chuubies Catarina Victorino

Em um dia onde o cansaço roubava-lhe o ânimo, Antón chegou em casa e colocou seu velho toca-fitas para funcionar. Ele, no entanto, não tocou Ludwig Minkus, tampouco Tchaikovsky; a fita não lhe pertencia, mas o citava diversas vezes e isso o assustava. A cada dia que passava, o mesmo fenômeno se repetia. Todas elas tinham características próprias e apenas uma semelhança: sempre lhe contava onde seu perseguidor se encontrava e como ele estava cada vez mais perto.


Horror Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#terror-psicológico #suspense #criminal #horror #terror #ballet #dança #stalker
0
673 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Faixa 1

Antón tinha acabado de chegar em casa, exausto como todos os dias desde que se mudou para Moscou na expectativa de realizar seu grande sonho: dançar em uma companhia de renome e se firmar no balé clássico; como já imaginado, os treinadores não pegavam leve, ainda mais com um estrangeiro que nem entendia o idioma. Ele jamais cogitou reclamar do tratamento recebido.

Estão preocupados, por isso são tão rude. Ditava para si todas as noites, quando pensamento de desistência reinava em sua mente.

Foi até a mesa de estudos e ligou o toca-fitas, pouco se importou com a música que iria ouvir; seu repertório se estendia apenas em clássica e poucas anos trinta aos cinquenta. Se jogou na cama e fechou os olhos esperando pelas primeiras notas do violino invadir seus ouvidos e acalmar sua mente perturbada.

Isso, no entanto, não foi o que aconteceu. Longos segundos de profundo silêncio invadiu o pequeno apartamento, mas logo foi substituído por uma risada. Se fosse para descrevê-la, Antón usaria a palavra diabólica, já que apenas ela fez o medo lhe dominar.

Se levantou, pronto para desligar o aparelho e jogar a fita com defeito fora, porém uma voz mansa o impediu ao começar a falar.

Olá, meu querido Antón, como está? Acho que esta pergunta é um tanto contraditória, afinal eu sempre sei como está se sentindo. Estou lhe observando, e quando não posso, tenho quem o faça.

Não me ache estranho, só sou um homem apaixonado e por essa paixão estou sendo movido. Não vou dizer que estou fazendo coisas que jamais imaginei; você não é minha primeira vítima e dificilmente será a última.

Estou chegando perto de você, meu amor. No momento estou do outro lado da rua, mas logo irei atravessar, invadir o apartamento e lhe fazer meu; anseio por esse dia com toda minha alma. Estou louco para sentir a batida do seu coração acelerado pela epinefrina, assim como o pulsar do seu lindo pescoço contra minha mão, esta que está pronta para te estrangular.

Com essa bela declaração, acabo essa mensagem.

Até logo, meu querido. E não ouse fugir, pois eu saberei onde estará.

Antón engoliu a seco e tomou coragem para chegar mais perto do aparelho.

Aquilo era só uma piada de seus colegas. Repetia para si ao longo da noite, e com esse pensamento foi para o mundo dos sonhos, local em que nada seria capaz de machucá-lo.

Infelizmente, ao fechar os olhos, não pode notar que ele já havia entrado.

21 de Julho de 2021 às 23:10 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

Catarina Victorino .orbit e pseudo-escritora nas horas vagas

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~