marianatalia_messiascamargos Maria Natália Messias Camargos

Sol e lua, dia e noite, amantes separados, astros um pelo outro amados, basta um eclipse para que sol e lua se encontrem, amantes que se amam, um anjo das sombras e um demônio meigo cheio de amor e carinho pra dar. An angel and a devil, equilíbrio entre trevas e luz, um anjo caiu do céu, engolido por sombras, sua auréola quebra, o brilho em seu olhar quase a se apagar, suas asas se fecham para proteger algo frágil. Um demônio anseia pela luz, fugir das sombras, amar e ser amado, um pouco de carinho verdadeiro, nada de falso, o demônio encontra um anjo perdido em meio a trevas, decidido a devolvê-lo ao céu, abre suas asas e consertar sua auréola, recebendo em troca a luz que procurava, duas metades se encontram, com a chegada do eclipse, o dia se torna noite e os amantes se reencontram.


Romance Erótico Para maiores de 18 apenas.

#lua #sol #demônio #Damon #AnjoDasSombras #Ângela
1
970 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 01 - Thomas Galhar

Pov. Thomas Galhar


05:00AM


Abro lentamente meus olhos com o som abafado do alarme do celular da Ângela, minha cabeça parece ter um martelo martelando meu crânio, “ressaca maldita” penso enquanto me sento onde quer que eu esteja, bocejo e olho ao redor, estava meio escuro, mas com o pouco de luz que entreva pelas cortinas, eu já consigo identificar que dormi no chão do meu quarto, de novo.


- Oh porra, me deixaram dormindo no chão do quarto de novo – Reclamo baixo, pois os outros estão dormindo e eu não tô com cabeça pra ouvir minha própria voz.


Levanto-me ainda meio tonto, “caralho, entornei quantas ontem? Alguém anotou a placa do maldito caminhão?” penso sentindo minha cabeça girar, o efeito do álcool parece que não passou cem por cento ainda. Noto algumas garrafas de cerveja e vodca pelo chão do quarto, olho pra cama do meio e encontro Matthew dormindo que nem um cadáver jogado na maca, ele tava sem camisa, jogado na cama só de bermudão.


A Ângela estava dormindo toda encolhidinha no meio da cama, parecia um anjinho, mas só quem conhece pra saber que anjo só se for anjo caído, ela estava usando um tope vermelho e um short colante preto, como ela estava descoberta, cubro Ângela com o cobertor e lhe dou um beijinho na testa, sigo meio capenga até o banheiro do quarto, tô precisando de um banho, tô com cheiro de álcool e esperma.


- Hummm – Ouço Matthew dar um gemido de sono.


Quando olho novamente pra cama, encontro um Matthew só de bermuda, sentado na beira da cama se espreguiçando, isso é High Elite Academia, única escola de Elite no país que tem uma menina menor de idade dividindo quarto com dois marmanjo, viado, bêbado, maconheiro e viciados em sexo frequente.


- Bom dia gato – Matthew sussurra com voz e cara de sono.


- Bom dia minha cadelinha, banho juntos? – Digo com meu tradicional tom pervertido.


- Odeio no banho, tem duas camas livres – Matthew responde irritado.


- A Ângela tá dormindo lesado, é já que ela tem que acordar pra aula, mas acho que ela prefere o alarma do celular aos gemidos de dos macho trepando – Respondo com um sorriso de canto.


Matthew revira os olhos e bufa irritado, mas ainda sim, se levanta da cama e vem até a porta do banheiro onde eu estava, só consigo abrir a boca, mas não tenho tempo de falar nada, a língua do Matthew invade minha boca e minha cadelinha favorita me empurra pra dentro do banheiro, trancado a porta logo em seguida, sem separar seus lábios dos meus.


Sua boca estava com gosto de nicotina de cigarro, o que se misturava com o gosto alcoólico da minha boca, graças à bebedeira da noite passada, resultando em um gosto viciante e muito conhecido por nós dois, Matthew puxava meus cabelos enquanto tentava tomar o controle do beijo, puxo os cabelos do Matthew de volta e como punição para a desobediência do meu baby, mordo o lábio inferior do Matthew, até o gosto metálico de seu sangue se misturar a bebida e nicotina.


Matthew da um gemidinho de dor e volta a ficar como gosto, mansinho e obediente, separamos nossos lábios pela falta de ar e começamos a nos despir com rapidez, termino primeiro, pois dormi apenas de cueca box, Matthew tira sua bermuda e eu retiro sua cueca, antes de pega-lo fortemente pelo pulso e arrastar Matthew comigo até a cabine de vidro do banheiro.


Ligo o chuveiro e espero a água esquentar enquanto Matthew lambe meu pescoço, quando a água esquenta, pego Matthew pelos cabelos e entramos juntos debaixo da água quente do chuveiro, prenso o rosto do Matthew de lado na parede fria de azulejos brancos enquanto a água quente do chuveiro recai sob nós dois.


Colo meu corpo nas costas do Matthew e o mesmo começa a gemer manhoso, coloco dois dedos da mão que antes eu segurava seus cabelos, agora em sua boca, o fazendo chupar três de meus dedos, com minha mão livre, eu estava masturbando Matthew enquanto a água quente recaia sob nossos corpos já mais quentes que o inferno, começo a morder o pescoço do Matthew, o fazendo gemer mais alto enquanto chupa meus dedos.


Quando meus dedos estão bem melados da baba do meu baby, retiro meus dedos de sua boca e empino a bundinha branca do Matthew, o fazendo apoiar suas mãos na parede de azulejos, deixo o movimento de minha mão em seu membro mais rápido enquanto introduzo um dedo no cuzinho do meu arrombadinho, o ouvindo resmungar pela invasão, comecei a masturbar Matthew mais rápido, fazendo ele gritar de prazer ao invés de gemer.


Eu realmente não queria acordar a Ângela com os gemidos desse puto, meti os três dedos no cuzinho do Matthew logo de uma vez, o fazendo dar um pulinho de surpresa, antes que ele volta a gemer como uma prostituta, abocanho seus lábios, abafando seus gemidos estupidamente altos, Matthew começa a rebolar nos meus dedos enquanto seu membro pulsava em minha mão, o que só conseguia me deixar mais duro ainda.


Quando Matthew goza na parede de azulejos, retiro meus dedos de dentro dele, antes que minha cadelinha comece a choramingar, o penetro de uma vez, colocando meu membro todo de uma vez só, Matthew se contorce em sinal de dor e desconforto, passo o braço da mão que antes o masturbava, agora por seu pescoço em uma espécie de mata leão.


Colo as costas do Matthew em meu peitoral e apoio a mão que antes estava invadindo seu cuzinho, agora ao redor da sua cintura, mordemos nossos lábios para conter nossos altos gemidos enquanto eu fodia com força e velocidade o cuzinho ainda não arrombado do Matthew, meu namorado, minha cadelinha, minha putinha.


Continuo torturando o cuzinho do Matthew, dando tapas fortes em sua bunda e mordidas em seu ombro, até me desfazer em seu interior, quando gozo e preencho Matthew com meu néctar, abraço Matthew para impedir que ele caia no chão, suas pernas não conseguiam mais o sustentar, sua respiração estava pesada, retiro meu membro de dentro do Matthew e dou um banho em nós dois.


Desligo o chuveiro e enrolo Matthew por completo em uma toalha, coloco Matthew sentado no vaso sanitário enquanto limpo o esperma que o banana jorrou na parede de azulejos, se a Ângela entrar aqui e ver aquilo, ela começa a usar o banheiro comunitário da escola, mas não entra no banheiro do nosso quarto nunca mais.


Enrolo uma toalha em minha cintura e pego Matthew em meu colo, tiro Matthew do banheiro no colo, quando saímos do banheiro, encontramos Ângela sentada no meio da cama, ainda enroladinha no cobertor enquanto coça sonolentamente seus olhos, coloco Matthew dolorido frufru sentado na cama dele e sigo até a cama da Ângela, lhe roubando um selinho.


- Bom dia vampira – Digo com um sorriso, ainda estou apenas de toalha e Matthew agora se deitou enrolado na toalha em sua cama.


- Ba dia – Ângela responde com vozinha de criança, oque sempre me quebra.


- Levanta, são cinco e dez, você tem aula as sete – Digo olhando com um sorriso pra Ângela enquanto me sento na minha cama.


- Naum quero – Ângela diz e volta a se deitar na cama, escondida pelas cobertas.


Reviro meus olhos enquanto uma risada nasal escapa, às vezes esqueço que o homem bateria desse trio sou eu, levanto-me e pego Ângela que ainda estava deitada pela cintura, a colocando embaixo do meu braço esquerdo e seguindo até o banheiro, ligo o chuveiro novamente e deixo na água morna, temperatura que Ângela costuma tomar banho, coloco Ângela no chão do lado de fora da cabine de vidro e saio do banheiro, levando comigo a coberta da Ângela que acabou vindo junto.


Noto Matthew andando meio torto pelo quarto enquanto procura uma troca de roupas pra nós três, sigo arrumar a cama que o Matthew e a Ângela dormiram, aproveito que Matthew não está vendo, imito a voz do pato Donald.


- Matthew tá manco, pede minha vara no cu dele, mas aquele cuzinho não da conta da minha anaconda bahahaha – Digo e só consigo ouvir o Matthew vir puto pra cima de mim.


- Se tu não me arrombou ainda é por que dou conta sim seu cachorro desgraçado, mas com a força que tu tem lógico que deixa alguém aleijado, vai ficar sem me comer três dias filho da puta – Matthew esbraveja dando socos nas minhas costas, eu apenas me defendo com um travesseiro “eita seu policia, agredir pra que? Matei quem?”

8 de Julho de 2021 às 17:50 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Matthew Alencar

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 12 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!