theblueb0y Levi Luka

Eram cerca de 23:28 da noite. Aquele era um início de uma madrugada entediante para Naruto, que apenas assinava papelada atrás de papelada. Estava estressado, com mau humor. Pensava que provavelmente passaria aquele resto de noite enfurnado dentro daquele escritório, assinando documentos até a exaustão. O que ele não sabe, é que a madrugada não será tão entediante assim. "—Trabalhando muito, Hokage-Sama?" Com Sasuke perto de si, aquela noite no escritório do Hokage pode se tornar bem divertida. [Lemon|18+|NaruSasu]


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#LGBT #Naruto #Gay #Yaoi #Lemon #BL #SasuNaru #SasuNaruSasu #NaruSasu #NaruSasuNaru # #BottomSasuke #SasukeUke #TopNaruto #NarutoAtivo #NarutoSeme #SasukePassivo #Clones
2
301 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Trabalhando muito, Hokage-Sama?

Eram cerca de 23:28 da noite. Lá fora, o sombrio negrume celeste abraçava a pacata vila de Konoha. A lua esplandecente iluminava a noite calma e silenciosa. Tudo que se podia escutar era o cricrilar dos grilos e a ventania que soprava, quase como numa canção.

Dentro do escritório do Hokage, tudo que a vista poderia captar era um enorme breu, a única fonte de luz era o satélite lunar. Quem entrasse no recinto demoraria bons minutos para acostumar os olhos, pois até o homem presente ali tinha que admitir que estava com dificuldade para enxergar.

Lá no fundo do cômodo, o laranja berrante da jaqueta de Naruto, seus fios loiros e suas orbes cerúleas faziam um belo contraste com o resto dos móveis e das paredes de cores escuras e monocromáticas; assim permitindo que fosse facilmente identificado.

Seu dia se repetia como todos os outros, nada de novo. Sua rotina era ficar sentado numa cadeira assinando papelada e mais papelada até a exaustão. Revisava os documentos com um desânimo palpável.

Seu humor não era dos melhores, afinal, era trabalho demais para si! Nunca pensou que ser um Hokage fosse tão enfadonho. Estava estressado, provavelmente passaria o resto de sua noite enfurnado dentro daquele escritório e depois voltaria para casa, onde encontraria seus amados filhos, que sentia falta de poder dar a devida atenção, e Hinata.

"Que vida a minha, hein? Se ao menos Sasuke estivesse aqui..."O Uzumaki suspirou pesadamente com seu pensamento, seu rosto foi de encontro com a mesa por alguns segundos, apertando os olhos com força.

Trabalhando muito, Hokage-Sama? — uma voz grave e familiar invadiu seus ouvidos —

Imediatamente o loiro ficou atento, arregalando os olhos em surpresa e enrijecendo os músculos, sentido o coração acelerado dando pinotes apressados dentro do peito.

Não podia ser... Aquele era... Sasuke? Não! Impossível! Ele estava em uma missão relativamente demorada, não iria chegar tão cedo!

Ergueu o pescoço e girou o rosto para o lado, espreitando por cima do ombro para verificar se realmente era quem estava pensando, ou se sua mente apenas resolvera pregar-lhe uma peça sem graça.

E quando constatou que sim, era verdade, uma faísca de felicidade acendeu-se em seu interior. O canto de seus lábios se curvou em um sorriso que, com muito esforço, comediu.

—Sasuke! — podia até conter o sorriso, mas não a empolgação ao ver o moreno —

Sasuke encontrava-se escorado no parapeito da janela, seu — único — braço apoiado no joelho, enquanto as madeixas umbrosas na altura do ombro balançavam contra a brisa gélida.

Aquela cena se encaixava perfeitamente com o Uchiha. Sua capa negra e seus cabelos eram tão escuros quanto a imensidão do céu, os olhos ônix pareciam refletir o brilho das estrelas, a tez pálida contrastava em meio àquela escuridão. Queria poder tirar uma foto daquele momento.

Por que ele tinha que ser absurdamente lindo daquela forma?

—Yo. — replicou brevemente, saltando para dentro do escritório — Como vai?

Naruto não o respondeu, porém levantou num ímpeto da cadeira e deu uma corridinha na sua direção, seu corpo quase trepidando pela saudade. Ele não hesitou em pular em cima de Sasuke e abraçá-lo com força.

—Estava com tanta saudade assim? — soltou uma risadinha sarcástica, todavia estava feliz por saber que seu loiro sentia sua falta —

—Uhum. — murmurou positivamente, assentindo com a cabeça e abraçando-lhe com mais força — Estou feliz que você voltou.

O Uchiha levou seus dedos enluvados até o cabelo do Uzumaki, acariciando seus fios dourados com afeição. O Uzumaki instantâneamente derreteu-se por inteiro, abrindo um enorme sorriso.

—Agora estou aqui. — segredou baixinho, para que só o outro pudesse ouvir —

—Finalmente, já era hora. — sua voz saíra abafada por conta do seu rosto enterrado nas roupas do Uchiha —

—Eu só demorei dois dias, nem levou tanto tempo.

—'Pra mim, levou. — retrucou — A propósito, a duração da sua missão era de cinco dias, por quê voltou tão rápido? Não que eu esteja reclamando! — explicou nervoso, gesticulando de maneira exagerada —

—Nada demais, só foi muito fácil e acabei voltando cedo. — rebateu de forma simples e direta — Eu ia direto 'pra casa, mas resolvi te fazer uma surpresa.

—E quanto a Sakura-chan e a Sarada? — inquiriu —

—Irei vê-las amanhã. — disse com simplismo —

—Você já passa muito tempo com elas, 'pra não dizer o contrário, e ainda fica vagando por aí como um sem terra. — brincou, fazendo o rapaz à sua frente estalar a língua e revirar os olhos —

—Olha só quem fala! Fica o dia inteiro na vila e nem sequer dá uma passada na própria casa 'pra ver se os filhos estão bem. E quanto a suaqueridaesposa, sem comentários. — alfinetou —

—Deixa de ciúmes, Sasuke! Eu me divorciei dela só 'pra poder namorar você. — ralhou —

—Hmpf, mesmo assim. — deu de ombros — E quanto aos seus filhos?

—Sou muito ocupado, ser Hokage não é nada fácil.

—Não é o ocupado quando quer me ver. — rebateu em um tom provocativo —

—Você quem invade meu escritório 'pra me ver, teme. — refrescou a memória de Sasuke —

—Eu também sinto saudades, sabia?

—Vamos aproveitar e matá-la agora, Sas. — tirou uma mecha da frente do olho esquerdo do moreno, vendo seu Rinnegan cintilando perante à luz da lua — Não esperei dois dias à toa, meu amor. — beijou a bochecha branquinha e macia —

—E o que você sugere, Naruto? — arqueou uma sobrancelha —

Ele lançou um sorriso doce na direção do Uchiha, apoiando uma mão em suas costas e levando o outro braço para a parte interna dos joelhos do maior, pegando-o no colo.

—Mas que-

—Fica quieto, Sasuke! — repreendeu — Estou sendo carinhoso.

—Hmpf. — revirou os olhos —

Caminhou pela sala com o homem emburrado em seus braços e, por fim, sentou na cadeira que estava anteriormente, acomodando Sasuke de frente para si e sentado em suas coxas.

—Morreu? — fez uma pergunta retórica e riu num misto de divertimento e escárnio, conduzindo as mãos até a cintura dele —

—Tsc, Usuratonkachi. — sussurrou, estalou a língua no céu da boca —

—Vamos pôr o papo em dia. — sugeriu — Como você 'tá?

—Um pouco cansado. — admitiu — Mas nada que não dê 'pra aguentar. E você? Não inventou de trocar a noite pelo dia e não comer direito, não é?

—E-Então... — riu-se nervosamente, gaguejando, coçando a nuca e já prevendo o sermão que levaria —

—Naruto... — ralhou, semicerrando os olhos — Não me obrigue a te enfiar comida goela abaixo.

—Você não precisa se preocupar com essas coisas, eu me viro bem.

—Foda-se! — xingou — Isso faz mal 'pra sua saúde, eu não quero te ver doente pelos cantos.

—Oh, está preocupado comigo, é? — conteve uma gargalhada —

—Usuratonkachi, é óbvio que não! — desconversou — A questão é que depois você sempre vem implorar 'pra eu cuidar de você, e eu tenho mais o que fazer.

O Uchiha tentara esconder o que realmente pensava. A verdade é que se preocupava muito com Naruto, até demais para seu gosto.

—Você é mau, Sasuke. — resmungou em chateação, fazendo um biquinho emburrado —

O moreno não resistiu a esse gesto. O Uzumaki estava adorável, em sua opinião. Mordiscou de leve o lábio inferior do Uzumaki, desfazendo o bico alheio, sentindo a respiração do outro misturar-se à sua.

Suas orbes se encontraram, suas miradas fixaram-se uma na outra, tornando-se mais intensas a cada segundo que passava. Sasuke desejava um beijo, e isso era evidente.

Naruto não estava muito diferente de si. Podia sentir o olhar dele sob seus lábios, lambendo a própria boca, desejoso. Abaixou a própria mira, passeando seus olhos sob a boca bem desenhada do loiro, contendo um suspiro apaixonado e a vontade de tomar seus lábios de uma vez.

Ergueu as orbes novamente, fitando profundamente aqueles belos olhos azuis, como se silenciosamente pedisse permissão para beijá-lo, e, para sua felicidade, os olhos de Naruto diziam que sim, quase gritavam "Vem, anda logo, eu quero você!".

Eliminou aquele resto de distância insignificante e tomou os lábios do homem com voracidade.

O Uzumaki soltou um suspiro atenuado entre o beijo, finalmente estava beijando o rapaz que amava.

Puxou de leve os cabelos negros do Uchiha, embrenhando os dedos nas madeixas macias. Nunca conseguia ficar muito tempo longe dele, mesmo que fossem apenas alguns dias.

Sempre havia aquele acúmulo tortuoso de vontade de vê-lo, de tê-lo novamente em seus braços, de tocá-lo por inteiro. E quando o Uchiha voltava, não demorava muito até desistir de segurar sua vontade e enfim devorar a boca de Sasuke como bem queria.

Ansiava ainda mais por aquilo, porque o moreno era muito, mas muito bom na arte de beijar.

Entre aquela bagunça de mordidas, estalos molhados e suspiros, Sasuke sentiu as mãos de Naruto apertarem sua cintura com mais força, firmando-se ali.

O loiro findou o beijo com selinhos demorados nos lábios do maior, espalhando beijos afáveis por todo o rosto dele.

Deixou um último beijo suave perto da orelha de Sasuke, sussurrando:

—Eu te amo.

E foi ali, naquele exato momento, que sentiu o corpo do moreno estremecer por completo sob seu colo. Então reparou nos pêlos arrepiados quando tocou a derme febril por debaixo da roupa.

O rapaz praguejou mentalmente quando um gemido escapou de sua garganta involuntariamente, desapoderado do controle do próprio corpo quando Naruto falava daquela forma.

—Eu também te amo, Naruto. — proferiu com a voz fraquinha —

A voz grave, rouca e baixinha junto àquele gemidinho gostoso que Sasuke deixara sair causou grandes efeitos no menor. Ele sentia seu corpo inteiro ardendo em uma vontade crescente, e aquela sensação calorosa apenas se alastrava por suas células.

—Sasuke... — sua voz saiu arrastada e mais rouca do que deveria — Você não tem ideia do quanto eu senti sua falta... Do seu beijo... — olhou para a boca rosada do moreno, mordendo os próprios lábios — Do seu cheiro... — colou seu nariz ao pescoço cheiroso do Uchiha, o perfume suave adentrava suas narinas — Das suas conversas... Do seu corpo... — sussurrou a última frase bem no ouvido de Sasuke, suas mãos corriam sugestivamente pelo corpo sentado em seu colo — De você por inteiro.

—Eu também senti sua falta. — o canto seus lábios curvaram-se para cima num sorriso singelo — E não precisa ficar enrolando tanto, é só falar logo que quer me comer.

Em outra circunstância, o Uzumaki estaria reclamando da falta de sutileza e da quebra do clima romântico por parte do outro. Entretanto, naquele momento, seu corpo implorava demais pelo de Sasuke para que pensasse em outra coisa.

—E você quer que eu te coma, Sasuke? — sorriu lascivo, suas feições tomando uma nuance de luxúria —

—O que você acha? — lançou um olhar igualmente safado para o loiro —

—Eu acho que você não deveria estar falando, e sim gemendo meu nome.

Então Sasuke puxou o pescoço do menor para que este se abaixasse novamente para beijá-lo, já impaciente.

—E o que está esperando? — sussurrou, sendo calado com um puxão de cabelo por parte de Naruto —

Seus rostos ficaram ainda mais próximos, a boca úmida de Naruto roçavam contra a do Uchiha, que o provocava soltando sorrisos maliciosos e distribuindo mordidas indecentes em seus lábios.

—Eu não mandei você falar, então cale a boca, Uchiha atrevido. — rosnou rispidamente, o que era incomum vindo de si —

Ah, aquela voz rouca sussurrando aquele tipo de coisa... Ainda mais naquele tom... Isso deixou Sasuke mais entusiasmado a continuar com o que estava fazendo.

—Só paro quando eu estiver com seu pau na minha boca, Uzumaki.

—Mandei se calar. — retrucou, estapeando a bunda de Sasuke fortemente, ouvindo um ofego por parte do maior —

Provou os lábios do moreno novamente, trocando um beijo tão intenso quanto o outro, senão mais! Em meio a saudade presente ali, havia também luxúria, desejo, malícia, tesão...

Naruto não demorou-se em desabotoar a capa do outro, deixando o tecido deslizar pelos ombros ainda revestidos por outros tecidos, e cair esquecido no chão. Aproveitou que já estava despindo o homem, e removeu o resto com pressa, ansioso para ver o que tinha por debaixo daquelas roupas, afoito para tocar o corpo de Sasuke.

O Uchiha também ansiava por aquilo. Naruto comprovou isso com o moreno exasperado tentando abaixar o zíper de sua jaqueta, porém o pequeno objeto emperrando no meio do caminho. Soltou uma gargalhada gostosa, proferindo:

—Deixa que eu tiro isso, hm?

Sem delongas, tirou o casaco, deixando seu tronco nu, à mercê do Uchiha. Ele o secava tanto que podia sentir o olhar dele queimando por sua pele.

Sasuke olhou Naruto de cima a baixo sem sequer disfarçar, pensando no quanto amava a tez acobreada do loiro. Levou a ponta dos dedos até o torso já desnudo, sentindo calor emanar de cada poro do Uzumaki. Estava em uma situação similar, seu corpo incendiava em desejo vendo o homem exibindo seus músculos bem trabalhados só para si.

Perpetuou a carícia, mapeando cada pedaço do corpo do outro, sentindo-o, levando-o à loucura aos poucos. Encostou os lábios no pescoço febril, plantando um beijo suave. Sorriu satisfeito com o Uzumaki demonstrando gostar de seus toques com gemidos. Seus lábios calorosos e molhados continuaram a explorar o tórax do outro como se fosse a primeira vez. Naruto ganhava lambidas extremamente eróticas e mordidas lascivas.

Ele desceu um pouco mais a cabeça, sugando um dos mamilos sensíveis, enquanto beliscava e friccionava o outro com o polegar.

As bochechas do loiro coravam aos poucos na medida que o moreno aumentava as carícias, apertando sua cintura e arranhando seu abdômen. Sasuke sorriu satisfeito por ter conseguido deixar Naruto na palma de suas mãos, porém foi surpreendido pelo Uzumaki se levantando com ferocidade, num ímpeto.

Mal teve tempo para raciocinar, só viu aqueles milhares de papéis, que anteriormente estavam sobre a mesa do Hokage, no chão. Suas costas colidiram com uma superfície dura, enquanto seu pulso era pressionado contra a mesma região de madeira, que era a mesma bendita mesa que os papéis estavam.

—N-Naruto... — murmurou, levemente assustado — O que você está pensando em fazer?

—Sabe, Sasuke... — ele começou — Eu amo transar com você... E amaria ainda mais se fizéssemos algo diferente do habitual.

—O que você quer dizer com isso?

—Quero dizer que nós vamos foder bem aqui, na minha sala.

—Ficou louco, Usuratonkachi? E se alguém nos pegar aqui? Como você vai explicar isso? — no mesmo átimo que principiou o sermão, Naruto tirou um molho de chaves do bolso da calça, tilintando o metal na frente de seus olhos —

—Eu vou trancar a porta, não precisa se preocupar.

O Uzumaki caminhou até a porta a passos largos. Enquanto aquilo acontecia, Sasuke refletia no quanto o loiro era ousado por ter a audácia de imaginar algo daquele tipo. Apesar disso, não ficou tão chocado, aquilo era bem o feitio dele.

Ficou sentado na mesa, sentindo o olhar do menor queimar sob sua pele na medida que ele voltava para onde estavam. Ele colocou as mãos em seu peitoral, empurrando-o com delicadeza até que seu corpo estivesse deitado novamente.

—É agora que o show vai começar.

Então abriu um sorriso travesso, que deu a certeza à Sasuke de que aquele loiro iria aprontar.

Retornou a capturar os lábios do Uchiha, se deliciando com o sabor da boca dele. Suas mãos percorriam a pele despida do maior, assim como ele fizera consigo. Os dígitos longos desceram pelo corpo alheio mais e mais, até que por fim chegaram na coxa direita do moreno, local que Naruto deu um aperto possessivo e certeiro, arrancando um suspiro meio esganiçado, quase um gemido.

Subiu um pouco, apenas o suficiente para chegar no meio das pernas dele.

Repousou a mão ali, sorrindo em deleite. Sasuke estava duro, e a prova era o volume muito bem formado roçando no tecido grosso da calça. Testou a sensibilidade dele, subindo e descendo os dedos, intercalando gradativamente a força e a velocidade que usava. Ele abriu as pernas, pedindo silenciosamente por mais contato.

Ao invés de continuar com as carícias no pênis do moreno, abriu mais as pernas do rapaz e insinou sua ereção no vão das nádegas alheias, fazendo-o sentir o quão excitado estava. Sasuke jogou o quadril para trás, e em resposta Naruto simulou uma estocada ainda por cima da roupa. Como esperado, Sasuke gemeu, tombando o pescoço para trás.

—Está com vergonha, Sasuke? — pôs uma mecha de cabelo atrás da orelha de Sasuke, que estava adoravelmente corado num misto de tesão e vergonha — Então se prepare, porque eu vou te dar um bom motivo para ficar tímido.

Antes que pudesse proferir qualquer palavra, foi cortado por uma frase muito bem conhecida por si que escutava há muitos anos. Porém, naquele momento, era o que menos esperava ouvir. Ficou completamente pasmo, perdido e descrente.

—Kage Bunshin no Jutsu.

No mesmo instante apareceram duas réplicas ao lado de Naruto, ambas com a mesma expressão libertina do loiro.

"Não me diga que... Puta que pariu!"Sasuke pensou, arregalando os olhos e perdendo o ar por alguns instantes.

—Naruto...

—Sasuke... O que você pensa sobre ter três de mim te tocando?

Enquanto fez o questionamento, um de seus clones foi para trás do Uchiha, distribuindo beijos e mordidas pela nuca e pela região perto da orelha. O outro ficou de joelhos no chão, tirando a calça e a cueca de uma vez só, o masturbando.

—Hein, Sasuke? — o clone perguntou atrás de si, falando extremamente perto de sua orelha — Nos responda. — uma risada divertida escapou de seus lábios quando o Uchiha arfou pela sensibilidade do local —

Nada saía da boca de Sasuke, exceto grunhidos surpresos. Apesar de tudo, ele estava adorando. Naruto sabia excitá-lo como ninguém, conhecia seus pontos fracos e sabia exatamente onde tocá-lo para que fosse à loucura. Se um dele já desencadeava todo aquele efeito em si, imagine três!

—E-Eu... — gaguejou — Eu acho que você deveria parar de me enrolar e... Ah... — gemeu — Ir logo ao ponto...

—Mais cedo você disse que só pararia de falar quando estivesse com meu pau na sua boca, não é? — voltou a ficar de pé, desafivelando o cinto e abaixando o zíper da calça, deixando a mesma escorregar pelas pernas — Agora eu vou fazer questão de te deixar bem quietinho.

As réplicas trocaram de lugar, uma veio para perto de seu rosto e a outra passou a procurar algo nas gavetas.

O Naruto original voltou para terminar o trabalho que seu clone estava fazendo no meio de suas pernas.

Envolveu o membro teso com a mão direita, espalhando o pré gozo por todo o comprimento. Cheio de vontade, afundou o rosto na virilha do rapaz, mordendo com pouca força, descendo para a carne macia das coxas.
Acelerou a velocidade da masturbação enquanto tocava pontos chave do corpo do Uchiha, que estremecia sob seus toques.

Outra mão puxou seus fios para trás com certa brutalidade, e deu de cara com o pênis duro como pedra de um dos clones.

Era exatamente como o de Naruto: Enorme, grosso, com veias saltadas, pulsante, quente, e com certeza faria um belo de um estrago em si.

Sua boca salivou com o pensamento.

—Não é só você que está precisando de atenção aí em baixo, Sasuke. Anda, usa essa boquinha gostosa para o que você faz de melhor. — cutucou a bochecha vermelhinha de Sasuke com a ereção, sujando seu rosto —

O moreno abriu a boca o máximo que pôde e pôs a língua para fora, esperando que algo entrasse ali.

O maldito apenas deixava o pau que babava líquido pré-seminal pairando acima de seu rosto, permitindo que gotas de porra caíssem em sua língua.

—Vai querer que eu chupe essa merda ou não? — rosnou irritado —

—Se quer tanto me chupar, não vá pensando que eu vou pôr na sua boca. Vai ter que vir buscar. — um sorrisinho maldoso esboçou-se em seus lábios —

Naruto sabia que Sasuke queria — e como queria! —, porém não admitiria isso nem sob tortura, e aquele era um pequeno desafio para testar até onde os limites do Uchiha iam.

—Tsc, nem fodendo que eu vou. —se conteu para não acabar fazendo o que o Uzumaki queria —

—Tem certeza? — ele continuava com aquele sorriso prepotente adornando os lábios bonitos —

Sasuke resolveu ignorar seu orgulho gritando lá no fundo do seu âmago, pois estava necessitado — tanto de receber como dar prazer —. Guardou tudo aquilo no fundo da mente e caiu de boca no pau do Uzumaki.

Gemeu extasiado, como se estivesse provando a comida mais saborosa do mundo. Estava com saudades da textura, do gosto, do calor.

Assim como ele, Naruto sentia falta de ter a boca macia e quente do moreno junto a língua bem molhada fazendo um boquete dos deuses.

O Uchiha encontrava-se numa situação que seu corpo e sua mente estavam desconcertados. Era difícil dar prazer para alguém enquanto outra pessoa o chupava, e ficou ainda mais árduo quando a outra réplica do loiro veio com um tubo de lubrificante na mão, penetrando-lhe um dedo já lambuzado com o líquido gelado.

Gemeu pelo leve choque térmico, a réplica soltou um suspiro pesado pela cavidade quentinha abrigá-lo.

—Dói? — viu Sasuke negar com a cabeça —

Então aumentou o ritmo, ficando num vai e vem ritmado e veloz. Quando haviam se passado alguns minutos daquela brincadeira divertida para ambos, o moreno gemeu alto, enviando vibrações para o pênis de Naruto. A boca do rapaz abandonou a carne macia, e contorcendo as pernas em deleite.
A próstata dele fora encontrada.

Sorriu de canto e meteu mais um dígito, arremetendo novamente aquele ponto sensível.

AH! — um grito esganiçado saíra de sua garganta, deixando- enrubescido de vergonha —

—Desse jeito você vai acordar Konoha inteira. — o Naruto original caçoou —

—Me dá uma folga, vai... Não 'tá fácil aguentar três... de uma vez só... — exprimiu com a respiração errática, com suspiros entrecortados —

—Na próxima eu trago uma mordaça.

Nem pense nisso. — lançou um olhar ameaçador —

—Você ficaria sexy. — argumentou —

—E você tem uns fetiches estranhos, Usuratonkachi.

—Você não sabe nem da metade.

—É? Talvez eu queira conhecer alguns deles...

O outro clone empurrou mais uma digital, porém não era mais necessário, o Uchiha sequer sentia dor. Muito pelo contrário, o prazer embebia cada célula existente em seu corpo.

—Sasuke.

—Hm? — murmurou —

—Você aguenta uma penetração dupla?

—O-O quê? — gaguejou, incrédulo pelo quase pedido —

—Eu quero muito fazer isso, mas não vou forçar se você não quiser...

De antemão fora interrompido pelo Uchiha, que dissera decidido:

—Eu quero! Só tenha cuidado, isso deve machucar.

—Pode deixar, vou ser gentil.

Uma das réplicas desvaneceu, restando apenas um clone e o Naruto original. O Uzumaki catou o lubrificante, derramando em seu pau. Espalhou uma boa quantidade pela extensão de seu falo, aliviando-se um pouco, enquanto o clone fazia o mesmo.

Naruto sabia que com um só não iria ter problemas, o complicado seria a outra versão de si arrumar um jeito de conseguir se comprimir dentro do moreno. Virou o corpo de Sasuke, pressionando-o contra a mesa. Ele debruçou-se sob a madeira, colando o torso ali, deixando a bunda empinada o máximo que conseguia.

Um dos loiros mordeu uma das nádegas de pele imaculada, enquanto o original apertou a carne macia com força, desferindo um belo de um tapa, deixando a marca de seus dedos.

—Você é tão gostoso, Sasuke... Olha o tamanho desse rabo! Qualquer dia você ainda vai me enlouquecer. — segredou ao pé do ouvido do Uchiha —

—Sou, é?

—Muito!

—Então prove isso agora e me fode gostoso, Naruto!

—Você que pediu.

Não esperou mais um segundo, se empalou naquele cuzinho que praticamente implorava para ser fodido.

Sasuke gemeu de forma despudorada, abrindo mais as pernas, colando a bunda ao quadril do loiro.

—Isso mesmo, seu filho da puta. — xingou alto — Mais!

Cravou as unhas na cintura do Uchiha, estocando com força. Apesar disso, estava indo devagar, para o descontentamento de Sasuke, e o ritmo lento já estava lhe deixando irritando, e quando ia reclamar, o clone do Uzumaki se pronunciou:

—Agora é minha vez.

O maior estremeceu levemente por dentro, com certo medo de não conseguir andar no dia seguinte.

Ele se posicionou com cuidado, separando as nádegas expondo a entrada de Sasuke. Empurrou-se ali delicadamente para não machucá-lo. Não adiantou muita coisa, já que continuava a arder e forçá-lo por dentro.

Contudo, não foi a sensação dolorida que o espantou, mas sim a possibilidade remota de talvez estar gostando dela.

"Eu realmente estou ficando mais excitado sentindo dor?! Puta merda, preciso parar de andar com Naruto por uns tempos."

—Pode ir de uma vez. — exprimiu —

—Não está doendo? — arqueou uma sobrancelha, estupefato pelo pedido —

—Está, mas... — pausou, mordendo o lábio, envergonhado pelo o que iria dizer — É bom... Estou gostando...

—Ora, ora... — sorriu libidinoso — Parece que temos um masoquista aqui.

—Isso é culpa sua, Naruto! Agora eu também estou com seus fetiches estranhos.

—Não se preocupe, isso é completamente normal. — beijou a bochecha do rapaz — E eu vou cuidar muito bem do seu fetiche, Sasuke.

A sensação de estar ali, fodendo com dois do Uzumaki ao mesmo tempo, era simplesmente incrível e inebriante. Sentia-se no paraíso, quase a ponto de ver estrelas.

Implorava por mais, sentindo lágrimas finas escorrerem pelas bochechas, tamanho o tesão que sentia.

Os loiros gemiam rouco em seus ouvidos, sussurrando frases libertinas e elogios sujos, deixando o Uchiha corado e tímido, porém não ficava para trás no quesito palavreado.

—Você gosta de ter dois paus atolados no seu cu, sua putinha safada? — dizia enquanto puxava o cabelo do rapaz —

—Awn... S-Sim!... Vai, Naruto... Ah...Me arromba todo... — suas sentenças saíam emboladas em meio aos gemidos —

Eles metiam cada vez mais fundo e mais rápido, deixando-o em deleite por sentir a cabeça do pau roçando em sua próstata. Houve um momento em que passaram a acertar em seu ponto fraco, várias e várias vezes.

Suas pernas fraquejavam e tremiam, sua garganta doía de tanto gritar, sentia que iria gozar a qualquer momento. Já não via mais estrelas, galáxias inteiras passavam diante de seus olhos.

Um gemido carregado de prazer mesclado à um leve desespero para chegar ao ápice logo veio, seguido de um arrepio arrebatador, caloroso, ardendo em brasa. Sua mente ficou turva, forçando-o a apertar os olhos, sentindo seu tão aclamado orgasmo chegando.

Atrás de si, sentia o pênis dos rapazes soltarem espasmos.
A voz deles saíra alta e arrastada, indicando que estavam perto.
Um jato de porra quente expeliu-se dentro de si, preenchendo-lhe cada centímetro.

O clone do Uzumaki se dissipou, deixando apenas os dois no escritório, com suas respirações descompassadas e corpos cansados.

E não demorou muito para que ambos estivessem novamente sob a cadeira do Hokage, trocando abraços e beijos carinhosos.

************************************

Era de manhã bem cedinho, antes das 06:00. O Uzumaki abraçava o namorado e afagava seus cabelos negros. O Uchiha estava no colo do loiro, coberto pela própria calça, e usando a jaqueta alaranjada como cobertor.

Um silêncio pairava, mas era agradável. Fitaram um ao outro por alguns instantes, já sabendo do que se tratava.

—Você precisa mesmo ir embora? — acariciou as costas nuas do homem eu seu colo — Eu meio que... queria que você ficasse...

—Eu também queria... Mas também preciso dar um pouco de atenção 'pra minha filha, estou com saudades dela.

—Cuide bem dela, ela merece.

—Irei. Vou sentir saudades.

—Eu também, Sas.

—Se quiser, posso voltar de madrugada e passar uns dois dias com você. — propôs —

—Eu adoraria. — sorriu genuinamente —

—Me espere, logo logo estarei aqui.

Sasuke levantou-se e vestiu-se devidamente, se preparando para ir embora. Queria ficar mais um pouco com Naruto, entretanto, não podia.

—Vai agora? — inquiriu —

—Sim. — sorriu comedido —

Encaminhou-se para a saída, e quando estava a poucos centímetros da porta, estagnou no lugar. Recuou, voltando até a mesa do Hokage.

—O que foi, Sasuke?

—Não vai me dar um beijo?

O Uzumaki sorriu bobo, ficando de pé, puxando o moreno pela cintura.

—Vem cá.

Repousou a mão livre na nuca do Uchiha beijando-o carinhosamente, demonstrando saudades, afeto e, principalmente:Amor.

—Agora sim, estou indo. Até mais tarde.

—Até. — sorriu — Eu te amo, Sasuke.

—Eu também te amo. — não conteu um leve suspiro apaixonado, derretendo-se por completo —

************************************

Mais uma noite estrelada chegava, a vila estava quieta, tudo silencioso. Tudo que se escutava era o folhear dos papéis que o Hokage organizava.

Trabalhando muito, Hokage-sama? — uma voz grave se pronunciou —

Naruto sorriu, espreitando por cima do ombro.

—Bem vindo de volta, Sasuke.

23 de Setembro de 2021 às 19:22 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

Levi Luka 🔹𝕋𝕠𝕠 𝕨𝕖𝕚𝕣𝕕 𝕥𝕠 𝕝𝕚𝕧𝕖, 𝕥𝕠𝕠 𝕣𝕒𝕣𝕖 𝕥𝕠 𝕕𝕚𝕖🔹 Iae, meu nome é Levi Luka. Bem vindes ao meu lar doce inferno. Quer saber um pouco mais sobre mim? Então toma: 🔭Ele/Dele. 🔭LG(B)(T). 🔭Homem trans. 🔭Obcecado por Naruto. 🔭NaruSasu/SasuIta OTP. 🔭Escrevo porquê me completa, me fascina, mas principalmente, para fugir da realidade. 🔭Apaixonado pela arte. 🔭Minhas criações são minha fonte de energia. 🔭#MakeChesterProud. 🔭Spirit: @theblueb0y

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~