tata-campos Nathálya Campos Da Silva

⚠️GATILHO⚠️ •O conteúdo contém estrupo, caso seja sensível a tal assunto sugiro que não leia, não me responsabilizo por tais consequências. ............................................................................................. Olivia Evans, uma jovem de 17 anos vai para uma nova cidade, com seus pais sua casa é próxima a de seus avós por isso ela estava indo sempre lá, um dia ela foi e uns amigos de seus tios estavam lá, violentaram ela sexualmente e agora após 4 anos ela volta para a sua vingança.


Suspense/Mistério Para maiores de 18 apenas.

#suspense #gatilho #estrupo
1
479 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

The beginning-Capítulo I

Olá, me chamo Olivia Evans e hoje vamos falar como a minha vida virou de ponta cabeça, eu tinha apenas 17 anos e estava prestes a me mudar para uma cidade chamada Alexandria, na Virgínia, eu estava bem animada por que iria morar perto da minha vó, fazia exatos 5 anos que não mantínhamos contato, mas pelo meu pai ter ganhado uma boa proposta de emprego, viemos para cá.


Quando cheguei aonde iria morar minha vó já estava lá na frente e com ela estava meu tio, meu tio já tinha 20 anos mas ainda morava com minha vó com a desculpa de que era pra cuidar dela mas todo mundo sabia que era por que nenhum lugar queria dar emprego para ele, eu estava com meus fones de ouvido ouvindo hold on de Chord Overstreet, eu amava essa música, então entrei na casa e subi as escadas para ver aonde seria meu quarto, a casa era enorme e muito bonita.


No outro dia minha vó me chamou para ir a sua casa, ajudá-la com algumas coisas no sótão que estava bem sujo por sinal, quando chegamos o inconsequente do meu tio estava em casa, sentado na sala com seu notebook, perguntei a minha vó o por que dela não o expulsa-lo já que ele não a ajudava com absolutamente nada, ela disse que tinha dó por conta dele não ter emprego.


–Vou ir para o sótão enquanto a senhora pega as coisas para a limpeza, ok?–minha vó estava na cozinha mechendo em um armário lotado de produtos de limpeza em baixo da pia dela, ela confirmou com a cabeça minha pergunta então eu fui, a porta do sótão ficava na sala, então voltei e entrei no sótão, assim que abri a porta a campainha da porta de entrada toca, meu tio se levantou e foi abrir a porta eram os amigos deles eram 4 Miguel, o alto que parecia fumar maconha desde os 12 anos, Davi, parecia o mais quieto entre todos ali, Lucas, parecia ser garanhão e ser do mesmo grupo de idiotas que meu tio e o Pedro, ele não parecia estar ali por vontade própria mas ainda estava ali.


Ajudei minha vó a limpar o sótão o que me resultou a uma alergia terrível a poeira, quando terminamos era tarde então preferi ir direto para casa tomar um bom e longo banho na banheira que tinha no meu quarto, bom fui para casa em menos de 7 minutos já havia chegado, a casa da minha vó era na rua de trás então era bem rápido, cheguei em casa, minha mãe estava dormindo e meu pai não havia chegado do serviço, então subi direto fui para o banheiro liguei meu celular numa playlist perfeita que eu havia montado com toda paciência do mundo, liguei a torneira e peguei meu sabonete preferido e coloquei na banheira, me despi colocando as roupas empoeiradas no cesto de roupas sujas.


Após meu banho notei uma movimentação na casa então desci pra ver o que estava acontecendo, meu pai tinha chegado do serviço e estava na sala, enquanto isso minha mãe ligava para a pizzaria na cozinha que era quase conjugada com a sala, então desci e me joguei no sofá junto ao meu pai, eu estava com um moletom preto e com meias pretas por conta do frio que estava absurdo, meu pai colocou uma série para assistirmos, a pizza chegou e ali ficamos até às 01 da manhã, quando vimos o horário até nos assustamos, subimos cada um foi para seu quarto e eu como gostava de esportes, coloquei meu celular para despertar as 08:00 da manhã para eu poder caminhar.


O celular despertou, me levantei, escovei meus dentes, me troquei colocando minha roupa para caminhar, desci tomei um café da manhã e fui para a rua já que teria que está de volta até as 10 para ir á escola que minha mãe havia me matriculado a dias porém como estávamos chegando a cidade faltei alguns dias, mas nada que me atrapalhasse, voltei para casa tomei um banho rápido e fui para escola, a escola era enorme, tinha mais estrangeiros do que tudo mas a escola era linda e muito boa inclusive, no meu primeiro dia já fiz algumas amizades, conhecidência ou não um de meus amigos era irmão do Davi, amigo do meu tio, achei bem interessante mas não comentei nada.


Quando cheguei da escola minha vó estava lá em casa, cheguei comprimentei minha mãe e minha vó e subi, para tomar banho e me trocar, assim que terminei desci para ver se meu pai havia chegado e ainda não e minha mãe havia ido para casa da minha vó, pelo menos era o que eu achava, então fui para casa da minha vó na esperança de encontrá-las, mas na verdade elas tinham ido ao mercado que era um pouco longe dali, mas mesmo assim como não sabia fui a casa da minha vó, quando cheguei encontrei os amigos do meu tio na sala jogando o que eles diziam ser dama mas eles não sabiam jogar nada, então perguntei aonde meu tio estava e eles disseram que ele havia subido, eu confirmei com a cabeça e me sentei na mesa.


–Eai é nova aqui Olivia?–me virei rapidamente pois não havia dito meu nome a nenhum deles mesmo sabendo que poderia ser meu tio acho meio impossível, mas respondi educadamente–Sim, sou eu era de New York está aqui na Virgínia está sendo bom, já que é uma cidade menor, acho melhor.–então o Davi veio e se sentou na mesa junto comigo e me estendeu a mão–Bem vinda Olivia, você é amiga do meu irmão né? ele me falou de você.–eu apenas confirmei com a cabeça e me levantei para ir embora, foi quando meu tio desceu e me olhou assustado, mas não liguei só fui embora.


Mais tarde...

•Mensagem de Tio Guilherme.

–Oi Olivia.

Estranhei a mensagem mas respondi normalmente.

–Oi Guilherme.

–Está tudo bem? Aconteceu alguma coisa com a vó?

Estava me desesperando pois não era normal eu receber mensagem do meu tio.

–Não, está tudo bem, só quero te perguntar se os meninos fizeram alguma coisa com você ou disseram algo.

Eu me assustei, esse não é o tipo de conversa que você imagina ter com seu tio.

–Não, eles só me perguntaram de onde eu era, só isso.

Um tempo depois...

–Ok, mantenha distância deles, eles não são confiáveis.

–Ok, entendi, boa noite.


No dia seguinte falei com minha mãe, ela também ficou bem sem entender as mensagens, mas segui minha vida, fui a escola normalmente, na cara para casa me senti vigiada mas não liguei, acelerei os passos mas não liguei muito ao meu redor, quando estava chegando na minha casa alguém me puxou para trás com uma força surreal, quando olhei era o Miguel, ele me apagou e me jogou dentro de um carro preto, quando estávamos chegando na saída da cidade eu despertei e perguntei aonde ele tava me levando, ele só mandava eu falar a boca e me batia como se quisesse realmente me machucar.


Ao chegarmos na saída da cidade eu estava assustada e chorando muito, eu não havia levado meu celular para escola, quando chegamos estava todos ali, Pedro, Davi, Lucas e Miguel que havia me sequestrado, todos eles estavam muito estressados e eu estava muito assustada pedindo por favor que me levassem embora, até porque eu não queria de forma alguma está ali, eles me apagaram de novo, quando acordei eu estava na calçada da minha casa deitada, minhas roupas estavam rasgadas, eu não sentia a minhas pernas e eu estava mole como se tivesse levado uma surra enorme.


Tentei me levantar para ir para minha casa, porém não consegui e alí mesmo eu fiquei morrendo de medo e de frio, quando avisto meu tio vindo no final da rua comecei a acenar para ele para ele me ajudar porque eu não estava aguentando mais o frio dali, ele se aproximou e me perguntou o que tava acontecendo, eu expliquei que o Miguel tinha me sequestrado e me levado para os fins da cidade e lá estava todos os amigos dele mas eles me apagaram então não sei o que tinha acontecido depois, ele abaixou para me ajudar a levantar porém quando ele me levantou escorreu sangue pelas minhas pernas e eu desmaiei.


–Merda, eu devia imaginar que eles iriam te seguir é tudo culpa minha, me perdoa.–a essa altura meu tio estava aos prantos, ele me pegou no colo e me levou para a casa da minha vó, não tinha ninguém em casa não ia nem adiantar eu gritar, quando ele chegou comigo no colo minha mãe ficou desesperada, perguntou o que havia acontecido, ele explicou e então minha vó liberou o carro para que meu tio me levasse ao hospital, quando chegamos lá eles já disseram o era, a polícia foi chamada imediatamente.


Continua…



17 de Junho de 2021 às 03:58 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo The plan-Capítulo II

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!