alyssamorningstar Alyssa Morningstar

O destino decide brincar com a vida de Harry novamente, dando-lhe uma chance de ter uma família, mas com o pai mais chocante. Após a Ordem prendê-lo, Harry foge para o pai, onde os dois podem ter uma segunda chance.


Fanfiction Filmes Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#yaoi #GravidesNãoConvencional #mpreg #-TomRiddle #harrypotter #GoodVoldemort #evildumbledore #tomarry
0
379 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

Chapter 1

Tom olhou atordoado para a figura em pé na frente dele pingando água da capa encharcada no chão de madeira caro, os cabelos grudados no rosto pálido e tenso, os olhos verdes estavam mais arregalados do que o normal com medo e ele tremia levemente, pelo que Tom imaginária ser frio, medo e cansaço se as bolsas escuras sob seus olhos fossem lhe dizer alguma coisa.

-Por que você está aqui? – Tom finalmente conseguiu perguntar, incrédulo, tendo ficado atordoado em silêncio pelos últimos momentos.

-Porque eu preciso falar com você ... em particular. – Harry acrescentou, olhando para os quatro Comensais da Morte que também estavam no escritório. Quando ele pegou o olhar que Tom deu a ele, ele suspirou e esfregou os olhos, cansado. -Olha, eu tive sete semanas de merda, descobri notícias assustadoras, que você precisa saber, eu acabei de escapar da Ordem do Frango Assado, onde eles estavam me mantendo prisioneiro em sua sede, para que eu passasse os últimos quatro malditos dias fazendo o meu caminha até aqui usando transporte trouxa para que eles não me rastreassem! Estou com fome, cansado e você realmente acha que sou estupido o suficiente para vir aqui de bom grado para mata-lo quando você tem uma casa inteira cheia de seguidores? Mesmo que eu consiga manter um duelo com você por mais de cinco minutos, não estou em condições de pensar em maneiras de te matar e muito menos faze-lo, bem isso não importa. Então, por favor, eu preciso falar com você! – Retrucou Harry. Tom piscou surpreso com a explosão, não apenas a Ordem da Fênix mantinha Harry Potter prisioneiro por algum motivo, como também escapara deles para vir aqui e dizer algo importante para si, ele admitiu que o mais novo não estava em condições de duelar e claramente não estava em um bom estado.

-Deixe-nos – Tom acenou com a mão para os Comensais da Morte, agora atordoados, que provavelmente esperavam que ele cruciasse o adolescente por falar com ele assim antes que eles saíssem da sala apressadamente quando ele os encarou.

-Você se importaria? – Harry perguntou acenando com a mão para uma cadeira. Ao vê-lo balançar levemente, Tom percebeu que não estava exagerando sobre seu estado e assentiu.

-Tire sua capa, está encharcada. – Ele suspirou de pé e pegou o item para pendurar no cabide. Harry pareceu um pouco confuso quando se viu levado em direção à cadeira perto da lareira, em vez da cadeira desconfortável que estava na frente da mesa, mas como estava congelando, não reclamou e sentou-se com um suspiro.

-Tudo bem, eu não tenho ideia do que você poderia dizer que o levou a vir aqui para falar comigo, mas vá em frente. – Tom suspirou sentando-se em sua própria cadeira em frente a Harry, enquanto Harry abria a boca para começar o que claramente estava acontecendo ser uma longa história, ele interrompeu. -Seja rápido. – Ao qual ele recebeu um olhar.

-Tudo bem, veja se isso é rápido o suficiente para você. Estou grávida, você é o pai. – Harry cuspiu cruzando os braços e encarando o lorde sombrio e atordoado.

-Você … Você ... – Tom gaguejou.

-Grávida, sim. – Harry terminou por ele.

-E eu sou…

-O pai, sim. Lá você absorveu tudo, você diz ser um Lorde das Trevas inteligente! – Harry falou demoradamente.

- Você acha que eu sou um tolo! Mesmo se você estiver grávido, o que é muito raro nos homens, eu não dormi com você, então como diabos eu poderia ser o pai? – Tom rugiu, a raiva claramente brilhando nele enquanto ele estava com a varinha na mão. Harry, no entanto, sentiu que havia mais nessa reação do que apenas raiva ao pensar em mentir.

-É por isso que eu demoraria um pouco explicando e não apenas dizendo ‘hey, eu sou um duff e você é o pai número dois! Acha que vai ter seus olhos ou os meus? ’, mas não, você queria estragar o discurso perfeitamente bom que eu planejei, exigindo uma breve explicação! Sem dúvida, você me torturaria se eu tivesse demorando um pouco, então eu lhe disse! – Harry estalou.

-Isso ainda não explica por que você pensa que eu sou o pai! – Tom rosnou.

-Magia. Estou ciente que não dormimos juntos, obrigada, e não, não preciso dos pássaros e das abelhas. Estou perfeitamente ciente de como os bebês são normalmente feitos. No entanto, aparentemente não somos nem normais, nem convencionais e somos brinquedos do destino ou quem quer que seja que goste de brincar com a minha vida. – Harry bufou, esfregando o rosto.

-Você está falando sério? Você quer dizer ... você realmente acha que eu sou o pai? – Tom engasgou sentado pesadamente em sua cadeira.

-Repito, fugi da Ordem da Fênix, viagem de quatro dias aqui de maneira trouxa, com fome, cansado, para lhe dizer uma coisa. Se eu não tivesse 300% de certeza, você acha honestamente que eu estaria sentado no escritório do homem que tentou me matar toda vez que nos encontramos? – Harry perguntou cansado, recostando-se para olhar para Tom com olhos cansados.

-Tudo bem …Comoo …Comoo aconteceu? – Tom perguntou parecendo perdido.

-Quando você atacou Hogsmeade, você se lembra de ter disparado esse feitiço para mim ao mesmo tempo, em que o feitiço redirecionado de Lucius Malfoy me atingiu? – Harry perguntou claramente se recompondo. Tom examinou sua mente e depois se lembrou do incidente. Ele e Harry estavam em duelo por dez minutos quando ele disparou um feitiço que injetou um pouco de sua magia no corpo do oponente para enfraquecer sua magia, ele acertou segundos depois que Lucius redirecionou o feitiço e Harry caiu de joelhos, segurando o estômago com dor e então Dumbledore interveio para duelar consigo. -Seja qual for o feitiço que Lucius usou criou a oportunidade de engravidar, seu feitiço conseguiu. As varreduras mostraram que não havia nada de errado comigo além de um pequeno ferimento no meu abdômen, para que não houvesse necessidade de verificar mais. Quando voltei para meus parentes onde moro no verão, comecei a ficar enjoado e tonto, finalmente desmaiei e um guarda me levou a Madame Pomphrey, estava longe o suficiente para mostrar em um teste que estava grávida, testes de paternidade mostram a você. – Harry explicado.

-Então … Por que eles estavam te mantendo prisioneiro? – Tom perguntou tentando se concentrar em obter a imagem completa. Harry, no entanto, riu sem humor.

-Você acabou de acertar a pergunta de um milhão de libras! Quando eles me disseram que eu estava grávida e que você era o pai, eu fiz a única coisa que pude e desmaiei. Quando acordei, estava cercado por um escudo e todos estavam olhando para mim. Eles tentaram tirar o bebê enquanto eu estava inconsciente…

-O QUE! Tudo bem? É prejudicado, você disse que estava grávido, não que tinha sido! – Tom rugiu, a dor aparecendo em seu rosto antes que ele pudesse se conter. Ele ficou atordoado ao silêncio, no entanto, quando Harry se levantou, puxou sua blusa, agarrou a mão de Tom e a colocou sobre a pequena protuberância que estava lá. A pele quente parecia firme sob os dedos enquanto ele a inconscientemente a traçava e acariciava.

-O bebê está bem, Hermione fez uma varredura para mim e verificou alguns dias depois. O escudo se formou quando eles tentaram e bloquearam o feitiço, aparentemente meu corpo decidiu que gostava de estar grávida e minha mágica concordou. Protegeu o bebê. Depois que eu disse em voz alta o quão enojado eu estava com eles, eles tentaram apontar que era seu bebê, eu apontei que era meu também, eles apontaram que você era o Lorde das Trevas, eu indiquei que não dei um voador e não os deixaria matar meu filho só porque eles não gostavam de onde um lado do DNA veio, eles apontaram que eu tinha uma guerra na qual lutar e não podia fazer isso enquanto estava grávida de seu filho. Eu indiquei que realmente não dava a mínima e eles poderiam lutar sua própria guerra. Vamos dizer que não estavam muito felizes e decidiram que me trancar na sede e divulgar suas opiniões continuamente de todos os membros da Ordem. Quando eles começaram a atirar o feitiço do aborto em mim aleatoriamente, tomei minha decisão. Hermione e os gêmeos me ajudaram a escapar e eu fiz o meu caminho até aqui. - Harry deu de ombros.

-Então por que? Você poderia ter escapado para o mundo trouxa. – Tom franziu a testa ainda encarando o solavanco.

-Porque você merecia saber. Porque eu não quero passar minha vida correndo e não quero que meu filho tenha essa vida. Porque, nas últimas sete semanas, não tenho certeza se o lado da luz é tão leve ou que eles são os que estão certos. Porque estou cansada e só quero me concentrar em garantir que meu filho...nosso filho saia vivo e bem, eu não quero brigar, nunca briguei, apenas quero ficar sozinho. – Harry se inclinou quando tudo o alcançou. Ele se viu sendo guiado de volta para a cadeira, mas Tom se ajoelhou na frente dele e manteve as mãos acariciando o solavanco.

-Por que você está mantendo isso? Por que tão determinado? Você é jovem, em parte é meu filho, por quê? – Olhos vermelhos confusos encontraram os dele em uma expressão vulnerável que Harry tinha certeza de que só via desde que Tom era muito jovem. Olhando para baixo, ele colocou a mão sobre Tom cautelosamente antes de aumentar sua magia, Tom ofegou quando sentiu o formigamento da magia de Harry em sua consciência, mas também um leve toque de algo menor, mais fraco, mas ainda lá.

-Eu sinto isso no meu corpo, na minha mente. Eu posso sentir nosso filho a cada segundo, minha magia me diz constantemente que está tudo bem, que é seguro. É meu filho, um bebê, um bebê de verdade crescendo em mim. Eu não me importo de onde veio ou como foi, é meu filho. Eu…queria filhos, uma família desde que eu tinha idade suficiente para entender o que era. Para carregar meu filho, ser capaz de dar a vida é mais que eu jamais sonhei. Eu não pude… o pensamento…eu apenas... – Harry suspirou e jogou a cabeça para trás.

-O que você esperava que eu fizesse? Quando você veio aqui? – Tom perguntou, sua voz completamente neutra. Harry não se incomodou em levantar a cabeça e apenas suspirou.

-Eu realmente não sei, eu só tinha que tentaram e esperar que o pensamento de ser seu filho também significasse que você pelo menos me permitisse dar à luz. Depois disso, eu não tinha certeza disso. Teria um grande final verde, mas eu tinha que pelo menos tentar ter certeza de que era seguro. Minha mágica estava ficando mais fraca, eu não aguentava mais se eles continuassem ou pegassem a quantidade de encantos. – Harry murmurou.

-Eu não vou te matar. – Tom murmurou de volta quase petulantemente.

-Você vai quando eu contar a profecia. - Harry bufou, mantendo os olhos cansados ​​fechados. Por causa disso, ele não viu Tom apontando para Lucius e Severus ficarem quietos de onde eles estavam dentro da sala, entrando momentos atrás.

-E como você vai me contar a profecia, foi destruída, lembra? - Tom perguntou um pouco irritado.

-Isso foi apenas uma cópia. Dumbledore ouviu o original e me contou depois de tudo. – Harry bufou.

-Tudo bem, continue então. – Disse Tom, duvidoso, se levantando e sentando na cadeira.

-Aquele com o poder de derrotar o Lorde das Trevas se aproxima … Nascido para aqueles que o desafiaram três vezes, nascido quando o sétimo mês morre …E o Lorde das Trevas o marcará como seu igual, mas ele terá poder que o Lorde das Trevas não sabe …Ee um deles deve morrer na mão do outro, pois, nenhum deles pode viver enquanto o outro sobreviver... – Harry recitou.

-Você me disse de bom grado a Profecia que passei um ano tentando obter e a Ordem um ano protegendo, exatamente assim. Uma profecia que por todos os direitos deveriam me levar a matá-lo se eu quiser vencer. – Disse Tom, incrédulo.

-Exceto que estou jogando a toalha. Bem aqui, agora juro pela minha magia que nunca levantarei minha varinha contra você, a menos que seja para me defender ou ao nosso filho, nunca vou te matar de boa vontade ou lutar contra você pelo resto da minha vida. Se eu quebrar esse voto, então minha mágica pode ser tomada. Que seja mais. – Harry disse suavemente antes de encontrar os olhos vermelhos atordoados. -Profecia nula e sem efeito, não tenho desejo de matá-lo ou usar 'o poder que o Lorde das Trevas não conhece', que por sinal é realmente uma merda, porque ninguém tem ideia do que diabos é isso, incluindo Dumbledore, então não se sinta deixado de fora. – Harry deu de ombros antes de fechar os olhos, cansado, claramente sem ter notado Lucius e Severus.

-Você ... você percebe o que acabou de fazer certo? – Tom perguntou atordoado.

-Eu acabei de lhe dar a guerra, sim, ciente disso, obrigado. Estou grávido e não confuso, eu lhe disse que não quero lutar. E, especialmente, não quero lutar pelo lado que me trancou e joguei feitiços de aborto para me livrar da criança que eu claramente queria. Eu só quero dar à luz o meu filho, trazê-lo de preferência, mas não estou contando meus ovos. – Harry bufou.

-Por Merlin, você está falando sério! – Severus engasgou sem poder mais ficar quieto. Harry gritou e ficou de pé antes de balançar perigosamente quando um ataque de tontura o atingiu. Tom passou um braço pela cintura e o abaixou de volta na cadeira antes de tocar na testa.

-Estou bem, não fico doente. Por que … Há quanto tempo eles estão lá? – Ele franziu o cenho para Tom, que realmente parecia culpado.

-Desde quando perguntei o que você esperava quando você veio aqui. Eles são meus segundo e terceiro em comando. Sinto muito por ter enganado você, mas eles precisavam ouvir isso também. – Tom suspirou, imaginando por que se sentia culpado por manter as suas presenças de Harry.

-Agora que ele está ciente de nossa presença, meu Senhor, pelo que acabamos de ouvir, parecia muito que Potter está grávido de seu filho. – Lucius perguntou cautelosamente.

-Sim, ele é. – Tom suspirou, pegando o cobertor da parte de trás do sofá e jogando-o sobre Harry, que parecia chocado, mas aconchegou-se sob o calor de qualquer maneira, indo até tirar os sapatos e enfiar as pernas por baixo.

-Não querendo ser rude, meu senhor, mas ... como diabos isso aconteceu? – Lucius engasgou.

-A culpa é sua, sério. Ei, talvez você deva ser o padrinho. – Harry disse sorrindo com o olhar atordoado de Lucius ao seu anúncio.

-Talvez ele devesse ser. – Tom riu baixinho ao olhar no rosto de Lucius.

-Eu não estou explicando de novo, estou cansado, você pode fazer isso. – Harry murmurou, aconchegando-se debaixo do cobertor e fechando os olhos, claramente pronto para dormir. Tom piscou para ele chocado antes de balançar a cabeça e gesticular para Lucius e Severus se sentarem antes que ele explicasse a eles.

-Eu estava tentando jogar uma amarração estéril na prostituta negra traidora que está transando com o lobisomem..., mas, aparentemente, eu preciso pesquisar meu fracasso. – Lucius acrescentou um pouco timidamente.

-Bom, da próxima vez, certifique-se de acertar e realmente bater nela. – Harry murmurou de seu cobertor.

-Por que isso, eu pensei que você se importava com o lobisomem de estimação deles? – Tom fez uma careta.

-Isso foi até que ambos estavam na vanguarda de me emboscando em momentos aleatórios para matar meu bebê. Eles até invadiram meu quarto no meio da noite com frequência. Eles também foram muito sinceros sobre o que pensavam de mim querendo carregar o filho do Lorde das Trevas, havia algo jogado lá sobre meus pais estarem decepcionados comigo, o que eles fizeram por mim, dando suas vidas por mim e o que eu estava escolhendo fazer com essa vida. Quando eu deixei desatento tinha mudado para como eles estariam rolando em seus túmulos e quanto eles me odeiam. Então, por favor, faça o seu melhor. – Harry bufou abrindo cansados ​​olhos verdes. Tom franziu a testa antes de dar um passo à frente e levantar Harry da cadeira. O adolescente gritou e rapidamente passou os braços em volta do pescoço de Tom. -Você está me expulsando? – Ele perguntou incrédulo.

-O quê? Não, eu estou colocando você na cama! Você está exausta e claramente passou por uma experiência horrível nas mãos de pessoas que deveriam cuidar de você. Você vai dormir em segurança pela primeira vez, e, sete semanas e terminaremos amanhã sempre que você acordar e comer. Eu não vou te matar agora ou quando o bebê nasceu. Mas espero que você fique aqui na mansão, discutiremos os detalhes quando você estiver se sentindo melhor. – Tom suspirou.

-Tudo bem... - Harry murmurou.

-Quando você acorda de manhã, estale os dedos para chamar um elfo doméstico, eles iram trazer algo para você comer e mostrar para você o banheiro, depois que terminarem, eles o trarão para mim. – Instruiu Tom. A essa altura, a cabeça de Harry estava apoiada no ombro de Tom, enquanto o cansaço tomava conta de seu corpo completamente.

-Tudo bem... – Harry murmurou.

-Vá dormir Harry. – Tom suspirou, percebendo que ele estava longe para realmente estar ouvindo.

31 de Julho de 2021 às 19:06 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Chapter 2

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!