2minpjct 2Min Pjct

Quando o doce e sonhador Park Jimin decidiu — depois de muita insistência — ir ao parque de diversões com seu melhor amigo, Kim Taehyung, ele não esperava que sua vida estivesse próxima de dar uma grande reviravolta. Assim como não esperava que acidentalmente um bonito rapaz de cabelos negros, caísse — literalmente — sobre si enquanto ele apenas esperava sua vez numa fila. Rapaz esse que foi embora na mesma velocidade em que fez despertar sentimentos novos em Jimin, sensações que ele jamais havia experimentado. Contudo, aparentemente o destino estava a seu favor, pois logo pôde reviver essas emoções ao esbarrar no garoto de cabelo escuro novamente, agora no corredor da sua faculdade.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#taejin #clichê #sujim #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
0
555 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Escrito por: @_Hoseok12/@_Hoseok12

Capa por: @yoonckyn

Betagem por: @YinLua/@YinLua


Notas Iniciais: Estou muito feliz pois esse é o meu "debut" no projeto e minha primeira fanfic. Gostaria de agradecer às adms pelo convite e pela persistência de convencer a entrar no Projeto mesmo ainda estando insegura. À Noah (@minie_swag) por ter me ajudado sempre que precisava, se disponibilizando a tirar minhas dúvidas, à Lu (YinLua) pela betagem e dicas, pois sem vocês eu nunca teria conseguido, espero que gostem do resultado final.


~~~~

Narrador POV


Jimin sempre foi muito sonhador, acreditava que o seu amor verdadeiro um dia iria aparecer como nos filmes clichê que vivia assistindo por aí. Por esse motivo nunca quis se relacionar com ninguém, pois queria guardar toda sua pureza para sua alma gêmea. Sonhava em ter seu primeiro beijo com alguém especial para poder sentir as borboletas em seu estômago.

Veja bem: um jovem apaixonado por filmes, livros e séries de romance, via-se futuramente vivendo o seu próprio clichê. Ele era apaixonado pela ideia de ter suas primeiras vezes, sentir a corrente elétrica passar pelo seu corpo e ter seu coração disparando pela pessoa certa. Via seus amigos indo para festas, mas preferia ficar em casa, fazendo suas maratonas e ajudando sua mãe com as tarefas da casa. Ele era feliz com a sua rotina.

Num domingo, seu melhor amigo de infância, Kim Taehyung — um rapaz centímetros maior que si e de cabelos castanhos —, apareceu em sua casa para levá-lo a um parque de diversões que estava na cidade. Mesmo não querendo, aceitou a contragosto pois o mais novo sempre o acompanhava quando ele ia à biblioteca buscar mais livros.

Caro leitor, se Jimin soubesse que seu destino já estava com algo preparado para ele, não teria hesitado tanto em ir a aquele parque.

Quando Taehyung entrou no quarto, posicionou as mãos na cintura, dando um susto no mais velho entre eles. Ele respirou fundo ao perceber o melhor amigo deitado na cama.

— Meu deus, Taehyung, eu nem vi a hora passar. — exclamou Jimin ao olhar a hora e perceber que estava quase na hora de ir ao parque.

— Percebi, deve ter ficado a tarde toda lendo esses livros chatos. — falou o acastanhado, jogando-se na cama do mais baixo, levando um tapa do mesmo, que se levantou rapidamente.

— Não são chatos. — exclamou, emburrado. — Você que não tem bom gosto. — disse, caminhado para o guarda-roupa a fim de procurar algo adequado para o lugar que iriam.

— Hey! — exclamou, enquanto brincava com a almofada em cima do colchão. — Eu tenho bom gosto, sim, só não consigo me prender a coisas tão chatinhas. — disse, jogando no loiro. — E ande logo que eu não quero chegar atrasado.

— Tô indo, só vou tomar um banho rápido. — falou o menor, correndo para o banheiro com a roupa em suas mãos.

— Se apresse! — gritou para que Jimin o escutasse dentro do cômodo.

[...]

Jimin saiu do banheiro trajando uma camiseta amarela e uma calça preta rasgada enquanto secava seus cabelos com a toalha, causando risadas Taehyung por causa do claro desespero que se encontrava o menor.

— Calma, eu disse para andar, mas não precisar correr desse jeito, vai acabar caindo assim. Por mais que hospitais tenham médicos bonitões, eu ainda prefiro o bonitão que estará no parque.

Taehyung se levantou e pegou o pente para pentear os cabelos do mais velho, enquanto o menor calçava seus sapatos.

— Vamos. — disse Jimin, após se levantar.

— Passou desodorante, bebê? — Taehyung riu da careta que surgiu no rosto do mais baixo.

— Passei. — disse o loiro, revirando os olhos.

— E perfume? — indagou o acastanhado, segurando a risada.

— É sério isso? Tenho cara de quem anda fedorento?

Minnie jogou uma camisa no mais alto, que começou a rir.

— Vamos logo, tampinha. — disse Taehyung animado, levantando-se da cama.

— Para que essa animação toda? — falou o menor, fechando a porta do quarto.

— Ah, lembra do Seokjin da turma de gastronomia? — perguntou o acastanhado, descendo as escadas junto com o loiro.

— O bonitão? De ombros largos e boca carnuda pelo qual você baba todos os dias?

— Esse mesmo, ah aqueles ombros, aquela boca. — Suspirou.

— Ai, nem começa com teus surtos eróticos. Para, cara! — Jimin bateu no ombro do amigo. — O que tem ele? — perguntou. — Mãe, to indo! — gritou para que a sua mãe, que estava na cozinha, escutasse.

— Vão com Deus, meus anjos, eu amo vocês! — gritou a mais velha.

— Também te amo! — responderam em uníssono e fecharam a porta, seguindo seu caminho para o parque.

— Eu soube que ele vai estar lá e se tudo der certo, eu vou beijar aquela boca.

— Eu não vou segurar vela para você, Kim Taehyung! — disse Jimin, parando no meio do caminho.

— Que mané vela, garoto. — falou o acastanhado, virando-se para o amigo. — Você pode muito bem arrumar umas paqueras hoje, o parque vai estar cheio de boys lindos, quem sabe você não encontra alguém que te interesse.

— Dispenso. — respondeu, revirando os olhos.

— Qual é, Ji... Um beijinho não mata ninguém. — O acastanhado tinha as mãos em volta do rosto do menor.

— Você já sabe a minha opinião sobre isso. — respondeu simples, tirando as mãos do amigo de seu rosto, logo voltando a caminhar.

— Sei — disse, cansado, seguindo o amigo. — Você não vai ficar com ninguém até ter certeza que ele é a pessoa certa e blá blá blá, eu já decorei todo o seu discurso de "pureza". Entra nessa rua.

— Você sabe que eu não julgo você e os meninos por ficarem com quem quiserem e na hora que bem entender, mas eu não quero isso para mim. — disse o loiro, dando de ombros. — Eu quero algo diferente, quero alguém que me ame na mesma intensidade, que demonstre. Quero alguém que esteja ao meu lado assim como eu vou estar ao dele, quero algo sincero e verdadeiro.

— E você vai conseguir achar alguém assim, Ji. Você sabe que eu falo essas coisas brincando, né? Eu acho lindo sua maneira de pensar, e eu tenho certeza que o destino já escolheu alguém bem especial para você. — O acastanhado agora falava em um tom mais sério. — Por aqui.

— Às vezes eu tenho vontade de te matar, você me tirou do conforto do meu quarto e ainda me faz andar a pé! — disse o menor, dando tapas no amigo. — Eu juro que só não te mato porque eu te amo. E até o dia que o destino resolver trazer minha alma gêmea, eu vou continuar "puro". — Gesticulou com as mãos.

— Hey! Sua alma gêmea sou eu! — disse Taehyung, empurrando o loiro. — E o parque é aqui perto, seu sedentário, pare de reclamar e vamos logo com isso.

[...]

Os amigos chegaram no parque por volta das 17h25m. Jimin foi praticamente o caminho inteiro reclamando da distância, mas ao chegar em frente ao tal parque, calou-se ao ver a enorme quantidade de brinquedos que tinha no local. Começou a pular como uma criança, falando que só ia perdoar o mais alto se ele andasse em todos os brinquedos com ele.

Taehyung só conseguiu rir, mas concordou com o menor. Jimin era seu melhor amigo, sempre que precisava o menor estava ao seu lado, então nada mais justo do que andar em todos os brinquedos com ele.

Compararam as entradas e foram em direção ao carrinho de bate-bate. Logo após foram ao carrossel e continuaram indo em todos os brinquedos que Jimin escolhia. Estavam na fila da montanha russa quando Taehyung avistou o jovem alto de lábios cheios que roubava todos os seus suspiros. Ele estava indo em direção ao samba.

— É ele! — falou o acastanhado. —Ji... — pediu mentalmente para que Jimin o deixasse ir até o rapaz alto, olhando para o menor com carinha de cachorro que quer um pedaço da sua comida.

— Vai logo, seu chato, mas não demore muito, lembre-se de que você me prometeu andar em todos os brinquedos comigo.

— Ah, valeu, Ji! Eu volto já, e não se preocupe, promessa é promessa. — Jimin só balançou a cabeça em negação, voltando-se para a fila onde estava.

~

Jimin estava ansioso para chegar a sua vez, a fila em sua frente parecia não diminuir. Estava tão imerso que, quando tomou noção da situação, já estava no chão com um rapaz caído em cima de si. O tempo pareceu parar por alguns segundos quando olhou nos olhos daquele rapaz de pele pálida e cabelos negros que o olhava com uma expressão assustada.

Ele deu um pulo para trás, levantando de cima do menor, preocupado.

— Você está bem? — A voz grossa entrou em seus ouvidos.

— S-sim. — respondeu Jimin, brigando consigo mesmo por ter gaguejando.

— Vem, me dê sua mão.

O menor olhou para o rapaz que estava com a mão estendida em sua direção e tratou logo de pegá-la, não sem antes de notar o quão bem as duas se encaixavam. O que o menor não esperava era que uma onda elétrica percorresse seu corpo, fazendo assim o seu coração disparar.

Ele ficou imerso na sensação. Seus pensamentos estavam a mil por hora; era ele? Por que o destino escolheu um rapaz pelo qual Jimin não sabia de nada? Estava tão focado nos seus pensamentos que não notou que o rapaz de cabelos escuros falava com ele.

— Oi? Garoto? Você está bem? — O moreno olhava-o preocupado, balançando as mãos em frente ao seu rosto.

Jimin balançou a cabeça e logo respondeu.

— Ah, desculpe. O que você estava falando?

— Estava perguntando se você se machucou. Desculpe, eu não vi você, o idiota do meu primo saiu me puxando e quando eu percebi, já estava em cima de você. — explicou o de cabelos negros.

— Tudo bem. Não, não, eu estou bem. — respondeu o menor, meio desnorteado.

— Ah, fico feliz. — respondeu o de cabelos negros com um sorriso no rosto. — Bom, já que está tudo bem, eu vou indo. E desculpa novamente!

Jimin ficou apenas olhando aquele garoto indo embora no meio da multidão e, junto com ele, seu coração e seus pensamentos.

~

Yoongi POV


Ao entardecer Hoseok me arrastou para um tal parque novo que havia chegado na cidade. Eu não estava muito afim de ir, tinha acabado de me mudar e estava exausto por causa da mudança, mas o mais novo era insistente quando queria algo, e por essa razão, acabei cedendo.

Estava sendo arrastado pelo mesmo no meio da galera. Quando dei por mim, notei que estava em cima de um garoto loiro de rosto angelical. Ele trajava uma camisa amarela que confirmava o que eu já havia dito: um anjo. Eu caí em cima de um anjo e ninguém me diria o contrário!

O rapaz me olhava assustado e, quando notei, me desesperei na mesma hora. E se o garoto achasse que eu era um louco que agarrou ele do nada?! Levantei-me rapidamente, perguntei se ele estava bem e logo estendi a mão para o mesmo. Eu podia jurar que senti uma corrente elétrica passar por nossos corpos, mas resolvi ignorar por enquanto.

— Olha, me desculpa... Não era minha intenção cair em cima de você, eu juro! Eu sinto muito, muito mesmo, espero que você não tenha se machucado e... — parei de falar ao notar que o garoto não estava prestando atenção em nada do que eu havia dito. — Oi? Garoto? Você está bem?

Ele assustou-se, mas logo me respondeu.

— Ah, desculpe. O que você estava falando? — A voz doce entrou em meus ouvidos, e eu podia jurar que era um anjo que estava falando comigo.

— Eu estava perguntando se você se machucou. Desculpe, eu não vi você, o idiota do meu primo saiu me puxando e quando eu percebi, já estava caído em cima de você. — tentei explicar novamente.

O garoto loiro me respondeu que não estava machucado, e eu juro que vi suas bochechas corando.

— Ah, fico feliz. — respondi com um sorriso no rosto. — Bom, já que está tudo bem, eu vou indo. E desculpa novamente! — falei e logo fui atrás de Hoseok.

Ele ia me pagar por te me puxado e me deixado para trás.


Narrador POV


Jimin estava tão focado em achar o garoto de cabelos negros que nem notou quando Taehyung apareceu do seu lado. Taehyung resolveu esperar um pouco para ver se o menor o notava, mas como não aconteceu, resolveu chamar o mesmo.

— Procurando alguém, Minnie? — falou próximo ao ouvido do mais novo, que se assustou com o contato.

— Ai, que susto, Taehyung! Eu poderia morrer do coração! — falou o loiro com a mão no peito. — E sim, estou. — respondeu, ainda olhando para o lado em que o garoto havia ido.

— E eu posso saber quem é? — falou o acastanhado com um sorriso malicioso nos lábios, fazendo assim Jimin bufar. Logo o mesmo se virou para o amigo.

— Um rapaz que caiu em cima de mim quando eu estava na fila da montanha russa. — O menor agora tinha um biquinho nos lábios.

— O que? Quem caiu em cima de você? – Tae gritou assustado. — Você está bem? Está machucado? Ele não te fez nada, né? Ah, mas se ele fez algo eu juro que mato ele!

— Taehyung fala baixo, pelo amor de Deus, tá todo mundo olhando! — exclamou o menor, que se desesperou ao ouvir os gritos do amigo. — Não, ele não fez nada. Pelo contrário, ele foi muito gentil comigo, se desculpou e tudo.

— E por que você está tão interessado em achar ele? — perguntou o maior com as sobrancelhas arqueadas.

— Bem... é que eu nem sei o nome dele, ele pareceu tão diferente dos garotos que tem aqui, e... — Jimin nem teve tempo de terminar de falar, pois logo foi interrompido pelas provocações do amigo.

— Park Jimin se apaixonou por um garoto desconhecido? É isso mesmo que eu estou ouvindo? — Taehyung agora tinha um sorriso divertido nos lábios.

— Vá à merda, Tae! — disse o loiro, dando um tapa no amigo. — Vamos mudar de assunto que eu já vi que não vai ter como falar sério com você.

— Mas, e aí? Achou seu príncipe encantado?

— Achei, e beijei bastante. — disse o acastanhado, suspirando. — E que beijo, que homem, que pegada!

— Credo. — O loiro agora forçava uma cara de nojo para zoar o amigo.

— Fala isso porque nunca beijou, mas quando beijar, vai saber do que eu estou falando — falou, apertando as bochechas do menor.

— Para com isso, seu idiota. Não beijei e nem vou tão cedo, um beijo tem milhões de bactérias! E de bactéria na boca já basta as minhas — disse Jimin, empurrando as mãos do acastanhado.

— Mas se fosse o garoto que caiu em cima de você, você ia querer, né? — Taehyung continuou provocando o mais novo.

— Por que eu sou seu amigo mesmo? — disse, empurrando o amigo.

— Porque você me ama e porque eu sou um pitelzinho. — Piscou para o menor.

— Aish, vamos. Nós ainda temos muitos brinquedos para andar — disse Jimin, na esperança de achar o garoto de cabelos negros de novo.

Taehyung e Jimin só saíram do parque quando o mesmo já estava fechando. Jimin, mesmo se divertindo nos brinquedos, não tirava o garoto de cabelos negros e pele pálida da cabeça. Sempre que podia procurava o mesmo, mas nada do garoto aparecer.

Os dois garotos decidiram chamar um Uber para irem para casa, já que estava tarde demais para os dois irem caminhando. No caminho, Jimin foi escutando a incrível história de como Taehyung havia ficado com o bonitão da turma de gastronomia e de como ele beijava bem. Para falar a verdade, Jimin não estava nem um pouco interessado.

Assim que chegou em casa, foi direto para o banheiro tomar um belo banho demorado. Na medida em que a água caía em seu corpo, seus pensamentos eram levado ao tal rapaz. Jimin balançou a cabeça e tentou não pensar muito sobre aquilo, pois logo notou que já havia passado tempo demais no banho.

Ele saiu do banheiro trajando seu pijama e secando seus cabelos. Olhou para o acastanhado que estava jogado na cama e aproveitou para jogar uma toalha no amigo, que ainda ia tomar banho, já que o mesmo iria dormir em sua casa.

Enquanto Taehyung tomava banho, Jimin se jogou na cama e levou seus pensamentos novamente para o tal rapaz do parque. Quem era ele? E por que seu coração disparou com um simples toque de mãos? Será que era ele a pessoa que o destino havia escolhido para si?

Jimin estava tão perdido em seu próprio mundo que nem notou que Taehyung havia saído do banheiro e já estava se jogando na cama junto a si.

— Pensando na morte da bezerra, Ji? — proferiu o maior, antes de se jogar em cima do amigo.

— Sai de cima de mim, Tae! — Jimin agora empurrava o amigo, que caiu ao seu lado na cama. — Você é pesado, criatura. Tá me achando com cara de cama?

— E não é? Pensei que uma raba desse tamanho seria um travesseiro bem confortável — falou com um sorriso divertido nos lábios. — E não mude de assunto, no que essa sua cabecinha apaixonada estava pensando? Não me diga que ainda é o rapaz do parque.

— Olha quem fala, você já viu o tamanho da sua bunda? — falou o menor, empurrando o amigo e logo suspirando. — Quem era ele? Eu nunca o vi por aqui. — Jimin agora estava virado para o amigo com uma expressão de dúvida no rosto.

— Ele deve ser novo na cidade. — respondeu simplório. — Já que, pelo que você me falou, eu nunca o vi também.

— Pode ser... — O menor agora tinha uma expressão tristonha no rosto. — Será que eu vou vê-lo de novo?

— Você sempre fala que quando é para ser, será, então se esse rapaz for mesmo o que o universo separou para você, ele vai aparecer. — disse Taehyung, tentando animar o amigo.

— É, você tem razão... — disse, virando-se de barriga para cima.

— Eu sempre tenho. — falou o mais alto, rindo. — Agora vem, vamos escolher algum filme.

— Para Todos Os Garotos Que Eu Já Amei. — falou Jimin, sorrindo.

— Deus, me defenda! A gente assistiu esse filme semana passada! — falou o acastanhado, sério. — Vamos ver O Jardim do Fauno e não se fala mais nisso!

— Chato. — disse Jimin, forçando um biquinho na tentativa de fazer seu amigo mudar de ideia, mas quando viu que o amigo não ia cair nas suas chantagens resolveu aceitar a proposta do filme. — Tá bom, mas só porque eu também gosto desse filme. — disse, aconchegando-se no peito do maior.

E assim os dois amigos passaram a madrugada até pegarem no sono.

Pela manhã Jimin acordou com sua mãe o chamando para ir para a universidade. Ele até ponderou a ideia de ficar na cama abraçado com o amigo, mas a mais velha não deixou e logo fez os dois garotos acordarem para tomar café.

— Vou pedir para o Namjoon levar meu material. — disse Taehyung, terminando de se arrumar. — Quais são as aulas de hoje?

— Tá perguntando à pessoa errada, anjo. — respondeu Jimin, vendo o amigo ligar para o irmão mais velho dele. — Onde eu coloquei? Tae, você viu meu caderno amarelo? Ele tá com as anotações da aula de hoje.

— "Não esqueça, meu livro que está em algum lugar do quarto. Espera um minuto, Nam". É o que, Ji? — perguntou Taehyung, afastando o celular do rosto.

— Meu caderno amarelo, você viu? — perguntou o loiro, levantando o travesseiro.

— Esse aqui? — falou Tae, segurando o tal caderno. — "Sim, Nam, o livro de capa vermelha".

— É esse mesmo, obrigado, Tae. — disse, dando um beijo no amigo. — Vamos? — falou Jimin, parado em frente a porta.

— "Sim, sim, te vejo na escola. Obrigado mano, fico te devendo essa. Tchau, também te amo". — O maior agora guardava o celular no bolso. — Vamos.

Depois de prontos, os amigos seguiram para o ponto de ônibus onde pegariam o transporte para ir para a universidade. Jimin ainda estava com a cabeça longe, mesmo depois de conversar com o Tae o menor passou a noite toda pensando no garoto de cabelos negros que sumiu tão rápido quanto apareceu.

Assim chegou na universidade foi seguindo em direção ao prédio no qual acontecia suas aulas ao lado de Taehyung, que cantarolava algo sobre não estar afim de assistir às aulas. Quando se virou para responder, sentiu seu corpo se chocar com alguém e escutou o barulho dos materiais do mesmo caindo junto com os seus, e rapidamente se abaixou para ajudar a pessoa.

— Ai, meu Deus, me desculpa! Sinto muito, eu não te vi. — falou, juntando os materiais.

— Não, que isso, a culpa foi minha. Eu estava distraído procurando minha sala. — Quando a voz do outro se fez presente, o menor levantou seus olhos e o viu: o garoto que estava roubando seus pensamentos desde a noite passada estava à sua frente. — Oh, você de novo. — O garoto riu. — Acho que o universo conspira para que a gente se esbarre assim. — falou, coçando a cabeça.

— É... — Jimin travou por alguns momentos e se lembrou do que Taehyung falou. Se fosse para os dois se encontrarem novamente, o universo iria se encarregar de fazer acontecer; só não esperava que seria tão rápido.

— Ah, que modos os meus. Meu nome é Min Yoongi, e acho que você percebeu. — falou, coçando a cabeça — que eu meio que... sou novo aqui. Desculpe não ter me apresentado antes.

— P-Park Jimin. — "Se acalme, Jimin!", o menor pensou consigo mesmo. — Meu nome é Park Jimin.

— Bom, Jimin, foi um prazer te ver de novo. — falou o de cabelos negros com um sorriso. — Ah, se não for muito incômodo, será que você poderia me ajudar?

— Claro, no que seria? — falou o mais baixo com um sorriso tímido nos lábios.

— Você sabe onde fica o prédio de Produção Musical?

— Sei sim, é só... — O menor nem chegou a terminar a frase. Assim que ia mostrar o local, Taehyung o interrompeu.

— Leva ele até lá, Ji, já que o seu prédio é ao lado do dele — falou Taehyung, que até agora estava parado observando a cena.

— Oh, eu agradeceria muito. Eu poderia pedir ajuda ao Hoseok, mas o bonitão resolveu faltar hoje. — disse o moreno com um sorriso divertido.

— Hoseok? O gatinho da turma do Jimin? De sorriso lindo e rebolado gostoso? — O acastanhado agora pareceu interessado depois que o nome do tal garoto foi dito.

— Você também cursa Dança? — perguntou, interessado, ao menor.

— Sim...

— Ah, então é ele. Aquele idiota prometeu que ia me ajudar, mas até agora não chegou.

— Ele é seu amigo? — perguntou o acastanhado ao moreno.

— Meu primo. — respondeu Yoongi.

— Oh, interessante. Você tem companhia para hora do almoço, Yoongi? — respondeu o maior.

Enquanto observava a conversa, Jimin só conseguia pensar no porquê de Taehyung estar tão interessado.

— Para falar a verdade, não. — disse, com uma mão na cabeça, mania que não passou despercebida por Jimin.

— Agora tem! — respondeu o mais alto. — Enfim, vou indo para sala, Jimin vai te acompanhar. — disse, piscando para o menor que o fuzilou com o olhar. — Até mais, Yoongi.

— Até...

— Kim Taehyung, mas pode me chamar de Tae. — disse o acastanhado.

— Até mais, Tae.— falou, vendo o mais alto se afastar, indo em direção a sala.

— Vamos, eu te levo até lá. — falou o menor.

~

Os dois seguiram para o prédio onde Yoongi iria ter as aulas. Enquanto caminhavam, o menor entre eles permaneceu calado, apenas andando ao lado de Yoongi. O moreno notou a timidez do menor e resolveu tentar quebrar aquele silêncio, já que o outro era tímido demais para isso.

— Você não se machucou, né? — perguntou Yoongi. — Eu fiquei preocupado com você, mas eu estava com tanta vergonha de ter caído em cima de você...

— Ah, sobre isso, não precisava se preocupar. Como eu disse, eu estava bem. — respondeu timidamente.

— Ah, fico feliz de verdade. — falou o maior e, novamente, levou a mão até a cabeça.

Um clima estranho brotou do nada, deixando os dois desconfortáveis, pois naquele momento nenhum deles sabia o que dizer. Continuaram assim até que Jimin parou bruscamente e se virou para Yoongi, que também parou, olhando para o menor.

— Chegamos, prédio de produção musical, sala B. — falou o loiro, estendendo a mão em direção a sala que tinha no papel de Yoongi.

— Ah, muito obrigado, não sei o que seria de mim se você não tivesse me ajudado. — disse o moreno.

— Que isso. Meu prédio é aquele, se precisar de algo é só me chamar. — Foi o que Jimin disse, mas por dentro, ele estava um caos e pedia aos céus para correr logo dali.

— Agradeço. — falou Yoongi, estendendo a mão para o mais novo. — Até mais, Jimin.

— Até, Yoongi. — disse o menor, pegando a mão do mesmo.

E novamente uma corrente elétrica passou por ambos.

~

Yoongi POV


Entrei na sala e logo me sentei. Primeiro dia de aula numa universidade nova não é tão bom quanto parece. Respirei fundo e tentei esquecer a bendita corrente elétrica que passou pelo meu corpo pela segunda vez.

O professor chegou, se apresentou e me apresentou para turma, que foi bem legal comigo. Logo após a apresentação fui para minha cadeira, e foi quando notei que o caderno que estava em minhas mãos não era meu, e sim do Park. Devo ter trocado na hora em que nos esbarramos... Eu sou um desastrado mesmo.

Levantei a mão e chamei o professor, que logo veio ao meu encontro. Expliquei a ele o ocorrido e o mesmo me deixou ir até a sala do loiro pegar meu caderno; agradeci e me levantei, indo em direção ao prédio do menor. Assim que cheguei na sala, logo fui avisado de que o loiro estava na sala de prática que ficava no segundo andar. Agradeci a garota que me avisou e segui para o andar que a mesma tinha falado.

Quando cheguei no andar, uma música suave chegou aos meus ouvidos. Sendo assim imaginei que deveria ser a sala na qual Jimin estava, então fui na direção do som e lá estava ele, dançando no mesmo ritmo da música, como se eles fossem um só, os movimentos perfeitos. Quanto mais eu o via dançar, mais ficava boquiaberto.

Ele finalizou com um giro e foi quando me viu parado na porta. Tratei logo de me recompor e fui em sua direção.

— Eu acho que isso é seu. — falei, mostrando o caderno com um sorriso tímido.

— Ai, meu Deus! As capas são iguais. — disse ele com as bochechas ruborizadas. — Vamos até o meu armário.

— Não vai atrapalhar seu ensaio? — perguntei preocupado.

— Não, eu já estava terminando. — disse com um sorriso e foi caminhando em direção à porta.

— É para alguma competição? — Jimin estava focado demais em não errar nenhum passo, não poderia ser um ensaio qualquer, pensei e segui o menor.

— Na verdade é, mas eu não sei se devo me inscrever na competição. — Notei a feição do loiro mudar.

— Por quê? Você é maravilhoso dançando, e eu estou falando com sinceridade. — Assim que terminei de falar, vi um sorriso tímido brotar no rosto do mais novo.

— É que eu sou meio inseguro, daí acabo pensando se vale a pena mesmo me inscrever ou não, fico pensando se vai ser perda de tempo. Tem tantas pessoas talentosas na minha turma que eu fico "Será?". Tipo o seu primo, ele é um ótimo dançarino e se inscreveu. — Dava para notar o quão inseguro o menor era.

— Olha, vou te dá um conselho de amigo: sei que às vezes parece que as pessoas são melhores que a gente, mas isso é coisa da nossa cabeça. Nunca se deixe levar por esses pensamentos, se arrisque; se você cair, levante; se errar, tente de novo. Você é um ótimo dançarino, e eu tenho certeza que você tem grandes chances de ganhar. — Outro sorriso brotou no rosto do loiro.

— Eu agradeço pelas suas palavras, talvez eu me inscreva. — respondeu o loiro, e notei que estávamos chegando ao local onde ficavam os armários.

— Talvez não é certeza, tente. Mesmo que você não ganhe o primeiro lugar, pelo menos você vai estar fazendo algo que você gosta e vai ser divertido para você. — falei, parando em frente ao armário que supus ser o de Jimin, já que o mesmo estava colocando a senha.

— Tem razão... Aqui. — falou, entregando o meu caderno. Ele tinha razão, os cadernos eram iguais, desde a capa amarela até o detalhe das folhas.

— Obrigado. Eu te vejo na hora do almoço? — perguntei com um ar de esperança.

Jimin tinha cara de quem era um bom amigo, e eu queria muito fazer amizade com ele.

— Uhum.— respondeu o menor balançando a cabeça.

— Então até mais, Jimin. — despedi-me, indo em direção a minha sala.

— Até, Yoongi. — Ouvi o Park responder, ainda parado em frente aos armários.

— E Jimin. — falei, parando e olhando para o menor —, não se esqueça do que eu disse. Tente, garanto a você que vai se divertido. Confie em mim! — exclamei e segui meu caminho, mas não antes de notar o sorriso que se formou no rosto do menor.

~

Narrador POV


Assim que o sinal tocou, Yoongi seguiu em direção à sala de Jimin para irem juntos ao refeitório. O moreno chegou à porta e logo avistou o loiro terminando de fechar os seus cadernos. Ele continuou lá até que seus olhos se encontraram. Jimin soltou um sorriso para moreno, que correspondeu.

— Vamos? — falou Yoongi.

— Vamos. — respondeu Jimin com um sorriso no rosto.

Os dois seguiram juntos até o refeitório e, diferente da primeira vez, o clima estava agradável entre os dois. Não demorou muito para que encontrassem Taehyung sentado, os esperando.

— Vejo que já estão fazendo amizade. — falou Taehyung com um sorriso divertido no rosto.

— Sim, tenho certeza que seremos ótimos amigos. — respondeu o moreno.

Jimin, por outro lado, continuava calado e com as bochechas levemente avermelhadas. Eles seguiram até a fila para pegar seus lanches e voltaram para a mesa. Yoongi e Jimin se sentaram lado a lado de frente para Taehyung que amou, pois assim poderia fazer mais perguntas a Yoongi com o intuito de descobrir mais sobre o mesmo.

— Me conte mais sobre você, Yoongi. — perguntou o mais alto.

— O que você gostaria de saber? — respondeu com um sorriso, e Jimin se endireitou na cadeira para prestar mais atenção nos detalhes pois o mesmo também estava curioso.

— Onde você morava e o que te trouxe a esta cidadezinha pacata?

— Eu morava no Japão com meus pais, mas ganhei uma bolsa de estudo aqui. E como meu primo já morava aqui, e eu sempre tive um sonho de morar sozinho e me formar em produção musical, juntei o útil ao agradável e vim morar aqui com a ajuda de Hoseok.

— Ah sim, entendi. O Jimin me disse que vocês se conheceram no parque e que você caiu em cima dele. — falou Taehyung, rindo. — Me conta melhor essa história? Já que, quando eu perguntei a esse tampinha, ele jogou o travesseiro na minha cara. — falou o acastanhado, olhando para o loiro.

— Taehyung, cala a boca! — respondeu o menor, que agora tinha as bochechas agora mais vermelhas que tomate.

Yoongi também não estava diferente, já que tinha as bochechas tão vermelhas quanto as de Jimin.

— É verdade. — Riu. — Ai, meu Deus, pior maneira de conhecer alguém! Mas, em minha defesa, foi culpa do Hoseok, ele tava me puxando enquanto falava com um amigo dele, estava praticamente me arrastando, porque de acordo com ele eu não ando, eu me arrasto. — exclamou Yoongi, rindo junto com os meninos. — E quando fui ver, eu já estava em cima do Jimin enquanto o Hoseok estava do outro lado do parque. Pelo menos ele não se machucou, né, Jimin?

O loiro apenas assentiu, rindo.

— E para onde você foi depois que caiu em cima do Jimin? A gente tentou te achar, mas você praticamente sumiu. — Taehyung ainda estava rindo do acontecido.

— Ah, bem, depois que eu me desculpei com Jimin eu fui atrás do Hoseok que, como eu disse, já estava do outro lado do parque. Quando eu cheguei lá, ele estava no telefone com a tia Jung, e ela pediu para que a gente voltasse para casa porque tinha acontecido uns problemas na casa dele, daí a gente teve que voltar para casa rapidamente. Acho que foi por causa disso que vocês não me viram. — respondeu o de cabelos negros.

— Entendo. Eles são sua única família aqui? — Taehyung agora havia parado de rir.

— Felizmente sim. Para falar a verdade, nossa família inteira está no Japão e só a tia Jung quis morar aqui, então só tem ela aqui por perto. — respondeu o moreno sorrindo, e os meninos logo notaram que ele amava a tia.

— Você tá morando na casa dela?

Jimin, mesmo estando curioso, já estava se sentindo incomodado com tantas perguntas que o amigo estava fazendo, mas resolveu ficar calado só ouvindo enquanto comia seu lanche.

— Não, não, eu estou morando em um bairro próximo ao parque. — Yoongi não parecia se incomodar com as perguntas.

— Ah, é mesmo? Qual? — "Peça logo o CPF do garoto, Taehyung", pensou Jimin, incomodado.

— Bairro Jungang-dong, na rua Arvoredo.

— Nossa, é uma rua antes da casa do Jiminnie. — exclamou Taehyung.

— Sério? — Jimin assentiu. — Nossa, que legal! A gente pode vir juntos aqui para a uni, o que você acha? — Jimin meio que se assustou com o pedido, mas tentou disfarçar.

— Pode ser... — respondeu o loiro, brincando com as mãos embaixo da mesa.

— Ah, o que é isso, Ji? Não precisa ficar tímido. — falou Taehyung, provocando o menor.

— Eu não estou tímido, Taehyung! E aproveitando a oportunidade, eu só acho que você deveria parar de fazer tantas perguntas ao Yoongi, o coitado deve estar achando que você é algum agente do FBI, faltou só pedir o CPF e o RG dele.

Jimin tinha uma sobrancelha arqueada e Taehyung estava com os olhos arregalados, já Yoongi começou a rir do que Jimin disse e os dois amigos olharam para ele.

— Não precisa se preocupar. Taehyung, eu te entendo, é normal querer saber um pouco sobre um novo amigo — disse o moreno, tentando acalmar o acastanhado.

— Tá vendo? O Yoongi me entende. — Taehyung estava com sorriso debochado no rosto.

Jimin, por outro lado, revirou os olhos e lhe estirou a língua.

— Enfim, foi muito bom conversar com vocês, mas agora eu vou correndo para sala porque eu tenho duas horas de aula daquele professor insuportável. Vou deixar os dois pombinhos conversando. — O mais alto saiu correndo em direção a sala.

Yoongi olhou para Jimin que estava mais vermelho do que antes pelo jeito que Taehyung se referiu aos dois como se fossem um casal.

— Ele é engraçado. — falou Yoongi, rindo.

— Ele é um idiota, isso sim. — Jimin parecia bastante irritado com a provocação do amigo.

— Não precisa xingar. — O moreno estava tentava fazer o loiro relaxar.

— Mas é a verdade. — disse o menor com os braços cruzados.

— Então você mora uma rua depois da minha? — Jimin apenas balançou a cabeça em confirmação. — Olha, amanhã a gente pode vir juntos, eu te dou uma carona. O que você acha? — Jimin até pensou em negar, mas quando viu o sorriso que o moreno deu resolveu aceitar.

— É, pode ser. — disse sorrindo.

— Fico feliz, agora eu vou ter companhia para vir para a uni e ainda fiz mais um amigo aqui. — O sorriso e as palavras do moreno pareciam sinceros.

— Eu também fico feliz. — falou Jimin baixinho.

— Bom, vou ter que ir para sala, o sinal já tocou faz um tempo e o professor já deve estar lá. — disse Yoongi, olhando para o relógio.

— Sério? Eu nem percebi que o sinal tinha tocado. — O mais baixo estava assustado.

— Eu também não, mas agora que eu olhei o relógio, vi que ele já tocou faz no mínimo uns 10 minutos. — disse, mostrando o relógio para o menor.

— Por Deus, então é melhor a gente correr, se não vamos chegar atrasados. — Jimin levantou-se, levando a bandeja para o local onde eram colocadas.

— Sim — falou com um sorriso e colocou sua bandeja junto a de Jimin. — Vamos.

Os dois se levantaram e foram correndo em direção às suas salas. Assim como eles haviam desconfiado, o professor já estava na sala. Yoongi pediu desculpa pelo atraso e entrou com um só pensamento na cabeça: Jimin era um garoto muito interessante e ele estava gostando de fazer amizade com ele.

~

Alguns meses se passaram e a amizade de Jimin e Yoongi foi crescendo. Bom, na cabeça de Yoongi era só amizade — ou ele fingia que era —, mas na de Jimin já não era assim, cada dia que se passava, seu coração se apaixonava cada vez mais pelo moreno.

Era engraçado a maneira que os dois se entendiam tão bem e tinham gostos parecidos; apesar de não parecer, Yoongi também era um grande amante de livros de romance. Taehyung ficava rindo dos dois, porque não acreditava que agora teria que aturar os dois falando sobre os filmes clichês que eles tinham assistido ou sobre os livros de romance que estavam lendo. Os dois não se importavam com Taehyung reclamado, apenas continuavam discutindo sobre os novos filmes, séries e livros que tinham visto.

A amizade deles evoluiu de irem juntos para a universidade para encontros no shopping, andar de bicicleta na praça da cidade, irem a piqueniques... Eles sempre inventavam uma desculpa para passar mais tempo juntos.

Yoongi já havia percebido que tinha algo em Jimin que sempre lhe chamava atenção, ele só não sabia se era o sorriso, a maneira fofa de se jogar para trás toda vez que ria ou o biquinho que se formava em seus lábios quando ele queria algo e Yoongi dizia que não ia lhe dar, mas cada mínima coisa que Jimin fazia era motivo para o coração de Yoongi disparar.

Os dois estavam cientes de que estavam apaixonados, mas nenhum deles tinha coragem de assumir os sentimentos, sempre usavam a desculpa de que eram bons amigos. No entanto, quem os via sabia que tinha sentimento a mais ali.

Yoongi até tentou negar o que sentia, só que a cada dia que passavam um tempo juntos — seja na noite de filmes, na caminhada no parque, no final de semana na praia — era motivo para que seu coração acelerasse. Toda vez que Jimin sorria e seus olhos se fechavam — quando ele se sujava de sorvete, ou nas vezes que ele acabava tropeçando de repente e caindo —, as borboletas no estômago de Yoongi não paravam quietas. O moreno se pegou várias vezes imaginando como seria ter o loiro ao seu lado, não só como amigo, mas como algo a mais, mas sempre que esses pensamentos vinham a sua menta ele usava a mesma desculpa.

Yoongi conseguiu convencer Jimin a participar da competição de dança que tinha anualmente na universidade. Durante o tempo de preparo, Yoongi acompanhava os ensaios de Jimin, assim como o Jimin sempre dava uma passadinha na sala para ver Yoongi tocar piano, muitas vezes até dançava as músicas que o mais velho tocava.

Numa tarde de sábado os dois foram para a praça, aproveitar o pôr do sol. Os dois estavam ali desfrutando do clima quando Jimin quebrou o silêncio.

— Não parece que estamos um de nossos filmes clichês? — falou, deitando-se na toalha que ambos estavam sentados.

— Como assim? — Yoongi aproveitou e se deitou também, virando-se para fitar o rosto do loiro.

— Tipo, nossa amizade começou do nada e tá indo tudo muito bem, mas eu sinto que do nada algo vai acontecer e vai acabar abalando nossa amizade, aí cada um vai para lados diferentes, depois de anos vamos no reencontrar em um café, em outro país, e enfim vamos conseguir conversar. — falou, rindo junto com Yoongi.

— Eu entendo o que você quer dizer. — disse rindo —, mas a vida não é como um filme, Jiminnie.

— Eu sei, mas tipo, eu sinto que alguma coisa vai aparecer e tentar afastar nós dois.— falou com um bico nos lábios.

— Isso não vai acontecer, nem se preocupe. Não tenho ex-namorados loucos que vão brotar do nada com um plano maligno de nos fazer brigar, não tem nenhum amigo obsessivo e garanto que não tenho um psicopata atrás de mim, então não se preocupe. Nada vai estragar nossa amizade, eu prometo. — disse, passando a mão na bochecha do loiro.

— Assim espero, porque eu tenho certeza que se eu te perdesse, um pedaço de mim se perderia também. — falou o loiro, aproveitando o carinho do mais velho.

— Digo o mesmo. — disse, dando um beijo na testa de Jimin.

E foi ali naquele parque, que eles quase confessaram o que sentiam um pelo outro.

O dia da competição chegou e com ela, o desespero de Jimin. Ele não sabia o que fazer, queria desistir e sair correndo, mas Taehyung e Yoongi estavam ao seu lado, dando-lhe forças e fazendo o mesmo se acalmar.

— Calma, lembre-se do que eu disse. O importante não é ganhar, é se divertir, e eu tenho certeza que você vai fazer uma apresentação perfeita e vai se divertir bastante. — disse o moreno, segurando o rosto do menor.

— Digo o mesmo, Ji. Vai lá e arrasa! — Taehyung apareceu atrás de Yoongi.

— Queria ter esse otimismo de vocês, mas toda vez que eu penso que eu vou estar em frente dessa multidão me dá um frio na barriga e eu só quero correr. — Jimin olhava em direção ao palco no qual ele iria se apresentar.

— Eu entendo, mas calma, vai dar tudo certo. — falou Yoongi, beijando do topo da cabeça de Jimin. — Vamos, tenho certeza que você vai conseguir.

Era por volta das 8 horas da noite quando Jimin entrou no palco. O corpo do loiro se movia perfeitamente em sintonia com a música, a apresentação estava perfeita assim como Yoongi previu. Ele estava observando cada passo de Jimin da arquibancada e foi ali naquele momento que Yoongi percebeu que não era paixão o que ele sentia por Jimin, mas sim que ele o amava.

Jimin saiu vitorioso naquela noite, e todos se reuniram para comemorar no restaurante, no qual Seokjin, o atual namorado de Taehyung, estava trabalhando.

Yoongi se aproximou de Jimin e o abraçou, sussurrando em seu ouvido.

— Eu falei que você ia conseguir! — disse, ainda abraçado com o mesmo.

— Eu to tão feliz, Yoon! Obrigado por me incentivar. — falou o menor, aproveitando o abraço.

— De nada, pequeno. — Yoongi afastou-se, dando um beijo na testa do menor.

E o resto da noite foi assim, cheio de brincadeiras e comemoração dos amigos.

Alguns meses se passaram e Yoongi continuou planejando como iria se declarar para o loiro. Foi quando Hoseok entrou no seu quarto, jogando-se na cama e avisando que o parque estava novamente na cidade. Yoongi apenas correu e deu um beijo na bochecha do primo, que não entendeu nada e só continuou deitado onde estava, vendo o primo pegando as chaves do carro e saindo às pressas. "Ele enlouqueceu", pensou Hoseok, mas resolveu não se meter.

No dia seguinte Yoongi convidou Jimin a ir com ele para o parque. O loiro aceitou de bom grado, e os dois combinaram que iriam no domingo.

A semana passou voando e, por fim, logo o tão esperado domingo chegou.

Por volta das 4 horas da tarde Yoongi passou na casa de Jimin e os dois seguiram para o parque. Chegando lá, Yoongi estacionou o carro e os dois foram comprar os ingressos. Yoongi já tinha tudo planejado; no dia em que Hoseok contou sobre o parque, o moreno havia vindo e deixado tudo esquematizado com o maquinista da roda gigante para que, quando os dois entrassem, o rapaz parasse a mesma lá no topo e assim Yoongi pedisse Jimin em namoro.

Enquanto o pôr do sol não chegava, ele e Jimin aproveitaram para ir nos outros brinquedos. Quando a hora se aproximou, o moreno convenceu o loiro a ir com ele na roda gigante.

Assim que os dois entraram, Jimin percebeu que Yoongi estava um pouco nervoso, mas resolveu deixar para lá.

Quando a roda gigante parou no topo, Yoongi se virou para Jimin e o chamou.

— Jiminnie...

— A vista daqui de cima é linda. — comentou Jimin, virando-se.

— Verdade...— falou, coçando a cabeça.

— Algum problema, Yoon? — Jimin olhava-o com a expressão confusa no rosto.

— Jiminnie... Desde o dia em que eu caí em cima de você aqui nesse parque, eu senti que algo me prendeu a você.

— Yoon.... — Jimin estava com os olhos cheios de lágrimas.

— Espera... Deixe-me terminar... Jiminnie, o que eu sinto por você eu nunca senti por ninguém.

— Yoon... Eu... — Yoongi já estava se desesperando, será que o que ele fez foi certo?

— Se não for recíproco, não se preocupe, eu... – Jimin levou seu dedo a boca do mais velho, fazendo com que ele se calasse.

— Como não ia ser recíproco se você é o amor da minha vida? — falou o loiro com um sorriso tão lindo, daqueles que os olhinhos se fecham, e assim, permitindo as lágrimas que estavam ali rolassem.

— Jiminnie... — Yoongi se aproximou.

— Yoon... — Jimin suspirou, tomando coragem. — Eu confesso que, desde a primeira vez que eu te vi, eu senti-

— Uma corrente elétrica passar por nossos corpos? Eu também senti. — falou, limpando as lágrimas da bochecha do menor.

— E por que não me disse nada? — O coração de Jimin a qualquer momento sairia pela boca.

— Eu pensei que tinha sido por causa do desespero que eu sentir quando caí em cima de você. – O moreno estava com o coração acelerado. — E naquele dia em frente a sala, eu também achei que tinha sido por causa do nervosismo, mas... No dia da apresentação eu percebi o quanto eu te amo, então eu esperei o momento certo para poder te contar isso. Eu já estava sem ideias de como eu ia me declarar para você, mas quando o Hoseok me disse que o parque estava de volta à cidade, eu aproveitei. Nada melhor do que me declarar no mesmo lugar onde nos encontramos pela primeira vez. — falou o moreno, olhando dentro dos olhos do menor.

— Yoon... — Jimin juntou suas testas.

— Jiminnie...

— Lembra quando eu te disse que eu nunca tinha feito uma coisa?

— Lembro...

— Pois bem, eu nunca fiquei com ninguém... Para ser mais exato, eu nunca beijei ninguém. Eu sempre quis que, quando meu primeiro beijo acontecesse, fosse com uma pessoa que eu gostasse tanto quanto ela gosta de mim, e eu sinto que você é essa pessoa, então se isso sair péssimo, desculpa. — Dava para notar o nervosismo do menor.

— Jiminnie, eu vou beijar você, o cara pelo qual eu estou completamente apaixonado, nunca que isso iria ser péssimo! E você não sabe o quanto eu fico feliz em saber que eu sou essa pessoa — disse Yoongi, juntando os lábios de ambos.

— Minnie...

— Yoonnie.

— Você quer namorar comigo?

— É tudo o que eu mais quero.

E foi ali, naquela roda gigante, que eles selaram o amor que sentiam um pelo outro.

Anos depois, Yoongi levou Jimin para o Japão para o mesmo conhecer seus pais, e foi onde o de cabelos negros pediu o loiro em casamento. Quando se aproximou o fim da tarde o moreno convidou o mais baixo para irem até uma praia que ficava próxima a casa de seus pais, e assim como o pedido de namoro, Yoongi esperou até que o pôr do sol aparecesse para enfim se ajoelhar e pedir a mão do mais novo em casamento.

Jimin embora estivesse se acabando em lágrimas, aceitou o pedido com um lindo sorriso no rosto. Sob a luz do pôr do sol, com as ondas molhando seus pés, os dois se beijaram, aproveitando o momento.

Os dois se casaram na primavera, com as sakuras caindo no chão.

Dois anos depois, eles adotaram seu primeiro filho e, assim, continuaram aproveitando esse amor tão puro e verdadeiro até o fim de suas vidas.

17 de Junho de 2021 às 20:06 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS Nos encontre também no wattpad, sweet, spirit e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~