P
Pilar Jaques Teixeira


A vida de Kathryn Ferguson não era das melhores, após a morte do seu pai e o sumiço da sua mãe, ela teve que cuidar dos seus irmãos e trabalhar na loja de costureira da sua mãe. Após a morte do Rei Christopher, o herdeiro príncipe Frederico, precisa casar para se tornar rei. Então, a sua mãe, rainha Victoria, ordena que todas as mulheres de 20 anos compareçam no castelo de Rainser, incluindo Katy Ferguson. Porém, Katy está apaixonada por outra pessoa, especificamente com Samantha Turner, a bargirl da Taverna. Katy irá conseguir fugir e ter sua vida simples com o Samantha ou irá conhecer alguém mais especial no Castelo de Rainser?


LGBT+ Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#princesa #lesbian #lgbt #idademedia #Medieval # #Castelo
0
494 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Menina do Vilarejo

Capítulo 1: A menina do vilarejo – 1392

MEU NOME É KATHRYN FERGUSON E MORO NUM CASA SIMPLES NUM VILAREJO NO REINO DE RAINSER. ESSE REINO ERA GOVERNADO PELO REI CHRISTOPHER II HEINKEN LANCASTER RAINSER, UM REI TIRANO E CRUEL QUE NÃO CUIDAVA DO SEU POVO, em GERAL, APENAS DA CLASSE NOBRE. ELE ERA VICIADO EM GUERRAS E CONFLITOS, OU SEJA, SEMPRE ESTAVA EM BATALHA COM OUTRO REINO.

HÁ 5 ANOS, O REINO ESTAVA EM DISPUTA POR TERRITÓRIO CONTRA O REINO DE FEYMON, E FOI NESSA GUERRA CONHECIDA COMO A GUERRA DAS ROSAS, QUE MEU PAI MORREU. EU ERA PEQUENA E MEUS IRMÃOS, CHARLOTTE E ANDREW MAIS AINDA, E MINHA MÃE FICOU ARRASADA E DESTRUÍDA DEPOIS DA MORTE DELE, MAS A GUERRA TROUXE AVANÇOS PARA TODAS AS ÁREAS DO REINO, INCLUSIVE PARA O VILAREJO. ENTÃO, MINHA MÃE QUE ERA UMA COSTUREIRA NATA, ABRIU UMA LOJA DE COSTUREIRA.

COM A VITÓRIA DA GUERRA, AS PESSOAS IDOLATRARAM A FAMÍLIA REAL E A NOBREZA, MAS HAVIA TAMBÉM PESSOAS QUE QUERIA ACABAR COM AQUELE ESTILO DE VIDA E CRIAR UM MODELO POLÍTICO. APÓS O TRIUNFO DA GUERRA E UM INÍCIO DE UMA CRISE POLÍTICA, A FAMÍLIA REAL SE EXCLUIU DURANTE ESSES 5 ANOS SEM APARECER EM NENHUM EVENTO E PRONUNCIAMENTO.

NESSE PERÍODO, A MINHA MÃE ME ENSINOU TUDO O QUE ELA SABIA SOBRE COSTURA, PORÉM, ELA COMEÇOU A FREQUENTAR A TAVERNA DOS TURNER’S PARA ESQUECER A MORTE DO MEU PAI. UM DIA, ELA CONHECEU UM HOMEM MISTERIOSO E DESCONHECIDO QUE A ENCANTOU QUE A FEZ FUGIR DE MIM, DOS MEUS IRMÃOS E DO REINO. ELA NUNCA FOI VISTA DEPOIS.

A MINHA VIDA ERA SIMPLES E HUMILDE, NÃO TINHA LUXO E ROUPAS CHIQUES IGUAL às PESSOAS QUE FREQUENTAM O CASTELO. NORMALMENTE, EU QUE CONSERTAM, PASSAM E COSTURO OS VESTIDOS DAS MARQUESAS E BARONESAS, ENTÃO SEI COMO AS MULHERES DA NOBREZA SE VESTEM E FICO IMAGINANDO COMO SÃO OS BAILES, EVENTOS E ESPETÁCULOS QUE ACONTECE NAQUELE LUGAR. EU QUERIA PELO MENOS VISITÁ-LO UM DIA PARA SENTIR COMO REALMENTE É SER DA NOBREZA E SER IMPORTANTE, MAS SEI QUE MEU DESTINO É SER COSTUREIRA PARA O RESTO DA MINHA VIDA.

TODOS OS DIAS, ACORDO ANTES DO SOL APARECER PONHO À MESA DO CAFÉ DA MANHÃ E ACORDO MEUS IRMÃOS. TENTO SEMPRE FICAR PRÓXIMO DELES, POIS, AINDA SÃO JOVENS DEMAIS PARA O TRABALHO DURO, ENTÃO PEÇO QUE ELES APENAS ME AJUDEM NA COSTUREIRA.

CHARLOTTE É BOA EM DESENHAR E CORTAR OS VESTIDOS, ELA SERÁ ÓTIMA COSTUREIRA QUANDO TIVER MINHA IDADE, PORÉM, O ANDREW NÃO TEM NENHUMA APTIDÃO COM TRABALHOS MANUAIS E SE ATRAPALHA TODO QUANDO PEÇO ALGO A ELE, MAS NÃO POSSO EXIGI-LO MUITO.

KATY — VAMOS, MENINOS! JÁ ESTAMOS ATRASADOS!

CHARLOTTE – KATHRYN, VOCÊ VAI MEXER NAQUELE VESTIDO ROSA HOJE?

KATY – SIM, CHARLOTTE.

ANDREW – POSSO FICAR EM CASA HOJE?

KATY – NÃO, ANDREW.

ANDREW – AH, KATY! EU NÃO SEI FAZER ESSAS COISAS QUE VOCÊS FAZEM… SÃO COISAS DE MENINAS. — INDAGOU.

KATY – ANDREW, NÃO VOU DEIXAR VOCÊ FICAR SOZINHO EM CASA O DIA TODO. LEVA ALGUM BRINQUEDO. — APRESSANDO — O

SAÍMOS DE CASA COM O SOL JÁ APARECENDO. ESTAVA FRIO E COM UM VENTO CONGELANTE. A COSTUREIRA NÃO ERA LONGE DE CASA, MAS EU NÃO GOSTAVA DE CHEGAR ATRASADA, POIS TINHA CLIENTES ESPECÍFICOS QUE ERAM PONTUAIS.

NO CAMINHO, PASSÁVAMOS EM FRENTE À TAVERNA DOS IRMÃOS TURNER´S E VI LUKAS, O DONO DA TAVERNA, NA PORTA.

LUKAS – KATHRYN! BOM DIA!

KATHRYN – AH, LUKAS! BOM DIA! ACORDOU CEDO HOJE!?

LUKAS – TENHO QUE ARRUMAR A BAGUNÇA DE ONTEM, NÉ...

KATHRYN – BOM QUE A SUA IRMÃ ESTÁ AÍ.

LUKAS – SAMANTHA? AH, ELA ESTÁ MORTA...

KATHRYN – QUE??

LUKAS – NÃO! NÃO, NÃO... ELA NÃO ESTÁ MORTA, LITERALMENTE. ELA ESTÁ DE RESSACA, ISSO SIM POR ISSO VOU ARRUMAR ISSO TUDO SOZINHO!

KATHRYN – NOSSA... – TRISTE POR LUKAS ARRUMAR ESSA BAGUNÇA SOZINHO.

ANDREW – HEY, POSSO AJUDAR!? – PUXANDO O MEU BRAÇO

KATY – SHIIUUU!

ANDREW – É SÉRIO, KATY... DEIXA AJUDÁ-LO! NÃO VOU FAZER NADA LÁ MESMO!

FIQUEI PENSANDO, PENSANDO... A TAVERNA NÃO ERA UM LUGAR DO ANDREW, AINDA MAIS NÃO TINHA BOAS LEMBRANÇAS. NÃO FALEI PRA ELE PORQUE NOSSA MÃE FOI EMBORA, SE EU CONTASSE, ELE NÃO IRIA PISAR NAQUELE LUGAR.

LUKAS – OLHA, SERIA UMA BOA... AJUDARIA MUITO.

KATY – LUKAS!? – REPREENDI ELE COM OS OLHOS

LUKAS – O QUE? É VERDADE...

KATY – (À PARTE) NÃO SEI, LUKAS... VOCÊ SABE QUE EU NÃO GOSTO MUITO...

LUKAS – KATY, JÁ FAZ HÁ MUITO QUE “AQUILO” ACONTECEU. E ALÉM DO MAIS, ELES NEM SABEM DE NADA.

KATY – AH, TÁ BOM. – ACEITANDO - MAS, NÃO DEIXA ELE FAZER ESFORÇO.

LUKAS – PODE DEIXAR.

ANDREW – HEY, EU SOU FORTE, TÁ BOM!? POSSO LEVANTAR 2... E ATÉ 3 CADEIRAS DE UMA VEZ SÓ!

LUKAS – AH, QUERO VER ESSA!

KATY – MAIS TARDE, PASSO AQUI PRA PEGÁ-LO.

LUKAS – OK.

EU E CHARLOTTE SEGUIMOS PARA A COSTUREIRA QUE ERA PRÓXIMA À UMA PONTE QUE LIGAVA A VILA COM A ÁREA NOBRE DO REINO. A RUA ERA BASTANTE MOVIMENTADA, MUITAS CARRUAGENS DE DIVERSOS TIPOS PASSAVAM POR LÁ TODA HORA. UM POUCO MAIS À FRENTE TINHA A PRAÇA CENTRAL, ONDE OS LACAIOS E INTÉRPRETES ANUNCIAVA NASCIMENTOS, EVENTOS E MORTES DA FAMÍLIA RAINSER.

HOJE, ESPECIALMENTE, COMO CHARLOTTE JÁ TINHA FALADO, MEXEMOS NUM ÚNICO VESTIDO ROSA DE UMA DUQUESA CHAMADA TERESA VON DER BERG, ERA UMA DAS CLIENTES MAIS ANTIGAS E RICAS DA LOJA E TODOS OS SEUS VESTIDOS TINHAM QUE SER IMPECÁVEL.

A DUQUESA VON DER BERG ERA PROFESSORA DE ETIQUETA E CONSELHEIRA REAL DA RAINHA VICTORIA. EU E CHARLOTTE SEMPRE TÍNHAMOS QUE LEVAR OS VESTIDOS NO CASARÃO DA DUQUESA, MESMO TENDO VÁRIOS SERVIÇAIS, ELA PREFERIA QUE LEVARMOS OS VESTIDOS PARA AJUSTÁ-LOS NO SEU CORPO.

KATY – CHARLOTTE, COMO É QUE EU TE EXPLIQUEI QUANDO ENCONTRAR COM A DUQUESA?

CHARLOTTE – VOSSA ALTEZA...

KATY – MUITO BEM. SÓ ISSO, SE ELA NÃO PERGUNTAR NADA PRA VOCÊ, NÃO FALE NADA.

CHARLOTTE – TÁ BOM, TÁ BOM.

CHEGAMOS NO CASARÃO DA DUQUESA E LOGO O MORDOMO ABRIU AS PORTAS DOS FUNDOS PRA GENTE.

MORDOMO – A DUQUESA ESTÁ ESPERANDO VOCÊS NA ANTESSALA.

O INTERIOR DA CASA É CHEIA DE DETALHES. A DECORAÇÃO ERA DE BONECAS DE PORCELANAS, ONDE FIQUEI DESESPERADA PARA A CHARLOTTE NÃO PEGAR NENHUMA. A DUQUESA ESTAVA SENTADA NUMA POLTRONA TOMANDO UM CHÁ ESPERANDO OS VESTIDOS.

KATY – VOSSA ALTEZA – FAZENDO REFERÊNCIA

CHARLOTTE - .......

KATY – CHARLOTTE...

DUQUESA – NÃO DEU MODOS À SUA IRMÃ, KATHRYN?

KATY – AH, DEI SIM... CHARLOTTE!

CHARLOTTE – VOSSA ALTEZA – REFERENCIANDO E MARAVILHADA COM AS BONECAS.

DUQUESA – MUITO BEM. – TOMA UM GOLE DO CHÁ – ONDE ESTÁ OS MEUS VESTIDOS?

KATY – ESTÃO TODOS AQUI.

DUQUESA – ÓTIMO. VOU VESTI-LOS.

A DUQUESA EXPERIMENTOU TODOS OS VESTIDOS E EU AJUSTEI TODOS. UM DOS MOTIVOS DA DUQUESA VON VER BERG ORDENAR QUE EU VENHA COM OS VESTIDOS NA CASA DELA ERA QUE A BALANÇA NÃO ERA MUITO FAVORÁVEL À ELA. ALIÁS, ELA TINHA DESEJOS GASTRONÔMICOS POR DOCES, OU SEJA, OS VESTIDOS NUNCA ESTAVAM JUSTOS.

DUQUESA – KATHRYN, AJEITA ESSAS COSTAS... NÃO ESTOU CONSEGUINDO RESPIRAR! – SEM FÔLEGO.

KATY – SIM, MADAME.

DUQUESA – EU NÃO SEI PORQUE ESTÁ TÃO APERTADO. – INDIGNADA.

CHARLOTTE – É MELHOR PARAR DE COMER DOCES, MADAME...

DUQUESA – QUE MENINA INSOLENTE! KATHRYN, DEIXA SUA IRMÃ DE BOCA FECHADA!

KATY – ME DESCULPE, VOSSA ALTEZA. (À PARTE) CHARLOTTE, FICA QUIETA!

DUQUESA – ALGUÉM USOU O MEU VESTIDO, KATHRYN? ESTÁ TÃO APERTADO!

KATY – NÃO, MADAME... – ESTAVA COMEÇANDO A FICAR SEM PACIÊNCIA – EU CONSIGO MEXER MAIS UM POUQUINHO.

DUQUESA – SÓ UM POUQUINHO!? OLHA, TENHO QUE IR COM ESSE VESTIDO AMANHÃ PARA O CASTELO. NÃO TEM OUTRA OPÇÃO!

A DUQUESA COMEÇOU A FALAR E NÃO PAROU MAIS. CHARLOTTE RIA BAIXINHO DAS FUTILIDADES DE TERESA VON DER BERG. EU NÃO MOSTRAVA NENHUMA REAÇÃO, POIS NÃO QUERIA ATIÇAR A FERA. APÓS ALGUNS INSULTOS DA MINHA PESSOA, ALGUÉM BATEU NA PORTA PRINCIPAL DA CASA DANDO UM SUSTO NA DUQUESA.

DUQUESA – AH! QUE SUSTO!

MORDOMO – CALMA, MADAME É A PORTA. – ABRINDO -A.

LACAIO REAL – OLÁ, DUQUESA VON DER BERG, ESTOU... – PERCEBE A SITUAÇÃO DA DUQUESA – MADAME, ME DESCULPA, NÃO SABIA QUE ESTAVA DE VISITA.

DUQUESA – AH, SÃO SÓ MINHAS COSTUREIRAS. LACAIO, O QUE É TÃO IMPORTANTE PARA BATER À MINHA PORTA SEM ANUNCIADO?

LACAIO – VOSSA ALTEZA, VIM DAR NOTÍCIAS DO CASTELO, NÃO MUITO BOAS...

DUQUESA – ME DIGA!

LACAIO – HRAM HRAM! AS COSTUREIRAS....

DUQUESA – ELAS SÃO NINGUÉM, ME DIGA! DESEMBUCHA!

LACAIO – ENTÃO, TÁ... – OLHANDO DE CARA FEIA PRA GENTE - O REI ESTÁ MORTO.

DUQUESA – AHHHH – CAINDO DE DESMAIO

COMO ASSIM, O REI CHRISTOPHER MORREU? E AGORA?

MORDOMO – DUQUESA! DUQUESA! ACORDA!

DUQUESA – EHH... – SONOLENTA – AIN....

KATY – TOMA AQUI A ÁGUA.

LACAIO – EU NÃO SABIA QUE ELA TERIA ESSA REAÇÃO.

DUQUESA – É O MEU REI! – LEVANTANDO DE SURPRESA - CLARO QUE EU DESMAIARIA! ONDE ESTÁ RAINHA VICTORIA?

LACAIO – MADAME, CALMA... A RAINHA ESTÁ BEM.

DUQUESA – O QUE ACONTECEU?

LACAIO – PROBLEMA DO CORAÇÃO.

DUQUESA – AHHHHH.... POBREZINHO DO MEU REI! PRECISO IR FALAR COM A RAINHA.

LACAIO – Penso que NÃO VAI SER POSSÍVEL, MADAME. - SERIAMENTE

DUQUESA – SOU CONSELHEIRA REAL DA RAINHA, QUAL É O MOTIVO DE EU NÃO PODER FALAR COM ELA?

LACAIO – É QUE... A FAMÍLIA QUER UM MOMENTO DE RESGUARDO, POR ENQUANTO. NÓS, SÓ VAMOS ANUNCIAR PARA O REINO, SÓ AMANHÃ. – OLHANDO PARA MIM.

DUQUESA – HUMMM... SEI. COMO ESTÁ FREDERICO E ALEXANDRA?

LACAIO – O PRÍNCIPE E A PRINCESA ESTÃO BEM.

DUQUESA –HUMMM... ESTÁ TUDO BEM. IREI AO CASTELO AMANHÃ DEPOIS DO ANÚNCIO.

LACAIO – OBRIGADO, DUQUESA PELA COMPREENSÃO.

DUQUESA – QUERO QUE TODOS SAEM! PRECISO FICAR SÓ.

EU E CHARLOTTE PEGAMOS NOSSAS AGULHAS E SAÍMOS DA CASA, MAS FOMOS PARADAS PELO LACAIO NO PORTÃO.

LACAIO – HEY, COSTUREIRA! NÃO ESQUECI DE VOCÊ! OLHA, NÃO FALE PARA NINGUÉM SOBRE A MORTE DO REI. NÃO QUEREMOS MAIS UMA REVOLTA OU CRISE... SE EU SOUBER QUE ALGUÉM DESCOBRIU ANTES DO ANÚNCIO, SABEREI QUE FOI VOCÊS DUAS. ACHO MELHOR VOCÊ IR DIRETO PARA A SUA CASA. ADEUS.

NOSSA, SE ELE QUIS ME DAR MEDO, ELE CONSEGUIU. NÃO IRIA ABRIR A BOCA PRA NINGUÉM E OBRIGUEI A CHARLOTTE A NÃO FALAR TAMBÉM.

VOLTANDO PRA CASA, LEMBREI QUE TINHA QUE PEGAR O ANDREW NA TAVERNA. AQUELE LUGAR NÃO ME RECORDAVA BOAS MEMÓRIAS, MAS ACHO QUE FOI UMA BOA ESCOLHA TER DEIXADO-0 COM OS IRMÃOS TURNER´S.

AO CHEGAR NA TAVERNA, LOTADA DE HOMENS BÊBADOS E DORMINDO NO CHÃO, LEMBREI DA MINHA MÃE VINDO AQUI E CONVERSANDO COM ESSES POBRES HOMENS E DEIXANDO A SUA FAMÍLIA COM UM DELES, MAS DECIDI QUERIA ESQUECER ISSO POR UM TEMPO E PROCURAR POR LUKAS E ANDREW, MAS NÃO ACHEI, ATÉ QUE ALGUÉM ME CHAMOU NO BALCÃO.

Samantha - Kathryn! Aqui! – acenando para me ver.

Charlotte – Samantha! – Charlotte se desgrudou de mim e saiu correndo atrás da irmã de lukas.

Katy – oi, Samantha...

Samantha – Quanto tempo... – secando alguns copos.

Katy – É... Você viu meu irmão?

Samantha – Ele está no sótão com o Lukas. Quando começou a encher e esses bebuns enchendo a cara, o Lukas o levou para lá.

Katy – Ah... pelo menos.

Charlotte – Posso ir lá?

Samantha – Claro! Eles devem estar jogando damas.

Charlotte saiu correndo como não tivesse o amanhã.

Katy – Charlotte!! - ameacei ir atrás dela, mas Samantha me interrompeu.

Samantha – Deixa ela... – rindo.

Katy – Ah, deixa ela. Você não a conhece. Apronta todas. – voz de cansaço

Samantha – Parece igual que eu conheço.

Katy – Você!

Samantha – Ah, para... E você é muito quietinha, né!?

Katy – Eu tenho responsabilidades agora, Samantha... Não fico bêbada todos os dias. – acusando-a.

Samantha – Eita, calma... Só estava brincando. e... Eu não fico bêbada todos os dias.

Katy – Desculpa... É que o dia não foi muito bom.

Samantha – Quer uma bebida?

Eu olhei pra cara dela de reprovação. Não queria estar ali, não gosto de pisar naquele lugar, onde só me faz mal e traz lembranças horríveis.

Samantha – Olha, eu sei que aqui não é o seu lugar favorito, mas nós somos seus... amigos. Sabe que pode confiar na gente... em mim.

katy – Obrigada, Samantha pela preocupação.

Samantha – Em vez de uma bebida, quer jogar dardos? Talvez te distraia...

Katy – Dardos?

Samantha – É! Vamos lá!

Os Turner sempre estiveram na minha vida. Eles eram como fossem meus irmãos mais velhos, nós sempre brincávamos, passeávamos juntos até a chegada da Guerra das Rosas. os nossos pais tiveram que ir para a guerra e nós tivemos que trabalhar. A gente ainda se falava, mas depois do sumiço da minha mãe com um homem que frequentava a taverna todo dia, eu parei de falar com eles por um bom tempo. Com o crescimento de Charlotte e Andrew, as coisas mudaram, pois eles sempre apareciam lá em casa para me ajudar.

Katy – Tá... Eu nunca joguei isso.

Samantha – É fácil! É só tentar acertar no alvo!

Katy – Ok.

Samantha – Vou iniciar a rodada para te mostrar como é facinho!

Samantha não acertou nem no alvo.

Katy – Fácil... Entendi. – estava rindo por dentro

Samantha – É que tem que praticar bastante. – sem jeito. – Então, o Lukas viu você atravessando a ponte, foi na casa daquela duquesa de novo?

Katy – Sim. – mirando o alvo.

Samantha – Ela gostou dos vestidos? Quer dizer, claro que ela gostou, né? Você só faz vestidos lindos...

Katy – Acertei! Ah!! - abracei Samantha com impulso desnecessário.

Samantha – Acertou? - sem jeito, mas retribuiu o abraço. – É sorte de principiante!

Eu a soltei e ficamos em silêncio. Samantha tinha um jeito peculiar de me deixar sem graça, nós nunca fomos melhores amigas e confidentes, mas algumas vezes sentia que ela me olhava de uma forma diferente. eu tentava desvencilhar desse olhar.

Andrew – Mãe, vamos! – Andrew gritou para todos escutarem e me assustando.

Katy – Andrew, já falei que não sou sua mãe! Sou sua irmã!

Samantha – HAHAHA Boa, menino! Mas, acho melhor não chama-la de mãe de novo, ela não gosta de ser chamada de velha.

Katy – Há há, Samantha... Acho que já ficamos muito tempo aqui, né? Vamos para casa, meninos.

Charlotte – Tchau, tia Samantha e tio Lukas. até amanhã.

Andrew – Tchau!

Katy – Obrigada novamente.

Samantha – Ah, Katy... Se precisar de mais alguma coisa, é só falar.

Nós saímos da Taverna e fomos direto para casa.

lukas – “se precisar de mais alguma coisa, é só falar” hahahaha Se for assim, ela nunca vai notar você.

Samantha – O que?

Lukas – Você tem que falar pra ela.

Samantha – Eu vou falar, mas ela não... Ah, quer saber, acho melhor você tocar o bardo antes que esses homens comecem a brigar.

Quando chegamos em casa, as crianças estavam cansadas e foram direto para cama, contei uma história para elas e adormeceram rapidamente. Eu também estava bastante cansada, mas sentei na mesa de jantar e fiquei pensando em Samantha Turner. Eu não deveria ter esses pensamentos, minha única ocupação era cuidar dos meus irmãos e da costureira, mas a Samantha começou a preencher os meus pensamentos.

Decidi deitar e dormir, POIS, sabia que o dia seguinte seria longo. Após alguns instantes, consegui adormeci como uma pedra, mas fui acordada logo de manhã com trombetas e da marcha do exército real na rua. Eu já sabia o que viria por vir. Acordei as crianças e nos se arrumamos para ir para a praça central.

Ao chegar na praça, vi que as pessoas estavam com olhares curiosos e espantados por não ver o exército e intérpretes reais há muito tempo. Perto do palanque, vi Lukas e Samantha tentando desvendar o que estava acontecendo.

Lukas – Nossa, o que eles vão anunciar tão cedo, hein?

Samantha – Espero que não seja outra guerra. – bocejando

Intérprete – Rhãm Rahãm! Senhoras e Senhores da Vila Rainser, infelizmente tenho-lhes de anunciar a morte do Rei Christopher II Heinken Lancaster Rainser da Bavária.

Todos – Ohhh! Não!

Intérprete – A morte do rei não será revelada para sigilo real.

Homem – ele foi assassinato!? O filho de Feymon o matou!?

Mulher – Que horror!

Bêbado – Vamos beber e brindar a morte do rei!

Homem – Temos que saber a morte do Rei, lacaio!

Intérprete – acalmem-se! Ele não foi assassinato.

Mulher – Como a gente vai ter certeza?

Homem – Victor Feymon matou o nosso rei por vingança!

Samantha – Isso é uma palhaçada!

Katy – O que foi, Samantha?

Samantha – Olha só pra eles!? O rei nem ligava para vila e agora esse povo está preocupados como aquele monstro. Quer saber, eu vou beber!

Lukas – Calma, o intérprete vai falar.

Intérprete – Não será intolerado falta de respeito com a nobreza, mulher! Acalmem-se! bom, tenho mais um recado para vocês... Com a morte do Rei, o príncipe Frederico irá assumi-lo, mas terá que casar antes da coroação. Então, a Rainha Victoria ordenou que todas as mulheres com 20 anos para comparecer ao castelo, onde terá aulas de etiqueta, dança, equitação e costumes reais para conquistar o novo rei. quem o Príncipe Frederico se apaixonar mudará a sua vida completamente. Quem não comparecer no portão dourado, será severamente castigada. 24 horas para comparecer ao castelo. Até logo.

Charlotte – Katy, você vai ser uma princesa!

não estava acreditando o que eu estava ouvindo. Todas as meninas do reino com 20 anos tinha que comparecer ao castelo em 24 horas!? Eu tenho 20 anos! O que eu faço agora?

Samantha – Isso é um absurdo! Não podem fazer isso!

Lukas – Samantha, você não pode se alterar, principalmente em frente à eles! Calma!

Samantha – Calma, nada! A Katy está em estado de choque! – ela apertou meus braços – Katy! Katy, está aí?

eu realmente estava em choque. Não conseguia me mover e expressar nenhuma reação. Não sabia se estava feliz, triste ou entusiasmada. A única coisa que via na minha mente era quem iria cuidar dos meus irmãos.

A Família real nunca saia do castelo, ou seja, se eu for escolhida nunca mais terei contato com meus irmãos e com a... Samantha. Mas, por que eu seria a escolhida? Eu sou apenas a garota da vila, tem marquesas e ladies que com certeza o príncipe irá se apaixonar.

Katy – Vamos sair daqui! Não estou me sentindo bem.

Lukas – Andrew! Charlotte! Vamos para casa!

Todos ficaram em silêncio durante o caminho até a casa. Samantha ficou do meu lado até à porta. Acho que todos ficaram em choque e também com a minha reação. Eles entraram na casa e Lukas começou a preparar um chá para mim.

Samantha – O que você vai fazer? – sentando na banquinho da mesa de jantar.

Katy – Eu não sei...

Samantha – Você não precisa ir, quer dizer... Não tem que ir.

Katy – Claro que tenho que ir. Não ouviu!? Se eu não comparecer, eles podem me prender ou até...

Lukas – Hey! – olhando para as crianças – Não fale nada o que aconteceu ainda...

Samantha – O que não vai acontecer! Katy, você não pode pisar naquele Castelo, aquele lugar é amaldiçoado!

lukas – Samantha! Chega! – dando pra mim uma xícara de chá – Talvez estamos nos precipitando, a Katy nem passou dos portões dourados ainda, com certeza eles vão fazer uma avaliação pra cada garota para quem vai entrar.

Samantha – Claro! É isso! Se você for para avaliação, deixa me ver... Totalmente inadequada, eles não vão te aceitar!

Katy – Ah, vocês acham que eles são tão bobos assim?

Samantha – Não custa tentar.

Katy – Acho muito arriscado. – terminando o chá – Acho que vou dormir um pouco. Se quiserem ficar mais um pouco, tudo bem.

Samantha – Ah, claro! Ficaremos.

Fui para o quarto e deitei pensando que a minha vida poderia mudar completamente, não por ser a nova princesa, mas entrar no Castelo de Rainser e conhecer pessoas que nunca vi na minha vida. Como será essas pessoas? Elas são tão horríveis como a Samantha disse? Eu preciso descansar para clarear minha mente.

Após algumas horas, acordei com um cheiro maravilhoso saindo da sala. Quando saí da quarto, vi Lukas, Samantha, Charlotte e Andrew confraternizando o jantar. Eles pegaram até flores no jardim para decorar aquele que parecia o último jantar juntos.

Samantha – Ah! Estávamos esperando você acordar para o Lukas colocar o frango na lenha.

Katy – Gente, o que é isso tudo? – comecei a lacrimejar.

Charlotte – É um jantar especial pra você, irmã.

Katy – Vocês...

Andrew – Eu que peguei as flores!

Charlotte – Nós!

Katy – vocês são incríveis.

Samantha – Katy, antes de comermos, queria falar com você antes ali fora.

Samantha saiu da casa e foi para o cercadinho onde ficava as galinhas. Ela parecia nervosa e apreensiva, mas tentava não transparecer.

Katy – Diga...

Samantha – Então, eu queria falar com você há muito tempo, mas eu nunca tinha um momento certo para falar, porém se esse momento não for agora, talvez eu nunca mais consiga mais falar com você e preciso mostrar meus sentimentos que sinto por você.

Katy – Samantha... – parecia que eu estava esperando isso por muito tempo.

Samantha – Deixa eu terminar, olha... Desde quando éramos crianças, eu gostava de você, não sei porque, mas eu já sabia que eu tinha um sentimento de amor por você. depois de quando nós nos afastamos, eu pensei que iria te esquecer, mas foi impossível, eu não consegui... Acho que o amor que eu sinto por você só aumentou. Sentia saudades das nossas conversas, da sua risada e do seu jeito de cuidar das pessoas. Eu sei que agora é tarde demais, mas pelo menos eu precisava falar pra você, que eu sempre de amei e amarei mesmo longe e onde você estiver.

Eu apenas ouvia as palavras saírem da boca dela, dentro do meu coração e já sentia que a ela tinha um sentimento forte comigo, mas e eu tenho esse mesmo sentimento por ela?

Katy – Samantha, eu não sei o que dizer...

Samantha – Não precisa dizer nada, se não quiser.

Katy – Eu gosto de você, Samantha, mas acho que agora é tarde demais...

Samantha – Talvez não, Katy... Podemos curtir esse momento como fosse o primeiro e o último. – ela começou a se aproximar.

Ela chegou tão perto de mim que eu conseguia sentir a sua respiração ofegante, mas eu também estava ofegante e tremendo por dentro. Ela mexia comigo sim e naquele momento, eu não podia mais negar. Talvez eu nunca mais veria aquele rosto lindo, aqueles olhos verdes e cabelos loiros trançados.

eu acariciei suas bochechas e ela sorriu vergonhosamente. Cada vez mais, ela se aproximava e nossos lábios estavam há 1 cm de distância.

Samantha – Você é tão linda, Katy...

Ela me beijou delicadamente apertando minha cintura, eu não queria que ela parasse, nossos lábios estavam tão encaixados e meu coração acelerado. Samantha me beijava como se fosse o nosso último beijo, mesmo sendo o nosso primeiro. Nós estávamos tão envolvidas que não demos a mínima das galinhas cacarejando, parecia que elas estavam comemorando junto com meu corpo inteiro.

Samantha – Eu queria você só pra mim. Só pra mim.

Katy – Mas, você já me tem... aqui e agora.

Samantha – Eu quero você para o resto da vida.

Katy – Samantha...

Samantha – E se nós, fugirmos?

Quando ela disse isso, eu paralisei. Será que ela estava falando sério? Fugir? Fugir para aonde?

Lukas – Jantar na mesa! - dentro de casa – Venham comer!

Katy – Acho melhor a gente entrar...

Samantha – Está bom.

Nós entramos e os três que estavam na sala perceberam um clima diferente. Eles viram tudo? Charlotte vai contar pra todo mundo e Andrew será o irmão mais ciumento do mundo.

Lukas – Prontinho, o frango assado favorito da Katy!

Katy – Como você sabe que essa é a minha comida favorita, Lukas?

Lukas – Sempre via sua mãe comprar o frango assado no mercado, quando eu trabalhava lá. Então, deduzi que você gosta.

Katy – Vocês são os irmãos mais velhos que eu sempre quis ter.

Samantha – Irmãos? – um pouco sem jeito.

Katy – ai, Samantha... é só um jeito de dizer. Quero comer logo esse frango!

Todos sentaram para comer o delicioso frango assado de Lukas. Cada um contou uma história divertida, outra de terror, mas estávamos juntos. Eu não queria que aquele momento acabasse. Estar junto com meus irmãos e com a pessoa que eu amo me deixava muito feliz.

Após o jantar, as crianças foram para a cama e eu, Lukas e Samantha continuamos a conversar no jardim.

Lukas – Katy, quando chegar no castelo, posso pedir um favor?

Samantha – Lukas!?

Lukas – Que foi? É só um favor... Ah, dá um chute naquele principezinho bem no meio das pernas dele. – rindo

Samantha – Você tem merda na cabeça, Lukas? Claro que ela não vai fazer isso.

Katy – Pode deixar que eu faço, Lukas. – rindo

Samantha – Vocês são loucos. Sabe que não dá pra brincar com eles.

Lukas – É... e nem com você. Vou pra minha casa e... dormir!

Katy – Lukas!?

Lukas – Princesa Katy Ferguson, foi um grande prazer de servir um frango assado para você e ser o seu irmão mais velho. Adeus, princesa dos vestidos mais lindos de Rainser!

Katy – HAHAHA Obrigada, Sir Lukas. Foi um grande prazer.

Samantha – Tá bom, Lukas... Vai embora.

Lukas – Vê se vocês não acordam as crianças, hein! – saindo e rindo

Samantha – Cai fora!

Katy – Calma, Samantha! Ele só estava brincando.

Samantha – Brincando? Acho melhor a gente pensar em algo pra você não ir pra aquele castelo.

Katy – Samantha, eu acho que é impossível. Não quero comprometer a segurança dos meus irmãos. Por isso, que eu quero que você fique aqui para cuidar deles.

Samantha – Mas, vamos todos... Eu já falei com o Lukas e ele disse que ia decidir amanhã, mas se ele não quiser, nós vamos quatro!

Katy – Samantha... Você vai deixar seu irmão?

Samantha – Por você, sim.

Katy – É muito arriscado, Samantha. Se eles pegarem a gente?

Samantha – Podemos sair cedinho e nunca mais olhar para esse castelo.

Katy – Mas...

Samantha – Por que querer ficar nesse lugar? Podemos montar uma casinha próximo à um riacho, lagoa...

Comecei a pensar na minha mãe, que fugiu com alguém que amava, me perguntando se ela estava bem, o que tinha acontecido com ela. A última notícia dela foi uma mensagem dentro de um bilhete escrito por ela dizendo que me amava e meus irmãos, mas precisava fugir.

A Samantha estava decidida em fugir comigo, mas eu realmente estava com medo. Eu nunca tinha saído do vilarejo e ainda mais do reino.

Samantha – Eu só não quero que você se misture com aquelas pessoas.

Katy – Talvez eles não sejam tão horríveis assim.

Samantha – Você não os conhece...

Katy – E você, conhece?

Samantha – Não! Mas... Olha, com certeza o Príncipe não vai querer a menina do vilarejo!

Katy – Ah é!? Como você tem tanta certeza?

Samantha – Eu só estou falando que vai ter outras meninas, marquesas, damas...

Katy – E só por causa disso, ele não vai nem olhar pra mim? se fosse assim, eles não me chamariam.

Samantha – Ah! É que eu não quero te perder... Me desculpe se fui rude com você. – segurando a minha mãe.

Katy – Tudo bem.

Samantha sempre foi esquentadinha e mostrava esse seu lado nos piores momentos, mas não sei porque ela tinha tanto ódio da família real. Não tive o atrevimento de perguntar, pois sentia a raiva dela de longe.

Na verdade, eu queria aproveitar a última noite com ela, sem brigas e discussões. Queria estar o mais perto dela, sentir o corpo dela com o meu.

Katy – Por que não esquecemos disso tudo e aproveitamos as últimas horas que restamos?

Eu levantei e fomos para um celeiro próximo à minha casa. quando chegamos, Samantha tirou o meu colete e meu vestido rapidamente. Nunca fiquei nua em frente à ninguém, foi uma sensação estranha, mas ela me deixava tranquila e relaxada. Samantha também tirou a roupa logo em seguida e vi seu corpo escultural. Ela é tão linda.

Ela me pegou no colo e me colocou num montinho de palha que havia no chão. Ela me beijava ferozmente e não queria me soltar e eu não queria que ela saísse de cima de mim. Um instante, comecei a chorar porque eu sabia que seria a nossa primeira e a nossa última vez.

Samantha – Por que você está chorando, meu amor?

Katy – Porque é a última vez que você está me beijando.

Samantha – Não diga isso. Ainda podemos ser felizes em outro lugar...

Katy – Você acha que pode dar certo?

Samantha – Sim! Podemos sair desse lugar e esquecer disso tudo aqui!

Katy – E seu irmão?

Samantha – Ele vai com a gente, tenho certeza.

Ela voltou a me beijar e eu apenas senti os seus toques no meu corpo. Eu estava pronta para o sexo. Samantha acariciava e lambia meus seios com uma vontade invejável e logo depois começou a chupar a minha vagina delicadamente. Nós estávamos inteiras ali e não queríamos parar.

Eu comecei a tremer e senti um calor no meu corpo, e percebi que tinha gozado pela primeira vez. Uma sensação incrível e nova pra mim que eu nunca tinha feito. Eu percebi que ela tinha uma experiência com aquilo e deixei-a me mostrar tudo que sabia. Foi uma das noites mais maravilhosas da minha vida.

Logo depois, nós adormecemos no celeiro mesmo. Dormi tão bem que não parecia que no dia seguinte poderia mudar minha vida por completo. Samantha dormiu do meu lado à madrugada toda, mas quando acordei de manhãzinha não estava mais lá. Eu levantei e saí do celeiro para procurá-la, e a encontrei vindo em minha direção.

Samantha – Hey! Volta para o celeiro! Eles não podem te ver! – me empurrando para o celeiro novamente.

Katy – O que foi?

Samantha – Nós vamos fugir. Já falei para as crianças e eles estão terminando de comer o café da manhã. Toma, eu trouxe um pão pra você comer também – entregando o pão pra mim.

Katy – Samantha? – perplexa

Samantha – não era isso que você queria?

Katy – Sim..., Mas, assim... sem eu falar com eles. E seu irmão?

Samantha – Está tudo bem, Katy. Eu falei para os seus irmãos sobre a GENTE E eles entenderam tudo.

KATY - Você... contou PARA eles? - nervosa

Samantha – Sim... – tentando amenizar

Katy – Eles falaram o que?

Samantha – Bom, a Charlotte falou que já sabia que eu gostava de você e o Andrew não gostou muito, mas apoia... Ciúmes, né? Come logo o seu pão pra gente ir.

Katy – Samantha, e o seu irmão?

Samantha – Que que tem ele?

Katy – Ele não vai com a gente?

Samantha – Podemos passar na Taverna e falar com ele.

Katy – Você não falou com ele, né?

Samantha – Katy, o Lukas não vai com a gente. A Taverna é tudo pra ele. Ele não vai largar aquela espelunca!

Katy – Ah, eu não sei... Ele vai ficar arrasado! Pelo menos, você tem que falar com ele!

Samantha – tá bom, Katy! Mas, vamos então!

Passamos em casa pela última vez e pegamos Charlotte e Andrew, dei minha última olhada daquela casa que foi minha residência por resto da minha vida até aquele momento. Insisti que passemos na taverna e convencer Lukas ir com a gente.

Samantha – Lukas! Lukas! - batendo no balcão

Lukas – O que foi? Onde vocês estavam? – saindo do porão

Samantha – Vamos! Estamos indo embora! Vamos fugir e você tem que ir com a gente!

Lukas – Que? Samantha, está louca? Eu não posso! Quem vai cuidar da nossa taverna!?

Samantha – Deixa esse lugar e vamos construir outra em outro lugar!

Lukas – Não, Samantha! Eu gosto dessa aqui!

Andrew – Tio Lukas, vem com a gente!

Charlotte – É, vem com a gente!

lukas – Crianças, infelizmente o tio Lukas não vai poder ir nessa aventura, mas vocês podem ir com elas. (à parte) Sabem que isso é loucura, né?

Samantha – Então, fica aqui nessa espelunca que nosso pai deixou pra você cuidar...

Katy – Samantha, calma!

Lukas – Sam, nem todo mundo odeia o mundo como você! Acho melhor você ir antes que eles apareçam mesmo!

Samantha – Eu vou... Nós vamos. Adeus, Lukas. – saindo da taverna

Katy – Tchau, Lukas... – dando um abraço forte

Lukas – Cuidado, Katy. – retribuindo o abraço

Saí da taverna e vi Samantha chorando, mas quando me viu enxugou as lágrimas rapidamente. Ela tinha arranjado uma carroça para nós fugirmos. Depois de colocarmos nossas coisas nela, nós partirmos e não olhamos para trás, porém com medo de ser pegas. Os guardas reais estariam em alertas para fugas e suicídios de moças que não estavam dispostas à ser princesa e esposa de Frederico.

Com o casamento arranjado do Rei Christopher e da Rainha Victoria, a exclusão da família real, os conflitos e o estilo real faziam que várias mulheres não aceitavam esse novo modelo de vida, porém quem vive no reino e tivesse 20 anos teria que comparecer ao castelo para se apresentar ao príncipe, pois a ordem veio da Rainha, uma ordem soberana

1 de Agosto de 2021 às 20:42 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Toda semana.

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~