casamento do meu soulmate com meu melhor amigo — respondeu debochado.

— Queria saber quem é seu par, aí está, Yoon hyung.

— Não sabia que viria...

— Taehyung é uma parte de mim e JK... bom, JK é meu amigo. Aliás, cuide bem do meu Teteco. Ele está tão lindo, parece um príncipe.

A cerimônia ocorreu na mais perfeita paz e harmonia, menos a mente e coração de Jimin e Yoongi. A tecnologia não só permitia que quem a usasse visse o futuro se seguisse aquele caminho o qual a mente da pessoa estava pensando, como também sentisse os sentimentos dos envolvidos e, nessa hora, o Min sentia seu coração dilacerar de tamanha dor que seu “eu" do futuro e Jimin sentiam.

Seguiu-se o ritual, os noivos assinaram o papel que os casava perante a lei e Park e Min assinaram como testemunhas.

Os quatro conversavam quando um homem chegou abraçando Jimin de lado e cumprimentando a todos, deixando a fúria de Yoongi iminente.

— Kookie e Yoongi, vocês ainda não o conhecem, este é Lee Taemin, meu noivo. — O choque foi grande para todos, JK e Yoon por não saberem que Park estava noivo e Tae por saber que seu melhor amigo realmente foi adiante com aquele plano ridículo.

— Olá, Taemin.

— Olá, Tae. Parabéns aos casados, mal posso esperar para ser o Ji e eu.

— Obrigado — respondeu Jungkook desnorteado.

— Com licença, minha bebida está no fim. — E assim, Yoongi se retirou.

A festa estava no seu auge, mas Jimin não havia visto o Min em lugar algum, resolveu então ir até a estufa que ficava na parte de trás da mansão Kim. Chegando lá, percebeu que já estava sendo ocupada por Yoongi.

— Ah, desculpe, não sabia que estava ocupada, vou me retirar.

— Não, não, fique. Sei bem do quanto você gostava de vir para cá, eu irei deixá-lo a sós.

— Fique! — disse, segurando a mão do mais velho. — Por favor, fique!

E assim os dois ficaram na companhia um do outro, aproveitando o silêncio. Em um momento, o qual os dois não saberiam dizer ao certo, estavam bebendo a vodka pega pelo mais velho quando suas mãos se tocaram e os olhares se cruzaram, fazendo-os dar gargalhadas em um minuto e, em outro, ter um Park Jimin no colo de um Min Yoongi, pressionando sua bunda na ereção do mais velho enquanto seus lábios eram esmagados um no outro com tamanho desespero.

Yoongi não saberia responder-te, caso o perguntasse quando foi que Jimin desceu de seu colo e se pôs de joelhos, arrancou sua calça social juntamente com a cueca e começou a massagear e bombear seu pênis duro. Céus, quando a língua e os lábios fartos do mais novo entraram em contato com seu falo, pelos deuses, o mais alto poderia jurar que aquela boca havia sido feita especialmente para si. Jimin revezava entre chupar seu pau com devoção e masturbá-lo enquanto sugava suas bolas.

Min estava quase no ápice quando puxou seu amado para cima e o beijou, provando de seu gosto que ficou na boca do mais novo, esse que o olhou confuso.

— Se você continuar, eu irei gozar, e eu só quero gozar depois que te fizer meu.

Após sua fala, virou-o de costas para si e abaixou sua calça, também social, juntamente com a cueca, depositando um selinho em ambas as bandas e, logo em seguida, as abrindo para, enfim, saber qual sabor tinha o seu pequeno. Passou a pontinha da língua pelo local, arrancando um suspiro de desespero do azulado. Uma série de chupadas e lambidas se estenderam pelo local. Até que Jimin o afastou e, virando com a bunda para rumo ao Min, se abriu para, enfim, poder recebê-lo.

Após uma série de preparações, Jimin já se sentia pronto, virado para Min e, com uma das pernas na cintura do mesmo, sentiu o pau do homem o alargar ainda mais enquanto seu rosto tinha uma expressão de prazer. Os lábios finos entreabertos, mas sem emitir nenhum som; ele não tinha dúvida alguma de que estavam da mesma forma, com a única diferença era que ele emitia, sim, sons.

O Min do presente, que observava tudo aquilo, sentia uma fagulha de esperança, afinal, ele podia sentir todo o amor que emanava de ambos. Ledo engano. Foi naquela estufa, naquela noite, que Min e Park se amaram e se sentiram amados, mas também foi naquela mesma estufa e naquela mesma noite que ambos tiveram seus corações quebrados em farelo.

— Uau — disseram ao mesmo tempo e riram, selando os lábios em um selinho. — Isso foi incrível.

— E então, Park Jimin?

— Então o que, Min Yoongi?

— O seu noivo...? — Como em um lampejo, Jimin se sentou.

— Meu noivo — sussurrou.

— Ah, claro — disse irônico, fazendo o mais novo o olhar confuso. — Vocês realmente estão noivos?

— Sim! — respondeu Jimin relutante e sem olhá-lo.

— Isso foi um erro — respondeu amargurado.

— Realmente, foi um erro, Min Yoongi. — Jimin tinha uma expressão quebrada em seu rosto, seus olhos lacrimejavam e seus lábios estavam trêmulos. Min sabia que Jimin não estava noivo realmente, afinal, ele sempre sabia quando o mais novo mentia, então, por que disse aquilo e não lutou pelo amor de seu pequeno? — Eu te esperei por um ano! Eu esperei suas ligações, suas mensagens, alguma coisa sua, mas você nunca me retornou. Eu te amei e você destruiu o meu coração e é por isso que EU TE ODEIO, MIN YOONGI. Eu te odeio.

O desespero era aparente na voz do Park e, mais uma vez, Yoongi sabia que ele estava mentindo, que Jimin nunca poderia odiá-lo porque o amava, então por que deixou ele sair daquela forma? Por que não foi atrás?

— VAI ATRÁS, SEU MERDA. O QUE ESTÁ FAZENDO AÍ PARADO? VAI REALMENTE DEIXAR QUE SEU AMOR VÁ EMBORA AINDA MAIS FERIDO DO QUE DA ÚLTIMA VEZ? Por que não vai atrás? — O Yoongi telespectador chorava enquanto tentava inutilmente fazer seu “eu" do futuro não deixar Jimin.

Jungkook só podia assistir seu hyung do futuro se arruinar enquanto seu hyung de agora sentia seu coração dilacerar.

Como em um passe de mágica, todo o cenário mudou e os dois rapazes sentiam que o tempo também. Sete anos haviam se passado, os dois sentiam dentro de si que aquela sala em que estavam era da casa Kim-Jeon. Taehyung e Jungkook conversavam baixinho enquanto observavam seus dois filhos que, com muitas lágrimas, conseguiram adotar.

— Como você acha que o Yoongi irá reagir ao ver o Minnie após sete anos?

— Sinceramente, eu não sei, só espero que não fique um clima pesado e nem estrague a festa da nossa princesa, ainda mais que o Jimin hyung irá aparecer com o...

— Com o...? Fala, Jungkook. Taemin, seu esposo. Taemin e Jimin se casaram, estão construindo a sua própria família.

— Se o Jimin não tivesse mentido no nosso casamento, eles poderiam estar juntos.

— Não venha colocar a culpa somente no Minnie. Yoongi foi covarde o suficiente para deixá-lo ir embora nas duas vezes, porra, eles tinham acabado de fazer amor e o Yoongi disse que tinha sido um erro. Jimin não pode esperá-lo por toda a sua vida.

— Eu sei, eu só não me conformo. Yoongi hyung está infeliz, mas tenta enganar a si mesmo dizendo que não; indo a festas, bebendo e toda semana estando com alguém diferente, tentando preencher o vazio que existe em si.

— Eu sei, Kookie, você acha que eu não sei? O Jimin está brincando de família feliz, mas é o Yoongi que ele queria ao lado dele.

Antes que o mais novo pudesse responder, a campainha tocou, fazendo-os ir recepcionar quem quer que fosse.

— Yoongi hyung e Hoseok? — O casal estava tão confuso que seria até cômico, se não fosse trágico.

— Espero que não se importem com o Hoseok aqui, ele agora está comigo.

— Entrem — falou Tae rapidamente, ele havia notado que seu marido havia ficado estressado com a presença de Hoseok ali, mas os convidados pareciam não ter notado. — Jungkook?

— Eu preciso de um suco.

A festa já havia começado há um bom tempo quando, novamente, ouviu-se o barulho de uma campainha. Taehyung rapidamente foi atender a porta, com uma empolgação fora do normal. Ao ver quem passou pela porta, o Min paralisou, não estava preparado para ver o Park, droga, por que tinha que trazer o Jung?

Min olhava Park abaixar e abraçar as duas crianças com um lindo sorriso no rosto. Se tinham três coisas que o Park amava, essas eram: crianças, gatos e Min Holly.

— Princesa, lembra o que pediu para o tio Chim?

— UM VESTIDO DE FADAAAAAA.

— Adivinha: o que tem dentro dessa caixa?

— UM VESTIDO DE FADAAAA. — A menina pegou a caixa com certa empolgação e a abriu.

— E você, garotão? Lembra o que me pediu?

— Uma bicicleta para passear com você e o tio Namjoon.

Ao ver Jimin estender a bicicleta, que estava embrulhada em papel de presente, os olhos do menino brilharam. Nesse momento, Yoongi quis construir uma família com o mais novo.

— Minnie, cadê o...? — Antes que o Kim completasse sua frase, um Taemin afobado, com uma pequena garotinha nos braços, entrou na casa, arrancando um silêncio torturante de todos.

— Hora ruim?

— Taemin, quem é essa princesa?

— Eu sou uma fada, igual ao papai. — A voz doce da garotinha soou. Isso esmagou o coração do Min, que queria estar no lugar do Lee.

— Oh, desculpa, então quer dizer que você é uma fada? Quem disse que seu papai é uma fada?

— Papai disse que uma pessoa preciosa igual a mim o chamava de fada, e que não é mais a fada dessa pessoa especial.

— Min-hee! Então, Tae, lembra da garotinha que estava tentando a guarda? Eu estava prestes a sair quando a conselheira nos avisou que a guarda era nossa, eu não poderia ficar mais um minuto sequer longe da minha princesa.

— Tô feliz por você, Minnie.

— Eu também estou, Jimin hyung. — JK era portador de um sorriso triste.

A festa passou sem nenhum contato entre o Min e Park. Isso deixava tanto o Yoongi quanto o Jungkook do presente incrédulos, porque os mesmos nunca imaginaram que Jimin e Yoongi chegariam a esse ponto.

— Kookie, por que os dois não se falam? Eles mal se olham, e, quando os olhares se cruzam, só existe tristeza. A que ponto Jiminnie e eu chegamos...

— Eu não sei, hyung... Eu não sei...

Mais uma vez, houve uma mudança de tempo e cenário, agora, ao que tudo indicava, eles estavam no escritório do Min. A porta foi aberta brutalmente e um Min furioso passou por ela.

— COMO ELE PÔDE? COMO ELE PÔDE TRAI-LO DAQUELA FORMA? — falava ele ao telefone, e tudo indicava que era com o Jungkook. — EU IREI ACABAR COM AQUELE DESGRAÇADO. QUEM ELE PENSA QUE É PARA TER TRAÍDO O MEU JIMINNIE?

— Yoongi, tem mais...

— Mais o que, porra?

— Jimin está indo embora com a Min-hee amanhã para os Estados Unidos... — Yoongi ficou em silêncio. — Hyung?

— Tenho que desligar. — E, sem esperar, o homem desligou a chamada e arremessou o celular na parede.

Embora seu serviço estivesse indo muito bem, a pessoal estava de mal a pior. Desde que casara com Hoseok, vinha bebendo mais do que era permitido, um casamento sem amor é um verdadeiro inferno, mas de infernos o Min entendia bem; deixara seu amado ir embora na primeira vez, depois na segunda e, agora, na terceira vez. Yoon poderia, sim, ir atrás do mais novo, mas já não se achava mais digno do amor de Jimin, muito menos digno de seu perdão. Foi por este motivo que começou a beber, e beber, e beber, e, quando viu, Hoseok já gritava consigo.

O Min não saberia responder-te quando foi que seu esposo entrou em seu escritório e os dois começaram a discutir.

— SE TOCA, YOONGI, JIMIN ESTÁ SE DIVORCIANDO E INDO EMBORA, ELE NÃO TE QUER, ELE NÃO TE AMA.

— E VOCÊ ME AMA, JUNG HOSEOK? OU ACHA QUE EU NÃO SEI QUE VOCÊ ANDA SE ENCONTRANDO COM O DONO DAQUELE RESTAURANTE QUE FREQUENTAMOS?

— Yoon...

— Sem Yoon, por favor, só... Só me deixe sozinho... — Um silêncio ensurdecedor se fez presente por um longo período.

— Eu quero o divórcio. — Yoongi nada disse, apenas virou de costas para Hoseok.

Três dias depois, Hoseok estava passando pela porta da frente com malas feitas e divórcio assinado.

Após isso, tudo passou muito rápido, como pedaços fragmentados da vida de Yoongi. O Jeon e o Min viram tudo horrorizados com o que aconteceu. Uma situação que poderia ter se resolvido na primeira vez, se Yoon não tivesse sido tão orgulhoso e ido atrás do seu amor e se declarado.

O cenário agora era um cemitério, o tempo estava nublado e haviam se passado 10 anos, os dois telespectadores sentiram a frieza da solidão e tristeza que o homem passou durante esses anos e que a causa de sua morte foi devido ao grande consumo de bebidas, um suicídio indireto.

— Oi, Guinho. — Jimin.

Eram notáveis algumas rugas presentes no rosto do homem. Apesar de estar com 40 anos, ele parecia 10 anos mais velho devido ao cansaço presente em suas feições, mas nem isso tirava toda a beleza do mesmo perante aos olhos de Yoongi.

— Eu nunca pensei que nossas vidas tomariam rumos tão diferentes e tão drásticos. Não foi só você que errou, eu também errei; se eu não tivesse sido tão cabeça dura, com toda certeza não teríamos tido esse final. — O homem fungou e então ergueu a cabeça, revelando as grossas lágrimas e o rosto vermelho devido ao choro. — E-eu menti... Men-menti naquele dia, quando fizemos amor, que estava noivo de Taemin. Eu não estava, não naquela época.

— Eu sei, sempre soube — sussurrou o Min, mesmo que Jimin não pudesse vê-lo e nem o ouvir, chegando perto do mesmo e se agachando em frente ao mais novo.

— Menti também quando disse que te odiava. Você é o amor da minha vida, como poderia odiá-lo? Como poderia odiá-lo depois de todos os nossos momentos, depois de tudo que passamos?

— Eu te amo, Jiminnie, sempre te amei! — Acariciou as bochechas antes fartas, agora magras.

— Eu te amo, Guinho, sempre te amei! — Como se Jimin tivesse o ouvido, repetiu sua frase. — Adeus, meu amor. — Levou sua mão esquerda até os lábios depositando um beijo, e então levou até a lápide e, por fim, saiu daquele local.

— Eu não irei deixar nada disso acontecer, Jiminnie, isso é uma promessa.

E então tudo acabou, o tablet desligou e, novamente, estavam na sala do apartamento de Yoongi. Ambos ficaram em silêncio por um tempo até que Min limpou o rosto com as mãos e correu para o quarto, saindo de lá cerca de 15 minutos depois, arrumado.

— Está fazendo o que aí parado, Kookie? Você irá me levar até o Jiminnie.

Rapidamente, os dois homens saíram da moradia do mais velho e se dirigiram até a do Park. Ao chegarem, o Min tocava a campainha incessantemente, mesmo Taehyung já tendo gritado um “já vai".

— Porra, não sabe esperar, não?

— Taehyung, cadê o Jiminnie? — disse Yoongi sem rodeios.

— Olá, para você também, Yoongi hyung. Como eu vou? Estou bem, e você?

— Sem enrolar. Cadê o Jiminnie? — A impaciência estava nítida.

— Tae? O que... está... acontecendo...? — Além da voz do Park estar morrendo a cada frase, ela também saiu pausadamente quando viu o motivo de suas insônias e coração acelerado. — Guinho? — Sem mais delongas, Yoon o beijou, deixando um Jungkook pulando de felicidade, um Taehyung confuso, mas também feliz, e um Park Jimin que, além de confuso, também ficou sem reação nos primeiros segundos, mas logo o correspondeu. — Isso é um sonho? Se for, não me acordem, por favor — disse após o ósculo ser interrompido.

— Não, minha estrela, é real, e você não sabe o quanto eu quis te beijar desde que perdemos o BV um com o outro quando você era apenas um garoto inocente de 13 anos e eu um garoto bobo de 15 anos.

— Guinho... — Riram. — Me beija de novo?

— Não precisa pedir duas vezes. — Apesar dos Taekook quererem saber o desenrolar da história, resolveram deixá-los à sós. O beijo era cheio de amor, felicidade e descobertas

— Eu te amo, Guinho. Sempre te amei.

— Eu te amo, Jiminnie. Sempre te amei.

— Você sabe!

— Eu sei!

~~~~


Notas Finais: Espero que tenham gostado da one, apesar de está bem fraquinho e tirem duas lições dela. A primeira é, não tenha medo de expor seus sentimentos, essa vida é uma só e de nada vale viver no achismo, não sejam orgulhosos como os dois foram, se você gosta realmente de uma pessoa, diga, não viva do "e se" e o segundo é, o futuro é muito incerto e é justamente essa incerteza que torna nosso futuro tão esperado, não vale a pena querer saber o futuro e nem querer saber dele, viva o presente, viva a cada momento.

Agora eu quero agradecer a todas as adm que são paciente comigo, principalmente a Lu, meu Deus, ela tem paciência até demais. Quero agradecer a Anna que fez a betagem, ela foi um amor, quero agradecer também @tmessi/ThalieMessi , que fez essa capa maravincrivel, à @yeonjink/@BTShippSTAN pelo plot e ideia genial do tablet que mostra o futuro e espero de coração que tenha gostado e por fim, vocês, por lerem ela, vocês são demais!

17 de Outubro de 2021 às 22:53 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~