vanessabella Vanessa Viegas

Após um dia exaustivo de trabalho, Simone só queria chegar em casa e relaxar ㅡ Mas um encontro com alguém no caminho a faz perder o rumo até mesmo de sua vida... Um conto erótico pra deixar seu dia excitante! proibido para menores de dezoito anos.🔞


Erótico Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#sexo #erótico #conto
Conto
0
1.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Meus pés pisavam para fora do elevador do qual descia em direção a saída do prédio onde trabalho. Eu ainda podia sentir o cheiro forte de suor emanado de dois homens que estavam comigo dentro daquela lata de sardinha. Ao vê-los se distanciarem de mim respirei aliviada enquanto caminhava até a recepção e dando uma olhada para meu relógio de pulso antes de pegar o celular em meu bolso e chamar o Uber.


Hoje é sexta feira, e acabei de rejeitar dois convites para um bar chique aqui perto do trabalho; mas estou cansada quero chegar em casa logo e tomar um bom banho relaxante. Fiquei o dia inteiro abarrotada com os relatórios em minha mesa, sinto meu pescoço dolorido de tanto ficar em uma só posição. Eu agradeceria por uma boa massagem agora. Olhei novamente para o visor do meu celular analisando a procura do aplicativo por um motorista. Aquelas voltinhas pedindo por um tempo de espera já estava me deixando impaciente, meus pés gritam para saírem depressa de cima dos saltos.


Talvez essa falta de paciência que sinto agora seja fruto do meu rompimento com Heitor. Isso tem me deixado profundamente chateada. Com isso decidi não me envolver com alguém nem tão cedo. Finalmente o aplicativo indicou o motorista, logo de cara observo a feição do homem na imagem de perfil.


" Hum...nada mal"

Meus pensamentos voltam a me trair por pensar em homens. Sacudi a cabeça tentando afastar aquilo da mente e me despedi rapidamente da minha amiga Cristina que já podia ver o reflexo do cansaço em meu rosto. Voltei a caminhar para a saída sentindo os pés latejarem. Então empurrei a porta de vidro da saída do prédio e senti um vento súbito levantar ligeiramente minha saía. O farfalhar das árvores que haviam próximas do prédio indicava a mudança de tempo repentino, o vento estava forte e já conseguia ver ao longe algumas nuvens aproximando se rapidamente.

“Mas que maravilha vai chover, espero que eu chegue a tempo em casa”


Meu cabelo cobria parte do rosto quando avistei de longe o carro do Uber se aproximando da calçada onde eu estava, precavida como sempre fui, confirmei se aquele era realmente o meu motorista que estava esperando.

“ Motorista Fábio ㅡ carro Nissan Versa...”

Tudo parecia corresponder ao mesmo que descrevia no aplicativo. Notei que ele já havia me visto e esperava por mim tranquilamente. Dei um pequeno sorriso para ele e confirmei seu nome antes de entrar no carro. Ao fechar a porta olhei para o Fábio através do retrovisor interno percebendo logo de imediato o quanto ele era realmente bonito. Seus olhos lindos e marcantes tinha a cor âmbar, seu cabelo tinha um corte baixo mantendo um pequeno topete valorizando bem o rosto, notei que sua camisa social branca estava devidamente passada e muito bem limpa, o vento que ultrapassava os limites da janela do carro, trazia o cheiro dele para mim. O perfume era sensual e levemente amadeirado. Então aspirei deliciosamente aquela fragrância agradável sem tirar os olhos da imagem de Fábio refletida no retrovisor.

ㅡ Oi parece que vem um temporal por aí... talvez nos pegue pelo caminho. ㅡ ele disse manobrando o volante com habilidade.

ㅡ Verdade. ㅡ eu respondi após limpar a garganta.

Comecei a me sentir estranha talvez pelo fato de estar saindo do trabalho e estar visivelmente cansada e um pouco despenteada por causa do vento. Abri a bolsa rapidamente e retirei dela um espelho. Olhei para a minha aparência e disfarçadamente comecei a ajeitar meu cabelo liso atrás da orelha e minha blusa de botões que estava toda torta. Senti uma raiva momentânea ao me dar conta de quanto meus seios eram grandes e não ficavam bem em todas as roupas que eu vestia. Os botões de cima estavam quase estrangulados com tanta pressão exercidas sobre eles. Eu acabei me distraindo tentando fechar as brechas entre eles e não percebi que Fábio me olhava atento pelo retrovisor.

Depois de passar minutos fazendo aquilo eu ergui os olhos e o surpreendi olhando pra mim, que rapidamente ele desviou os olhos de mim para o trânsito a frente. Nesse momento meu rosto começou a queimar de vergonha. O caminho do meu trabalho até minha casa não passava de quarenta minutos, mas o trânsito que começou a se formar provavelmente aquela corrida ia se estender um pouco mais.

ㅡ Posso colocar uma música? ㅡ ele perguntou de repente.

ㅡ Sim, claro.

ㅡ Tem alguma preferência?

ㅡ Gosto muito das clássicas...ㅡ respondi sentindo o clima mudar entre nós.

ㅡ Clássicas internacionais?

ㅡ Isso...

ㅡ Também curto bastante.

Eu o vi estender a mão grande para o aparelho de som e liga-lo escolhendo uma rádio específica que começou a tocar uma música agradável dos anos noventa, então começamos a ouvir gotas de chuva grossa atingir o carro pela frontal.

ㅡ Nossa! A chuva realmente nos pegou. ㅡ disse ele ligando o limpador de para-brisa.

Do lado de fora eu podia ver as pessoas correndo atrás de um abrigo até a chuva passar. O céu estava completamente escurecido em plena tarde de sexta feira, eu particularmente não gosto de temporais ainda mais estando dentro de um carro com um desconhecido. A chuva se intensificou e Fábio ligou o ar dentro do carro.

ㅡ Acho que vamos ficar um tempinho a mais no trânsito...ainda bem que esta é minha última viagem de hoje.

ㅡ Ah que bom vai descansar...eu também não vejo a hora de chegar em casa e tomar um bom banho...ㅡ respondi soltando uma risadinha baixa.

ㅡ Sexta feira o corpo pede pra relaxar mesmo ...

Eu juro que ouvi um suspiro vindo dele após dizer isso, ele começou a me encarar pelo retrovisor nos momentos em que parava o carro atrás do outro que estava a frente. Seu olhar era verdadeiramente atraente, impossível este homem não ser casado ou não ter compromisso. Enquanto eu estava brigando comigo internamente ele voltou a puxar conversa.

ㅡ Queria estar tomando uma boa gelada agora, está fazendo muito calor esses dias não é mesmo?

ㅡ Verdade...está muito quente, já faz um tempinho que não tomo nada...a última vez foi quando estava com meu ex...

Droga! Acabei falando demais...Neste momento ele voltou a olhar pra mim com as sobrancelhas levemente erguidas.

ㅡ Faz tempo? ㅡ ele perguntou acelerando um pouco mais o carro para alcançar o da frente.

ㅡ Uns três meses.

ㅡ Com todo respeito, ele saiu perdendo.

Ouvir aquilo fez meu rosto pegar fogo. Eu não julgo ser uma mulher feia, mas olhando assim para mim nos dias atuais, minha barriguinha não é a mesma de dois anos atrás, pois nós últimos dias acabei adquirindo peso e estava protelando em arranjar um tempo para voltar a academia.

ㅡ Não precisa ficar envergonhada, estou dizendo a verdade, você é uma mulher muito bonita...

ㅡ Obrigada, você também é...

Puta que pariu!! Acho que as palavras começaram a sair da minha boca por vontade própria. Juro que pretendia manter isso em segredo.

ㅡ Obrigado, mas eu não me acho um cara bonito, não é atoa que estou sozinho até agora...

ㅡ Você vai me desculpar...mas onde você é feio? Deve estar sozinho porque quer...

ㅡ As mulheres andam muito exigentes ultimamente...

Ele esboçou um leve sorriso e voltou a me encarar pelo espelho. Suas piscadas ficaram mais lentas, estava na cara que ele estava jogando charme pra cima mim. O que eu faço? Confesso sentir um pouco de receio por estar assim a mercê de um homem desconhecido dentro de um carro em plena chuva forte.

Era inegável dizer que não estava sentindo nada ao encarar os olhos dele. Discretamente comecei a notar o tamanho de suas coxas movendo se ao mudar o pé do freio para o acelerador. Ele não era só lindo também era gostoso. Minha respiração estava saindo do controle por estar pensando em mil maneiras de ser possuída por ele que sem eu menos esperar virou se para trás para me olhar por inteiro.

O trânsito continuava parado por causa da chuva intensa junto ao horário de pico.

ㅡ Hoje você vai demorar um pouco mais pra chegar em casa ... ㅡ ele disse ao se virar para mim.

ㅡ Estou vendo que sim ㅡ respondi sem tirar os olhos dele.

ㅡ Já ouvi dizer que nada acontece por acaso, quer conversar um pouco pelo jeito vamos ficar preso aqui um tempinho.

ㅡ Pode ser, sem problemas... o que mais gosta de fazer Fábio? ㅡ perguntei depois de alguns segundos de silêncio.

ㅡ Quando não estou trabalhando, gosto de ficar em um lugar tranquilo de preferência com uma pessoa agradável ao lado.

Outra pessoa normal em meu lugar ia ficar com medo ao perceber o rumo daquela conversa, mas eu não estava; pelo contrário, comecei a ficar completamente atraída por ele. Com seu olhar avaliativo pelo retrovisor percebi que ele estava vidrado no tamanho dos meus seios. O jeito dele aspirar o ar dava a entender que estava se segurando ali.

ㅡ Com certeza alguém agradável ao lado é maravilhoso...ter alguém que curte as mesmas coisas que você é bem legal.

Engoli em seco ao ver a expressão que ele fazia enquanto eu falava.

ㅡ Desculpe Simone, mas você é realmente muita linda e acaba me distraindo...

ㅡ Aí meu Deus...

Eu não sabia como agir e comecei a tampar a boca com os dedos e ajeitar cabelo atrás da orelha.

ㅡ Percebi também que é bastante sensível...ver seu rosto assim todo vermelhinho me deixa ainda mais curioso em conhecer você.

ㅡ Desculpe, é que acabei de sair de um relacionamento...e ainda estou bastante magoada...

ㅡ Quer falar sobre isso? Caso não queira eu vou entender...

ㅡ Já não estávamos nos entendendo mais, ele pensava em um futuro diferente do meu, então não deu mais...

ㅡ Entendi... então me diga você, o que mais gosta de fazer?

ㅡ Viajar. Conhecer lugares diferentes, pessoas diferentes...

ㅡ É mesmo?

Ele perguntou em tom malicioso, mas adorei aquilo, e ele percebeu isso quando eu apenas balancei a cabeça em afirmação.

ㅡ Aí Simone, Simone...ㅡ ele suspirou acelerando o carro após alguns minutos paradoㅡ ...você ia se importar se saíssemos um pouco dessa rota?

ㅡ Não. ㅡ fui enfática.

ㅡ Tá certo.

De maneira habilidosa, ele virou o carro entrando na pista da esquerda fazendo uma conversão para entrar no sentido contrário ao trânsito em que estávamos. A pista estava livre, e, em minutos estávamos passando em frente ao prédio onde trabalho. Trafegando próximo a um parque ele entrou em uma rua quase deserta e resolveu parar o carro. Nesta altura meu coração já estava quase saltando pela boca, eu olhei ao redor e a chuva ainda continuava intensa.

ㅡ Posso me sentar ao seu lado pra gente conversar melhor?

ㅡ Pode. ㅡ concordei ainda tímida.

ㅡ Então vou desligar o aplicativo e dar a viagem por encerrada, pode ser?

ㅡ Tudo bem...

Ele sorriu com minha resposta e abriu a porta e saiu do carro e entrou rapidamente sentando se agora ao meu lado no banco traseiro.

ㅡ Assim é bem melhor não é? ㅡ ele perguntou assim que entrou.

ㅡ Sim, agora está bem melhor...

Senti um arrepio em minha pele ao vê-lo sentar perto de mim, pude notar que ele tem o corpo másculo e bem definido, sua blusa social estava justa ao seu peitoral forte e sua calça preta marcavam bem as coxas grossas que possuía. Ele me deu um beijo no rosto e se apresentou formalmente dizendo para eu não ter medo, pois não ia fazer nada que eu não quisesse. Começamos a conversar, ele me falou um pouco da vida dele e que só estava fazendo um bico de Uber porque havia perdido seu emprego de gerente de vendas. Eu falei um pouco de mim e acabamos entrando no mesmo assunto meu ex namorado.

ㅡ Como ele foi capaz de deixar você...?

Senti o dorso da mão dele deslizar levemente em meu rosto enquanto ele falava; eu fechei os olhos com aquele toque, estava carente. Sutilmente aquele toque foi descendo em direção aos botões da minha blusa, e sem perder o contato visual dele...ele começou a abri-los devagar alcançando o feche frontal do meu sutiã. Fábio desceu o olhar para os meus seios e voltou a me encarar nos olhos. ㅡ Devem ser lindos...

Arfei. Fui deixando ele me tocar então deitei a cabeça sobre o peito dele enquanto ele erguia minha saia lentamente já colocando a mão por debaixo dela procurando alcançar minha boceta totalmente molhada.

ㅡ Hummm...já está molhadinha ㅡ disse ele depois de puxar a calcinha para o lado e introduzindo os dedos dentro de mim.

Minha respiração falhava durante o momento em que sentia o movimento frenético de seus dedos em minha boceta.

ㅡ Você é muito gostosa e carnuda...uma delícia de ser tocada.

Eu não conseguia dizer nada apenas continuava de olhos fechados com a cabeça deitada sobre o peito dele. Aquele toque estava perfeito eu estava quase gozando ali nas mãos dele.

ㅡ Está gostando? Hum? Está me deixando louco, eu quero mesmo é invadir você todinha...

ㅡ Sim, estou adorando...hunf...hummm...ㅡ gemi intensamente.

Abri os olhos e vi seu pau duro pulsando dentro da calça. Neste momento ergui a cabeça para olha-lo nos olhos e fui surpreendida com um beijo molhado e estupidamente gostoso. Fábio me beijava deliciosamente mantendo os movimentos dentro da minha boceta aquilo estava me enlouquecendo, eu poderia sentir os tremores em meu corpo causados pelos espasmos ao quase gozar na mão dele.

ㅡ Quer gozar Simone...? ㅡ ele perguntou tirando os dedos de mim e os lambendo na minha frente. ㅡ ...olha só como você me deixou... ㅡ ele começou a desabotoar a camisa.

ㅡ Nossa... ㅡ sussurrei no ouvido dele após olhar o tamanho da ereção dele por dentro da calça.

Os vidros do carro já estava abafado o suficiente pra dificultar que qualquer pessoa visse o que estava acontecendo dentro dele. Fábio meteu a mão entre o zíper da calça retirando seu pau duro e maciço de dentro dela.

“ Nossa e que pau”

Sem pudor algum eu me inclinei e abocanhei o pau dele sugando com vontade até sentir Fábio começar mexer o quadril metendo de maneira entusiasmada em minha boca. Entre uma estocada e outra, eu era capaz de sentir seu pau duro alcançar minha garganta fazendo me engasgar. Eu estava gostando disso. Senti suas mãos grandes segurar e puxar meu cabelo tirando me daquela posição e levantando meu rosto em direção aos seus lábios dando me um beijo intenso. Ainda com seu pau fortemente enrijecido e pulsante, eu sentei de frente para ele que puxou minha calcinha para o lado posicionando seu pau na minha boceta encharcada. Ele terminou de abrir o feche do meu sutiã fazendo com que meus seios saltassem para fora.

ㅡ São duas jóias enormes!! Que delícia Simone...

Com as costas reclinada sobre o banco traseiro do carro, eu comecei a beijar o peito forte e meio peludo dele. Que delícia de macho. Ele tombou a cabeça levemente para trás enquanto eu desfrutava o pescoço dele com beijos, lambidas e chupadas. Fábio segurou me firme pelas nádegas direcionado minha boceta diretamente em seu pau todo lambuzado com seu líquido. Fechei meus olhos ao sentir sua estocada forte me invadir impetuosamente. Meus seios começaram a sacudir sensualmente em seu rosto devido a força do choque entre nossos corpos. Um grito fino e agudo saiu de minha garganta quando senti um tapa ser dado de maneira forte em minha bunda. ㅡ Humm Fábio!!

ㅡ Nossa como você é gostosa Simone...

Nesse momento arfei novamente ao senti a boca dele sugar o meu seio esquerdo. Meu Deus o que era aquilo? Os estalidos dos beijos de Fábio em meus seios se misturava ao barulho que minha boceta molhada fazia com a penetração poderosa e fugaz dele, elevando ainda mais o tesão que já estava sentindo, isso me fez agarrar em mechas do cabelo dele e soltar um gemido preso em minha garganta ao gozar descontroladamente em cima do pau quente dele.

Fábio continuava estocando em mim sem parar nenhum segundo, seus braços fortes me mantinham presa fazendo me quicar forte em seu quadril suado. Eu sentia minha bunda estremecer e balançar para cima e para baixo.

ㅡ Você é gostosa pra caralho...vou fazer você gozar de novo Simone.

Eu já estava ficando zonza e quase sem forças quando senti a mão grande de Fábio me mover para debaixo dele, ele lambia meus lábios e beijava minha boca descolando seus lábios de mim com pressão enquanto agarrava minhas pernas grossas com força voltando a estocar em mim ainda mais rápido.

ㅡ Adoro essa sua boceta carnuda!! ㅡ rosnava ele com o olhar cravado em mim.

Nenhuma palavra saía da minha boca eu estava completamente extasiada com a força daquele macho em cima de mim, nunca senti ser tão desejada, nunca ninguém me comeu assim dessa maneira libidinosa. Ele metia com tanta força que sentia minha cabeça pressionar a porta lateral do carro, meu corpo já dava sinais de que iria gozar novamente...

Levantei um pouco mais a cabeça para ver seu pau escorregar e sair de dentro de mim incontáveis vezes, ele estava demorando para gozar, eu podia sentir o calor do corpo de Fábio aumentar cada vez mais... Então me agarrei a alça de abertura da porta vendo meus seios sacudindo para cima e para baixo aquilo estava deixando ele enlouquecido, a sensação do orgasmo me alcançou novamente eu podia sentir meu líquido encharcar entre minhas pernas.

ㅡ Eu vi você gozar...que gostoso é assim que eu gosto...hummm... agora é minha vez Simone, já faz um tempinho que eu não gozo... hummm

Fábio retirou seu pau duro e enorme de dentro de mim pulsando por repetidas vezes até começar a esporrar jatos de seu líquido em cima dos meus seios, eles saiam tão forte que respingava em todo meu rosto, confesso que fiquei meio assustada com os urros que Fábio dava enquanto gozava. De repente começamos a ver um jogo de luzes dançarem iluminando parte do carro.

ㅡ Droga, pode ser a polícia...ㅡ dizia ele guardando seu pau ainda duro dentro das calças.

ㅡ Calma, se for eu digo que sou sua namorada...

Ele sorriu ao ouvir aquilo e sentou se ao meu lado fechando os botões de sua camisa. Sem perder tempo em me ajeitei rapidamente quando ouvi uma batida forte na porta.

ㅡ Abram a porta por favor! ㅡ ordenou uma voz autoritária do lado de fora do carro.

Fábio abriu a porta tranquilamente e encarou o policial que mantinha a mão direita no cabo do revólver.

ㅡ Está tudo bem por aí?

ㅡ Está tudo ótimo, estou com minha namorada, resolvemos dar um tempo aqui até o trânsito diminuir... ㅡ disse Fábio trocando olhares cúmplices comigo.

O policial me encarou de cenho franzido e tirou a mão de sua arma.

ㅡ Tomem cuidado aqui não é seguro... é melhor irem embora. ㅡ recomendou o policial.

Eu ainda era capaz de sentir minha boceta inchada pela força das estocadas de Fábio, eu havia adorado tudo que aconteceu naquele curto período de tempo. Ele voltou a entrar no carro sentando novamente do meu lado dando me outro beijo gostoso e inesquecível...

Os policiais ficaram nós observando de longe até sairmos dali, Fábio me convidou para sentar na frente com ele e assim eu fiz.

Ao voltarmos para o caminho de minha casa Fábio mordia o lábio inferior ao olhar algumas vezes pra mim.

ㅡ Você é gostosa...

ㅡ Você também é...

ㅡ Gostou?

ㅡ Adorei...

Eu sabia que não ia vê-lo nunca mais, e que talvez ele tivesse mentido pra mim sobre não ter alguém, sinceramente caso ele fosse comprometido eu não queria saber. Finalmente chegamos em frente a minha casa. Eu dei uma última olhada para ele antes de sair do carro, e assim que pisei um pé para fora, senti sua mão agarrar o meu braço me puxando para dentro. Seus lábios encontraram os meus com volúpia, sua língua mergulhava impetuosamente dentro da minha boca. O beijo não demorou muito, mas foi suficiente para não esquecer dele jamais...

Fábio foi embora, talvez um dia eu possa encontrá-lo por aí...quem sabe...





















14 de Agosto de 2021 às 07:24 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Vanessa Viegas Sou uma pessoa simples e romântica, gosto de ler e escrever e desvendar novos horizontes... Fã de Nicolas Sparks... Minhas histórias também podem ser encontradas no Wattpad e Spiritfanfics.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~