eliander_gomes Eliander Gomes da Silveira

Aqui planejo apenas trocar uma ideia com meus leitores, ou com outros escritores. Local dedicado aos meus e seus pensamentos. ^,^


Não-ficção Todo o público.

#blog #Lirou-Lader #Bloody-Devotion
0
694 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Vamos trocar uma ideia 1.

Olá, se você me acompanha, gostaria de um momentinho de sua atenção, por favor.

Vou me apresentar propriamente, sou Eliander Gomes, sou escritor, tenho algumas histórias publicadas aqui na plataforma, e gostaria de conversar um pouco com você.

Bom, primeiramente, essa é a primeira vez que faço algo assim, então não sei se é assim mesmo que um Blog deveria funcionar, mas só espero não quebrar nenhuma regra com isso.

Em segundo lugar, se você acompanha "Lirou Lader" ou "Bloody Devotion", vou pedir que leia até o fim, pois vou esclarecer algumas coisas sobre as obras em questão.

Em terceiro lugar, vou tentar não me estender tanto, mas pode ser que este texto fique um pouco grande... sinto muito se isso acontecer.

Então, vamos lá.

Para começar, gostaria de destacar um pouco o meu processo criativo: Eu sou uma bagunça.

Se você é um escritor também, deve ter se identificado com essa frase; mas enfim, acho que todos nós temos um pouco de bagunça em nós. Mas como costumo dizer: minha bagunça é organizada.

Eu constantemente me vejo tendo novas ideias de histórias, e constantemente me vem na cabeça um novo personagem, um novo cenário, uma nova espécie... e isso as vezes é um pouco complicado para mim, pois eu, por muitas vezes, me vejo parando uma história para começar outra... e acabo que nunca termino nenhuma.

Quando comecei a escrever Lirou Lader, eu decidi que seria diferente aqui. Por 10 meses eu me preparei para o lançamento do primeiro capítulo, escrevendo um capítulo por mês (Isso mesmo, quando publiquei o primeiro capítulo, o capítulo 10 já estava escrito).

Nas semanas subsequentes, eu só me dei ao trabalho de escrever os demais capítulos e revisar aqueles que já estavam prontos, enquanto lançava um por semana.

Assim foi, e finalmente consegui terminar a primeira parte de Lirou Lader.

(Ah, a propósito, para quem tem dúvida quanto a pronúncia, eu a imaginei como "Lirou Leider", mas pronuncie da forma que achar melhor.)

Mas por que eu decidi parar após finalizar a primeira parte? Bom, a resposta vocês já devem ter... e é Bloody Devotion.

Eu comecei a escrever esta história, que para quem chegou a ler um pouquinho das duas, sabe que são obras completamente diferentes, com temáticas e um clima muito diferentes.

Minha intenção era fazer algo parecido com ela, então decidi tomar um caminho levemente diferente.

Primeiro, vamos falar sobre o tamanho dos capítulos.

Lirou Lader tem capítulos extensos, com muitos diálogos e bastante ação. Isso foi proposital.

Vamos combinar que “Mahou Shoujo” não é o gênero mais popular do mundo, e sendo algo tão nichado, eu decidi deixar os capítulos maiores, pois assim quem fosse ler, que já seriam pessoas com alguma ligação ao gênero, teriam mais material para se fartar por uma semana.

Porém, Bloody Devotion tem uma pegada diferente, pois se trata de um tema mais amplo e difundido.

Por ser um tema mais profundo e complexo, eu decidi tomar mais tempo para escrever e me dedicar a ele. Por isso decidi adotar capítulos menores.

A ideia da minha série de vampiros era criar um universo único e diferente do que se tem hoje no mercado; tratando vampiros como uma espécie, e não como demônios ou uma doença.

Bom, seguindo, algumas pessoas já me perguntaram “Por que você foca tanto em diálogos?”.

E a resposta é: Porque eu amo diálogos.

Para mim, conversas são algo que conecta as pessoas. Histórias com muita narração, muita criação de cenário, mas sem o devido foco nos personagens, acabam não me prendendo tanto. Quando dois personagens interagem entre si e criam um relacionamento, seja de amizade ou de inimizade, este laço acaba se estendendo para quem o lê.

A meu ver, é mais fácil criar um laço com personagens que você conhece, e sabe o que falam, e como falam, do que simplesmente ouvir uma história sobre o que ele disse ou fez.

Acho que é o que eles chama de “mostre, não conte”?

Enfim, acho que estou me estendendo demais.

A partir de agora, vou falar especificamente sobre as histórias em si, e meus planos para o futuro em relação a elas. Vou deixar em maiúsculo, caso você queira pular:


LIROU LADER.

Sim, a parte um terminou com um gancho um pouco maldoso de minha parte: Me desculpe.

Planejo voltar a escrever Lirou Lader em breve, se possível, mas não vou prometer nada aqui no momento. Entretanto, gostaria de deixá-los cientes de que já tenho o próximo arco inteiro montado em minha cabecinha de maluco.

Sem dar muitos spoilers, o próximo arco focará bastante na Lader Ventus, e se passará em um ambiente bastante diferente também.

Desejo explorar bastante o mundo de Lirou Lader, trazendo muita coisa nova e diferente para ele.

Meus planos é que essa história se estenda até uma parte cinco, pelo menos.


BLOODY DEVOTION

Um fato curioso sobre este é que, conforme fui escrevendo Bloody Devotion, me deparei com uma espécie de “tradição acidental” que acabei decidindo adotar e levar em consideração. A tradição é “Capítulos Duplos”. No primeiro e segundo, e em sequência, ao décimo e décimo primeiro, lancei capítulos duplos. E sinceramente? Gostei da ideia.

Seguindo essa lógica, semana que vem lançarei dois capítulos.

Estamos em um momento interessante na história, mas não vou detalhar nada aqui para evitar estragar a experiência de quem não leu ainda.

A ideia é que a primeira parte da história se encerre logo após a “Grande Caçada”, estes são os meus planos.

Infelizmente, ainda não tenho uma noção de quando será isso..., mas planejo não demorar muito.

Bloody Devotion tem sido uma experiência desafiadora para mim, pois estou me permitindo escrever assuntos e temas que antes jamais escreveria, assim como trabalhar em um ambiente um pouco mais maduro, baseado em entrelinhas.

Estou amando escrever BD, e espero que vocês estejam amando ler.


CONSIDERAÇÕES FINAIS.

No mais, gostaria apenas de fazer um pequeno pedido a você, leitor.

Eu tenho me sentido triste pelos comentários... Não, não entenda errado, não são os comentários que estão lá, mas sim os que não deram o ar de sua graça.

O que quero dizer, é: Eu sinto falta deles.

Digo isso não apenas pela minha obra, mas pelas obras de todos os escritores que têm se dedicado a postar histórias e aventuras maravilhosas para vocês: Deixem um comentário.

Quando um autor vê um comentário em sua história, ainda mais um comentário positivo, isso enche-nos de alegria e determinação para continuarmos escrevendo.

Parece clichê, mas é verdade.

Nem que seja um simples “Legal”, ou “Gostei”.

E se não for este o caso, comente também, mas com educação.

Fale “não gostei”, mas pontue o porquê.

“Justifique sua resposta” diria eu *risos*.

Enfim, acho que seria isso.

Muito obrigado a você que leu até aqui, espero fazer isso daqui mais vezes, desabafar um pouco, conversar com vocês...

Aproveitando um gancho desse meu pedido acima, comenta aí, se tiver alguma dúvida sobre uma das minhas histórias, se quer saber alguma coisa específica, ou se gostou de algo específico, se algo te chamou a atenção neste texto... enfim, me deixe saber o que vocês pensam também.

Obrigado de novo, e até a próxima.

30 de Julho de 2021 às 22:04 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua…

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~