theblueb0y Levi Luka

Aquela era uma tarde comum onde Naruto e Sasuke encontravam-se para brincar na casa do Uchiha, correndo desembestados e sendo a alegria da casa com toda a energia infantil que possuíam. Contudo, o rumo desse dia muda quando Naruto comenta que aprendeu o que significa um beijo. "—Ei, Sasuke. Ontem eu descobri o que é beijar. —Como? —Vi meus pais fazendo. —Os meus também fazem isso algumas vezes, mas sempre me dizem que só pode beijar alguém quando você gosta muito da pessoa. —Eu gosto muito de você, Sasuke, então posso te beijar?"


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#Gay #Yaoi #BL #SasuNaru #SasuNaruSasu #NaruSasu #NaruSasuNaru #Fluffy #UniversoAlternativo # #Twoshot
0
262 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Só um beijinho!

Aquele era um início de uma tarde deveras quente, aquecendo as numerosas ruas da cidade de Konoha, e também seus habitantes, que reclamavam do calor àquela hora do dia. Mas aquilo parecia não importar para o pequeno garotinho Uzumaki, que passava como um furacão pela calçada de maneira animada. Sua mãe o acompanhava debaixo de um guarda sol, pedindo — em vão — para que o filho ficasse próximo de si.

A criança só diminuiu o passo quando chegou na casa de seu melhor amigo, ficando na pontinha dos pés para alcançar a campainha.

Ao longe, pequenos passinhos reverberaram, ecoando pelo chão, conjuntamente com um "ele chegou!" oriundo do lado de dentro. Logo um garotinho da mesma idade apareceu ao portão, animado com sua visita.

—Naruto, eu vou indo. Tome cuidado, mais tarde eu venho buscar você. — Kushina chamou sua atenção — Vem cá, me dá um abraço. — ela abriu os braços largamente —

Naruto pulou nas pernas da ruiva, seus braços pequeninos circundando o corpo da maior, que agachou para ficar à altura do filho.
Ela plantou um beijo na testa do filho, partindo para casa.
Logo o garoto girou os calcanhares para voltar-se ao amigo, que abria o portão para que pudesse entrar.

Esperou o portão abrir com a pouca e costumeira paciência infantil, batendo o pé no chão. Quando o objeto de metal estava escancarado, não tardou em pular para dentro da casa de Sasuke, que esboçou um pequeno sorriso ao avistar o Uzumaki se aproximando.

—Dobe! — ele exclamou enérgico, apertando Naruto em um abraço caloroso — Que bom que chegou. Quer brincar?

Antes que o loiro pudesse responder, o garotinho de cabelos negros e arrepiados já agarrava seu pulso, guiando-o casa adentro, fazendo o som melodioso de suas risadas mesclarem-se no ar.

—Claro, 'ttebayo! — replicou, um sorriso de orelha a orelha adornando seus lábios —

Pelas próximas duas horas seguintes, as duas crianças brincaram incansavelmente, correndo pela casa, quase derrubando a família do Uchiha no meio disso. Apesar da bagunça, ninguém podia negar que as duas pestinhas risonhas eram a alegria da casa.

E, depois de muito tempo, estavam estirados no chão do quarto de Sasuke, com as testas suadas, exaustos e ofegantes de tanto brincarem. Apesar disso, ambos sorriam um para o outro.

Permaneceram daquela forma, fitando o teto do quarto, acalmando as respirações descompassadas, até que Naruto proferiu:

—Ei, Sasuke. Ontem eu descobri o que é beijar.

—Como? — as orbes escuras voltaram-se para as cerúleas do loiro, curiosas —

—Vi meus pais fazendo.

—Os meus também fazem isso algumas vezes, mas sempre me dizem que só pode beijar alguém quando você gosta muito da pessoa. — comentou despretensiosamente —

O loiro escutou atentamente sua fala, colocando o dedo indicador e o polegar no queixo, numa feição pensativa. Levantou-se num ímpeto, ficando sentado.

—Eu gosto muito de você, Sasuke, então posso te beijar? — o garotinho perguntou, como se não fosse nada demais —

A respiração do pequeno Uchiha trancou na garganta, quase fazendo o pobre menino se engasgar com a própria saliva. Ele corou violentamente com a proposta, gritando:

—Ó-Obvio que não, Usuratonkachi! Crianças não podem se beijar! — gaguejou, sentindo o peito disparar —

O Uzumaki choramingou, fazendo um beicinho adorável de chateação.

—Ah, Sasuke! Mas nem um beijinho? — fitou o moreno com os olhinhos de um cachorrinho abandonado —

Sasuke crispou o rosto, querendo negar o pedido do amigo. Mas como podia dizer um "não" quando ele o encarava de maneira tão adorável? E foi incapaz de resistir quando ele juntou as mãozinhas na frente do próprio corpo, Silenciosamente pedindo por favor.

E não era como se não sentisse vontade de trocar aquele contato afetuoso com o loirinho, mas isso ficava guardado em seu coração à sete chaves, tão bem guardado que as vezes até ele mesmo esquecia.

—... Tudo bem. — disse timidamente, ainda com as bochechas rosadas — Mas não é 'pra ninguém ficar sabendo disso, ouviu?

—Uhum. — ele assentiu com a cabeça diversas vezes, prometendo sigilo — Juro que não conto 'pra ninguém.

—Então vem cá.

O Uzumaki ficou sentado sob os próprios joelhos, os dedinhos apertando a barra da bermuda, aguardando ansiosamente. Observava o rosto alheio fitando o chão, sem conseguir desviar os olhos do piso, totalmente embaraçado.

Vendo que o Uchiha não teria coragem para tomar a iniciativa, apoiou uma de suas mãozinhas no ombro estreito do menino, a outra erguendo o queixo do moreno com delicadeza. Não pôde refrear um sorriso bobo ao ver as órbitas ônix olharem-no de relance, para rapidamente desviarem para o lado.

—Olha 'pra mim, Sas.

—Então para de me encarar com essa cara de idiota, dobe.

—'Tá com vergonha? — o loiro abriu um sorriso presunçoso, vendo o moreno cerrar os olhos, suspirando fundo, corando ainda mais —

—...Cala a boca e me beija logo, vai. — pediu —

Falara apenas para dissipar o mais rápido possível aquele sentimento estranho que se alastrava por seu estômago, como borboletas fazendo uma festa. Não compreendia o que era, mas detinha a plena certeza de que tinha a ver com Naruto.

O Uzumaki meneou positivamente com a cabeça, concordando. Acercou seus rostos, ficando cada vez mais perto do moreno, que engoliu em seco, sentindo o coraçãozinho retumbar dentro do peito tão forte como uma escola de samba.

Inconscientemente tombou de leve o pescoço para o lado, encurtando a distância que separava seus lábios. Quando a pontinha de seus narizes resvalaram, fazendo suas respirações serenas mesclarem-se, quase sentiu a alma esvair-se do próprio corpo, tamanho o nervosismo que invadiu o pobre garoto.

Contudo, o que o acalmou foram os grandes e esplandecentes olhos azuis do loirinho, que sustentaram um olhar gentil com os seus ônix, amenizando aquela euforia que tomava conta de si, como um sopro em seus ouvidos sussurrando docemente que tudo estaria bem.

Subitamente, sentiu um impulso de coragem. Com isso, não perdeu a oportunidade. Seus dedinhos curtos agarraram as bochechas gordinhas de Naruto, e finalmente quebrou a pouca distância que separava-os, colando suas bocas.

Por um instante, sentiu-se no céu com a maciez dos lábios do Uzumaki. Sua cabeça era apenas um branco turvo, como se nada ao seu redor importasse, como se existisse apenas os dois no mundo. Suspirou num misto de alegria e satisfação, o que não passou despercebido pelo loiro, que abriu um pequeno sorriso dentre o contato. Sentiu o tecido da camisa ser torcido entre os dedos alheios, puxando-o para mais perto, como se quisesse sentir mais. Conjuntamente com isso, a bochecha era acarinhada pela ponta das digitais do outro garotinho.

Era apenas um simples selar de bocas, mas o suficiente para inebriar todo o corpo de Sasuke com sensações indescritíveis e fazer seu peito titubear, extremamente acelerado.

Poucos segundos depois o loiro se afastou com calma, porém mantendo suas testas coladas, as bochechas adoravelmente coradas realçando sua beleza, assim como os raios de sol que invadiam o quarto pela janela. Sua mão agora repousava no peito do moreno, sentindo as palpitações insistentes.

—Seu coração 'tá batendo rápido. — foi a primeira coisa que veio à sua mente, e pôs em palavras o que pensou —

—Eu sei...

—O meu também. — tomou o pulso do Uchiha, conduzindo-o até o próprio coração — Então quer dizer que você fica nervoso quando 'tá comigo, Sasuke? — inquiriu provocativo, arqueando uma sobrancelha —

—D-De onde tirou isso? Claro que não! — virou de costas para Naruto, apenas para que ele não visse seu rosto tão rubro quanto um tomate pela vergonha — Para de dizer essas coisas!

—Isso quer dizer que você gosta de mim?

—...Eu te odeio, dobe.

Naruto gargalhou baixinho. Conhecia Sasuke há tempo suficiente para saber que aquele "eu te odeio",na verdade significava um"eu gosto de você", porém ele era orgulhoso demais para admitir isso.

—Naruto...Você gostou do beijo? — a pergunta simplesmente escorregou de seus lábios, e praguejou mentalmente por isso —

—Uhum. — afirmou — E você?

—Hm. — soltou apenas um murmúrio, mas foi o suficiente para o loiro entender que era um "sim" —

—Ei, Sasuke.

—Fala. — espreitou por cima do ombro, interessado —

—Posso fazer uma pergunta?

—Já fez, dobe. — caçoou, esboçando um sorriso mínimo — Brincadeira, pode.

—Quando eu crescer, você vai ser meu namorado? — inquiriu em toda sua inocência infantil, com os olhinhos esperançosos —

O coração do moreno falhou uma batida com o questionamento, que o pegou de surpresa. O que Naruto pretendia com essa pergunta? E por quê ficava tão encabulado e feliz com ela?

—...Você quer que eu seja? — sustentou a mirada do loiro, ficando mais ansioso a medida que os segundos passavam, o que pareceu uma eternidade —

—Sim, 'ttebayo! — rebateu de maneira animada, o que arrancou um risinho de Sasuke —

—Então eu vou ser.

—Já que você vai, eu posso te dar outro beijinho? — questionou, brincando com os dedinhos, agora tão embaraçado quanto onamorado-que-ainda-não-é-namorado

Sasuke virou seu corpo por completo defronte para Naruto, aproximando-se. Em vez de replicá-lo com palavras, tomou uma atitude. Segurou as bochechas do Uzumaki, apertando-as entre os dedos, por fim deixando um selinho estalado em seus lábios.
Com isso, foi a vez do garoto que fora beijado ficar acanhado, cobrindo a boca com a mão em sinal de descrença.

—Isso responde sua pergunta? — retomou a postura marrenta e confiante que sempre tinha, orgulhoso de si mesmo por deixar o menino que gostava daquela forma —

—Tenho outra. — sorriu amarelo, vendo o Uchiha revirar os olhos —

—Qual?

—Posso te dar quantos beijinhos eu quiser?

Novamente o rubor retomou às maçãs do rosto do moreno, que sorriu comedido, colando suas bocas outras vez.

"Até que não é tão ruim assim." Pensou, antes de exprimir o seu veredito, deixando claro para Naruto suas intenções:

—Sim, quantos você quiser.

25 de Setembro de 2021 às 20:06 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Dia dos namorados

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!