2minpjct 2Min Pjct

Todos os anos, no final do período letivo, a escola em que Park Jimin estudava promovia um baile para os estudantes. Era sempre uma época de grande animação, a expectativa de ser convidado e a euforia de convidar alguém tomava toda a escola. Mas, para Park Jimin, a época não era tão animadora assim, nunca, em seus três anos de Ensino Médio, foi convidado ou conseguiu convidar alguém para o baile e sempre acabava ficando sozinho. Mas, após Jimin ver Yoongi, um garoto esquisito do terceiro ano e com uma fama nada boa, pichando a arquibancada do colégio, as coisas tomam um rumo inesperado pelo jovem, e, em troca do seu silêncio, o mesmo pede que o leve ao baile.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#romance #baile #bts #yoongi #jimin #yoonmin #sugamin #minimini #suji #2min #minmin #2minpjct #tema-livre
2
668 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Cumpra o combinado!

Escrito por:


Notas iniciais: Olá, meu amores!

Aqui é a Loui de novo, espero que vcs gostem dessa história e boiolem com ela assim como eu boiolei.

Quero agradecer a @peartae /@peartae pela capa maravilhosa, eu amei os armários dos corredores e essa foto do Jimin ficou muito lindinha. Obrigada pelo trabalho, ficou incrível 💙


Também quero agradecer à @Im_Sky_ / Im_Sky_ que betou e teve muita paciência, me desculpa, meu amor, não planejei que ficasse tão comprida, não é muito meu estilo e eu juro que vou ter mais atenção com as vírgulas kkkkkkk

E também às adms desse projeto lindo que nunca nos decepcionam!

Boa leitura! 💙



~~



**

Todos os anos, no final do período letivo, a escola em que Park Jimin estudava promovia um baile para os estudantes.

Era uma daquelas tradições sem nenhum motivo importante por trás, mas que servia para que os alunos vestissem roupas bonitas e tirassem algumas fotos que ficarão de recordação para seus pais, e até mesmo para eles, de uma época divertida e que sempre faria parte da memória de cada um.


Mas não para Park Jimin. O rapaz de cabelos castanhos nunca foi um estudante de destaque e, falando com sinceridade, nunca foi muito popular também; suas notas eram medianas, não era bom em esportes, não tocava instrumentos musicais, não fazia nada de especial. Ele apenas ia para a escola para estudar, concluir o ensino médio e tentar uma vaga em alguma universidade. Conseguiria um emprego em uma empresa mediana e só, como qualquer outro adulto normal.

Andar por aqueles corredores cheios de cartazes anunciando o baile de inverno era quase uma tortura, porque ele sabia que ninguém o convidaria e, mesmo que convidasse alguém, era muito possível que recusassem seu pedido. Era chato.

Ele via as garotas planejando seus vestidos e comemorando quando recebiam o convite de algum rapaz que tinham interesse, assim como via os rapazes dentro do vestiário masculino contando uns aos outros seus planos de como conseguiriam uma acompanhante para a tal festa. No fundo, Jimin ficava um pouco triste, afinal, sua vida nunca teve muito movimento, ele nunca foi “alguém especial”, e ele gostaria de ter sentido isso pelo menos uma vez antes de sair do colégio, mas, ao que parecia, não seria daquela vez, de novo.


— Eu chamei o Jeongguk do segundo ano. — Seu melhor amigo, Kim Taehyung, olhava para ele entusiasmado.

— Sério, Tae? — Nenhuma surpresa para ele, já que o rapaz de cabelos claros já vinha falando sobre convidar o mais novo durante uma semana. — E ele aceitou?

— Sim! Meu deus, eu nem acredito! — Jimin sorriu ao ver que pelo menos um entre eles iria se dar bem.


Taehyung era muito carismático e isso o fazia popular entre a maioria dos alunos. Mesmo sendo seu melhor amigo, Jimin não gostava de estar no meio de muita gente e sua timidez o deixava ainda mais retraído, logo, ninguém percebia quando ele estava ao lado do Kim e acabavam por ignorá-lo. E, bem, ele já estava acostumado. Não lhe surpreendia o fato de Taehyung ter conseguido um “sim” da estrela do time da escola, Jungkook; o Park nem queria ir com alguém tão popular assim, apenas queria uma companhia para não passar o último baile escolar como todos os outros: sozinho.

Jimin pensou em convidar Momo, a moça era simpática e eles fizeram uma tarefa juntos algumas semanas antes; iria convidá-la como amigo, claro. Ele realmente só não queria ficar só, mas, na semana anterior, ficou sabendo por meio de cochichos dos colegas que Momo estava namorando um universitário e que este iria acompanhá-la no evento.


Com sua última — e única, já que todos já estavam com seus devidos pares — opção extinta, Park não tinha alternativa senão ir só, mais uma vez.


— Você sabe que pode ir com a gente, né? — disse Taehyung durante o almoço.

— Não, Tae. Você tá há meses tentando se aproximar dele, eu não quero atrapalhar — negou educadamente, mas, além de não atrapalhar, ele também não queria ficar no meio de tudo aquilo.


Ele sabia que Taehyung nutria sentimentos pelo rapaz de cabelos escuros e dentes de coelho. Mesmo que o amigo não dissesse claramente, estava óbvio pela cara de bobo apaixonado com a qual o Kim sempre ficava sempre que falava de Jungkook ou via o garoto.


— Você não vai atrapalhar nada... — começou Taehyung, mas foi interrompido.

— Não! — disse, sorrindo para o outro. — Eu quero que você aproveite o máximo que puder, Tae…

— Mas você vem, né? Por favor, Chim, é nosso último baile!


Jimin riu. Apesar de tudo, ele também queria curtir sua despedida do Ensino Médio ao lado do melhor amigo.


— Claro! Vamos nos divertir muito. — Ele esperava.


{...}


O acastanhado estava na estufa, onde os alunos cultivavam flores e praticavam jardinagem. Taehyung havia saído um pouco mais cedo, pois Jungkook o convidou para irem a uma lanchonete. Ele insistiu para que o amigo fosse, dizendo que não demoraria a ir embora. Entretanto, ele não percebeu as horas passando e, quando olhou pela janela, o céu já estava escuro. Juntou seus pertences rapidamente e colocou-os na mochila. Guardou as ferramentas que estava usando e saiu em direção ao campo de futebol.


Como já estava tarde, decidiu pegar um atalho que o levaria mais rápido ao portão principal por trás das arquibancadas, uma passagem pequena, mas que pouparia uma volta enorme pelo refeitório. Ele cantarolava uma música qualquer quando avistou uma movimentação estranha nos bancos. Primeiro imaginou que eram alunos aproveitando a falta de iluminação para dar uns amassos, mas o som característico de uma latinha de tinta spray sendo agitada chamou sua atenção.

Uma pessoa vestida com um uniforme da escola, mas com um agasalho de capuz sobre ele, pichava a arquibancada sorrateiramente. Jimin ficou estático, com a boca aberta, observando o ato desrespeitoso. Só saiu de sua posição quando, pelo espaço entre os bancos de metal, a pessoa conseguiu vê-lo. Sem saber porquê, Jimin olhou para os lados, talvez procurando por alguém ou, quem sabe, procurando por ajuda.


— Merda! — Ouviu a voz grave proferir e deduziu que se tratava de um garoto.


O jovem que pichava as escadarias anteriormente arremessou a latinha para longe, Jimin nem acompanhou para saber onde a mesma havia caído, pois o encapuzado começou a descer pela arquibancada rapidamente e Park só queria correr. E foi o que ele fez.

Correu o mais rápido que a adrenalina em seus músculos permitia, mesmo com a mochila atrapalhando. Porém, fora em vão. O rapaz conseguiu alcançá-lo antes que saísse pela pequena passagem, fechando o caminho à sua frente com o próprio corpo.


— Vai pra onde, baixinho? — perguntou o rapaz, a sombra do capuz cobria seu rosto, mas Jimin conseguia ver perfeitamente quem era.


Park sentiu como se o sangue em suas veias desaparecesse, ele estava com medo. Não era possível que, de tudo o que poderia acontecer, ele estava justamente cara a cara com Min Yoongi, o garoto estranho da turma C.


— M-me deixa ir embora — gaguejou, a voz num fio inseguro, ele quase tremia. Nessas horas que gostaria de ser invisível, isso evitaria que o garoto de cabelos descoloridos tivesse o visto. Ele tentava manter a voz firme. — Já não basta ter pichado, ainda vai querer uma expulsão por agredir um aluno?

— O quê? — perguntou confuso. Ele não queria bater em ninguém. — Do que você tá falando?

— Não importa, se você fizer algo comigo, eu vou contar o que você fez de qualquer forma!


Jimin tentava passar uma confiança que não tinha na tentativa de deixar o mais velho com medo da punição que sofreria caso fosse descoberto. E pareceu funcionar.

Yoongi ergueu as duas mãos e sacudiu a cabeça negativamente.


— Olha, eu não quero problemas, ok? — falou o Min, dando um passo atrás. — Então… só não fala nada, nem foi nada de mais.


O acastanhado olhou surpreso para o outro, não era essa a atitude que ele esperava. Porém, aquilo o deixou mais confiante, ver Yoongi de guarda baixa junto à adrenalina que ainda percorria seu corpo deram a ele mais coragem.


— Eu vou falar, sim! — disse sem perceber.

— Ah… merda! — Yoongi juntou as mãos e abaixou o rosto em sinal de súplica. — Por favor, não fala nada para a diretoria, eu já repeti dois anos, meu currículo vai ficar ainda pior!


Jimin respirava rápido, ele podia não parecer assustado por fora, mas por dentro ele estava gritando.


— E o-o que eu ganho com isso? — perguntou ao rapaz, que ainda mantinha as mãos juntas.

— Bem… — disse, arrumando a postura e coçando a nuca enquanto pensava em algo. — Fico te devendo uma? — sugeriu.


Park olhou para o rapaz de cima a baixo, analisando sua postura, ele estava na defensiva, bem diferente do que o acastanhado imaginava. No fim, ver o rapaz pichando a arquibancada fora vantajoso para ele.


— Ok, então… não vou contar — disse. Yoongi expirou em alívio, sorrindo timidamente, e Jimin, pela milionésima vez, ficou surpreso.

— Obrigado — falou, colocando as mãos no bolso. — E o que vai querer em troca?


O acastanhado não havia pensado em nada. Afinal, aquela situação jamais havia passado por sua cabeça.


— Hm… não sei. Decido depois. — Segurou as alças da mochila. — Agora preciso ir pra casa.

— Ah! Ok, certo. — Olhou para os lados. — Então… você não vai falar, né?

— Não.

— Tudo bem. — Deu espaço para o acastanhado passar.


Jimin engoliu em seco quando passou pelo descolorido, apressou os passos e não olhou para trás até estar dentro do prédio principal.

Como se só tivesse tomado consciência do que aconteceu naquele momento, sentiu o corpo tremer, riu de nervoso, esperou um pouco no corredor, apoiado em um dos armários para se recompor.

Nem sabia por que estava daquele jeito, era só um garoto. Certo que ele tinha fama de encrenqueiro e comentavam muitas coisas sobre ele, mas ele não fora nem um pouco agressivo consigo. E, além do mais, ainda tinha ganhado um favor do outro, sorriu com o pensamento.

Foi andando para sua casa e relembrando os últimos eventos que tinha vivido, ao menos uma emoção naquela sua vida escolar monótona.


{...}


No dia seguinte, ele estava na biblioteca estudando e ouvindo Taehyung falar sobre seu encontro com Jungkook na lanchonete. O Kim estava bem animado, pois, ao que parecia, o Jeon havia gostado muito de Taehyung tê-lo convidado para o baile. Não era de muita surpresa, já que Jimin percebia o mais novo sempre buscando o Kim com os olhos sempre que estavam no mesmo local.

Jimin estava feliz por Taehyung; apesar de ser o astro da escola, Jungkook não era exibido ou arrogante, muito pelo contrário, sempre era simpático com todos. Todos que procuravam por ele, é claro. Até achou que alguém o convidaria antes que Taehyung conseguisse, talvez alguém até tivesse convidado, talvez ele tivesse esperado pelo Kim. Sorriu para o amigo que estava alheio aos seus pensamentos, tagarelando sobre como o sorriso do mais novo derretia seu coração.


Por um momento, Jimin lembrou que ele nunca havia experimentado aquilo também. Gostar muito de alguém e ser correspondido. Sair com essa pessoa depois da aula para tomar um milkshake ou um chocolate quente se o dia estivesse frio. Na verdade, havia uma porção de coisas que Park não tinha experimentado.


— O que foi? Por que ficou emburrado de repente? — Taehyung o fez piscar os olhos repetidamente e voltar sua atenção novamente para ele.

— Oh! Nada! — Sorriu. — Lembrei que preciso fazer uma tarefa extra…


Pegou seus cadernos e colocou-os dentro da mochila de qualquer jeito.


— Espera aí, você tá indo pra onde?

— Almoço?


Como se fosse sua salvação, o sinal da escola tocou, Taehyung deu de ombros e levantou, voltando a falar sobre o garoto que o acompanharia.


— Aliás, você chamou alguém, Chim? — perguntou quando estavam comendo.

— Não, eu… — Sua frase não terminou de ser dita, pois Yoongi estava do outro lado do refeitório, sentado sozinho, os pés sobre a mesa e seus olhos pequenos o fuzilavam enquanto ele abocanhava um sanduíche.


Por que ele estava o encarando daquele jeito? Seu rosto esquentou e ele desviou o olhar rapidamente.


— Não…? — Taehyung tentou retomar.

— Não, Tae. Não consegui ainda. — Sorriu sem graça.

— A minha proposta ainda está de pé. Você pode ir conosco sem problemas.

— Calma, ainda tem uma semana.


Taehyung concordou com o amigo, de fato, ainda tinha algum tempo. Jimin não queria olhar para a direção onde o Min estava, mas, vez ou outra, seus olhos iam até o mesmo. E ele continuava lá, com seu rosto inexpressivo, observando o Park.


— Tae… eu vou estudar no horário vago você vai fazer alguma coisa?

— Acho que vou assistir ao treino do Jeongguk. Quer vir comigo?

— Vou voltar para a biblioteca. — Sorriu. Taehyung fez um bico, não gostava que Jimin passasse muito tempo sozinho, mas sabia que o baixinho gostava de ficar sossegado às vezes.

— Então te encontro nas últimas aulas.

— Certinho.


{...}


Assim que terminaram de comer, Taehyung foi para o campo de futebol. Jimin lembrou da pichação que viu Yoongi fazer e, com certeza, alguém já teria visto àquela altura. Estava lendo seu conteúdo de história quando Min se sentou ao seu lado, fazendo com que Jimin olhasse para ele surpreso e questionador.


— O quê? — sussurrou Yoongi.

— O que tá fazendo aqui? — sussurrou de volta.

— Queria saber se você manteve sua promessa — disse indiferente.


Jimin revirou os olhos.


— Você não foi chamado na diretoria, foi? — perguntou, mas o outro apenas deu de ombros. — Então, eu não falei!

— E o que vai querer em troca, já decidiu?

— Não… e se você não percebeu, estou ocupado agora.


Voltou a tentar estudar, mas ter Yoongi ao seu lado estava deixando o acastanhado cada vez mais nervoso, sem saber o que esperar.


Min Yoongi. Ele estava na escola por mais tempo do que deveria, tinha repetido dois anos e histórias bizarras sobre ele rolavam pela escola. Como sobre ele ter ateado fogo em um carro ou brigado com dez caras de uma vez. Se tudo o que falavam sobre ele era verdade, ele não sabia, mas Yoongi não se misturava com os outros. Na verdade, parando para pensar bem, ele nem falava com ninguém. De todas as vezes que tinha visto o garoto pela escola, ele sempre estava sozinho. Estranho.


— Diarquia. — A voz do Min soou ao seu lado.

— Quê? — Ele estava perto, muito perto.

— Esparta possuía dois reis… Isso é assunto do primeiro ano, está revisando?


Sua bochecha estava amassada pelo jeito que apoiava o rosto na mão. Sua pele pálida ornava com o cabelo descolorido em sua testa e Jimin percebeu que sua fala era um pouco engraçada, porque sua língua parecia ser um tanto presa; assim como reparou que sua boca pequenina fazia um biquinho ao falar.


— Letra bonita, Park.


Jimin desviou os olhos quando Yoongi olhou para ele. Aquele nem era seu caderno “oficial”, era só onde escrevia algumas anotações rápidas.


— Obrigado… eu acho.

— Não demore a escolher o que quer, sou um pouco ansioso.


Yoongi continuou a olhar fixamente para o acastanhado. Ele já havia visto Jimin algumas vezes pelos corredores, mas, até então, não tinha prestado muita atenção nele. Até que ele era… bem bonito. As feições juvenis ainda eram bem evidentes, mas ele era belo. O rubor que quase nunca saía de suas bochechas era encantador e algo no jeito que ele parecia nervoso perto do Min o deixava mais instigado a saber mais sobre ele. Qual seria seu hobbie favorito? Ele não perguntaria, mas gostaria de saber.


— Na verdade… acho que já decidi. — A voz doce saiu pelos lábios carnudos e Yoongi acompanhou cada movimento desses cuidadosamente.

— O que quer?

— Leve-me ao baile.


Pensou ter escutado errado, então sentou corretamente na cadeira e olhou para o mais novo.


— O quê? Acho que não entendi. — Sorriu de lado.

— Eu disse que quero que você me leve ao baile. — Jimin reuniu toda a coragem que ainda possuía para repetir.


Yoongi riu e coçou a cabeça.


— Você tá brincando, né?


Jimin negou com a cabeça.


— Não, escolhe outra coisa.

— Mas eu já decidi, eu quero que você me leve ao baile! — Seu rosto estava vermelho, puro nervosismo.

— Não!

— Então eu conto!


Yoongi passou as mãos pelo rosto. Ele odiava coisas daquele tipo. E, sério? Ir ao baile? Ele poderia ter pedido um beijo, ele daria sem nem retrucar.


— Escuta… essas coisas... — Gesticulava com as mãos. — Festinhas, bailes, isso é antiquado, chato e cafona. Não dá!

— Você me deve uma, Yoongi. E essa é a minha escolha.


Seu peito subia e descia rápido, mas ele precisava manter a pose. Não queria baixar a guarda para o descolorido, quanto tempo será ele aguentaria? Mantê-lo assim, na sua mão.


— É pegar ou largar. — Levantou com seus livros e cadernos em mãos. — Me avise antes de quinta.


Jimin saiu pela porta da biblioteca e Yoongi deixou seu corpo se espalhar pela cadeira onde estava sentado. Ele odiava festas, principalmente se fosse obrigado a ir à uma. Então pensou que poderia fazer o acastanhado mudar de ideia em dois dias.


{...}


Na quarta-feira, Yoongi seguiu Jimin durante todos os horários vagos. Era estressante ter alguém sempre em seu encalço, mas Park não negaria que estava gostando bastante da presença do outro. Ele sempre passava despercebido por todos, então ter alguém atento a ele era de certa forma empolgante.


— Saia. Eu já te vi — disse, estava agachado mexendo em algumas flores na estufa. — Por que tá me seguindo?

— Não tô seguindo. Eu vim barganhar. — Ele estava andando com as mãos atrás das costas, na direção do acastanhado.

— Então fale de uma vez.

— Pense em outra coisa, Park! Vamos, isso é ridículo! — falou exasperado.


Jimin fez um biquinho, mas desfez antes de levantar e olhar para Yoongi.


— Por que diz isso?

— Por que é? — devolveu como se fosse o óbvio.

— E por que acha isso? — Tirou as luvas de jardinagem, deixando-as sobre uma mesinha.

— Ternos, vestidos bufantes… tudo isso é ridículo. — Cruzou os braços enquanto apoiava-se na mesinha.

— Eu acho que é divertido. — Deu de ombros.


Yoongi olhou com mais atenção para o garoto de cabelos castanhos. Eles eram basicamente da mesma altura, mas seu rosto era mais fofo, parecia bem mais novo.


— Por que quer tanto assim que eu te leve?


Park deu de ombros novamente.


— Sempre fui sozinho, ou com Taetae, mas não conta. — Sorriu. — Esse é o último ano e… — Suspirou lentamente. — Já que eu não consegui alguém que quisesse ir comigo porque sou interessante ou algo do tipo, pelo menos eu não queria ir sozinho. — Sentiu o rosto queimar.


Min abriu a boca para falar, mas não continuou.


— Quer saber? — Riu sem graça. — Eu não vou falar nada pra ninguém. Não precisa me pagar nenhum favor. — Sorriu para Yoongi e seus olhos fecharam.


Yoongi ia dizer que ainda bem, porque ele não estava nem um pouco afim de ir, mas sua garganta estava seca e seu estômago estava estranho. Sentiu seu próprio rosto esquentar e acabou não dizendo nada quando Jimin passou por ele dizendo “Tchau, Yoongi” antes de sair da estufa. Ele saiu de seu transe e virou para trás olhando o rapaz se distanciar.


Ele deveria ficar aliviado, não era? Então, por que não ficou?


{...}


Nos dias que se seguiram, Yoongi, inconscientemente, buscava por Jimin em todos os lugares em que estava. Já haviam pintado a pichação da arquibancada, então não precisava mais se preocupar em ser pego. Ainda assim, era inevitável para ele não procurar o mais novo.

Yoongi não gostava muito de estar perto de pessoas, principalmente se fossem aqueles idiotas da escola, então ficou bem feliz quando descoloriu o cabelo e apareceu na escola com um corte na boca, os alunos criaram inúmeras histórias para justificar aquilo e, felizmente, todos mantinham distância dele. Aproveitou da reputação que havia ganhado e entrou no personagem, fazendo com que cada vez mais pessoas fossem receosas de falar com ele. Entretanto, ao ficar perseguindo e observando Jimin durante um dia inteiro, ele começava a achar que seria até interessante conhecer um pouco mais do acastanhado, talvez ele não fosse só mais um idiota dentre tantos ali.

Quando sugeriu para o garoto que ele fizesse um favor em troca do silêncio do Park, não poderia esperar que o pedido fosse de justamente levar o mais novo ao baile e tentou logo convencer o outro a desistir, porém, bem lá no fundo, Yoongi queria que Jimin tivesse insistido um pouco mais.


Durante o tempo livre, viu Jimin sentado na arquibancada do campo de futebol, enquanto Taehyung estava próximo ao gramado gritando palavras de incentivo para o garoto de ouro do colégio. Bufou, que coisa mais chata.

Não pensou muito antes de ir até lá e sentar ao lado do acastanhado, que olhou para ele desconfiado.


— Não sabia que gostava de futebol, Park — disse, sem desviar os olhos do jogo.

— Nem eu sabia que você gostava.

— Não gosto. — Estalou a língua no céu da boca. — Só vim ver se tinham passado tinta sobre o que escrevi.


Jimin olhou para o lado e reparou que haviam passado uma camada de tinta no banco acima de onde estavam.


— Ah, sim.


Yoongi viu que o acastanhado continuou assistindo o tal jogo sem lhe dar atenção.


— Eu já vou… então.


Park olhou para o garoto novamente, concordando. Que estranho, de repente o garoto que não falava com ninguém estava interessado em falar com ele?


— Tudo bem, Min Yoongi.


Min enfiou as mãos no bolso e o que era aquilo? Seu rosto estava vermelho? Talvez fosse o sol. O rapaz desceu rapidamente e sumiu do campo de visão de Jimin.


{...}


Por mais que não quisesse fazer isso, Yoongi passou o dia todo observando Jimin pelos corredores, mas, pela metade tarde, perdeu o rapaz de vista.


— O que tá fazendo? — Pulou com o susto ao ouvir Jimin atrás dele.

— Eu t-tava andando — mentiu, virando de frente para o acastanhado.

— Você não é discreto, Yoongi. — Cruzou os braços. — O que você quer?


Yoongi pensou e sua cabeça repetia: “fala de uma vez que o acha interessante e que talvez esteja gostando um pouquinho dele e por isso fica o observando”.


— Você é algum tipo de stalker? — perguntou Jimin irritado.

— Não! Eu estou apenas checando se você não vai dizer nada a ninguém!


Jimin revirou os olhos e entregou algumas folhas para Yoongi.


— Pegue.

— O que é isso?

— Fichas de inscrição para a faculdade. Pelo menos tente, já está na hora de sair da escola.


O rapaz o deixou ali e continuou andando. Alguns alunos olhavam para ele, talvez estranhando que estivesse falando e estado tão próximo de alguém. Fechou a cara novamente e voltou a caminhar pelo colégio.

Yoongi não era o tipo de pessoa que buscava amizades, nem tentava se relacionar com alguém, então por que raios ele estava tão obcecado por Park Jimin? Ele estava mais uma vez observando o rapaz, desta vez escondido atrás de um livro na biblioteca. Jimin tinha algumas manias engraçadas enquanto lia. Ele mordia o interior da bochecha e franzia a testa sempre que parecia não entender algo.

A verdade era que ele estava adorando admirar o acastanhado e cada vez mais ficava interessado em conhecer mais do mesmo, porém era bastante difícil fazer isso de longe. Então ele teve uma ideia.


— E aí eu disse que aquela decoração ia ficar horrível porque a cor do ano é azul e não combinaria com… — A fala de Taehyung não fora finalizada, pois a atenção do Kim se voltou para o garoto de cabelos descoloridos que sentou em uma das cadeiras da mesa que Jimin e ele dividiam. — Oi?

— Oi — disse simples.


Jimin ficou sem entender o que estava acontecendo e olhava para o Min, até que Taehyung olhou para ele com uma sobrancelha erguida em busca de respostas, já que ele não tinha intimidade alguma com o rapaz.


— Tae, esse é Min Yoongi — falou, sem ter muito o que dizer. Agora eles eram amigos de sentar juntos no almoço? — O que tá fazendo?

— Tô almoçando. — Mordeu uma maçã.


Taehyung olhou de um para o outro e deu de ombros.


— Chim, vou ver como estão os preparativos. — Levantou-se. — Nos vemos depois?

— Sim, sim… — O amigo deixou um beijo no alto da cabeça do menor e fuzilou Yoongi com os olhos.


Taehyung era bem protetor quando queria.


— E você? Encontrou alguém pra levar ao baile?


Jimin suspirou alto.


— Não, na verdade, já desisti. — Bebeu um pouco de suco. — E você? Nada pra fazer? Pichar muros, brigar com alguma gangue por aí?

— Quê?! — Riu.

— Não são as coisas que costuma fazer? — Viu Yoongi negar com a cabeça. — É o que dizem.

— É o que acham que eu faço. — Deu de ombros.

— E você faz o que então?


Yoongi sorriu para o acastanhado, notando a expressão de confusão em seu rosto. Era a primeira vez que alguém queria saber sobre ele. Algo no jeito que Jimin não invadia seu espaço, mas parecia curioso deixava-o feliz.


— O que você quer saber? — perguntou com um meio sorriso.

— Não sei, hm… Por que sempre está sozinho?

— Aqui só tem gente chata. — Riu da revirada de olhos do mais novo.

— Por que acham que você é um brigão? — Pensou um pouco. — Acho que nunca vi você brigar com ninguém.


O descolorido terminou seu sanduíche e limpou o canto dos lábios com o dedo.


— Hm! Uma vez... — Ajeitou-se. — Eu estava vindo para a aula, atrasado. Um grupo de caras encrencou comigo, eu levei uns socos, dei alguns, mas cheguei na escola com a boca sangrando. — Ele sorria enquanto contava, como se fosse uma história e tanto. — Alguém deve ter visto e achou que eu ganhei, mas a verdade foi que eu saí correndo depois.


Park estava de boca aberta, aquilo era horrível.


— Mas… você ficou bem? — perguntou preocupado.

— Sim, mas eu estava irritado. — Deu de ombros. — Acho que a cara amarrada fez conjunto com imagem que criaram de mim, e eu me aproveitei disso.

— Você é maluco! — disse Jimin rindo, e, se restava alguma dúvida, Yoongi teve a certeza de que, sim, ele era muito lindo.

— Mas preciso que você guarde segredo sobre isso também.


Jimin riu e colocou a mão na frente do rosto.


— Pode deixar, eu guardo seu segredo, então.

— Jimin…


O acastanhado olhou para ele e a coragem de Yoongi sumiu. Ele tinha passado a noite em claro pensando sobre o pedido do rapaz, nem sabia por que era tão significativo para ele ir naquela festa boba. Mas, apesar de não entender, Min queria que Jimin tivesse o que queria. Ele treinou várias vezes como pediria, mas, no final das contas, ele não era bom nisso.


— É que… eu tava pensando, é o nosso último baile na escola e…

— Sim?

— Então… — Olhou para o lado, pois não conseguia olhar diretamente para o mais novo. Ele estava vermelho, com toda a certeza. — Eu vou aceitar seu pedido de ir ao baile com você.

— É o quê? — disse sem entender.

— Baile… dançar… sabe?


Jimin olhou para o garoto por um instante e entendeu o que estava acontecendo. Yoongi estava aceitando seu pedido — que não era pedido, e sim uma troca por não o ter dedurado — para ir ao baile com ele? O Park abriu um sorriso e logo depois começou a rir, gargalhar.


— Qual a graça? — perguntou Yoongi.

— Yoongi… — Secou algumas lágrimas que surgiam em seus olhos pela risada. — Você está me chamando para o baile?

— Bem, eu…

— Porque eu disse que não precisava mais, eu não contei a ninguém.


Yoongi ficou sem palavras, ele esperava que Jimin aceitasse logo, afinal, ele queria muito ir ao baile.


— Se você quiser ir comigo… terá que pedir direito — disse, apoiando a mão no rosto, o cotovelo sobre a mesa e sorrindo fofo.


Min balançou a cabeça e olhou ao redor, não tinha tantas pessoas ali, mas ele estava envergonhado do mesmo jeito. Ele não gostava de bailes, mas seria mentira dizer que a ideia de passar a noite com a única pessoa que o interessou naquela escola não o deixava empolgado.


— Estou esperando.

— Ok… — disse sem jeito. — Park Jimin, você quer ir a esse baile ridículo comigo?


Park sorriu para ele, finalmente.


— Vamos! — respondeu empolgado.

— Ai… Só… não se empolga demais, ok? Ainda é um favor.

— Tudo bem! Vai ser divertido!


Jimin não esperava que fosse ser convidado; mesmo sendo apenas para que ele não ficasse sozinho e de vela para o amigo, ele iria ao baile. Min Yoongi também parecia ser legal, diferente do que falavam sobre ele. Então, aproveitaria cada segundo, cada milésimo de segundo que fosse, pois aquela seria — FINALMENTE — uma noite inesquecível.


Taehyung quase caiu duro quando Jimin contou sobre o pedido, ele estava feliz pelo amigo, pois sabia o quanto aquilo seria importante para o outro. Eles passaram o dia terminando de ajustar suas roupas e preparando tudo para o grande dia.


{...}


Taehyung dormiu na casa de Jimin e eles começaram a se arrumar juntos, o dia foi divertido e eles puderam ajudar um ao outro na preparação.

Ao pensar que estava muito desmotivado dias antes sempre que via os cartazes anunciando o baile escolar por não ter ninguém com quem ir, Jimin não conteve o sorriso quando tirou do armário o terno branco que havia comprado para vestir. A roupa era composta por uma calça da mesma cor e o terno era branco com as lapelas e botões na cor preta. Taehyung havia ajudado a escolher e dito ser perfeito para o acastanhado. Por um momento, um pensamento tomou-lhe a mente: será que Yoongi usaria um terno? Ele não fazia ideia, mas provavelmente o rapaz iria com a primeira roupa que encontrasse no guarda-roupa.


— Que semana, hein, Chim? — falou Taehyung, enquanto arrumava seu terno negro de lapelas em tecido brilhoso sobre a cama do mais velho. — Inclusive, você não me explicou como acabou com Min Yoongi como par para o baile.

— Bobagem, esbarrei com ele perto do campo e acabamos… ficando próximos. — Falando aquilo, ele pensou sobre como a aproximação dos dois fora estranha, mas ao mesmo tempo inevitável.

— Surpreendente, ele não gosta de ninguém.

— Também não é assim, Tae! Ele só gosta de ficar na dele…


Taehyung olhou para ele com aquele sorriso acusador.


— O que é isso? — Apontou para o rosto de Jimin.

— O quê? — Tocou sua face em busca de algo errado. — O que foi, Tae?

— Esse brilho nos olhos… O sorriso bobo enquanto fala dele…

— Ah! — Deu um tapa fraco no ombro do Kim que se defendeu rindo. — Pode ir parando.

— Mas eu não falei nada!


Ainda rindo, voltaram a arrumar suas vestes para estarem impecáveis para a noite. Porém, o comentário do amigo voltava à sua mente vez ou outra, e ele sentia o rosto quentinho sempre que lembrava de quando pegou o Min o observando por cima de um livro na biblioteca, ou de quando, timidamente, chamou-o para ir ao baile. Ele lembraria de perguntar o porquê ainda naquela noite. Yoongi não era nada do que diziam, a verdade era que: a fama que criaram para ele era só uma camuflagem, e, por trás da pose de durão, o Min era… fofo.


— Você tá rindo sozinho, Jimin — falou Taehyung.

— Não tô não.

— Tá sim!

— Não tô, Taehyung!

— E tá vermelho! — Kim ria do nervosismo do outro.

— Argh! Eu te odeio. — Bufou, mas o sorriso que tentava esconder o entregava.

— E gosta do Min Yoongi!


Jimin acertou uma almofada nele, mas continuaram a rir um do outro.


{...}


Taehyung havia saído mais cedo de sua casa, porque passaria para pegar Jungkook. Então, ele esperava em seu quarto, arrumando alguma coisa aqui e ali.


— Nervoso? — Sua mãe entrou no quarto e arrumou a lapela de seu terno.

— Um pouquinho… — confessou, Yoongi estava atrasado.

— Você está lindo. — Segurou o rosto do jovem. — Venha, seu parceiro já está te esperando.


Yoongi havia chegado? Seu coração acelerou um pouco e ele acompanhou a mãe pelo corredor.

Não queria admitir, mas estava bastante ansioso. Ele queria que Min Yoongi visse o quão belo ele estava naquela noite e ganhar um elogio do rapaz.

Assim que desceu o último degrau, viu que o descolorido estava esperando na porta.


— Ele não quis entrar — disse a sra. Park. — Vou pegar o celular para tirar uma foto antes de irem.


Sua mãe falava, mas a cabeça de Jimin não registrava as palavras. Ele só tinha olhos para o rapaz parado na entrada de sua casa.

Yoongi vestia um terno preto simples, mas que ficou perfeito nele. A gravata borboleta era um charme a mais em sua camisa social branca, e seus cabelos estavam hidratados e penteados. Ele estava simplesmente lindo.


— Bonito… — acabou balbuciando e fez o outro rir, suas gengivas rosadas aparecendo.

— O quê?

— Boa noite! Eu quis dizer boa noite! — tentou contornar o deslize.

— Você também está muito bonito, Jimin.


Jimin andou até ele, sentindo suas mãos suarem um pouquinho.


— Que surpresa te ver de terno.


O Min tirou as mãos do bolso e abriu os braços, exibindo-se.


— Eu sabia que você usaria um, então quis vir à altura.

— Você disse que era brega! — Sorriu.

— Continua sendo… Mas acho que só por hoje não faz mal.


Jimin sorriu novamente, mas sua mãe chegou com o celular. Eles foram para o lado de fora e posaram algumas vezes, e, depois de receberem várias instruções da mãe do mais novo de como não ficarem bêbados ou não fazerem nenhuma loucura, Jimin entrou no carro de Yoongi.


— Não sabia que você dirigia — disse quando o silêncio caiu sobre eles. — O carro é seu?

— Não, é da minha mãe. — Sorriu para o acastanhado, estava nervoso e suas mãos suavam contra o volante.

— Ah… Yoongi — chamou a atenção do outro, ainda olhando para ele.

— Hm?

— Por que mudou de ideia? Sobre o baile.


Yoongi não desviou seus olhos da estrada, mas tombou a cabeça para o lado, pensativo.


— Acho que eu nunca tinha parado pra pensar pelo jeito que você via. Nosso último ano, a última oportunidade.


Jimin concordou com a cabeça, não evitando sorrir empolgado.


— Fico feliz que tenha me convidado. — Tocou o ombro do rapaz rapidamente, mas por tempo suficiente para Yoongi sentir o toque suave de sua mão pequena, fazendo com que ele corasse mais uma vez.

— É, aproveite, hoje é seu dia de sorte! — disse, tentando parecer tranquilo.

— Vai ser divertido!


{...}


Quando chegaram na frente da escola, Yoongi estacionou em uma vaga próxima a saída. Enquanto caminhavam pelo pátio, conseguiam ver as faixas decorativas na frente do prédio, um corredor enfeitado levava-os para a quadra da escola, onde estava acontecendo o evento. Durante o percurso, era possível ver muitos alunos, a maioria garotas em seus vestidos bufantes e cheios de brilho, usando os espelhos dentro dos armários para dar um último retoque na maquiagem.

Algumas pessoas olhavam para a dupla de garotos, andando lado a lado, os ternos impecáveis. Jimin sorriu ao notar que, pelo menos uma vez, tudo estava exatamente como ele planejava. Sentiu a mão fria de Yoongi capturar a sua e colocá-la enlaçada ao seu braço, deixando o acastanhado bem mais próximo dele.


— Se vamos fazer isso, vamos ter que fazer direito — disse Yoongi sério quando Jimin olhou para ele surpreso.


Ter a mão de Jimin segurando seu braço deixava-o ansioso, mas era muito bom estar tão perto do garoto. O perfume suave que ele usava era sutil, mas muito bom, e daquele jeito Yoongi podia apreciá-lo sem parecer estranho. Algumas pessoas cumprimentaram o Park enquanto caminhavam, dizendo o quanto era bom vê-lo ali e elogiando sua roupa.

— Nossa, Park. Eu não sabia que tinha fãs — disse, provocando o outro assim que chegaram na quadra.

— Eu não estou entendendo nada! — Riu. — Eles normalmente nem falam comigo.

— Deve ser o terno. — Mas Yoongi sabia, a verdade era que Jimin estava deslumbrante.


Avistaram Taehyung acenando para eles de uma das mesas dispostas ali. A quadra estava muito bem decorada, tudo brilhava e parecia ser um verdadeiro pedaço do céu, depois Jimin iria parabenizar o amigo pelo trabalho bem feito.


— Achei que não viessem mais! — disse Taehyung, assim que chegaram na mesa. — Yoongi… está bonito.

— Obrigado, Kim. Boa noite, Jeon — cumprimentou o outro rapaz, que lhe respondeu com um aceno.


Logo começou uma música dançante e Jimin e Taehyung foram dançar na pista. Jungkook foi cumprimentar os amigos do time de futebol e Yoongi apenas observou da cadeira o acastanhado dançando com o Kim, ele estava realmente se divertindo e o Min ficava feliz por isso. Foi pegar um refrigerante e, quando voltou, o rapaz já estava de volta à mesa, iriam apresentar os vencedores do título de rei e rainha do baile.

Como era de se esperar, Jungkook foi o mais votado como rei, então Taehyung colocou a coroa sobre os cabelos dele muito sorridente. A rainha foi Park Ji Hyo, a presidente do clube de debates; ela era linda e muito comunicativa, também foi muito merecido.

Os dois escolheram seus parceiros para dançar e, em seguida, todos os alunos foram convidados a irem até a pista e dançarem com eles.

Jimin apenas observou as pessoas saindo de seus lugares e indo até o meio da quadra. A luz estava baixa e o DJ havia colocado uma música lenta. Sem que ele esperasse, Yoongi estava na sua frente, com a mão estendida para ele.


— Yoongi, não precisa…

— Eu sei que não. Você vai me deixar com a mão no vácuo mesmo?


Jimin sorriu para o mais velho e pegou sua mão. Levantou-se e seguiu com ele até onde os outros estavam.


— Já aviso que não sei dançar, então vou só fingir — disse, fazendo Jimin rir; ele estava amando fazê-lo sorrir.

— Tudo bem.


Yoongi segurou a cintura de Jimin gentilmente sobre o tecido do terno branco, trazendo-o para mais perto, enquanto o Park repousava suas mãos pequenas suavemente sobre os ombros do mais velho. Ele não sabia dizer se era a luz colorida do local ou se eram seus olhos que estavam encantados pelo mais novo, mas ele parecia um verdadeiro príncipe. Seus cabelos castanhos emoldurando o rosto fofo, os olhos pequenos brilhantes, os lábios rosados e grossos entreabertos.

Tomou um susto quando, de repente, depois de um barulho, começou a chover papel picado sobre eles. Suas mãos apertaram com um pouco mais de força a cintura alheia e Jimin quase se agarrou a ele pelo espanto. Rindo, eles se afastaram um pouco.


Park estava fascinado pelo mais velho estar tão disposto a fazer com que a noite fosse realmente especial para ele. Quando sentiu o calor da mão do outro em sua cintura, não conseguiu segurar as batidas de seu coração e apoiou as suas próprias no ombro de Yoongi. Eles tinham basicamente a mesma altura, então estavam próximos o suficiente para ver os traços bonitos do descolorido bem de perto.

O cabelo claro estava sobre a testa e, logo abaixo dele, despontavam dois olhos felinos. Quando papel picado começou a cair sobre eles, sentiu o aperto firme do mais velho em sua cintura e apoiou-se mais próximo dele. Começou a rir quando percebeu que o mais velho havia se assustado com o barulho.

Estar assim tão perto do outro fazia seu coração palpitar e sua boca ficar seca, Yoongi vinha sendo tão atencioso e estava fazendo-o se sentir tão importante, especial e feliz que quando o descolorido perguntou se ele queria ir a outro lugar, ele imediatamente concordou com a cabeça. Não importa mais onde, ele queria ficar perto do Min.


Eles saíram do colégio de mão dadas e entraram no carro da mãe de Yoongi. O mais velho dirigia pelas ruas vazias por causa do horário e aumentou o volume do som do carro, eles cantavam a plenos pulmões enquanto aproveitavam a noite. O Min ficou surpreso ao descobrir que o mais novo conhecia as músicas que ele gostava de ouvir. Cantaram juntos e riram um do outro durante o caminho. Quando chegaram ao local que Yoongi queria, desceram do veículo e Jimin ficou completamente encantado.

Era um miradouro, então conseguiam ver grande parte da cidade iluminada abaixo deles.


— Yoon… — disse, apoiando-se no parapeito. — Que lindo.

— Achei que fosse gostar. — Ficou ao lado do outro.

— Obrigado… Por hoje, por isso, por tudo.


Yoongi sorriu e deu de ombros, afinal, ele tinha se divertido muito também.


— Espero que sua noite tenha sido um pouco do que você imaginava. — Jimin virou para ele sorrindo.

— Foi muito mais do que eu esperava. Por sua causa.


O descolorido acenou com a cabeça, envergonhado.


— O que te fez mudar de ideia, de verdade? — perguntou, deixando Min ainda mais desconcertado.

— Ai… Não deixe as coisas estranhas, só aproveite…


Jimin riu.


— Certo, me desculpe. — Voltou a observar a cidade, sentindo o vento bater em seu rosto.

— Foi por sua causa. — Ouviu a voz do mais velho soar baixa.

— O quê?

— Você queria tanto e… eu queria fazer ser especial pra você. — Yoongi mordia o lábio e não olhava para Jimin.

— Obrigado, então. Foi incrível.

— Não foi tão horrível quanto imaginei que seria — falou, tentando quebrar a tensão estabelecida ali.


Park olhou para ele e se aproximou. Yoongi não se afastou, mas sentia que, se Jimin quisesse, poderia ouvir seu coração de tão forte que ele batia.


— Yoongi, eu quero te beijar — disse inesperadamente, fazendo o mais velho rindo de nervoso.

— Você tá falando sério? — O acastanhado afirmou com a cabeça.


Min não imaginava que Jimin tomaria tal atitude, mesmo que em sua cabeça fosse o que ele mais desejava secretamente. Respirou fundo e segurou a mão pequena na sua, acarinhando suavemente a derme macia. Jimin deu mais um passo para perto dele, levando a mão livre até a nuca do descolorido e passando os dedos pelos cabelos curtos da região. Yoongi fechou os olhos pelo contato e inclinou um pouco a cabeça, esperando pelo mais novo.

Jimin umedeceu os lábios e aproximou a boca da do Min, encostando seus lábios suavemente. A respiração quente de Yoongi batia em seu rosto e ele mexia timidamente os lábios nos seus, calmo e delicado. Min segurou a cintura do Park com mais firmeza, trazendo-o para perto, os peitos colados e as mãos quentinhas de Jimin em seu pescoço, alisando a região com carinho. Deixou que sua língua tocasse a do outro e Jimin sugou o músculo com curiosidade. Era um beijo gostoso, mas tranquilo, que Yoongi finalizou com um selar nos lábios cheinhos. Assim que abriu os olhos, viu que Jimin sorria e isso o deixou menos ansioso. Passou a mão delicadamente pelo rosto fofo, o polegar delineando o lábio inferior do mais novo, que se agarrou mais em seu pescoço.


— Agora, sim, a noite está perfeita — disse, antes de voltar a beijar o descolorido.


~~


Notas finais: Muito obrigada se você chegou até aqui 💙

Não deixem de me dizer o que acharam, o feedback é muito importante pra que eu saiba como está indo minha escrita.

Vejo vocês em breve 💙

7 de Setembro de 2021 às 19:33 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~