2minpjct 2Min Pjct

As dificuldades do dia-à-dia nos ensina a sobreviver as dificuldades do amanhã. Jimin passava tanto tempo reclamando do maldito feitiço que haviam lhe jogado quando criança, que mal conseguia perceber que Yoongi, seu anjo da guarda, fazia de tudo apenas para que ele se esquecesse dos problemas, e fosse feliz. Mas um sacrifício precisou ser feito, para que Jimin aprendesse a valorizar as coisas, e principalmente, para se tocar que o que ele mais procurava, estava bem ao seu lado, o tempo todo.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#magia #sujim #bts #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
0
506 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Escrito por: @Dboy_Mochi/@Dboy_Mochi

Capa por: @YA5KARA


Notas Iniciais: Olá meus amores. Como estão? Eu espero que bem.

Olha eu em mais um projeto! Juro para vocês que não irei sair desse como sai do outro Ksksksks.

Então venho aqui deixar essa história fofa (juro que fui eu quem escreveu), e avisar que todo mês terá novas histórias de Yoonmin♡


~~~~

POV

NARRADORA.

Omelas era um reino lindo, a metade da população era dominada por Fadas, o restante se dividia entre Anjos, Demônios, Feiticeiros, Bruxos, entre outras espécies.

Cada um tinha sua função, todos eles nasciam predestinados a fazer uma missão que teria que ser cumprida ainda em vida. Tinham regras, não poderiam se misturar com povos de outros reinos, para evitar misturas entre espécies. Quem era do Reino de Omelas não poderia ter amizade com o povo do Reino de Magic, um reino que ficava próximo e muito menos com o Reino Zimzalabim.

Tudo era extremamente organizado, assim o Reino fluía bem. Neste Reino também havia uma tradição, os deuses enviavam a cada treino um cupido, e quando aquele havia cumprido sua missão por completo, outro era enviado para o substituir.

Todos eles tinham características únicas, o que confirmava sua missão no Reino. Cabelos extremamente vermelhos, um coração desenhado em cada um de suas bochechas era uma marca de nascença se todos os cupidos e uma beleza única, que chegava a hipnotizar quem os visse.

A maioria das pessoas amavam os cupidos, mas sempre havia um ou outro que os detestavam. O caso do último cupido do Reino de Omelas, Minho, ele foi odiado por uma feiticeira, mas não levou desaforo para casa, e a amaldiçoou. Ninguém gostaria de ser amaldiçoado por um cupido, era um azar tremendo.

Vestindo uma capa preta com detalhes dourados, um capuz que tampava metade de seu rosto, Yezi andava lentamente pelos corredores do palácio, sem ser vista por ninguém graças sua capa da invisibilidade a qual ela mesma havia criado.

Abriu a porta coberta de ouro branco, entrando no quarto da criança a qual o mundo mais amava no momento, ao chegar no berço, deixou sua capa cair no chão, encantada com a beleza do bebê.

— Peste! – Disse firme, pensou em sequestrar o bebê, mas no momento que iria fazer isso, ouviu alguns barulhos vindo do corredor, teria que apelar para o plano B, a capa cobria apenas uma pessoa, iriam ver o bebê. — Fim dou a próxima geração do amor. Sem asas, sem flechas, sem alvos e sem amor. Cupido sem asas, povo sem amor. Fim dou a próxima geração do amor. Sem asa… — Quando iria encerrar completamente o feitiço, a porta foi aberta, ela apenas conseguiu soprar a fumaça azulada que havia se formado por conta de suas palavras, atingindo a criança que agora chorava. Em seguida se cobriu com sua capa, nunca mais sendo vista.

Como cada Reino tinha um cupido, o Reino Omelas estava perdendo o seu e com isso a vinda de um novo cupido seria necessária, no caso, nasceu um novo bebê que após seu nascimento, dois lindos corações se formaram em suas bochechas, que acendiam conforme a criança se mexia, essa criança era Park Jimin.

Esta era a prova, o novo cupido havia nascido, porém Yezi não podia suportar um novo cupido, ela havia irritado completamente o anterior, a ponto de o mesmo nunca ter lhe dado um amor, avisando que ela iria morar completamente sozinha para sempre. A raiva e a inveja dos outros foi tanta, que ela prometeu a si que na próxima geração não haveria mais amor, o jeito mais fácil de concretizar esta promessa seria matando o próximo cupido, ou o amaldiçoando.

O quinto dia chegou, todos do Reino se encontravam ansiosos, sabiam do feitiço mas tinham uma certa esperança que as asas do futuro cupido resistissem a tudo aquilo, mas não foi o que aconteceu. As asas do bebê não haviam aparecido, o que significava que ele não poderia voar espalhando o amor pelo Reino, logo ele não servia para nada.

— O que vamos fazer agora sem um cupido? — Dizia uma das fadas encarando a outra que suspirava pesadamente.

— Estamos perdidos! — Em desespero o povo se encontrava, a mãe de Jimin abraçou o filho com força enquanto chorava baixinho.

— Escutem! — O pai da criança sem asas gritou, chamando a atenção de todos. — Sabemos que meu filho foi escolhido para ser o cupido, quem escolheu ele sabe de todas as coisas, dito isso, não devemos desistir, uma hora ou outra a criança irá cumprir a profecia e então espalhará o amor por todo o Reino. Somos o povo de Omelas, as coisas irão fluir como o planejado, devemos nos acalmar. Por favor, ele não tem culpa disso.

A população pareceu acalmar um pouco, mas durante os anos os comentários maldosos sobre a criança ainda eram escutados por todo o reino.


{...}


Os cabelos de Jimin já tinham a cor avermelhada, um vermelho forte e vivo, novamente lembrando a todos que ele nasceu para ser o cupido de Omelas.

O problema surgiu quando a Fada Park Sooyoung percebeu que seu filho sempre estava sozinho, não brincava com as outras crianças e então decidiu questionar o porquê daquele comportamento anormal para uma criança de sua idade.

Jimin suspirou pesado, estava sentado no banco de mármore branco, com sua mãe a sua frente abaixada, acariciando sua bochecha.

— Filho...

O garoto apenas olhou para cima, podendo ver os garotos de sua idade se divertindo com suas asas. A boca de sua mãe entreabriu um pouco, vendo em seguida seu filho abaixar o rosto começando a chorar.

— Eles não gostam da minha companhia, todos têm uma missão, e eu não posso fazer a minha Porque não tenho asas. — O garotinho dizia entre soluços, foi quando sua mãe não aguentou e o abraçou fortemente, percebendo o choro do garoto aumentar.

— Escute Jiminie. — Disse se separando do abraço e secando suas lágrimas. — O amor está dentro de você, não em suas asas.

O garotinho apenas concordou com a cabeça, mas logo as lágrimas voltaram a rolar por suas bochechas avermelhadas.

Naquela noite, Sooyoung saiu de seu castelo determinada a melhorar o humor de seu filho, foi acompanhada de alguns soldados rumo a floresta do Reino.

Quando chegaram no centro da mata, Sooyoung se ajoelhou sobre a grama, deixando suas lágrimas deslizarem pelo seu belo rosto, guardava dentro de si toda a frustração de ver seu filho tão jovem sendo tão cobrado por algo a qual ele sequer tinha culpa.

— Por favor me ajudem. — Ela dizia entre soluços, em seguida as árvores de folhas verdes se transformaram em brancas, puras como a neve, quando Sooyoung abriu os olhos, se deparou com um círculo de anjos ao seu redor, sentindo uma paz inexplicável. — Eu preciso falar com Seokjin, ele é o meu anjo da guarda.

Solar, a líder dos anjos, concordou com a cabeça, em seguida, ela e os outros anjos desapareceram e deram lugar a Seokjin, um anjo lindo, talvez uns dos mais lindos do local.

— Você me expulsou da sua vida quando jovem, estou surpresa que tenha aparecido. — Seokjin comentou se ajoelhando e ficando frente a frente de Sooyoung — Seu coração está carregando um peso que não lhe pertence, se você tivesse me ouvido no passado.

— Eu sei! Nada disso teria acontecido. — Declarou abaixando a cabeça — Estou desesperada Jinie, meu filho tem um dom tão especial e a cada dia que passa ele se sente ainda mais triste.

— Eu não posso dar asas ao seu filho.

— Eu sei que não. — O interrompeu novamente. — Mas eu sei que pode me perdoar pelos meus erros do passado. Seokjin, eu entendo caso não queira mais me proteger, mas o Jiminie. Ele ainda tem o anjo dele, eu sei que tem, também sei que ele não apareceu no dia do feitiço por ordem sua, ordem a qual só existiu por causa dos meus atos do passado. Eu tenho noção que tudo seja culpa minha mas Jinie, Jimin não tem culpa de nada, deixe o Anjo dele se aproximar, ele precisa tanto de um amigo.

Seokjin respirou fundo. Anos atrás Sooyoung havia se irritado com seu anjo da guarda, o que a levou a xingar seu anjo, coisa a qual não era permitido fazer. Os laços foram cortados, eles já não tinham uma ligação.

Os anjos acreditavam fielmente que as palavras tinham poder, e quando Sooyoung disse “Eu não preciso da sua proteção e muito menos minha família." significava que ela não precisava.

Por isso, o anjo de Jimin tinha que ficar afastado do rapaz, para não intervir no desejo de sua mãe, mas aparentemente, ela havia voltado atrás com suas palavras.

Seokjin a abraçou fortemente, sentindo as lágrimas da mulher tocarem seu ombro enquanto ele acariciava seus cabelos.

— Jimin terá um amigo e será protegido. Não se preocupe com isso.

Aquelas palavras alegraram o coração de Sooyoung, como não acontecia a anos.

~

Jimin pareceu observar atentamente o ser de cabelos loiros em sua frente. Ele era lindo, uma beleza única, digna de um ser angelical. E que ser senhoras e senhores.

— Eu ainda não entendi isso muito bem. – Jimin dizia um pouco confuso ainda.

— Eu sou seu anjo da guarda, estou designado a te proteger de todo o mal que te sondas. Quando precisar conversar, é só me chamar.

— Eu quero brincar, você brinca comigo? — Yoongi riu concordando com a cabeça.

Yoongi havia nascido três anos antes de Jimin, para ser treinado para proteger o rapaz que nem tinha nascido ainda. Ele não se importava, adorava proteger.

Naquela tarde Jimin sentiu que tinha um amigo, uma pessoa a qual ele poderia passar o dia inteiro brincando. A maneira que Yoongi o levava para o céu e depois o soltava deixando o cupido achar que iria cair, e no final o pegava, o mostrava que não importava o quão alto fosse a caída de Jimin, Yoongi sempre iria pegar ele no final.

— Então significa que eu posso sempre contar com você? Tipo, pra tudo? — Jimin perguntou enquanto os dois estavam deitados na grama observando as nuvens.

— É. Eu fui treinado para cuidar de você. Quando você se sentir triste, eu irei sentir algo como uma espécie de aviso, assim irei poder ajudar com as suas frustrações. Caso você se meta em uma enrascada, adivinha quem irá aparecer para te salvar?

— Você! — Jimin riu alto adorando a ideia de ter um amigo, um anjo da guarda. — Eu vou poder te proteger também? —

— Não. Quer dizer, quem que pergunta isso para um anjo da guarda? — Yoongi riu vendo que Jimin dava de ombros. — Fazer isso iria te fazer se sentir melhor?

— Iria.

— Então pode! — Yoongi sorriu recebendo um sorriso de volta.


[...]


Deitado sobre a grama verde, enquanto o vento batia em seu rosto, bagunçando seus cabelos avermelhados. Era assim que Jimin se encontrava, com um enorme sorriso no rosto para melhorar.

— Suga! — O rapaz chamou e assim que olhou para o lado, seu anjo apareceu, deitado ao seu lado lhe dando um belo de um susto. — Suga! — Disse agora em tom de reprovação. — Já disse para parar de fazer isso. —

— É minha entrada triunfal, não reclama. — Riu fraco, passando a mão pelos seus cabelos platinados. — Mas me diz, o que precisa? — Disse ao perceber que as bochechas do rapaz formavam dois corações agora, vermelhos.

— É uma fada. Está na parte Norte do Reino, ela é provedora da água.O par dela é um anjo.

— Da guarda? — Jimin negou com a cabeça.

— Na verdade, não tenho certeza.

Yoongi nem deixou o rapaz terminar, apenas se levantou e puxou Jimin para fazer o mesmo, abraçou a cintura do avermelhado colando seus corpos e sorrindo em seguida. — Pronto? — Jimin apenas riu e concordou com a cabeça, fechando seus olhos e encostando a cabeça sobre o peito de Yoongi, que abriu suas asas brancas voando, sentindo exatamente onde Jimin deveria ir.

Aquele era o momento favorito se Jimin, quando Yoongi era suas asas e o levava para completar suas missões. A sensação de voar era espetacular, sentir livre o vento bater em seu rosto, enquanto seus cabelos ficam bagunçados, sentir o ar mais puro, a paz tomando seu coração juntamente a adrenalina.

— É aqui! — Jimin disse baixinho, logo Yoongi deixou o rapaz no chão, enquanto escondia suas asas ficando ao lado do cupido também.

Jimin observou bem o local avistando de longe a Fada a qual veio encontrar. Yoongi sentiu uma mão em seu pulso o puxando para baixo, era Jimin fazendo os dois se esconderem para que a magia acontecesse.

Todo mundo sabia da existência dos cupidos, mas acabava com toda a graça mostrar a mágica acontecer.

Logo o tal Anjo apareceu, era um rapaz lindo e jovem, Yoongi olhou para o Jimin com uma cara de “Vai lá e cumpre sua missão."

E foi isso que o rapaz fez, respirou fundo fechando seus olhos, seus cabelos ficavam de um vermelho vivo, enquanto que em suas bochechas apareciam as marcas de corações avermelhados. O rapaz conseguia ver todo o futuro lindo que o casal que ele iria juntar teria. Em seguida, inspirou e assoprou abrindo os olhos, vendo a magia acontecer.

O sopro do amor foi como brilhos invisíveis a todos, menos para o cupido, até chegar nos dois, um sorriso apareceu no rosto do futuro casal, que se aproximaram para puxar um novo assunto.

Yoongi sorria todo bobo vendo aquilo, via a maneira feliz que Jimin ficava ao cumprir uma missão, e aquilo o alegrava completamente.

Sabia bem quais eram os deveres de um anjo da guarda, mas de uns cinco anos para cá as coisas haviam mudado. Jimin parecia cada dia mais lindo, Yoongi só se sentia realmente relaxado ao ouvir a voz do cupido em uma linda canção tocada na Harpa.

Passavam bastante tempo juntos. Momentos felizes como esses, tristes como quando Yoongi o proibia de ir em tal lugar, sabia que o que esperava Jimin lá não era coisa boa, mas isso deixava o avermelhado extremamente irritado.

Um certo dia Jimin resolveu ir mesmo sendo avisado, o rapaz foi encurralado por bruxas e naquele momento o garoto gritou por seu anjo da guarda, que havia lhe seguido o caminho todo, e o protegido até ali.

Mas claro que antes de ajudar Jimin com as bruxas, ele teve que falar “Eu te avisei Park." Em seguida, abraçou o corpo de Jimin com força, o escondendo com seus braços e suas asas, voando para longe dali.

Desde aquele dia, Jimin nunca mais desobedeceu uma ordem indireta de Yoongi. Sabia que era para seu próprio bem e então não havia problemas nenhum em obedecer o rapaz, seu anjo da guarda.

Ficaram mais alguns minutos ali observando o casal, mas depois de um tempo, resolveram começar a caminhar pelo lado Norte do Reino. Yoongi sentiu uma sensação ruim em seu peito, então se abaixou pegando da grama um dente-de-leão, soprando na cara de Jimin, que espirrou e depois riu.

— O que houve? — Yoongi perguntou com um semblante sereno. Jimin não precisava demonstrar, o seu anjo simplesmente sentia que ele não estava bem. — É sobre suas asas? — Este era o principal motivo das tristezas do Park.

— Mais ou menos. — Disse suspirando pesado, encarando o chão enquanto caminhava lentamente. — Eu queria poder voar como você voa sabe, não queria depender de você para tudo. Isso é tão frustrante! Eu nasci para espalhar o amor e dependo do meu anjo da guarda para conseguir fazer isso. Queria fazer as coisas por conta própria, queria ter minhas asas! Queria ser um cupido de verdade.

— Você é um cupido de verdade! Você espalha o amor do seu jeitinho. Tinhas a chance de desistir e simplesmente se esconder de tudo e de todos, mas não, você teve a oportunidade de lutar e completar sua missão no Reino e é isso que você está fazendo. Você luta mesmo sem asas Jiminie, isso é motivo de admiração e não frustração. — Jimin concordou com a cabeça mais continuou com ela baixa. — Não é só isso.

— Às vezes, essa sua mania de saber do que se passa na minha mente, me irrita. — Jimin disse de forma grosseira, mas Yoongi apenas deu de ombros e riu. Sabia que no final todos se importavam, gostavam de saber que tem alguém ao seu lado para o que der e vier. — Eu queria viver o que eu faço.

— O amor? — Yoongi o olhou surpreso. Os cupidos raramente tinham um par, se preocupavam mais em achar o amor para os outros do que para si mesmo.

— Isso! O amor! Eu queria viver o amor Yoongi, queria que alguém pegasse flores vermelhas para mim no jardim, que amasse minhas qualidades e meus defeitos, que estivesse comigo a todo tempo. Eu queria um amor verdadeiro! Mas quem vai querer se apaixonar por mim? Um cupido estúpido sem asas! — Jimin reclamou mais um pouco. Adorava reclamar e por isso continuou reclamando e caminhando, sem perceber que Yoongi já não estava mais ao seu lado.

O mais velho se encontrava na floresta procurando rosas vermelhas, ficou em dúvida entre as brancas e vermelhas. Mas as brancas eram as suas favoritas, não as do rapaz. Então tomou em suas mãos uma rosa vermelha e correu até o rapaz novamente, parando em sua frente fazendo o mesmo tomar um susto, o segundo do dia.

Mas Yoongi se encontrava lindo, aquela roupa branca, os cabelos loiros quase colados na testa, seu semblante de cansaço era magnífico, digno de uma escultura grega e a rosa que segurava completava a vista magnífica.

— Pronto. Eu peguei para você! — Disse sorrindo completamente envergonhado, fazendo Jimin sorrir ainda mais, pegando a rosa de sua mão e depositando um selar na bochecha do rapaz, o deixando ainda mais vermelho de vergonha. Nunca fazia atos como aqueles.

— Você é fofo Yoongi, eu não sei o que faria sem você na minha vida. — Jimin completou, abraçando seu anjo da guarda em seguida. — Obrigado Suga.

— De nada Jiminie. — Disse baixinho enquanto apertava o mais novo no abraço. — Então, você quer viver um amor? Não só espalhar ele?

— É... — Disse se separando do abraço do mais velho enquanto encarava a rosa que havia ganhado — Eu quero me apaixonar, mas sei que não serei correspondido.

— Como pode ter tanta certeza sobre isso? — Perguntou de forma rápida. Não dava para acreditar que Park Jimin não seria correspondido.

— Eu sou um cupido sem asas... — Disse soltando uma risada desanimada — Olha para mim Yoongi, eu era a esperança do nosso reino mas fui amaldiçoado, espalho o amor para a minoria, você tem noção disso? Quem iria se apaixonar por um cupido sem utilidade?

— Eu! — Yoongi disse sem rodeios algum, vendo que Jimin havia ficado totalmente surpreso com aquela notícia. — Acho melhor já irmos.

Antes que Jimin pudesse dizer algo, Yoongi segurou firme em sua cintura, voando de volta para o castelo de sua família, sem dizer nenhuma palavra.

Naquele momento se passou tantas coisas na cabeça de Park, e ao mesmo tempo nada. Yoongi estava ao seu lado, nos piores e nos melhores momentos, mas ele era seu anjo da guarda, era meio que sua obrigação estar ali a todo tempo. Mas parecia que ele não fazia isso apenas por ser seu anjo da guarda.

— Yoongi... — Jimin chamou o rapaz que o colocou com cuidado sobre a grama do grande jardim do castelo.

— Para de se preocupar com coisas Idiotas, você não é inútil apenas por não ter suas asas, não tem culpa alguma de não ter elas. O amor está dentro de você Jiminie, você pode espalhar ele por aí, não precisa de asas para isso. E quem for se apaixonar por você, vai se apaixonar pelo o que você é, não por aquilo que você tem a oferecer, foi você quem me ensinou isso, então não se esqueça de suas próprias palavras.

— Falar é fácil! Você é um anjo da guarda, todos querem um anjo da guarda, você tem asas! Sua beleza chama atenção à quilômetros de distância! Sempre estará por perto quando precisarem de você.

— Acha que é fácil? Olha, é bem difícil você avisar alguém de algo para protege-la e essa pessoa simplesmente virar as costas para você. Sabe como é fácil você estar bem e do nada sentir várias flechas envenenadas atingir seu peito? Por que é assim que eu me sinto quando você está mal. Você passa tanto tempo se lamentando por não ter suas asas, que acaba desmerecendo o meu trabalho. Eu passo horas do meu dia te ajudando a espalhar o amor por aí e você parece nem ligar, porque só fica se lamentando. Levanta a cabeça, faz o que tem que fazer. Não quer depender de mim? Ok, não depende, mas não se lamenta por aquilo que pode ter solução. Você é atraente sim! Várias pessoas dariam tudo apenas para admirar a beleza de um cupido de perto. Sabe por que você não espalha tanto amor como deveria? Por que você não se ama, para ser amado por alguém você tem que se amar primeiro, acreditar que pode ter o amor de alguém e aí sim, você conseguirá espalhar o amor por todos que desejam.

Jimin ficou feito uma estátua ouvindo tudo o que seu cupido dizia. Quando ele acabou e simplesmente voou para longe, Jimin acordou de seu choque se sentindo totalmente perdido.

Jimin sempre quis asas mais do que tudo na vida, enquanto Yoongi queria o bem estar dele acima de tudo. Foi pensando nisso que Yoongi voou para fora do Reino rumo ao lado da escuridão, vendo todos os bruxos, feiticeiros e demônios se ajoelharem a sua chegada.

O anjo caminhou no meio deles, até que encontrou quem queria, a olhando friamente.

— Veio me matar? — Yezi dizia sorrindo de lado para o Anjo que a encarava seriamente.

— Você sabe muito bem que não. Vim fazer um acordo.

— Um anjo fazer um acordo com uma feiticeira? Ora, ora, estou surpresa! Do que se trata esse acordo?

— Devolva as asas de Jimin. O cupido a qual você amaldiçoou, devolva as asas dele.

— Nunca! — Disse em um tom firme — Eu não vou devolver as asas do cupido, me mate mas não irei fazer isso. Perdeu seu tempo anjinho.

— Devolva as asas dele que eu te dou as minhas. Sei que o feitiço só pode ser removido com uma troca, sei que Sooyoung tentou com as asas dela e não deu certo, sei também que as asas de um anjo valem bem mais do que as das fadas. Então pegue minhas asas, e construa sua vida longe daqui.

— Eu quero um amor! Não suas asas. — Yoongi segurou a cintura de Yezi voando para o mais alto que podia — ME SOLTA!

— Se eu fosse você não escolhia isso. — Disse sério enquanto levava Yezi para o Reino Magic, até o castelo do cupido daquele reino. — Eu vou te dar o que você quer, em troca você me dá o que eu quero.

Declarou enquanto soltava Yezi no jardim daquele imenso castelo, em seguida Taehyung, o cupido do Reino Magic, se aproximou.

— O que deseja, Yoongi? — Questionou o encarando meio surpreso com a visita. — Não deveria estar aqui. — Disse por conta das regras.

— Eu sei, eu te imploro Taehyung, me ajude. Tire a maldição que foi jogada nela, tire a amargura de seu coração para que meu amado seja livre. Você me deve isso.

Taehyung realmente devia, pois quando novo havia acertado sua flecha em Yoongi e depois em Jimin, o fazendo sofrer todos esses anos escondendo seu amor de seu eterno amado.

— Me desculpe. — Taehyung ainda se arrependia de sua escolha do passado, o fato foi que ele apenas sentiu uma sintonia muito grande, ainda estava aprendendo a controlar seus poderes e quando viu, já era tarde demais. — Se aproxime feiticeira.

Yezi se aproximou encarando a beleza única daquele cupido tão maravilhoso. Taehyung fechou os olhos e respirou fundo, seus cabelos ficaram ainda mais avermelhados enquanto em suas bochechas se formavam dois corações, um em cada bochecha.

— O amor perdido será encontrado, a maldição será quebrada, a mágoa será tirada, o rancor se destruirá, sem sentimentos ruins ficará, e apenas o amor irá lhe dominar. — Taehyung repetiu as palavras algumas vezes até assoprar, concretizando suas palavras, deixando Yezi finalmente liberta. — Está finalizado.

— Obrigado. — Yoongi agradeceu, vendo Yezi ainda em choque com o que estava acontecendo em seu interior. — Agora você vai cumprir a sua parte do trato. Adeus Taehyung. — Disse segurando a cintura da mulher e voltando a voar para o seu próprio reino, indo até o quarto de Jimin, onde o mesmo dormia tranquilamente. — Agora. — Sussurrou e a feiticeiras apenas concordou com a cabeça.

— Povo com amor, cupido com asas, interrompe toda a maldição, cumpre a profecia, e o cupido com asas retornará então. — Yezi dizia com os olhos fechados, enquanto uma fumaça azul se formava a sua volta, e com um sopro, a maldição foi desfeita. — As asas irão aparecer pela manhã.

— Eu acho bom aparecer mesmo, caso contrário eu vou até o fim atrás de você.


[...]


— EU QUIS PROTEGER ELE — Yoongi dizia enquanto estava de joelhos sobre o chão.

— Você invadiu um reino! Fez um acordo com uma feiticeira! Você fez um cupido tirar a maldição de uma feiticeira! Se arrepende do que fez? — Seokjin perguntou, recebendo um aceno negativo como resposta.- Eu te condeno a uma década sem asas!

— NÃO! EU FIZ O QUE FIZ PARA PROTEGE-LO. É O MEU DEVER!

— Você fez por amor! Suas asas retornarão quando se der conta de que não fez por ser um anjo da guarda e sim por ser um anjo apaixonado! Agora saia daqui.

Yoongi se levantou, assim que passou pela porta do castelo dos anjos foi levado por outros até a sala do castigo, onde suas asas foram tiradas sem cuidado algum, fazendo o rapaz sentir uma dor inexplicável.

A intenção era fazer o rapaz se arrepender de seus atos, mas não funcionou, desde que Jimin estivesse feliz ele também estaria, mesmo com dor, valia a pena se ele estivesse sorrindo.


[...]


O corpo de Jimin estava tão cansado que o rapaz nem percebeu quando algo se formava em suas costas. Ao acordar, se levantou mais uma vez, caminhou até o espelho respirando fundo, havia coisas para fazer naquele dia e a primeira seria procurar Suga.

Ao pegar sua blusa para vestir, Jimin percebeu que havia algo em suas costas, eram dois finos riscos, quando se torceu um pouco para tocar os riscos em suas costas suas asas apareceram, fazendo o rapaz tomar um susto e cair de cara no colchão de sua cama.

— Meu Deus! MÃEEEE! — Gritou Sooyoung que veio correndo até o quarto de seu filho, acompanhada de alguns guardas.

Os olhos da fada se encheram de água, enquanto ela levava suas mãos até sua boca, admirando as asas do rapaz.

Elas eram enormes, lindas. Brancas com algumas penas avermelhadas. Lembrava um pouco as de Yoongi se não fosse pela parte avermelhada a qual as dele não possuíam.

— Jiminie... — Sua mãe dizia enquanto o puxava para um abraço. — Céus a maldição foi quebrada!

— Estou tão feliz Mãe! Eu tenho minhas asas, sempre quis saber como elas eram, elas são tão lindas e são minhas mãe, minhas asas! — Jimin dizia emocionado enquanto encostava sua cabeça no ombro de sua mãe, sempre esperou muito por esse momento, o momento em que suas asas apareceriam.

Mas ele se lembrou que sempre reclamava por não ter suas asas, e que alguém lhe dizia que ele não precisava delas. Alguém a qual ele amava muito e precisava fazer as pazes, pois não poderia ficar brigado com seu anjo da guarda.

Sabia da história da sua mãe com aquela espécie, não queria que as coisas se repetisse, queria ser feliz com seu anjo da guarda.

— Eu preciso ir mãe. Eu volto logo! — Disse saindo do quarto e ao chegar no jardim tomou impulso, começando a voar. — SUGAAAA. — Jimin gritava enquanto voava pela floresta, a procura do seu anjo da guarda que havia desaparecido. Queria contar a ele sobre suas asas, mas não encontrava ele em lugar nenhum.

Foi quando Jimin viu um ser angelical deitado nos pés de uma árvore, se aproximou vendo que se tratava de seu anjo da guarda, ele estava sangrando muito. — Yoongi! O que aconteceu com as suas asas? — Jimin perguntou enquanto via as costas do anjo sangrando e sua expressão de dor. — Você está chorando! Nunca te vi chorando.

— Vejo que recuperou as suas — Yoongi disse soltando um sorriso enorme — Isso me deixa feliz! Saber que você está feliz me faz feliz.

— Então você tem ligação com as minhas asas aparecerem? — Perguntou enquanto ajudava seu anjo a se sentar, o abraçando.

Yoongi encostou sua cabeça no ombro de Jimin e explicou toda a história para ele, lhe arrancando algumas lágrimas. Como um cupido, Jimin sabia reconhecer um ato de amor, e naquele dia sentiu suas bochechas ficarem vermelhas e seu coração acelerado. Então aproximou seus lábios dos de Yoongi, selando um beijo de amor verdadeiro.

A dor de Yoongi pareceu desaparecer, sentindo a paz dominar seu coração conforme o beijo era aprofundado com tanto carinho e amor.

O sangue de suas costas foi desaparecendo, no lugar se suas feridas abertas e suas asas foram aparecendo enquanto o casal de beijava. Yoongi havia se dado conta de que suas ações foram por amor, não por proteção.

— Yoongi... — Jimin disse ao se separar do beijo — Suas asas!

O anjo o encarou confuso mas logo se deu conta que estava com suas asas novamente, sorriu ainda mais abertamente, voando o mais alto que podia e em seguida viu que estava acompanhado de Jimin, que ria por toda felicidade que invadia o peito de ambos.

No ar, Yoongi segurou a cintura do mais novo, selando seus lábios com os dele, aprofundando o beijo com cuidado, enquanto acariciava sua cintura com uma mão e o belo rosto do cupido com a outra.

— Eu amo você. — Yoongi disse separando do beijo, enquanto colava sua testa com a do rapaz, e suas asas batiam rapidamente, assim como as do cupido.

— Eu amo você. — Jimin sorriu abertamente. Era magnífico o amor, magnífico sentir aquele sentimento a qual apenas espalhava, não sentia.

Naquela noite que Yoongi brigou com ele, Jimin espalhou o amor correndo pela floresta, cansado, voltou para casa dormir. Ele havia aprendido a se amar sozinho, e achou que suas asas eram recompensa por esse aprendizado de amor próprio, porém não eram, eram uma recompensa de um amor oculto.




Um amor que seria agora vivido eternamente...

~~~~


Notas Finais: Confesso que fiquei muito insegura com esse plot... Mas enfim. Espero que tenham gostado, obrigada por terem lido até o final.

Beijos de luz ♡

27 de Julho de 2021 às 20:43 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS Nos encontre também no wattpad, sweet, spirit e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~