knewpan Pan 🐾

Um orfanato exilado pode trazer grandes curiosidades, descobertas e até mesmo traumas. E várias das vezes fazer-lhe ter sempre um ponto de interrogação sobre si em relação ao imóvel. Aquele imóvel, em específico. A Interpol está à frente do caso, um ano desde que uma informação foi lhe dada por um telefonema anônimo. Diziam-lhe que, coisas hediondas eram praticadas naquele lugar. Um lugar onde deveria haver paz e conforto. Misteriosos desaparecimentos ocorrem há 2 anos e ninguém sabe ao certo, o motivo de um lugar que busca lar para essas crianças, darem cabo de suas vidas de uma maneira desconhecida. Documentos mostravam que, de fato, estavam adotando crianças. Qual seria o motivo para tanto alarde? Um inquérito de busca aberto, poderá ser a esperança para que aqueles que nunca passaram da área 33, pudessem ver um céu límpido, fora de toda a supervisão de pessoas impetuosas. #achocolatadoFrio [ UNIVERSO FICTÍCIO ] [ LongFic ] Jktop| Jmbottom


Suspense/Mistério Todo o público.

#suspense #BTS #Jimin #Jungkook #kookmin #Jikook #bangtan
5
821 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

🍫

— Jungoo... - Um bico pidão formava-se em seus rosados lábios, enquanto suspendia a força de seu corpo na maçaneta da porta negra diante de si. Estava definitivamente entediado. — Por favor, dê atenção ao seu Jiminie?


Suas mãos soavam em tamanho anseio de Jungkook. Jimin não sabia descrever a vontade que tinha de estar na presença do moreno, apenas esperava-o todos os dias em frente a porta.


Jungkook ouvia tudo do lado contrário com um sorriso ladino em seus lábios. Amaldiçoava-se por não poder inteirar o desejo de seu pequeno. Não poderia adiar mais seus afazeres, de jeito algum. Porém, do outro lado da porta, havia a sua maior prioridade.


— Eu... eu vou comer todos os doces de chocolate do pote em cima da geladeira. - Jimin estava emburrado. Cruzou os braços e deu língua para a porta.


— Eu vi isso, Jimin. - Abriu a porta rapidamente e olhou-o com uma sombracelha arqueada.


— Hm... não viu nada. - Deu de ombros.


— Amorzinho, preciso terminar de revisar algumas fichas, prometo te dar toda a atenção que merece.


— E-eu posso ficar aí com o Kookie! Assim, nenhum fica sozinho! - Jimin sorriu alegremente, formando dois riscos em seus olhos. Uma feição amável.


— Sabe que não pode entrar aqui.


— Tá' vendo...? - Jimin se encolhe aos poucos, abaixando sua cabeça em seguida. — Você não gosta mais de passar tempo comigo. - Apertava seus dedos fortemente para oprimir a vontade que estava de abraçar o maior. Achava que não merecia.


— Não é isso, é só que... - Calou-se. Detestava o fato de que: em meio a discussões com Jimin, sua cabeça parecia ter sido preenchida por um imenso vácuo, sem nada a pensar. Sabia que nada do que falasse agora, poderia esquentar o coração do garoto no momento.


— Me dá seu dedinho. - Jimin esticou a mão a cima de seu nariz, ainda que com lágrimas, queria fazer um pedido. Jungkook não hesitou, logo ergueu o dedo citado, um pouco recuso, mas queria lhe proporcionar alegria nem que fosse minimamente. Jimin então, o entrelaçou no do contrário, fazendo assim, um pequeno cruzamento dedal.


— Não fale mais com o Jimin ou se dirija a ele, e-estou chateado com você. Não tem mais tempo para mim oi, o que significa que... que... - Jimin apertou ainda mais sua mão esquerda, continha o costume de aperta-la tão fortemente quando estava nervoso, que sua carne passava para uma coloração branca e, já estava deixando Jeon um tanto confuso e preocupado. — Que não me ama mais…..


— Jimin, deixe de ser dramático. Fazem apenas 30 minutos que estou longe de você. Mal trabalhei. - Jungkook queria cair na risada, tinha noção do quão carente era Jimin. Ou o quão sua carência poderia aumentar em um nível perturbador. Mas as vezes, chegava a ser engraçado para ele. — Ok, ok. Vamos ficar mais um tempinho juntos, sim? - Jimin levantou a cabeça e acenou positivamente. Limpou as gotículas de lágrimas no canto de seus olhos e o fixou.


— T-tá, mas faz cookies pra' mim Jungoo? - Pediu.


— Então me perdoa? - O bico que formou-se em seus lábios, amoleceram o coração do pequeno Park.


Responder a uma pergunta com outra pergunta, que estranho.


— Infinitamente, sim!


O maior sorriu. — Então, me dê só um minuto. - virou-se para a porta e a trancou com sua digital.


Jimin correu em disparada para a cozinha, era incrível como seu humor mudava freneticamente apenas com um pequeno mimo.


Na cozinha, Jimin encontrava-se escorado na cadeira, com um avental de urso polar.


— Quer me ajudar a preparar a massa? - Perguntou. O barulho da colher batendo no pote enquanto fazia a mistura, chamavam bastante a atenção de Jimin.


— Quero sim! - Recebeu o pote, e começou a mexer a massa devagarinho, sempre com cuidado para não correr o risco de transbordar para fora e sujar a bancada.


— Não, mexa mais rápido, se não as bolhas não se dissolverão. - Jimin arqueou uma sombracelha, demonstrando total confusão ao dizer de seu Hyung.


— Eu não sei cozinhar, Kookie. - Revelou. Deixou de lado a colher e pôs as mãos sobre suas coxas.


— Assim. - Dirigiu-se até Jimin e, pegou em suas mãos. Seu toque era leve e suave, suas mãos pareciam conter o calor de um lençol quentinho para o pequeno. — Segure na colher firme. Está firme? - Jimin assentiu. — Pois então, vire um pouco a vasilha e gire a colher no fundo da mistura, depois comece a bater bem forte, para que aquelas bolhinhas ali, não estejam mais à vista.


Jungkook movimentara as mãos de Jimin com precisão contra o pote. O outro observava as ondulações que se formavam no fundo quando o maior fazia movimentos circulares com a colher na mistura a todo momento, sem perder um detalhe sequer. E aquilo para si, parecia ser demasiado satisfatório.


— Meus braços cansaram. - Jungkook admitiu. — Pode tentar agora?


— Sim senhor! - Engrossou sua voz, encheu o peito e fez sinal de continência.


— Certo. O fogo precisa estar preaquecido a 250°.


Jimin distraiu-se e, um pouco da mistura o atingiu no rosto enquanto a mexia. Um acontecimento um tanto previsto.


— Por que você sempre se lambuza? - Jungkook pegou um guardanapo calmamente, e foi até ele segurando em seu queixo.


— E-eu não queria Kookie. - Jimin sorri. Podendo ver o rosto de Jeon tão perto, não perderia essa oportunidade. Sujou seu dedo com um pouco da mistura e atreveu-se a passar no nariz de Jungkook, o fazendo fechar os olhos e prensar ambos os lábios.


— Ah seu sapeca. Quer brincar? Então vamos brincar. - Sujou três de seus dedos e passou rapidamente na testa de Jimin, que ameaçava correr antes do feito.


— Hm... - Jimin fez um bico brincalhão. — O Jungoo anda muito pálido ultimamente... - Andou para o outro lado da bancada, tocando no pote de chocolate em pó, girando seus pequeninos dedos nas superfícies do vidro. Jungkook arregalou os olhos espantado.


— Não atreva-se! - Jungkook apontou um dedo para outro, demonstrava sua frustação em relação à isso.


Jimin pôs quatro de seus dedos no interior do pote, fazendo o pó transbordar por seus dedos em sua mão cheia pelo tal. — Jungkookie... Vem dá um beijinho no seu Jimin-ssi. - Tocou em sua boca, fazendo uma feição brincalhona.


— Este beijo, recuso. - Correu em direção ao fogão que ficara do outro lado da cozinha, em seguida, alcançou sua tábua de madeira para usar em sua defesa.


— Tá bom, tá' bom. O Jimin não vai mais te sujar Kookie. - soltou o pó novamente dentro do pote, batendo seus dedos uns nos outros para retirar os resquícios.


Jungkook aproximou-se do garoto acreditando em sua confirmação.


Porém, Jimin agilisou-se, atirando o pó escuro no que chegava sorrateiramente atrás de si. Jungkook fechou os olhos e começou a gritar em reclamação, ajeolhou-se, demonstrava dor em sua face e isso preocupou Jimin.


— Jungoo! - Correu até o maior ajoelhado, logo em seguida, passou suas mãos trêmulas e preocupadas na frente dos olhos de Jungkook. — E-era só uma brincadeira Jungoo, por favor, perdoa o Minie. Eu-, eu vou lavar com água. Com água irá sair...


Jungkook agarrou os braços de Jimin, o puxando para baixo de si. O menino se assustou com o ato repentino.


— Acha que pode brincar comigo mocinho? - Balançou sua cabeça negativamente e o olhou sério. — Não pode.


— Jungoo... - O bico que formava-se quando seu nome era proferido, era muito convidativo.


— Como quer sua punição?


— Pu-punição? Kookie era só uma brincadeira, não era para machucar. - Virou o rosto, estava decepcionado consigo. Envergonhado de fato.


— Já sei. - Deslizou seus longos dedos pela cintura do menino e os parou ali.


— Ko-kookie o que vai fazer? - Jimin estava com receio do que o maior poderia começar ali.


— Apenas relaxe...


Pressionou seus dedos ligeiramente na pele do garoto, subindo e descendo rápido, arrancando-o uma série de gargalhadas em seguida. Jimin detestava cosquinhas e Jeon sabia disto muito bem. Subiu para as axilas e as fechou, tentando conter seus dedos presos lá para não se moverem.


Suas pálpebras estavam tão apertadas que mal conseguia ver o que acontecia, apenas sentir. Lágrimas de risos escorriam pelo canto de seus olhos.


— Para. - Jimin falava em meio aos risos, enquanto debatia-se com suas pernas para Jungkook sair de cima do mesmo. — Para, para.


— Bom né? É essa, a sensação que sinto... quando você vem fazer cosquinhas em meus pés.


Jungkook parou após muita insistência, sua punição estava claramente dada. Agora, ele admirava Jimin deitado abaixo de si, o chocolate em sua testa estava escorrendo para o seu cabelo, e sabia o trabalho que teria para tira-lo dali caso secasse.


— Você é muito bonito Jungoo. - Passou seus dedos no nariz do mesmo, limpando o risco de mistura que tinha passado anteriormente. — Mesmo com chocolate no rosto. - Lambeu seus dedos e o olhou sorrindo genuíno. — Tá uma delícia Kookie. Ainda vai fazer os cookies?


Jungkook não deu-lhe resposta, apenas prendeu-se em sua visão, não queria parar de admirá-lo, nenhum minuto sequer, poderia olhá-lo em seus pequenos olhos por horas sem parar. Tinha a sensação de que: perderia minuciosos detalhes se desviasse seu olhar por 2 segundos.


Sua boca parecia ter sido desenhada da tinta mais rica e fina já produzida, a coloração era perfeita e sua definição lhe enlouquecia. O volume de seus lábios eram tão harmoniosos com seu rosto, e suas bochechas lotadas de sardas só o deixavam mais adorável. Amava cada centímetro de pele, cada ponto de suas sardas, cada milímetro de sua cavidade bucal. Era tudo minuciosamente delicado.


Aproximou-se devagar do menino a centímetros abaixo de si, que o olhava gentil em seus olhos, brilhando e ansiando a expectativa do que Jeon estava preste a fazer.


Cuidadosamente, esfregou a ponta de seu nariz na bochecha de Jimin, fazendo-o ouvir de perto seus suspiros pesados - eriçando todos os pequenos pelos dos braços do mencionado - beijou demorado aquela região e assim, fez uma trilha desengonçada de beijos em sua bochecha, nariz e queixo. Fazendo o menor sorrir com o cuidado que estava sendo lhe adicionado naquele momento.


Uniu seus lábios e deu pequenos selinhos, calmos e relaxantes. Ambos sentiram o calor de suas bocas juntas, era demasiado prazeroso. Um segundo depois, iniciou-se um ósculo definitivo e intenso.


Os lábios de Jimin eram como marshmallow's: doces, macios e chamativos. Jungkook se deleitava por tamanho desejo que possuía.


Jimin permitiu que sua língua tomasse conta da situação. A movimentação parecia automática, o fervor de seu corpo e os arrepios só o faziam quere-lô mais e mais. Nunca se separar, nunca parar.


Suas pequenas mãos passearam por todo o torso de Jungkook, arranhando-o levemente suas costas, tinha receio de machucá-lo com suas unhas por um instante.


Jungkook por sua vez, separou-se do acastanhado com selinhos molhados e estalados.


— Não consigo parar de te desejar, é tão louco e intenso. - As batidas de seu coração entravam em balbúrdia quando olhava-o. Era inegável seu desejo. — Por que faz isso?


— Não entendi, Jungoo. - Jimin franziu o cenho.


— Sua boca, sua pele, seu cheiro. Tudo em você me instiga a quere-lo mais.


— Continuo sem entender. - Jimin passou seu polegar suavemente sobre a bochecha de Jungkook. Suas falas poderiam de todo modo quebrar o clima estabelecido, porém, Jungkook parecia não importa-se muito. — Ainda vai preparar os cookies, Kookie? - O tom usado fôra pidão, e manhoso. Era impossível negá-lo algo.


— Sim, irei. - Deixou um beijo casto em seu queixo e emergeu seu corpo com cuidado, tirou seu peso de cima de Jimin e o ajudou a levantar.


— Vou assistir TV. - O pequeno apoiou-se em seus punhos para poder ficar em pé.


Jogou seu avental sobre a bancada e bateu em disparada.


— Docinho os cookies estão... - Jungkook piscou freneticamente. — Prontos... O que está aprontando? - Aproximou-se cautelosamente de Jimin com uma bandeja laranja em mãos. Lá estavam os cookies preparados outrora e um copo de leite fervido.


— Olha Jungoo, desenhei: eu, você, o Moortjen, o Alexander e a titia Cora. - falava enquanto apontava com o lápis a cada indivíduo desenhado ali com suas mãos dadas. Jungkook quase não movia-se, seus lábios estavam entre abertos e seus olhos fixados na mesinha de centro. Jimin era de todo modo adorável. — Porque são a minha família.


Queria pegá-lo em seus braços e girá-lo até cair no chão. De uma forma segura, claro.


— Não gostou né? - Jimin fez careta. — É, eu sei, tá muito ruim. Mas quem sabe eu não melhoro?


— Não... tá incrível. Tá muito lindo mesmo, meu amor.


— Sério? Es-espero que não se importe por ter usado os lápis de colorir da sua escrivaninha.


— Tudo bem, tudo bem. - Sentou ao seu lado, pondo a bandeja sobre a mesinha onde tinham diversos lápis espalhados, e folhas esparramadas, logo após, pôs seu braço em volta da cintura do menor. — Então, aqui sou eu? - perguntou e Jimin acenou positivamente. — Por que me fez tão alto? Estou quase tocando nas nuvens. - Jungkook fez um bico em reclamação.


— Porque... - Jimin deu uma grande golada no leite, o bebendo quase por inteiro em uma só vez. — Porque você é alto Jungoo. Muito, muito alto. Mesmo que eu, fique na pontinha dos pés, ainda não consigo tocar seu nariz.


— E por que me deixou tão colorido?


— Você só usa preto... preto é chato. - Jimin cruzou os lábios. Mordiscou um dos biscoitos a sua esquerda enquanto gesticulava.


— Tá... Mas precisava das flores?


— Você gostou ou não Kookie? - Olhou incrédulo para seu Hyung. Jungkook notou um risco branco sobre seu lábio superior.


Deu-lhe um selar rápido, raspando sua língua logo em seguida para limpar o risco de leite.


— Hm... uma combinação perfeita em um só sabor. - Jimin corou respectivamente, detestava o fato de seu namorado ser sempre tão imprevisível. — Em relação ao seu desenho... - O contrário pressionou seu lábio inferior entre seus dentes. Em uma forma de análise. Ficaria nítido sua frustração caso ouvisse um claro e auditivo " não ". Contudo, Jeon não optou por esta resposta. — Eu amei, está digno de uma obra de arte. Quer por em alguma galeria?


Ambos sorriram, Jungkook analisou o local com cuidado, notando a falta de algo. — Onde está o Alexander? - Perguntou.


— Tá' aqui. - apontou mais uma vez para o desenho.


— Não este, seu bichinho de pelúcia. - Jungkook virou de costas e preocupou-se. Jimin possuía uma grande afinidade com sua girafa rósea de pelúcia, perde-lo para si, seria um pesadelo.


— A... - O menino vasculhou abaixo de si, até tocar em algo. — Tcharam! - mostrou sua pelúcia e a pôs em cima da mesa.


— A, ufa. Achei que tinha perdido.


Passou-se alguns minutos e Jimin havia deixado apenas migalhas sobre a bandeja, contava como tinha sido seu dia para Jungkook que focava em cada feição de Jimin.


Até bocejar e largar o lápis. Entendeu o recado.


— Irei te pôr na cama. - Segurou em sua mão e o guiou até as escadas. — Mas antes, escovar os dentes.


—A não Jungoo... aquela coisa branca arde... - Sua feição melancólica demonstrava o quão recuso estava. — Não quero.


— Deixe de birra. Bichinhos irão comer seus dentes se não escová-los. Quer isso? - Jungkook perguntava desafiador, sabia argumentar contra.


— Na-não... Bichinhos não. - Abaixou a cabeça silenciosamente e seguiu para o banheiro abaixo das escadas. — Vo-você vem? - Jungkook assentiu e logo após estava diante ao espelho fúlgido.


— Vamos, Jimin. Não terei a noite toda. - Falou sério, olhando-o fixamente pelo reflexo no espelho.


— T-tá'. - Jimin pegou trêmulo a escova em um tom magenta que possuía uma estrela bem desenhada em sua ponta.


— É só uma escova, Jimin. - Jungkook mostrava alteração em seu falar. Não estava-o assustando, apenas perdendo paciência.


— E-eu não gosto tá legal? - Jeon sem demora, pegou a escova das mãos do outro. Pôs um pouco da pasta ali, e rapidamente sentou-o no espaço vago que a pia tinha.


— Vamos, mostre os dentes.


— Não. - O resmungo forâ fofo, e seu bico era angelical.


— Apenas dê um lindo sorriso. - Sorriu, o que consequentemente, fez o menino sorrir em seguida. — Isso...


As escovadas eram sutis, segurava no queixo de Jimin a todo momento para que não corresse o risco de fechar a boca, no que resultou em um ótimo comportamento. O garoto ora sorria, ora botava a língua para fora.


— Não foi tão difícil. - Caçulou do mais novo. — Agora, cama!


Jimin pegou rapidamente Alexander de cima da mobília transparente, não seria hoje que dormiria sem seu bichinho preferido.


Quando já estava preste a dormir, abraçou-o fortemente como uma forma de descarregar toda a energia que lhe restava, para que assim, pudesse dormir tranquilamente.


— Dorme comigo, Jungoo?


O maior não ousou hesitar, afinal, nunca poderia negar um pedido feito tão singelamente. — Vamos dormir de conchinha.


Ajeitou-se próximo ao menor, e abraçou-o, afogando seu nariz nas madeixas escuras de Jimin.


— Jungoo... - Falou enquanto mexia nos pés de pano de sua girafa. — Por quê o nome é co-conchinha?


— Porque é como se estivéssemos de fato fazendo uma conchinha. Olhe - Respirou próximo a nuca do outro, escondendo seu rosto ali —, Sou a concha e você a pérola. Ou por estarmos tão espremidinhos uns nos outros, seja o motivo.


— A... Jimin gosta disso. É fofo. - Sorriu fraco.


Após alguns minutos, Jimin adormeceu. Jungkook tinha sua mente inquieta, não conseguiria pregar seus olhos sequer um noite. Era como algo dentro de si, alertando-o a todo instante, mas não sabia o que era de fato.


Então, afastou-se do moreno com cautela para não acorda-lo.


Desceu as escadas vagarosamente, observando cada centímetro daquele cômodo escuro com calma. Avistou o desenho que Jimin havia desenhado uma hora atrás. Apanhou-o e o pregou com imã na geladeira branca, onde encontrava-se vários outros. Ficou olhando-os com um sorriso ladino na face, e no mesmo instante o desfez.


— Será que estou fazendo a coisa certa, Jimin-ssi?


.................


Este foi apenas o prólogo, não demorarei para postar o 1 ep, e entenderem o rumo da estória.


Fiquem bem, e bebam água.💛

2 de Julho de 2021 às 18:43 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo [ I ] ▸ Alarde

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!