bruh_casthel Bruna Ferreira

Uma alma perdida, observando o mundo.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#poesias #contos # #love #life
Conto
2
7.4mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Eucalipto

Não sei se era uma explosão, ou se era uma trovoada...

Talvez a quantidade abusiva de drogas no meu corpo estivesse me levando a outros lugares, meu corpo pedia socorro.


Era o momento de parar, era o momento em que meu corpo pedia algum tipo de calor.

– O que viu dessa vez?


Era o cheiro dos eucaliptos do lugar que nasci, o cheiro enchia o ambiente.

Meus pés no chão, sentia a terra seca em cada pisada firme.

Sentia o barro seco nas minhas pernas, e meus cabelos bagunçados pelo vento.

Um lugar que sinto falta, um lugar que não posso voltar.

O cheiro dele faz eu me sentir em casa, sabe?

Sempre escuto como o cheiro é horrível, mas eu cresci com aquele aroma nos pulmões.

Me trazia algum conforto lembrar daquele campo.


– Sabe que não pode voltar... Não é?


Sei.

Mas ainda quero sentir aquele lugar novamente, todo dia me lembro como a poeira subia as ruas.

O detalhe de cada ignorância.


Já fazem oito anos, não é?

Sinto falta como os espinhos entravam nos meus dedos, como eu corria de forma selvagem pelos campos.

Eu me deixava cair.

Uma criança nunca sonha em deixar seu lar.

Sabia que vi meu lar queimar?

Vi aquele campo queimar, sei que pode renascer.

Mas algo meu queimou naquele lugar, e ainda sinto isso dentro de mim.


Acordar cinco da manhã para sentir o cheiro de um campo, um lugar que te faz sentir segurança.

Eu nem sabia o que o mundo tinha para mim, eu nem sabia quem seria.


Queria poder voltar, apenas sentir novamente o solo nos meus pés.

Só mais uma vez...


Um lugar para o qual não posso voltar, mas o cheiro dele está fugindo dos meus sentidos.

A lembrança dele é desfocada e em cores mortas, mas eu sei o caminho de olhos fechados.

Sei os atalhos, conheço cada pedaço dele.

– Estou perdida, enroscada nos arames da vida.. isso é pior do que estar caindo.


Acordando com isso na minha cabeça, eu acho que não quero ser alguém que foge.

E agora eu acho que preciso ser salva.

Estava sendo forte até o momento de hoje, até ter um pesadelo.

Isso ainda dói.


Fiquei parada olhando para a foto, enquanto o ouvia tentando alcançar meu coração.

– Vou ser claro...

Eu amo você, e acredito que você nasceu pra mim.


Toquei a foto...

Mas deixei o quadro cair.

Nascer pra alguém que ama só o esboço da minha existência?

– Você espera que isso alcance o meu coração?

Tudo que você consegue fazer é me causar dor...


A garota que se curvou naquele campo, que caiu enquanto fugia daquele tipo de existência inútil...

Você jamais vai conseguir amar ela.


Não pode me amar...

Não pode amar como os meus dentes se pressionam, como minha mão treme.

Como minhas cicatrizes queimam.

Você não pode me amar.


Seja sincero em saber separar os seus desejos dos seus afetos, não toque um coração que já está machucado.


É, eu posso ser incrível.

Eu posso parecer perfeita com a minha máscara de civilidade, eu posso dialogar como um ser humano inteligente e gentil.

Mas não sou tão gentil por dentro..

Tudo nesse mundo fodeu com a minha cabeça.

Você fodeu com a minha cabeça.


Um lugar para voltar, um lugar para olhar quando doesse muito.

Eu não tenho mais isso.

– Eucalipto

12 de Agosto de 2021 às 08:04 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Continua…

Conheça o autor

Bruna Ferreira A garota em uma caixa.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~