teffychan Lilith Uchiha

Segundo a lenda do Tanabata Matsuri, Hikoboshi e Orihime eram duas estrelas apaixonadas que só podiam se encontrar uma vez por ano. Não era muito diferente com Naruto e Sasuke. Embora estivesse livre para ir e vir de Konoha quando quisesse, Sasuke visitava Naruto apenas uma vez por ano, sempre durante o festival Tanabata. Quase tão grande quanto o desejo de que Sasuke ficasse na vila, a curiosidade sobre a escolha daquela data crescia com o passar dos anos. Até que Sasuke decidiu lhe contar a verdade.


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Todos os direitos reservados

#nudez #sasunaru #narusasu #yaoi #homossexualidade #adultério #naruto #sasuke #tanabatamatsuri #oneshot
Conto
2
757 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único – Durante o Festival

O dia do Tanabata Matsuri estava se aproximando. Aquele era de longe o festival mais esperado em Konoha, famoso por sua bela história por trás dele. Muitas pessoas de outras vilas iam até lá naquela data, então era uma ótima oportunidade para os comerciantes ganharem um lucro extra.

Mas nada disso importava para Naruto. Aquela data era importante para ele também, mas por outro motivo. Era o único dia do ano em que ele aparecia.

Desde que deixou a vila após o fim da Quarta Guerra Ninja, Sasuke retornava apenas uma vez por ano para visitá-lo, sempre nessa data. Toda vez Naruto tentava convencê-lo a ficar, é claro, já tinha perdido a conta de quantos argumentos usou. Que ele já tinha obtido sua redenção. As pessoas da vila já o tinham perdoado pelos erros que cometeu na adolescência. Por sua família. Por ele.

Nenhum adiantou. Não importava para Sasuke se as outras pessoas já o tinham perdoado se ele não conseguia perdoar a si mesmo. E, quando Naruto soube que ele se divorciou oficialmente de Sakura alguns anos atrás por não achar justo que ela continuasse presa a alguém que estava sempre tão ausente, perdeu um de seus melhores argumentos.

Embora isso também tenha lhe dado uma pontinha de felicidade, não podia negar. Ele estava um passo mais perto de ficar ao seu lado como realmente desejava. Embora ainda houvesse vários outros impedimentos, é claro. Como seu próprio casamento.

Mas Naruto não queria pensar nisso, não agora. Hoje era um dia especial, o único em que poderia vê-lo. Tratou de terminar logo o trabalho em seu escritório e, ao entardecer, dirigiu-se até a entrada do festival. Havia dito para Hinata que trabalharia até tarde, por isso não poderia ir com ela. A culpa por mentir sempre o consumia, mas não havia muito que pudesse fazer. Já teria se divorciado também, mas Sasuke se recusava a ficar na vila com ele e Naruto não queria acabar com o casamento por causa dos filhos. Sabia muito bem como era crescer sem a presença de um pai.

Estava tão perdido em seus pensamentos que levou um susto quando sentiu uma mão apoiar-se em seu ombro. Virou-se para trás e sorriu ao ver a pessoa que não encontrava desde o ano passado.

— Está distraído demais. Se eu fosse um inimigo poderia ter te esfaqueado pelas costas e você nem saberia quem te acertou.

— Oi para você também — Naruto riu — O festival acabou de começar. Vamos?

Sasuke assentiu e o acompanhou. Apenas caminharam por algum tempo, observando a grande variedade de barracas. Naruto comprou vários doces e até brincou na barraca de pescaria e na de tiro ao alvo. Ganhou um boneco de raposa de pelúcia em uma e um pássaro não identificado na outra, que ele recusou várias vezes, mas os donos das barracas insistiram que ele levasse. Sasuke se rendeu ao festival e comeu takoyaki, já que não comia nada desde a hora do almoço. Mais tarde parou em uma barraca de ramen com sabores peculiares com Naruto e não perdeu a chance de caçoar dele por continuar comendo ramen mesmo depois de adulto. Quando ficaram com seus estômagos cheios, caminharam mais um pouco, tanto para fazer digestão quanto para irem até um local mais afastado.

Atravessaram todas as barracas até chegarem a um campo onde a grama era mais alta, com algumas flores que de alguma forma conseguiam sobreviver naquele terreno mal cuidado. Naruto se apoiou em uma cerca velha e observou as estrelas por um instante. O céu estava limpo, sem nenhuma nuvem. Não sabia o nome de nenhuma constelação, mas as várias estrelas acima deles pareciam tornar aquela noite ainda mais especial.

— Olha, Sasuke — ele chamou — As estrelas estão tão bonitas hoje.

— Elas sempre brilham mais do que de costume no festival Matsuri. Nunca reparou?

— Verdade… elas brilham mais quando estou com você. É quase como se estivessem comemorando a sua volta para a vila — Naruto enfim o encarou, dessa vez mais sério — Por que você não volta de vez, Sasuke? Volte a morar aqui na vila.

— De novo essa conversa? — Sasuke suspirou — Já disse várias vezes que não posso. Não depois de tudo que aconteceu… não tem perdão para o que eu fiz.

— Claro que tem! — Naruto discordou — Todos na vila já te perdoaram. Você cometeu erros, é verdade, mas, caramba, errar é humano. Todo mundo erra. E você viajou por tanto tempo… já teve sua redenção.

— Continuei errando mesmo depois disso — ele respondeu — Não deveria ter me casado com a Sakura… eu não criei minha própria filha, Naruto. Só fiz as duas sofrerem.

— Mas você se arrependeu e pediu o divórcio…

— Quer mesmo falar sobre isso agora? — Sasuke interrompeu — Como você mesmo disse antes, as estrelas estão lindas. E parecem ainda mais bonitas refletidas nos seus olhos — encarou os orbes azuis do homem no qual as estrelas se refletiam — É como se fossem o próprio céu estrelado.

— Você sabe mesmo como me deixar sem graça — Naruto sorriu, sentindo as bochechas esquentarem.

— Não era essa minha intenção. Mas você fica bonito assim corado — Sasuke sorriu de canto — Ainda mais bonito.

— Para de me provocar, seu idiota — Naruto deu um soco de leve no ombro dele.

— Não posso evitar, é divertido — Sasuke deu uma risada curta — Se não quer reviver os velhos tempos, então o que quer que eu faça?

— Você sabe o que eu quero…

Sasuke sabia. Isso porque ele desejava o mesmo. Era a única razão pela qual retornava à vila mesmo depois de tudo que aconteceu. Para ver Naruto. Para tê-lo apenas para si, nem que fosse só por uma noite.

Segurou a face corada e trouxe Naruto para mais perto, unindo seus lábios. Sentiu Naruto ofegar e deu um ínfimo sorriso. Era engraçado como, mesmo depois de todo aquele tempo, ele ainda se surpreendia com seus avanços repentinos.

Naruto logo amoleceu e se deixou levar. Não queria saber se era Hokage, se tinha responsabilidades com outras pessoas… não queria saber de mais nada. Seu único desejo era aproveitar ao máximo as poucas horas que tinha ao lado da pessoa que percebeu tardiamente que era seu verdadeiro amor.

Apoiou as mãos nos ombros de Sasuke e as deslizou devagar até enlaçar seu pescoço, puxando-o para mais perto e aprofundando o beijo. Deixou escapar um gemido baixo quando Sasuke começou a brincar com sua língua, provocando-o. Ele sempre fazia isso… provocava-o de todas as maneiras possíveis, exatamente como quando eram mais novos. Exceto que o nível de provocação havia mudado de uma maneira inesperada.

A mão de Sasuke deslizava pelo seu corpo com agilidade, acariciando suas costas até enlaçar sua cintura. O corpo de Naruto se arrepiava diante dos toques dele. Não percebeu quando exatamente havia tirado a capa de viagem que Sasuke trajava, nem quando começou a desabotoar sua camisa, mas, quando deu por si, já estava acariciando o peito seminu do homem. Afastou-se brevemente, tanto por necessitar repor o oxigênio quando pela surpresa com o que havia feito.

— Não se preocupe Naruto — Sasuke sorriu, igualmente ofegante — Não há restrições essa noite. Podemos fazer o que quisermos… pelo menos hoje.

— Ninguém vai saber, não é?

— Eu não tenho para quem contar — Sasuke deu uma risada amarga.

— Muito engraçado — Naruto não conseguiu evitar uma risada também — Só hoje… podemos ser nós mesmos — acariciou os cabelos de Sasuke e voltou a beijá-lo.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




— Naruto. Naruto, acorde.

Naruto piscou várias vezes, sonolento. Teve um sonho maravilhoso do qual não queria acordar. Sasuke havia retornado para a vila, eles estavam juntos e não precisavam mais esconder seus sentimentos de ninguém…

Quando abriu os olhos e viu Sasuke observando-o percebeu que não foi um sonho. Pelo menos não tudo.

Ainda estavam no mesmo campo da noite anterior. Naruto estava deitado na grama, enrolado na capa de viagem de Sasuke.

— Sasuke? — ele chamou sonolento — O que aconteceu?

— Quer mesmo que eu narre o que aconteceu na noite passada? — ele ergueu uma sobrancelha.

— Não, obrigado — a dor que Naruto sentiu no traseiro quando se sentou refrescou sua memória. Notou então que estava usando apenas a capa de Sasuke — Minhas roupas…

— Aqui — Sasuke apontou para o lado — Deveríamos ter escolhido um lugar melhor para fazer isso.

— Ainda dá tempo. Se não me engano tem uma cabana abandonada a alguns metros daqui…

— Eu preciso ir embora, Naruto — Sasuke interrompeu — Só te acordei porque não podia largar o Hokage dormindo pelado no meio da grama. E você estava em cima da minha capa.

— Por que precisa ir tão rápido? — Naruto perguntou, já vestido — Não pode ficar mais alguns dias?

— Desculpe, mas eu realmente não posso — ele negou enquanto colocava a capa — O sol já está nascendo, quero começar minha viagem cedo.

— Por que toda essa pressa para viajar?

— Eu é que me pergunto como você consegue não ter pressa — Sasuke falou — Que desculpa deu em casa? Que ia trabalhar até tarde? Shikamaru pode te desmentir.

— Maldição, você está certo — Naruto praguejou — Preciso voltar, e rápido. Desculpe, Sasuke, agora eu é quem preciso ir.

— É melhor se apressar — ele deu meia-volta, esforçando-se para ignorar o fato de que havia outra pessoa esperando por Naruto em casa.

— Sasuke! — Naruto chamou antes que ele partisse e Sasuke virou-se novamente — Nós… vamos nos ver de novo, não é?

— É claro. Você sabe que eu adoro o festival Tanabata de Konoha — Sasuke sorriu.

Era mentira. Sasuke não era fã de festivais. Gostava apenas do que encontrava neles. Ou melhor, de quem ele encontrava no festival Tanabata.

Sasuke segurou Naruto pelos cabelos e o puxou para um beijo curto e inesperado. Eles não costumavam fazer isso quando se despediam, então Naruto sentiu um arrepio percorrer sua espinha com o gesto. Só durou alguns segundos, mas foi tempo o suficiente para Sasuke beijá-lo com volúpia, arrancando-lhe um gemido rouco ao morder seu lábio inferior antes de soltá-lo.

— Até o ano que vem, Naruto — Sasuke sorriu uma última vez antes de partir.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




Um Ano Depois



Naruto deixou o escritório mais cedo, coisa que raramente acontecia. Não se deu ao trabalho de inventar desculpas dessa vez, se alguém perguntasse, diria que estava indo ao festival. Ninguém podia condená-lo por querer aproveitar um pouco a noite e se divertir também, o festival Tanabata era famoso em Konoha afinal. E ninguém precisava saber com quem ele ia se encontrar.

Sasuke chegou primeiro dessa vez e o esperava no lugar de sempre. Naruto sentiu o coração dar um salto quando o avistou e apertou o passo. Sentiu uma saudade enorme dele durante o tempo em que não se viram, mas, agora que ele estava diante de si, parecia que tinham se visto ontem.

— Há quanto tempo, senhor Hokage — Sasuke brincou — Não baixou a guarda como da última vez. Muito bom.

— Para você me assustar e me acertar por trás? — Naruto ergueu uma sobrancelha — Não mesmo.

— Eu sempre te acerto por trás — Sasuke sussurrou no ouvido dele — E você gosta.

— Sasuke! — Naruto recuou um passo, sentindo as bochechas queimarem — Aqui não — ele olhou para os lados preocupado, mas ninguém estava prestando atenção neles.

— Desculpe, eu me empolguei — Sasuke conteve uma risada — Então, vamos? A noite só está começando.

Caminharam sem pressa por algum tempo, cumprindo o que havia se tornado uma espécie de tradição anual entre eles. Até que Naruto pediu para Sasuke acompanhá-lo até um lugar. Ele estranhou um pouco o pedido, não tinham visitado nem metade das barracas ainda, mas concordou. Caminharam em silêncio por alguns minutos, cruzando o campo onde ficaram juntos no ano passado em que a grama estava ainda mais alta, subiram uma ladeira até chegarem a uma pequena cabana de madeira vazia.

— Lembra que eu havia dito que tinha uma cabana vazia nessa região? — Naruto recordou ao adentrarem o local — Aqui está ela.

— É, você tinha razão — Sasuke deu uma breve olhada ao redor. Não tinha muita coisa ali. Uma lareira, um sofá velho e um cobertor em cima dele. Parecia abandonada, exceto que estava tudo limpo — Então, por que a pressa? Nem comemos ramen dessa vez.

— Ainda está com fome? Tenho um pouco de takoyaki que comprei para viagem, pode comer se quiser — ele ofereceu — Ou você… está com fome de outra coisa?

— Uau, é sério isso? — Sasuke riu, surpreso com a forma como Naruto estava agindo — O que aconteceu com você?

— Estou com saudades de você — Naruto apoiou a mão no ombro dele enquanto a outra afagava os fios negros — Seu cabelo está mais comprido do que eu me lembrava.

— Pois é, eu preciso cortar.

— Porque você gosta dele mais curto? Ou para deixar do jeito que eu me lembro? — Naruto indagou — Sasuke, eu fico feliz que você continue voltando para me visitar, mas uma vez por ano já não é o bastante. Estou perdendo todas as mudanças que estão acontecendo na sua vida…

— Que mudanças? O meu cabelo crescendo?

— Não, seu idiota! — Naruto afastou-se dele — Eu te amo, e isso significa que quero envelhecer ao seu lado. Quero passar todos os dias da minha vida com você.

— Sabe que isso é impossível. Você é casado…

— Eu me separei da Hinata — Naruto interrompeu, deixando-o boquiaberto — Pedi o divórcio poucas semanas após o nosso encontro no ano passado.

Sasuke não sabia como reagir. Não podia dizer “sinto muito” porque não sentia nada. Na verdade estava feliz em ouvir isso. Era egoísta e cruel ficar feliz pelo fim do casamento de uma pessoa, ele sabia disso, mas, considerando que ele era o amante da história, não conseguia evitar de ficar feliz.

— Por que fez isso? — perguntou por fim.

— Percebi que estava cometendo o mesmo erro que você — Naruto explicou — A Hinata estava presa a mim, mas eu nunca dei a atenção que ela merecia, nem às crianças. Passava mais tempo no trabalho do que em casa e fazia isso inconscientemente para evitá-la. Acabei evitando até as crianças por causa disso… céus, sou um péssimo pai — Naruto passou a mão pelos cabelos — Eu nunca amei a Hinata de verdade e demorei tempo demais para perceber isso. Ela é uma pessoa legal, não merece ficar presa a um casamento sem futuro. Por isso pedi o divórcio. Para que ela também tenha uma chance de encontrar alguém que a ame de verdade.

— Isso foi bem legal da sua parte — Sasuke comentou — Agora entendo porque a Sarada disse que o Boruto parecia menos estressado.

— O que? Quando ela disse isso? — Naruto indagou confuso — Ou melhor, quando você falou com a Sarada?

— No mês passado — Sasuke revelou, deixando-o boquiaberto — Eu venho visitar a minha filha também, Naruto. Só não parei para cumprimentar você.

— Não acredito que veio até a vila e não falou comigo!

— Bem, eu não podia simplesmente invadir o escritório do Hokage em plena luz do dia, não é? — Sasuke argumentou — Eu passei a visitar a Sarada com mais freqüência depois do divórcio, apenas não te contei… irônico, não é? — ele riu — Enfim, ela me disse que o Boruto parece mais aliviado ultimamente. Parece que a mãe dele estava triste com alguma coisa, mas agora não está mais.

— Ela deve estar aliviada por ter se livrado do peso daquele casamento sem futuro — Naruto suspirou.

Encarou Sasuke com atenção mais uma vez, pensando em qual argumento poderia usar para convencê-lo a ficar. Não havia mais nenhuma barreira impedindo-os de ficarem juntos, mas Sasuke sempre encontrava algum empecilho.

— Por que você não fica comigo, Sasuke? — Naruto indagou — Fica de vez.

— Quantas vezes preciso te dizer que não posso?

— Por que não? — Naruto exclamou — Você está divorciado há anos, eu também me divorciei… se conversarmos com as crianças, tenho certeza de que elas vão entender…

— Não é isso, Naruto — ele interrompeu — Quero dizer, também têm as crianças, porém é mais do que isso.

— Então qual é o problema?

— Sabe por que eu sempre venho te visitar no festival Tanabata? — perguntou, olhando para o céu estrelado através da pequena janela.

— Por que você gosta de festivais? — Naruto arriscou. Ele sabia que era mentira, mas Sasuke sempre falava isso.

— Não — Sasuke riu — É justamente por ser o festival Tanabata. Conhece a lenda por trás dele, Naruto?

— Só por alto.

— De acordo com a lenda, Hikoboshi e Orihime eram duas estrelas que se apaixonaram perdidamente. Tanto que a vida de ambos girava apenas em torno do belo romance, deixando de lado suas tarefas e obrigações diárias. Indignado com a falta de responsabilidade do jovem casal, o pai de Orihime decidiu separar os dois, obrigando-os a morar em lados opostos da Via-Láctea — Sasuke contou, ainda admirando o céu. Na verdade observava duas estrelas específicas — A separação trouxe muito sofrimento para Orihime. Quando percebeu sua tristeza, seu pai resolveu permitir que o casal se encontrasse, porém somente uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês, desde que cumprissem sua ordem de atender todos os pedidos vindos da Terra nesta data.

Sasuke terminou sua história e virou-se para encarar Naruto.

— Essa lenda se parece muito com a nossa situação. Você acaba deixando suas tarefas como Hokage e como pai de lado por minha causa… não que eu esteja reclamando, mas eu me sinto culpado, entende? — tentou explicar — E o mesmo acontece comigo. Já perdi a conta de quantas vezes deixei de lado minhas obrigações como pai para poder te ver… céus, eu nem vi minha filha crescer — ele passou a mão pelos cabelos — Sem falar nos erros amadores que cometi em missões por ter me distraído porque estava pensando em você…

— Você fica pensando em mim, é? — Naruto perguntou. Não conseguiu evitar de ficar feliz com isso.

— Claro que penso. Todos os dias — Sasuke admitiu — Só de pensar em você já me distraio facilmente, imagina se nos víssemos com mais freqüência? É por isso que eu tenho vindo visitar a Sarada sem te dizer nada.

— E também é por isso que você decidiu que só deveríamos nos encontrar uma vez por ano? — Naruto perguntou.

— Sim — ele assentiu — Para garantir que iremos cumprir nossas obrigações ao invés de esquecer da vida e ficar pensando somente um no outro… como aconteceu com Orihime e Hikoboshi.

— Sasuke, é até legal da sua parte querer garantir que vai cumprir suas obrigações a qualquer custo… mas nunca parou para se perguntar o que eu quero? — Naruto indagou, tentando controlar a irritação em sua voz — É lógico que vou jogar tudo para o alto para te ver, isso é porque você só aparece uma vez por ano. Agora, se eu soubesse que você vai estar em casa quando eu sair do escritório… ou que pode voltar de uma missão a qualquer momento e me fazer uma surpresa… é claro que eu me empenharia em terminar o trabalho mais rápido para sair cedo e poder te ver. Eu faria isso todos os dias para passar o máximo de tempo possível ao seu lado.

— Acha mesmo que conseguiria fazer isso? Você sempre saiu tarde do escritório — Sasuke alfinetou.

— O motivo é outro e você sabe — Naruto resmungou — Vamos lá, Sasuke, volte para a vila de uma vez. Eu estou morando sozinho agora, então você pode ficar na minha casa se quiser. Amanhã pensamos em como vamos contar…

— Eu tenho uma ideia melhor — Sasuke interrompeu — Que tal parar de pensar no amanhã e se concentrar no agora?

Antes que Naruto entendesse o que ele queria dizer, Sasuke o segurou pelos cabelos e o puxou para um beijo. Naruto ofegou de surpresa e inicialmente tentou resistir, ainda queria conversar sobre o assunto, mas as carícias de Sasuke fizeram com que se rendesse. Ele o beijava com voracidade, a língua quente invadindo sua boca enquanto a mão escorregava até o quadril. Naruto agarrou a frente das roupas dele com força, tentando manter sua sanidade. Queria resolver aquele assunto, desejava mais do que qualquer coisa que Sasuke ficasse na vila de vez. Mas estava com tanta saudade dele que as necessidades do seu corpo começavam a falar mais alto.

— Sasuke — ele chamou quando encerraram o beijo — Precisamos conversar sobre o que vamos fazer amanhã…

— Não precisamos não — ele discordou, baixando a gola da camisa de Naruto e beijando-lhe o pescoço — Esqueça o amanhã, Naruto. Você tem problemas maiores para resolver agora.

— O que? — Naruto piscou confuso por um momento, até que olhou para si mesmo e corou — Ah… quando foi que…?

— Está vendo o que eu disse? Você se distrai tão facilmente que sequer percebe as coisas que acontecem ao seu redor… nem as que acontecem com você — Sasuke o empurrou contra o sofá e exibiu um sorriso travesso — Bem… é como eu disse antes. Eu sempre te acerto por trás.






~~~~~X~~~~~X~~~~~




Um Ano Depois




— Tem certeza de que eles vão ficar bem com vocês? — Naruto perguntou — Ainda é cedo.

— Não se preocupem, não queremos atrapalhar — Hinata sorriu.

— Vocês não atrapalham — Sasuke discordou — Também merecem aproveitar o festival.

— Muito gentil da sua parte dizer isso, mas quero aproveitar o resto do festival com a Sarada — Sakura respondeu.

— Tchau papai! — Sarada despediu-se, acompanhada da mãe.

— Não queremos segurar vela! — Boruto exclamou.

— Ei! Mais respeito, moleque! — Naruto ralhou, mas ele já tinha se afastado junto com Hinata e Himawari.

Um verdadeiro milagre aconteceu no festival Tanabaka do ano passado. Mesmo após Sasuke ter feito de tudo (tudo mesmo) para que Naruto esquecesse do assunto sobre ele ficar em Konoha, Naruto persistiu na conversa quando amanheceu. E Sasuke não podia negar que os argumentos que ele havia usado na noite anterior eram válidos.

Aceitou fazer um teste. Disse que ficaria na vila durante um mês, morando em casas diferentes. Se isso não interferisse nas tarefas e responsabilidades de nenhum dos dois, então se mudaria de vez. Os argumentos de Naruto se provaram corretos e atualmente os dois estavam morando juntos.

Eventualmente precisaram contar sobre o relacionamento deles para seus filhos. Boruto ficou genuinamente surpreso. Nem zangado, nem feliz, nem triste por Naruto ter deixado sua mãe para ficar com outra pessoa… apenas surpreso. Demorou bastante tempo para processar a informação. Sarada disse que já desconfiava que seu pai sentia algo além de amizade por Naruto, mas ninguém sabia se ela estava dizendo a verdade ou se só estava se fingindo de esperta. Himawari era pequena demais para entender o que estava acontecendo e pensava que os dois apenas dividiam a mesma casa.

— Acalme-se, Naruto — Sasuke pousou a mão no ombro dele, rindo de sua expressão irritadiça — O Boruto só estava brincando.

— Eu sei, mas… esse menino é tão mal educado — ele reclamou.

— A quem será que ele puxou, né?

— Como é? — Naruto o encarou de cara feia.

— Nada não — Sasuke se fingiu de desentendido — Olha, takoyaki — apontou para a primeira barraca que viu — Você quer? — estendeu a mão.

— É claro — Naruto segurou a mão dele e sorriu.

Pela primeira vez em anos aquele era o primeiro festival em que poderiam passear com calma. Podiam aproveitar a noite como quisessem, pois Sasuke não iria embora no dia seguinte dessa vez. As coisas podem não ter acabado bem para Hikoboshi e Orihime, mas, de alguma forma, Naruto e Sasuke conseguiram equilibrar suas responsabilidades para que enfim conseguissem ficar juntos. E Sasuke tinha certeza de que, lá em cima, no meio de tantas estrelas, Hikoboshi e Orihime estavam olhando pela felicidade deles. Pois estavam se encontrando esta noite também.



_______________________


Notas Finais:

Essa história também foi postada no Nyah! Fanfiction, Spirit e no Ao3.




7 de Julho de 2021 às 17:50 0 Denunciar Insira Seguir história
3
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~