sandra-longbottom24 Sandra Longbottom

“ Tinha que me mentalizar que Scorpius não me amava, mas era difícil. Senti as lágrimas invadindo meus olhos, mas não chorei. Tinha que ser forte. Só quero que essa noite termine o mais rápido possível.”


Fanfiction Todo o público.

#romance #songfic #scorose #salily
0
317 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Nota da Autora: Os personagens, lugares e citações que forem reconhecidos como sendo da saga de Harry Potter são da prioridade de J. , Scholastic Books, Bloomsbury Publishing, Editora Rocco ou Warner Bros. Entertainment. Nenhum lucro foi auferido pela criação desta fic.

S.L.


Estava sentada em uma cadeira e observava, aborrecida, o baile que estava ocorrendo no Salão Principal. Não queria ter vindo mas Lily, minha prima, e Lysander Scamander me obrigaram. Minhas amigas e colegas tinham todas acompanhantes, menos eu. Nenhum garoto me chamou para ir com ele ao baile. Talvez porque Hugo os tenha ameaçado? Não sei dizer. Eu não acho que meu irmão tenha feito isso, mas ele é tão cabeça dura como papai, que eu não sei. Percebi que as garotas davam largos sorrisos, enquanto dançavam. Dava para ver que estavam se divertindo. Olhei para meu vestido, um tomara que caia azul, que combinava com a cor de meus olhos e suspirei. Horas em frente ao espelho desperdiçadas. Virei o corpo e peguei em um copo com suco de abóbora. Levei á boca ao mesmo tempo que via Scorpius entrando com uma garota de sua Casa. Olhei para ela com atenção, tentando me lembrar quem era. Seu nome me veio á memória: “Madeleine Zabini” – Pensei, enquanto pousava o copo em cima da mesa. Por uns momentos, desejei que fosse eu a estar nos braços dele, sentindo o corpo dele junto ao meu. Eu sabia que ele me via como uma amiga, sua confidente, mas eu não o via assim. Eu o amava. Perdidamente.

Olhei para minhas longas unhas cor de rosa pálido e suspirei. “Será que se eu for para o dormitório alguém dará pela minha falta?” – Pensei – “Claro que não”. Conclui, ironicamente. Ninguém se lembraria de mim. Reparei que Scorpius e Zabini dançavam juntos, seus corpos quase se tocando e fiquei com raiva, sentindo minhas orelhas ficando quentes. Suspirei, tentando me acalmar e toquei em minha trança embutida, que me caía até ao meio das costas, enquanto começou a dar os acordes de minha música preferida: “Tonight”, de um músico trouxa chamado Enrique Iglesias. Desde que nasci, que a comunidade bruxa tinha aderido ás tecnologias trouxas, o que não só facilitava a comunicação, como também estávamos mais atualizados. Claro que nem tudo eram vantagens, pois havia muitos perigos e muitos de meus colegas acabaram viciados nos celulares e outros aparelhos.

Muitas das minhas colegas gritaram alegremente ao escutar a música e se abraçaram ainda mais a seus acompanhantes. Fechei os olhos e escutei:


I know you want me

I made it obvious that I want you too

So put it on me

Let's remove the space between me and you

Now rock your body ooh

Damn I like the way that you move

So give it to me ooh


Abri os olhos e vi Scorpius dançando com aquela garota. Desviei o olhar de imediato, sentindo uma enorme dor em meu peito e meus olhos se encheram de lágrimas. Pensei para mim mesma, como um mantra: “Não chore, não chore, serão vai borrar a maquiagem”. Apertei as mãos com força e pisquei os olhos várias vezes. Senti a água sumindo e suspirei, aliviada. Não iria chorar á frente de toda a gente, em pleno baile de formatura. Eu tinha dignidade. Levantei a cabeça, tentando demonstrar orgulho embora, por dentro, estivesse em pedaços e me levantei. Caminhei para fora do Salão, não olhando para trás e me dirigi para o jardim. Não aguentava mais os ver juntos. A música seguia meus passos.


'Cause I already know what you wanna do

Here's the situation

Been to every nation

Nobody's ever made me feel the way that you do

You know my motivation

Given my reputation


Vi alguns casais caminhando pelo jardim, aproveitando a bela noite de primavera que se encontrava. Levantei um pouco meu vestido, pois ele deslizava no chão e me dirigi para as estátuas de Albus Dumbledore e Severus Snape, que se encontravam perto de um banco de pedra. Me sentei e cruzei as mãos em cima de meu colo. Sem que eu pudesse controlar, as lágrimas caíram de meus olhos, salpicando o tecido azul. Com os olhos enevoados pelas lágrimas, olhei para o céu estrelado e pensei: “Boba. Você é uma boba, Rose Weasley. Scorpius nem sequer olhou para você.”

Tinha achado que ele me diria alguma palavra, mas ele nem veio ter comigo. Mordi meu lábio, tentando sufocar meus soluços e pensei:” Oh, Merlin! Porque é que eu me apaixonei por Scorpius? Porquê?”

Peguei em minha varinha e convoquei um lenço. Ele apareceu e eu me limpei. Percebi que meu rosto deveria estar sujo e lancei um feitiço não verbal nele, retirando o resto da maquiagem.

Olhei para a estátua de Severus Snape e percebi o quanto ele deve ter sofrido, amando Lily Potter em segredo. Suspirei e senti uma lágrima escorrendo por meu rosto. Limpei com a mão, sentindo ela se molhando e olhei para o céu.


Please excuse me, I don't mean to be rude

But tonight I'm loving you

Oh oh, you know

That tonight I'm loving you

Oh oh, you know (3x)

You're so damn pretty

If I had a type than baby it'd be you

I know your ready

If I never lied, than baby you'd be the truth


Eu o amo. Amo tanto, que até dói. Ver Scorpius todos os dias, conversar com ele, enquanto ele me toca no rosto, não me ajudava em nada a esquecer essa paixão. Eu me descobri apaixonada por Scorpius em meu terceiro ano, depois de ele me ter defendido de um colega mais velho, que chamou de “filhote de sangue-ruim.” Nunca mais me vou esquecer do soco que ele lhe deu no meio do rosto. Tinha sido humilhante para mim ser chamada assim, mas esqueci no preciso momento em que Scorpius me abraçou com força, me confortando e eu coloquei meu rosto em seu ombro. Claro que, a partir daí, nenhum colega Slytherin me falou nada.

Scorpius era o único garoto que sempre me tratou bem e que não me ofendia. A maioria pensava e dizia nas minhas costas que eu era uma “viciada em livros”, que estava sempre na biblioteca e me tratavam com frieza. Eu também os tratava assim, em resposta, mas era doloroso. Meu irmão, meus primos, Scorpius, Lysander e Lorcan Scamander eram os únicos que falavam comigo. Eu gostava de ser mais social, mas a maioria já tinha a ideia pré-concebida de que eu era metida, só porque era filha de Ronald e Hermione Weasley. Eles nem me conheciam direito!

Vi alguns casais entrando dentro do castelo e percebi o ar estava um pouco mais fresco. Scorpius, provavelmente, ainda estaria com Zabini. As badaladas do relógio começaram a soar e eu contei em surdina. Contei dez badaladas. Eram dez da noite.


Here's the situation

Been to every nation

Nobody's ever made me feel the way that you do

You know my motivation

Given my reputation

Please excuse me, I don't mean to be rude

But tonight I'm loving you

Oh oh, you know

That tonight I'm loving you

Oh oh, you know (3x)


Olhei para meu pulso e vi a pulseira que Scorpius me tinha oferecido em meu ultimo aniversário. Senti meu lábio tremer antes de uma nova onda de lágrimas cair por meus olhos. Baixei o rosto, para o ocultar e chorei baixinho. Felizmente, a maioria dos meus colegas já tinha entrado no castelo. O frio penetrava minha pele, me fazendo tremer, mas não quis saber. Pensei em minha cama, onde poderia chorar mais á vontade e peguei em minha varinha. Lancei, novamente, um feitiço não verbal em meu rosto e as marcas das lágrimas desapareceram. Quem olhasse para mim, não se aperceberia que eu tinha chorado. Tinha que me mentalizar que Scorpius não me amava, mas era difícil. Senti as lágrimas invadindo meus olhos, mas não chorei. Tinha que ser forte.

Só quero que essa noite termine o mais rápido possível.


LUDA

Tonight I'm gonna do

Everything that I want with you

Everythin that you need

Everything that you want I wanna honey

I wanna stunt with you

From the window

To the wall


Ergui meu rosto e olhei para a lua, que brilhava timidamente no céu. Para mim, é o astro mais bonito que conheço. Pois estava sempre acompanhada pelas estrelas, mesmo elas não estando sempre visíveis, como se fossem suas companheiras.

Desejei estar em um lugar onde não houvesse dor. Eu queria esquecer esse amor não correspondido por Scorpius. Queria voltar a sentir só amizade por ele, não queria sofrer mais. Merlin, eu só queria ser feliz!


Gonna give you, my all

Winter and summertime

When I get you on the springs

Imma make you fall

You got that body


Mas sabia que não conseguia estar longe dele. Já tinha tentado e os resultados tinham sido catastróficos. Sofri ainda mais. Era como estivesse arrancando uma parte de mim, á força. Senti meu corpo tremer – não de frio – e coloquei as mãos em meu rosto, tentando abafar meus soluços. Eu só queria que essa dor acabasse.


That make me wanna get on the boat

Just to see you dance

And I love the way you shake that ass

Turn around and let me see them pants

You stuck with me

I'm stuck with you

Lets find something to do

Please, excuse me,

I dont mean to be rude

But tonight I'm loving you


Só desejava amar alguém e ser correspondida. Desejava ser abraçada, venerada, querida, adorada por alguém. Partilhar minhas alegrias e minhas tristezas. Minhas conquistas e minhas derrotas. Queria ser parte de alguém. Queria ser amada. Olhei para a entrada do castelo e escutei a parte final da música:


Oh oh, you know

That tonight I'm loving you

Oh oh, you know (3x)

That tonight I'm loving you (2x)


Quando os ultimos acordes da música acabaram de tocar, limpei minhas lágrimas e me levantei. Depois deste descontrole emocional, só queria estar na cama, ou abraçada a minha prima e chorar toda a dor que me consome. Olhei para a lua e admiti tudo o que sentia:

– Oh, Scorpius! Porque eu tinha que amar tanto você? Porquê?

– Talvez porque eu sou lindo e irresistível. – Falou uma voz brincalhona á minha frente. Dei de caras com Scorpius, que me observava atentamente. Me levantei de imediato, sentindo meu rosto esquentar de vergonha e meu coração batendo descompassadamente dentro de mim. Estava me sentindo humilhada. Scorpius tinha escutado meu desabafo. Não sabia o que dizer. Scorpius avançou calmamente para mim, mas eu não baixei o rosto. Eu era Gryffindor, uma Weasley, e iria ser forte. Senti seu perfume adocicado invadindo minhas narinas e estremeci. Olhei para seus olhos cinzentos e percebi que eles brilhavam intensamente. Scorpius parou á minha frente e disse:

– Eu também te amo, Rose. – Senti meu coração parar de bater por uns momentos, em choque. Meu corpo estremeceu com a revelação e antes que pudesse falar, Scorpius colou seus lábios aos meus. Minha boca se abriu de espanto e ele me beijou mais intensamente. Nesse momento, todas as palavras que eu poderia dizer, sumiram de minha mente e fechei os olhos. O que importava era sentir seus lábios quentes e carnudos contra os meus. Coloquei minha mão em seus cabelos loiros e soltei um pequeno gemido, entregue àquele momento. Sempre tinha desejado saber como era beijar, como era beijá-lo e me apercebi que a sensação mais maravilhosa e envolvente do mundo. Senti ele se afastando e abri meus olhos. Scorpius sorriu para mim, seu rosto ruborizado e seus lábios vermelhos e inchados.

Sorri, maravilhada. Nem em meus sonhos mais loucos pensaria que Scorpius ouviria meu desabafo, diria que me amava e me beijaria desse jeito. Vi Scorpius se dirigindo para as estátuas e se inclinar. Observei com atenção ele arrancar uma rosa vermelha no chão e se erguer novamente. O luar iluminava seu rosto, o tornando mais belo. Scorpius me estendeu a rosa e disse:

– Para você. – Com hesitação, ergui a mão e peguei na flor. Suas pétalas vermelhas eram iguais á cor de meus cabelos. Lentamente, coloquei a flor á frente de meu nariz e cheirei. Tinha um odor suave. Scorpius ergueu sua mão e limpou as lágrimas que escorriam por meu rosto, que eu não tinha reparado. Ele sorriu para mim e eu sorri de volta. Uma nova música começou tocando e Scorpius perguntou:

– Quer dançar comigo? – Tentei dizer que sim, mas não consegui. Estava demasiado emocionada. Acenei afirmativamente e ele colou seu corpo ao meu. Colocou suas mãos em minha cintura, me abraçando, e me olhou atentamente. Fiquei em pânico. Será que meu rosto estava vermelho e inchado pelo choro?

Antes que pudesse perguntar porque ele me observava tanto, ele disse:

– Você está linda, Rose. – Sorri, aliviada e respondi, olhando para seus olhos:

– Você também, Scorp. – Scorpius começou a dançar e eu segui seus passos. Não deixamos nossos olhares por nenhum momento. Não dissemos mais nada, pois a música mostrava que o amor não precisava de ser dito somente em palavra, mas também por gestos.


FIM



Nota da Autora: Oi! Minha primeira fic com esse casal. O que acharam? Gostaram, ou não? Mandem reviews, por favor. Eu agradeço. Bjs :D

18 de Setembro de 2021 às 17:56 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Sandra Longbottom Sou Sandra Longbottom, mas podem me chamar de Salily ou Sandy. Sou fã incondicional da saga Harry Potter, mas também leio outras fics que me interessem, como Hunger Games, Divergente, Senhor dos Anéis, The Walking Dead, Thor, Teen Wolf, entre outras… Gosto de ler de tudo, principalmente yaoi e romances. Adoro ler e tenho uma estante enorme de livros no meu quarto, e se eu pudesse, teria uma biblioteca inteira apenas para mim. E sei lá, acho que você só precisa saber isso.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~