gs_sam_naiti Meg(all)ann Rabbit

"Um camaleão, tende a se adaptar, se vender ao ambiente, se tornar oque for necessário para seu melhor estar, porém esse é o lado ruim, o estigma dos camaleões, eles esquecem sua verdadeira cor..."


Conto Todo o público.

#conto #psicológico #descobrimento #metamorfose-ambulante #mudança #camaleão #aventura #natureza #animais #auto-descobrimento #mistério #amor #auto-aceitação #negação
Conto
0
580 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Golden Chamaleon

Era uma vez um camaleão, que a muito tempo atrás saiu de seu lar, acreditava que iria se aventurar pelas florestas para buscar auto conhecimento e independência, mas a verdade é que no fundo ele não sabia do que aquilo se tratava exatamente, porém dentro de si, ele tinha a certeza de que aquilo era algo importante e inevitável.

Ele caminhou por um tempo, até que parou em um território aparentemente inóspito. O local fedia a morte e sujeira, era repleto de lama, e esqueletos a tempos em decomposição, mesmo em aparente segurança, se viu obrigado a trocar sua coloração, se adaptar, e assim o fez, se tornou lama e sujeira da língua à calda. Percebeu que por ali haviam animais muito peculiares e excêntricos, porém nenhum dos estranhos animais o notou, ele também não viu necessidade de interagir com seus novos vizinhos. Ficou ali um tempo, até que sentiu a necessidade de novamente mudar e ir para novas terras.

Após um certo tempo, chegou em uma espécie de savana, um território repleto de animais que lhe pareciam intimidadores e agressivos. Mesmo sendo um local difícil de passar despercebido, ele se camuflou e muito bem, porém ainda estava completamente apavorado, teve que ficar um certo tempo se escondendo e se aproveitando da violência alheia para conseguir alimento, já que na região haviam poucos insetos, e assim ele foi sobrevivendo como podia, quase que como um espectador fantasma. Porém, mesmo com todo esforço para se manter escondido, ele acabou sendo notado por um leão, ele imediatamente tentou fugir, mas isso era impossível, o leão o alcançou, e para sua surpresa, não o feriu, por algum motivo o felino sentiu afeição pelo camaleão, após isso ele revelou, mesmo que parcialmente, sua tonalidade original, o leão ficou um pouco espantado, se tratava de uma cor altamente excêntrica, mas mesmo assim o leão continuou demonstrando afeto e desde aquele dia, ajudou e protegeu o jovem camaleão.

Após um longo tempo vivendo sob a proteção do felino, teve que novamente mudar de localidade, mesmo com a estranha amizade do leão, ele não se sentia exatamente parte daquele local, e o seu amigo também teria que ir para novas terras, então a despedida se viu iminente.

Ele andou bastante, até que achou um local que transmitia uma energia extremamente negativa, era como se a terra por si só já exalasse tristeza e desolação, animais que habitavam ali tinham um olhar vazio, triste, perdido., Se viu obrigado a se adaptar, o local parecia no mínimo perigoso, escondeu completamente sua tonalidade e assumiu uma cor triste e pesada, e assim conseguiu se adequar perfeitamente àquela estranha localidade.

Após passar algum tempo sobrevivendo naquele local da forma como conseguia e podia, ele sentiu uma estranha presença ao seu redor, pensou que poderia ser algum animal o seguindo, tentou se esconder em uma caverna, porém ao entrar para sua surpresa, seu perseguidor estava ali, bem em sua frente, e para uma surpresa maior ainda, se tratava de um camaleão, um camaleão bem peculiar, nunca tinha visto um semelhante assim, porém era de fato um camaleão, os dois se mostraram bem felizes em finalmente poder interagir com semelhantes, pareciam estar se dando bem e que isso seria o início de uma nova jornada.

Eles viveram algum tempo junto, se ajudando e vivendo juntos, foi um tempo feliz na vida de nosso camaleão, mesmo naquele terreno horrível, tudo estava bem e nosso camaleão exalava felicidade. Toda via, as coisas chegam à um fim e nosso camaleão se viu surpreendido, havia sido traído por seu amigo, acordou com diversos camaleões e répteis peculiares o rodeando, e todos pareciam estar com uma enorme sede pelo seu sangue, no fundo viu seu amigo conversando com um lagarto, eles pareciam estar fechando um acordo, seu amigo o olhou de relance e seus olhos estavam como nunca, dessa vez possuíam uma imensa tristeza e desprezo. Ele nunca imaginara que poderiam camaleões se alimentar de outros camaleões, e muito menos que seu amigo poderia vir a traí-lo o porém, era isso que estava acontecendo, ele tentou lutar, porém eles eram muitos, ele estava sendo atacado por todos ao mesmo tempo, chegou a quase desmaiar, e nesse momento acabou inconscientemente revelando sua tonalidade original, que para sua surpresa, cegou os camaleões, ele rapidamente correu desesperado, e após uma longa fuga, saiu daquela região, e exausto, veio a desmaiar.

O camaleão continuou a caminhar por terras desconhecidas, porém sua caminhada parecia em vão, nenhum lugar parecia adequado pra ele e vice versa, mesmo assim ele continuou à caminhar por um longo, até que sucumbiu ao cansaço, a desmotivação, a tristeza de ser traído e não ter ninguém e nem nada para lhe ajudar, e simplesmente deitou no chão até que o sono o resgatasse. Abriu os olhos e quando percebeu, estava em uma caverna e deitado, rapidamente levantou, e perdido ele olhou ao seu redor, não via sinal de ninguém quando abruptamente sentiu em suas costas uma textura escamosa o encostar, rapidamente se virou e para sua surpresa se tratava de uma camaleoa, ela lhe disse que não sabe como ele sobreviveu, o achou extremamente ferido e debilitado. Ele ainda surpreso e com medo nem conseguiu responder, ela lhe disse para simplesmente descansar, e apesar de sua resistência, o cansaço venceu e ele veio à dormir.

Quando acordou, a camaleoa, estava extremamente feliz, mesmo com todo o receio de nosso camaleão por conta da experiência passada, eles acabaram se entendendo e conversaram bastante durante um bom tempo, ela lhe apresentou àquela região, que se tratava de uma floresta mundana, constituída de grandes e belas árvores. Ela explicou que ali haviam poucos predadores, e quase nenhum animal seria realmente um problema para os dois, eles passaram o dia e a noite inteira juntos, se divertiram muito, nosso camaleão estava quase que mostrando sua tonalidade original por completo, e assim se passaram dias e mais dias que acabaram por ser os dias mais felizes da vida de nosso camaleão.

Porém, novamente, todas coisas chegam à um fim, e assim foi com sua felicidade. Ele acordou com seu lar envolto em chamas, entrou em desespero, tentou procurar por sua amada, achar um camaleão pode ser uma tarefa difícil, porém os dois viviam em sua tonalidade original, logo seria mais fácil acha-la. Desesperado em achar sua amada, ele saiu à procura dela, percorreu a floresta em chamas tentando avistar qualquer sinal dela, viu um acampamento deserto por perto, haviam tochas apagadas e lanternas quebradas por perto. O camaleão continuou à procura de sua amada, todavia não haviam sinais da mesma, só tinha morte e destruição ao seu redor. Até que ele viu um grupo de humanos que pareciam estar desesperados, e com um semblante extremamente triste, um deles se abaixou e para sua surpresa pegou uma camaleoa no chão, ela estava desacordada, o camaleão se desesperou, correu em direção aos humanos, porém a distância era grande, e quando estava chegando perto, eles entraram em um veículo e partiram, deixando o nosso camaleão, desolado, sozinho e novamente com um enorme vazio em seu coração.

Ferido e desolado o camaleão caminhou sem destino, em uma falsa esperança de achar algo que novamente pudesse preencher seu vazio, porém ele mesmo sabia que isso era impossível, mas ele tinha que caminhar, dessa vez ninguém o iria salvar da morte. Ele passou por diversos lugares, mudou sua tonalidade, se adaptou, sobreviveu como pôde, sua vida não tinha mais momentos bons, foi então que ele refletiu que sua vida se tornou um eterno sofrimento, talvez só oque o mantivesse vivo fossem seus instintos naturais, pois qualquer prazer verdadeiro não mais existia. Ele chegou a achar grupos de camaleões, tentou se adaptar a eles, mas nunca terminava bem, ele sempre se sentia fora de lugar, sempre sentia que não pertencia à ali, e assim o ciclo de caminhada e descoberta se repetia, se adaptou tanto à diversos lugares que nem mais lembrava sua tonalidade original.

Ele continuou em sua solitária e vazia vida, não importava mais que dia era, a floresta, a caverna, a árvore, todos e todas eram iguais, tudo era o mesmo, se tratava de um ciclo de dor e vazio sem fim. Após tanto vagar, tanto andar, e repetir sua jornada robótica por um tempo imensurável para o camaleão, ele percebeu que aquilo não fazia o menor sentido, sua vida não tinha sentido, se ele sentia tanto amargura vivendo daquela forma, por que ele continuaria vivendo dessa forma? Enganando aos outros, a natureza e a si mesmo, o camaleão decidiu abraçar o caos, o acaso, sua verdadeira identidade, decidiu que usaria sua tonalidade original sempre, e a partir dali, tudo mudou.

Ele viveu dias difíceis, predadores o perseguiram, o ato de conseguir alimento, o dormir, o simples caminhar, tudo se tornou mais difícil, porém dessa vez, ele via um propósito, havia prazer em tudo, ele sofria por ser quem era, mas pelo menos ele realmente era algo e não só um amontoado de cores falsas, que ajudavam o a se camuflar, porém também camuflavam sua alma, o seu verdadeiro ser, dessa vez, nosso camaleão finalmente se sentia completo, mesmo com todas dificuldades se sentia feliz, mesmo com toda a escuridão envolta de si, ele via em si um brilho, esse brilha o ajudava a se guiar, e assim ele viveu por um bom tempo, que dessa vez também não importava relatar com exatidão, não por ser tudo o mesmo, mas sim porque mesmo com as dificuldades, tudo valia à pena.

Após um certo tempo, nosso camaleão estava cochilando como fazia usualmente, quando foi surpreendido por algo se aproximando, ele não sabia exatamente do que se tratava, seu corpo se encheu de medo, parecia se tratar de um grupo grande, até que uma lanterna fitou seus olhos, ficou sem enxergar nada por segundos, e quando abriu os olhos, viu um grupo de humanos, ele tentou fugir, mas um deles o segurou, quando então um deles colocou uma camaleoa no chão, nem pôde acreditar no que viu, seus olhos se encheram de felicidade, parecia um sonho utópico, e então eles o soltaram. Ela o explicou que eles dois eram de uma espécie rara de camaleões e os cientistas só o conseguiram achar por conta de sua cor extravagante, quase impossível de não ser notada, ainda mais por se tratar de um camaleão que tem o costume de sempre se esconder. Eles passaram um bom tempo juntos, os cientistas estavam por perto, mas deixaram os dois livres, se divertiram bastante, nosso camaleão se sentia extremamente feliz e dessa além de feliz, estava completo consigo mesmo.

"Um camaleão, tende a se adaptar, se vender ao ambiente, se tornar oque for necessário para seu melhor estar, porém esse é o lado ruim, o estigma dos camaleões, eles esquecem sua verdadeira cor..."




27 de Julho de 2021 às 02:45 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Meg(all)ann Rabbit "I don't wanna die right here, I don't wanna just float in fear..."

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas