middel04 Sophia Middeldorf

A história de um cachorro. Um cachorro de sorte.


Conto Todo o público.
Conto
4
3.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sansão

Ficava sentado dia e noite na frente do restaurante, rondava as mesas e o bar em busca de uma sobra que o mantesse alimentado, pelo menos até a manhã seguinte. Aquele cachorro me lembrava um espanador, tinha os pelos eriçados e sujos e pequenos olhinhos verde-escuro, chamei-o de Sansão, porque presumi que toda aquela força de vontade vinha daquela cabeleira desengonçada.

Todos os dias, após o trabalho, eu me dirigia até o restaurante para almoçar, na companhia de Sansão, que sabia que eu gostava de dar ossinhos de frango e acariciar seu pescoço. Sansão ficou famoso, depois de tanto tempo no ramo ele acabou ganhando doações de clientes e foi presenteado com uma pequena caminha, para que se protegesse do frio do inverno.

Percebendo o lucro que o ofício de Sansão proporcionava, começaram a aparecer outros cães, ameaçando o lugar de prestígio que o cão havia alcançado até ali, durante aquele ano. Era um animal amigável, mas os outros avançavam-lhe o pescoço para impedi-lo de levar suas sobras do dia. Com o passar do tempo a convivência entre os animais esfriou e, a comunidade aumentou até o ponto em que se tornou impossível frequentar o estabelecimento. Indignado, o dono do restaurante se perguntou como havia deixado a situação chegar a tal ponto, que os cães eram agora seus únicos fregueses. Expulsou dali todos os animais, que acabaram tomando a calçada e até procriando dentro da cozinha, infestado de pulgas teve de passar por uma rigorosa dedetização e, o controle de animais teve de ser acionado para ajudar a realocar os bichos.

Soube, pelo dono do lugar, que ele havia adotado Sansão, tornando-o mascote da sua nova marca artesanal de massas. Vi-o com seu tutor na rua, certa vez, de banho tomado e sem as características bolas de pelo que cobriam todo seu corpo, havia ganhado peso e usava sapatinhos de pano.

Nunca entendi o golpe de sorte de Sansão, afinal, era apenas um cão vadio que ganhara a simpatia dos frequentadores e do dono. Não sei. Talvez tenham sido apenas seus olhos verde-escuros.

10 de Julho de 2021 às 19:53 5 Denunciar Insira Seguir história
7
Fim

Conheça o autor

Sophia Middeldorf Estudante de graduação do curso de Letras da UFMG (licenciatura em inglês). Ex-estudante de graduação do curso de Letras da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (licenciatura em português/inglês). Ex aluna do projeto de canto do SESI.

Comente algo

Publique!
Johsai ina Johsai ina
Que história mais linda que acabei de ler! Estou feliz pelo Sansão ter consigo ter um lar, mas fico triste pelos ademais, a história é muito real, fico emocionada por completa <3
July 24, 2021, 19:46
Don Auctor Don Auctor
Posso dizer que esse conto foi bem agradável de ler, acho que foi a esperança de que Sansão ganhasse um lar, e me pergunto, os outros ganharam também? Adorei, você tem uma escrita fluída e me pegou quando peguei pra ler essa madrugada. :3
July 24, 2021, 05:17

  • Sophia Middeldorf Sophia Middeldorf
    Ahh que bom que vc gostou <3 Sou novata na escrita, então sempre tentando melhorar :) 1 week ago
Daniel Trindade Daniel Trindade
Gostei do conto, quero imaginar que os outros cães tenham conseguido um lar também, assim como Sansão conseguiu no final.
July 18, 2021, 21:08

  • Ruana Aretha Ruana Aretha
    Ahhhh, meu coração se encheu de felicidade com o Sansão , mas não deixou de ser uma crítica nas suas entrelinhas. Infelizmente é a realidade de muitas periferias, os animais são deixados como se fossem nada. E de repente alguns tem sorte de encontrar quem cuide deles. Não posso dizer muito sobre isso porque amo os meus animais resgatados, e posso enfatizar que são meus amores. Obrigada pela leitura ! July 20, 2021, 17:35
~