sia_2018_avilabru_ Bruna Cristina Silva Avila

Meu nome é Rose Gardyniés tenho 19 anos , estamos no ano 4.120 no calendário do nosso planeta Odon . Nosso planeta e nosso universo eram governados pelos deuses filhos dos Mesotitãs, mas faz mais de quinhentos anos que nós fomos abandonados a própria sorte . Nosso povo teve que evoluir por conta própria, graças ao meu tataravô Albert Gardyniés ,que criou o programa androide que possibilitou a criação de veículos robôs de ataque conhecidos como Metrodomis e com eles os androides só assim é que conseguimos sobreviver a fúria da Ordem demoníaca controlada pelo poderoso deus da morte Agamenon . Ele vem castigando o nosso povo a séculos, esperamos muito tempo pelos deuses mas eles não voltaram, foi assim que decidimos agir por nossa conta e assim evoluindo. Mas como tamanho caos começou e como chegamos até aqui ? Isso veremos agora ...


Fantasia Fantasia histórica Para maiores de 18 apenas.

#romance #fantasia #drama #guerra #mitologia #Deuses #
0
467 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Origem dos Mesotitãs

Meu nome é Rose Gardenyés, tenho 19 anos e sou especialista em ciência genética. Nasci no planeta Odon, atualmente estamos no ano 4120. E hoje eu decidi escrever esse diário, contando como tudo começou desde o início das eras. E como chegamos ao ápice do caos no presente momento?...

Tudo começou a partir de um ser divino chamado Orfeu. Ele era a personificação do universo. Se tratava do buraco - negro do qual se originou todos os seres, planetas e junto com eles os Mesotitãs. Seu corpo era muito vazio, escuro e solitário, não havia nenhum ser vivo naquele período. Não existia uma só estrela, não havia planetas.

Por outro lado, Orfeu já existia desde o início das eras e foi então que ele se cansou de ficar sozinho. E assim ele decidiu se reproduzir. Obviamente de maneira hermafrodita. Ele então gerou dentro do seu próprio corpo, os primeiros "seres",os chamados Mesotitãs, que foram os seres primordiais e pioneiros para o início do império dos monstros .

Os Mesotitãs, não eram bem .. Ahn ... digamos assim seres humanóides eles eram seres infinitos nesse caso lugares, creio ser a palavra certa. Eles eram, entre outras palavras, os chamados reinos infinitos.

Por exemplo, um deles é Stefanos ele era a personificação do Mundo Inferior ou seja, ele era o próprio Inferno seu corpo era aquela terra drasticamente corroída, um dos piores e mais defeituosos dos reinos e sendo um Mesotitã obviamente Stefanos não se locomovia para lugar nenhum e ele dentro de seu próprio corpo gerou, ao que chamamos de demônios e todos os seres do inferno. Stefanos não teve filhos bonitos e muito menos perfeitos, muito pelo contrário ele ainda estava muito longe disso.

Ele não foi um bom progenitor . Seu corpo era formado por rochas e muita fumaça tóxica que vinha do solo de seu interior, tudo lá cheirava a enxofre, haviam vários rios de lava que separavam as "ilhas" pois, cada uma das milhares de ilhas que haviam dentro de seu interior, representavam um planeta diferente para onde os habitantes de cada um dos planetas iam após a morte. Bom, mas isto é uma outra história, que ainda está por vir.

O Mesotitã Stefanos teve milhares de filhos um espécie em particular era intitulada como os tormentos que eram seres horrorosos e fedorentos seu cheiro era uma mistura de cheiro de esgoto com a de um cadáver em decomposição e ainda por cima, que levou um jato de xixi de um monte de gambás.

Garanto a você que você morreria só com o cheiro pois não conseguiria respirar por causa de tamanho fedor, que faria com que o seu estômago virasse pirueta dentro de sua barriga e você com certeza vomitaria até as suas tripas, quer um conselho nunca se aproxime deles.

Existem centenas de milhares de tormentos e cada um com suas peculiaridades e um fedor próprio .Mas ,um dos Tormentos mais conhecidos e temidos de todos os tempos é o Dark Caveira um ser esquelético, alto ,anda com uma foice e que é dono do recinto do planeta Hawar; Devastação, o demônio dos cem olhos que, governa o recinto do planeta Gaibin; Tank Org que era um ser que andava em pele viva com carne aparente em todo o corpo. Ele usava uma capa preta, não possuía olhos na face e ele enxergava com os olhos que ficavam nas palmas de suas mãos, este regia a morte no recinto do planeta Rebeuri. Esses eram alguns líderes da morte que comandavam as ilhas de cada planeta.

Stefanos teve também filhas e filhos que possuíam um corpo formado por rochas e lava vulcânicas. Uma de suas filhas era Naineris, que era extremamente colossal, do tamanho de um prédio de cento e vinte andares, e seu corpo era extremamente pesado. Mas isso não a impedia de ter um corpo bem bonito e escultural. Ela aparentava-se com uma mulher com a cintura fina, pernas compridas e com coxas e traseiro avantajados. Tinha sobre a cabeça um capacete com chifres e seu cabelo era de fogo. E sim, eram chamas vivas. Dizem que Naineris vive no fundo do rio de lava e que só sai de lá durante o solstício que é quando ela vai se alimentar e procriar.

E em um desses solstícios ,ela se relacionou com o Mesotitã das trevas, o temido Orint . Seu corpo de Mesotitã original. Digo, "lugar" se tratava de um reino escuro. Um verdadeiro abismo das trevas. Se você por um acaso estivesse nele, provavelmente você nunca conseguiria tocar com seus pés no chão. Porque, lá não tem superfície sólida para você pisar. Com certeza você iria se sentir em queda livre para sempre. Pois o abismo não possuía fundo isso porque era infinito.

Porém esse Mesotitã não gostava de permanecer preso em seu próprio corpo. Foi então que ele deixou de ser um lugar e se tornou alguém de Mesotitã ele passou a ser um Titã colossal, não se tratava mais de um "lugar", mas sim de um ser vivo. Na sua nova forma ele tinha um corpo humanóide com braços, pernas, cabeça e tudo ficava escondido debaixo de uma fumaça preta que se assemelhava à cor da fumaça de um vulcão em erupção.

Seus olhos eram brilhantes e da cor branca e eram olhos muito vazios desprovidos de qualquer sentimento no escuro, eles poderiam ser facilmente confundidos com o brilho de um farol. Sua boca era formada por dentes semelhantes aos de um tubarão. Só que ele em sua nova forma titã, era enorme do mesmo tamanho de Naineris.

Agora ele podia andar, se movimentar e falar. Podia fazer tudo. E deixou de se chamar Orint e assumiu um novo nome de titã, ele passou a se chamar Drisgar e do relacionamento entre ele e Naiberis nasceu o demônio Daishi.

E bom Daishi tocava o terror ele tinha dentes em camadas eram bem finos e afiados feitos para triturar carne. Parecia um basilisco, seu prato principal? Crianças. Ah como ele adorava devorar pobres crianças indefesas. Sua aparência era similar a de um demônio com cabelos de fogo, olhos acinzentados e sempre antes de se alimentar ele se transformava em uma bela mulher que dava uma maçã para as crianças. E a criança que fosse gulosa e teimasse em comer a maça, ele não poupava a criança e a devorava sem dó. Já no caso da criança que não fosse gulosa ele não comia.

Isso com exceção de bebês recém nascidos. Ora! Esses eram seu prato preferido ,ele as comia cru mesmo pois, a carne era "macia".
Uma vez a muito, muito tempo atrás, no início das eras uma mãe chamada Elisa que estava em trabalho de parto começou a perceber vultos em seu quarto e com muito medo de Daishi devorar o seu filho ela orou a Mesotitã Elentary. Que, ouviu suas preces e um raio de luz entrou em sua cabana e o demônio foi expulso e exilado no Mundo Inferior, nas catacumbas do inferno em um sarcófago, enrolado com correntes de ouro .

Era possível ao entrar nas catacumbas, ouvi-lo grunhir e se debater dentro do sarcófago, e desde então ninguém o viu mais. Era de se imaginar que Drisgar como progenitor foi um fracasso completo até então. E é claro que ele teve outros filhos titãs, todos gigantes, dentre eles os Penta-ciclopes titãs com cinco cabeças e cinco olhos em cada cabeça.

E você já pode imaginar a reação de Drisgar "Essas coisas não se parecem nada comigo, são horrendas. Não são meus filhos. Vão ficar aqui trancados no escuro onde a feiura deles não assuste ninguém, eu hein!?"

Então foi simples assim, ele fingiu demência para não assumir os filhos feios. E não foram só esses os seus filhos, ele teve também os dragões de sete cabeças. E é óbvio, que ele também fingiu ter demência de novo, só que todos esses filhos foram gerados dentro do corpo Mesotitã de Drisgar, nesse caso o seu antigo eu, Orint. E por lá mesmo ficaram.

Só que embora tenha se relacionado com várias titânicas ele acabou se encantando pela bela Mesotitã Elentary. Ela era perfeita seu corpo Mesotitã era lindo com cascatas, rios de águas cristalinas, florestas que nunca morriam, vegetação rasteira com grama verde por toda a extensão de seu corpo. E os filhos gerados de maneira hermafrodita por ela mesma eram belos de se ver, cisnes, cavalos, leões, lobos e quantos animais mais você pensar. No entanto, nem todo aquele espaço era habitado. A maior parte da população vivia nas proximidades do lar de Elentary. Mas é claro que às "proximidades". Equivalem ao tamanho do nosso planeta Terra.

Todos os animais herbívoros. Eram vistos pastando nas planícies de grama verdinha e macia. Nos céus da Mesotitã Elentary, havia um céu que era uma verdadeira obra de arte de várias luas, estrelas e planetas. Colorido com a cor violeta, parecendo uma pintura em um mosaico de cores.

Na parte onde era inverno na Mesotitã Elentary. Sempre caía a neve em forma de um pó brilhante assim como diamante. E isso sem contar os imensos e vastos oceanos que ocupavam cerca dos noventa por cento infinitos oceanos. Tirando isso, os dez por cento são da porção de terra. O seu litoral se parecia com o caribe, com lindos corais de cristais, peixes coloridos e muito mais.

Elentary assim como Drisgar se separou do seu corpo Mesotitã, e era possível vê-la caminhando dentro dela mesma. Ou seja, dentro do seu próprio corpo. Em sua forma titânica, Ela era branca e coberta por vestes de nuvem, e o seu corpo se camuflava com as nuvens bem clarinhas, tipo aquelas nuvens que aparecem depois da tempestade.

Porém, o interesse de Drisgar em Elentary não era bem visto por Orfeu. Ele não queria que Drisgar se aproximasse de Elentary pois além de se casar com Elentary. Drisgar queria mais era governar os domínios do corpo Mesotitã de Elentary. Pois as terras dela ,eram as únicas prósperas, dentre os outros Mesotitãs. E não era apenas Drisgar que possuía interesse em Elentary, os outros Mesotitãs também.

Um deles era o Mesotitã chamado Bering ou se você preferir chame-o de Nalnai o Reino da Neve. Ele é com certeza um dos Mesotitãs mais frios do infinito, suas temperaturas no inverno ficavam abaixo de graus abaixo de zero.

E assim como os outros Mesotitãs ele se reproduziu e gerou dentro de si os chamados Ariens, os anjos da guarda do universo soberano. Eles eram todos trajados de uma túnica branca, assim como suas asas. E todos os Ariens da classe guardiões nasceram para guiar e proteger os mortais ,todos eles possuíam os cabelos loiros. Já os anjos da classe anjos de guerra eram trajados com armaduras e todos possuíam os cabelos pretos, essa classe em particular se tratava do exército que travava batalhas entre o mundo dos vivos e dos mortos.

Todos eles moravam em uma cidade com palácios e construções feitas de cristais, com vidraças enormes do tamanho de um prédio de cinco andares, de onde era possível se ver todos os seres humanos, nesse caso cada anjo em uma mesma vidraça viam humanos e lugares diferentes, só que cada um ao seu respectivo protegido.

O Mesotitã Nalnai ao contrário de seus irmãos Drisgar e Elentary. Optou por não assumir a forma titã e permaneceu como um Mesotitã. Lá também haviam animais fantásticos só que todos eram albinos e nenhum deles se incomodava com o frio, e estes se alimentavam de neve e gelo, que tinham sabores variados de todo tipo de comida.

E na época em que o inverno acabava. Logo, brotavam as violetas e as frutas da cor lilás, que alimentavam os animais que sobreviveram ao inverno cortante. Haviam uvas, amoras, beterrabas ,e frutas cítricas disponíveis para todos. Em Nalnai ninguém comia ninguém eram todos animais herbívoros, no termo não comer carne, isso era porque todas as vidas eram importantes e também, era uma prioridade para Nalnai, alimentar bem os seus filhos de forma saudável, preservando assim a paz e a harmonia entre seus filhos.

Só que ele tinha interesse em trazer o verão para os seus filhos e por isso queria se unir a Elentary pois ele só podia oferecer a eles o frio e inverno. Já Elentary poderia preencher o buraco que faltava no Reino de Nalnai.

Só que ao contrário do deserto gelado de Nalnai, havia um outro deserto. Só que ao invés de muito frio era muito, muito quente. Se tratava da Mesotitã Solaria . Ela era formada por vastos desertos , muita mais muita areia. Solaria muito ao contrário de seus irmãos, não desejava Elentary. Muito pelo contrário ela tinha inveja pois, ela nunca conseguiu gerar descendentes belos, procriou apenas insetos gigantes como escorpiões, centopeias, vespas gigantes e répteis como crocodilos pré- históricos.
E uns dos mais peculiares eram o Sarais. Eles eram gigantes de areia, que eram do tamanho do monte Everest. Os Sarais fazem com que insetos que ao nosso lado são do tamanho de um megalodonte , sejam meros insetos do tamanho de uma barata para eles .

Os Sarais geralmente caminhavam por debaixo da areia e quando suas presas passavam eles só abriam as suas bocas enormes. Com dentes podres e o cheiro era, ai nem sei explicar tipo assim... cheiro de insetos mortos, e restos mortais dos insetos presos em seus dentes. Era repugnante. E por isso a Mesotitã Solaria, se sentia frustrada, por ser escassa e incapaz de gerar um descendente bonito. A Mesotitã Solaria também era conhecida como o Reino de Werkral e assim como Stefanos e Nalnai ela preferiu permanecer como Mesotitã e não assumir a forma titã.

E outro Mesotitã que é do gênero masculino era o Almenis ou se preferir pode chamá-lo de Além o Mesotitã da vida após a morte. Era para lá que os mortos de coração bom e de bom comportamento iam após a morte. Era sem dúvidas o paraíso, com ruas de ouro, prata, colunas de prata que recheavam as construções daquele Reino, não havia fome nem guerras, todos viviam em paz e harmonia.

Haviam além dos limites da cidade moinhos de vento em meio a infinitos jardins de flores de todas as cores ,um céu azul e durante a noite as fadas dançavam e cantavam. Lá havia rios de água cristalina, que rolavam sobre as rochas em cascatas com peixes coloridos, carpas alaranjadas e de quantas cores mais você pensar. Haviam cervos e capricórnios montanheses que ficavam nas montanhas com árvores de folhagem alaranjadas e vermelhas da cor das folhas de outono. Haviam ipês e árvores frutíferas . Na minha opinião, esse seria o par perfeito para se casar com Elentary. A também chamada de
Mundo Supremo, esses dois poderiam ter prosperado juntos só que não foi bem assim...


3 de Setembro de 2021 às 13:14 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Os deuses filhos de Drisgar

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!