pagi-allebasi Pagi Allebasi

No dia de sua tão sonhada condecoração, Alioth descobre que há algo de errado com o mundo geelico, do mesmo modo, o mundo humano parece estar de cabeça para baixo. O objeto mais precioso de toda a história humana-caçadora, Achernar, foi roubado e apenas uma gelo-fogo pode restaurar a paz entre os dois mundos.


Ficção científica Lúcido Todo o público. © InsiraCopyright

#paranormal #Sonhos # #monstros
0
876 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Epílogo

Essa história poderia ter muitos começos. Começos impressionantes, instigantes ou até mesmo reveladores, mas me sinto na obrigação de contar tudo desde o início,e quando digo início, quero dizer realmente início.

Tudo começou aproximadamente no ano 7.000 a.C., quando a raça dada por "a mais inteligente" descobriu uma coisa chamada fogo. As pessoas costumam se orgulhar disso, afinal, era um grande passo para a evolução. Mas o que a maioria não sabe é que na mesma época, outra espécie também fazia suas descobertas, algo muito mais importante que o fogo, uma coisa chamada Achernar. Recebeu esse nome pela forma como foi encontrada — bem ao fim de um rio— mas isso não é muito importante, o fato é que enquanto os humanos "brincavam" com a coisa brilhante que queima, a outra espécie seguia criando as primeiras armas de metal, tão cedo descobriram que ambas as espécies não poderiam viver juntas, uma era demasiada inteligente para a outra, que ainda nem sequer conseguia se comunicar claramente. A consequência disso foi o deslocamento da porção mais intelectual para as zonas frias, onde conseguiram se adaptar rapidamente, enquanto a outra, mesmo que tentasse, morreria de frio.

Assim foi criada a distinção, os humanos comumente caracterizados como "fogo" e a outra parte de espécie, como "gelo".

Acontece que o Achernar se mostrou muito mais poderoso do que se poderia esperar, um objeto cheio de significado na mão dos "gelo" e de grandiosa importância para os "fogo". Tanto poder na mão de um só povo não poderia resultar em nada de bom, embora por um tempo se provou o contrário, houve prosperidade em ambos os lados, e as espécies até se pareciam um pouco uma com a outra se não fosse a principal diferença entre as duas: enquanto uma explorava a terra, a outra passou a explorar os céus.




12 de Novembro de 2021 às 23:03 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo O céu envenenado

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!