sarah-vieira-da-silva- Sarah Vieira Da Silva

Beatriz sempre teve uma vida simplória . Órfã, ela sempre pode contar somente com ela mesma e sua amiga Jasmim , que após o falecimento dois pais de Beatriz , a acolheu . Certa noite, após um dia cansativo de trabalho , Beatriz é sequestrada por um desconhecido - incrivelmente irresistível - ele acaba a acusando de ser a deusa Atena . Após tal acontecimento Beatriz se verá em um mundo diferente de antes , lutando contra deuses e monstros , tentando sobreviver . Porém ,sobreviver não será tão fácil , quando seus sentimentos estiverem em jogo.


Fantasia Fantasia histórica Impróprio para crianças menores de 13 anos.

# #leitura #livros #atena #deusesdoolimpo #afrodite-medusa-zeus-poseidon-ares-hermes
Conto
3
683 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Começo

O sol aquecia meu rosto pela fresta da janela.

Já era de manhã?

Meu quarto estava a verdadeira personificação de bagunça. Olhei para o meu despertador sonolenta...

OITO E MEIA? ESTOU FERRADA!

Sai do meu apartamento as pressas.

Droga! Estou atrasada!

Peguei o primeiro ônibus que apareceu. Imagina em plena segunda — feira um transporte público deste?! Só Jesus na causa!

Trabalho na editora ATLAS. Posso dizer que foi uma luta conseguir trabalho aqui, porém consegui! E gosto do meu trabalho, com certo esforço posso até publicar meu primeiro livro! Entretanto, com o atraso de hoje, posso concluir que esse sonho está um pouco longe de acontecer.

Acabei prevendo o futuro: O chefe furioso pelo meu atraso. Como se eu tivesse culpa! Minha amiga Jasmim não me deixou dormir — Jasmim era minha amiga desde sempre, posso falar que ela é minha irmã, sempre está comigo nos momentos mais difíceis. Quando meus pais morrem em um acidente de carro ela abrigou—me sem pensar duas vezes, também perdera os pais no mesmo ano, contudo posso dizer que Jasmim entende o que sinto, acabamos cuidando uma da outra, logo depois decidimos morar em apartamentos diferentes já que precisávamos do nosso próprio canto, todavia nunca paramos de se comunicar, ou com a nossa amizade — Ela ficou conversando sobre o novo namorado dela. Saiu do meu apartamento lá pelas duas da manhã! Por Deus! Ainda vai se dar mal — não que eu esteja jogando praga! — porém ela não para quieta com uma pessoa.AA!Espero colocar juízo na cabeça dela!

O escritório se encontrava cheio, pessoas de um lado para o outro, sentei na minha cadeira e relaxei um pouco.

Depois da briga com o chefe, teria que trabalhar dobrado!

— Bia querida, poderia fazer -me um favor? — Shirley apareceu toda sorridente, encostada sobre minha mesa. Era uma colega de trabalho.

Claro! Diga.

— Poderia me cobrir hoje meu bem? Vou ter um jantar com a família do Roberto — Ele é o noivo da Shirley, são perfeitos! Ela está tentando impressionar a família dele, nesses últimos dias, porém sem sucesso.

— Poderia sim, não vou fazer nada hoje a noite mesmo.

— Ah! Bia você me salvou! Você sabe que estou fazendo de tudo para a família do Roberto gostarem de mim, mas não estou conseguindo, porém, a partir de hoje eles vão me amar!

— Como não poderiam? Você é perfeita, inteligente, meiga e linda! Eles verão isso!

— Obrigada meu bem! Você me salvou. Fale-me um dia para que assim eu fique com seu lugar ok?

— Ok.

----------------Mais tarde-------------

— Obrigada mais uma vez meu bem! Estou indo! — Shirley saiu toda feliz.

— Divirta-se! E me conte tudo amanhã!

— Certo, irei te contar tudinho! — saiu feliz da vida.

Olhei para a pilha de coisas que teria que fazer.Nossa, vai ser uma longa noite!

Depois da décima quinta papelada não conseguia sentir meus dedos, estava morta de cansada. Avistei o relógio.

Caramba! Já era onze horas?

Perdera a noção do tempo completamente. Comecei a arrumar as coisas, deixaria para terminar o restante dos arquivos amanhã.

Não achei ninguém disponível para me buscar, um uber , táxi, ônibus, nada! Estavam ocupados por justamente ser segunda — feira.

Eu já falei que odeio segundas — feiras?! Porque com certeza ela não está no topo da lista dos dias mais incríveis da semana!

Tive que andar. Cheguei em uma parte da cidade que estava um breu, e muito silenciosa, nunca passara por ali antes, ou tinha e não me recordava.

Primeiramente achei o silêncio prazeroso,pois não tinha barulhos importunos como buzinas, furadeira, pessoas gritando… Coisa de cidade grande. Porém, logo ficou desconfortável, aquela quietude era perturbadora. Não havia um carro a vista. A rua estava deserta. Virei a esquina e a frente me deparei com um beco.

Eu me perdi? Maravilha!

Um barulho cortou o silêncio.

O que será? É uma briga? Ah! Meu Deus! Eu não quero me envolver nisso!

Outro som agora no fim do beco. Desta vez mais vibrante, parece que se aproximava em minha direção. Fiz o que toda pessoa em sã consciência faria.

Correr!

Eu não iria ficar para descobrir do que os barulhos se tratavam. Porém, eu vi um corpo ser arremessado no céu, ele caiu sobre várias latas de lixo ao meu lado.

MEU DEUS! O que é isso?!

Não observei o corpo nem por um segundo.

Sai as pressas daquele lugar? Óbvio! Se ficasse não viveria para contar história com certeza.

Cheguei em casa sem ar. Tranquei a porta como se minha vida dependesse daquilo. Meus pulmões ardiam. Buscavam por ar, meu coração disparava com tanta força que não conseguia ouvir muita coisa, só a suas marteladas urgentes dele. Precisava de água!

Tomei um banho longo e demorado, para relaxar meus músculos, estavam todos tensos. Lavei meu cabelo e vesti um pijama. Tentei comer, contudo a fome não veio. Liguei a televisão e me lancei no sofá.

Porém um pensamento me ocorreu.

Mas o que realmente aconteceu? Como uma pessoa poderia arremessar a outra com tanta agilidade e rapidez? Se liga Beatriz! Isso não é problema seu! Quer arrumar encrenca?!

Um batida na porta cortou meus pensamentos. Outra batida, agora violenta.

Meu Pai o que é isso agora?

Outra batida, desta vez parecia que a porta a qualquer momento sairia do lugar. Corri para pegar meu celular. Comecei a discar o número da polícia. Aposto que vocês estão pensando : "Nossa Beatriz, pode ser um dos seus amigos ou a Jasmim, para quer tanto alvoroço?".És que eu digo :Eu não tenho amigos!! E a Jasmim nunca viria na minha casa sem avisar!

Comecei a discar o número da polícia, quando a porta foi lançada para longe. Olhei paralisada e vi um homem muito alto e forte, estava escuro e não tinha como ver seu rosto, entrei em pânico.

Vou morrer!

Corri em direção ao meu quarto, porém ele foi mais rápido e me alcançou em poucos passos. Me virou de frente para si. Pude enfim olhar para seu rosto. Era o homem mais lindo que já vira na minha vida! Seus olhos eram verdes, com raios cor de mel. Seu semblante era ríspido, seus lábios… Uma linha fina, cabelos negros como a noite e fartos, seu porte físico era impressionante! Naquele momento eu era um coelho indefeso e ele, uma raposa astuta. Estava machucado. Entrará em uma briga?

Venha. — Sua voz era grossa, sombria. Pegou meu braço e começou a me puxar para fora de casa.

— Quem é você? Está louco? Eu vou chamar a polícia! Eu não te conheço. Me solta seu idiota! — Dei um tapa no seu rosto.

Ele me olhou como se fosse me matar.

Beatriz o que você fez?!

Se não vier comigo agora matarei você sem pensar duas vezes, e se encostar sua mão na minha cara mais uma vez vou arrancá-la do seu corpo. — Isso foi o suficiente para que não saísse mais nada da minha boca!

Entrei em pânico ali mesmo, meu corpo não se movia, minha voz? Ficou presa na garganta. Até que, ele começou a puxar —me novamente. Enfim juntei as peças, ele apresentava sinais de luta… Será que ele estava envolvido naquela briga? Ele tinha me visto por isso queria "apagar" quaisquer testemunhas?

— O quer você quer? Se for por causa da briga mais cedo eu não vou falar nada! Eu não sei quem é você mesmo! — falei com a voz carregada de medo. Ele continuava a me puxar, sua mão firme no meu braço, seu olhar fixo a frente. Perguntei novamente:

— O que quer comigo? — falei com a voz firme. Não sei como consegui. Ele me olhou com desprezo, queria mesmo me matar naquele momento , porém respirou fundo e disse :

— Não faça perguntas que não vai querer saber a resposta Atenas.

10 de Agosto de 2021 às 21:50 2 Denunciar Insira Seguir história
4
Leia o próximo capítulo Identidade

Comente algo

Publique!
Yas Lopes Yas Lopes
ATENAS??? É isso mesmo BRASEEEEL! Fantasia+Mitologia+Homem gostoso= tudo pra mim 🤧❤️
August 10, 2021, 23:07

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!