costtolinana NANA 🦋🌻

Numa cidade cheia de sombras, John Watson se encontra perdido, sem saber como voltar para casa. Quando ele conhece Sherlock, percebeu que de alguma maneira tudo se encaixava. Sherlock estava fazendo sua ronda pela cidade quando encontrou um homem ferido. Ajudando o homem, não entende o que está acontecendo consigo, a única coisa que entendia era que queria estar perto dele. Agora, Sherlock encarou como uma missão ajudar John a voltar para casa. E se não for só isso? E se ele pudesse realizar o desejo mais íntimo de seu coração?


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#universoalternativo #sherlock #johnlock #watson
0
521 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Corria pelos becos, desorientado. Aqueles dois que estavam atrás de si ainda continuavam em seu encalço. Seu corpo estava no limite, sentia o ar faltar em seus pulmões, não podia desistir. Segurando seu ombro ferido, achou uma lata de lixo onde se abaixou e esperou aqueles homens passarem. Ofegante, viu seus perseguidores passarem por ele, seguindo em frente. Resolveu olhar para o estrago feito pelo tiro, "Maravilhoso", pensou.

Não sabia como havia se enfiado nessa confusão, apenas se lembrava de estar viajando a serviço de seu mestre quando foi dominado e trazido para este lugar. Não sabia onde estava, só conseguia imaginar ser uma espécie de lar das Sombras, nunca tinha visto tantas em apenas um só lugar, era surreal.

Quando conseguiu normalizar sua respiração, começou a pensar no que fazer. Estava numa terra estrangeira, não sabia como sair dali e nem como voltar para casa. Respirou fundo e se levantou detrás da lixeira, se esticando um pouco para recomeçar a caminhar quando ouviu um barulho.

Virou na direção de som, mantendo-se atento. Quando percebeu, seus pés estavam o levando direto até o barulho.

Atiçado pela curiosidade, andou devagar, olhando sempre para trás com receio de seus captores voltarem. Quando chegou ao local viu algo que o assombrou: uma criatura disforme, escura e horrorosa. Possuía dois buracos no lugar dos olhos, com uma boca no meio do peito, cheio de dentes cerrados. Suas mãos eram somente garras enormes e seus braços e pernas alongados. Nunca tinha visto nada como aquilo.

Se escondeu atrás se um muro, tentando não ser visto pelo monstro. A criatura respirava devagar, farejando, procurando alguma coisa. Olhou na direção dele e agachou, se pôs na posição de corrida e deu um impulso para frente, começou a correr.

Ele, sabendo que era a si que o monstro queria, correu na mesma hora, desesperado. Foi cercado rapidamente, sem muita chance de fuga. Conseguiu desviar do primeiro golpe, rolando para o lado. Segurou seu ombro machucado, tentou mais uma vez fugir, o que não deu certo. Era isso, iria morrer, pena que não tinha vivido muito sua vida. Suspirou e olhou para seu fim. Foi quando ouviu um assobio.

Ao olhar para cima, percebeu uma pessoa no telhado. Prestou atenção na figura, era alto e tinha cabelos encaracolados.

— Vejo que você tem companhia — disse com uma voz aveludada e sarcástica — Se importaria que eu me juntasse à reunião? — terminou descendo do telhado pousando suave no chão.

Prestou atenção nele, além dos cabelos encaracolados, era alto e usava roupas elegantes. Seu rosto estava escondido por uma máscara em forma de lobo e seus olhos eram de um azul intenso.

Ele respirou profundamente, só a presença daquele homem era algo surreal. Era forte e intensa, prendendo você apenas com um olhar. Ainda paralisado, não percebeu quando o homem puxou uma espada da bainha e ficou em guarda.

— Bom, vejo que sou um convidado indesejado. É uma pena. — avançou para cima do monstro.

Parecia que ele dançava. Seus movimentos eram fluídos, a espada, que agora percebeu ser um florete, era como uma extensão de seu corpo. Ele pulava, desviava e golpeava, procurando acertar o rosto do monstro. Enfiou o florete dentro da boca da criatura, a fazendo soltar um guincho de dor. Se debateu loucamente até acabar seus movimentos. Finalmente o bicho estava morto.

— Acho que sou uma companhia ruim — disse guardando seu florete — O nosso convidado deve me achar desagradável — retirou sua máscara suspirando teatralmente — E você, a quem deve a honra de conhecer neste dia nublado? — olhou intensamente para ele.

Aqueles olhos eram duas lascas de gelo. Eram frios e analíticos, focado em tudo a sua volta.

— John Watson — não sabia como conseguiu responder, estava com os dois olhos grudados no homem.

— Sherlock Holmes — disse, possuindo um sorriso sarcástico.

O homem que agora sabia se chamar Sherlock, chegou mais perto de John, observando o ferimento no ombro a muito esquecido.

— Venha, vamos resolver isso — Saiu andando na viela atrás dele — Você não vem? — parou olhando para trás, para conferir se estava sendo seguido.

Decidiu seguir o estranho que salvou a sua vida. A partir desse encontro sua vida nunca mais seria monótona.


2 de Setembro de 2021 às 13:24 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Capítulo Um

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas