invisibilecoccinella Mary

Metade do ano se passou, o inverno ao hemisfério das águas regressou. As noites longas revelam seus encantos e a poesia costura com habilidade a intenção de ajudar os leitores a buscarem em seus próprios corações os encantos de julho.


Poesia Todo o público.

#vida #natureza #reflexão #amor #sentimentos #prosa-poética
Conto
0
539 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Curitiba, 16 de julho de 2018.

Julho costuma presentear os olhos curitibanos com dias em o sol brilha majestoso até se pôr, acarinhando os galhos secos das árvores que florescerão quando a primavera regressar, tomando conta dos pássaros que gorjeiam e se regozijam da plenitude porque foram abençoados com o alimento que os nutre e permite que possam ser felizes sem a necessidade de ostentarem nada, das abelhas que beijam as flores com tanta ternura, aquecendo a relva, os pequenos dentes-de-leão que crescem e assopram desejos que se perdem no vento e também aos corações que necessitam dessa maravilhosa energia para saírem da cama e irem à luta.

As noites são mais frias e quando a neblina não encobre a lua e as estrelas, é possível perder-se nos mais diversos encantos que o sétimo mês do ano proporciona para aqueles que desejam encontra-los. As crianças desenham nos vidros embaçados do chuveiro, os corações apaixonados se confessam da mesma forma, deixando subentendido o bem querer numa inicial traçada com as pontas dos dedos trêmulos.

O primeiro semestre já se despediu. O segundo está em andamento, a ser escrito. Julho faz um convite à esperança, sendo o sol de quem busca uma motivação para tirar de dentro da gaveta todas as metas idealizadas lá no início. A primeira metade pode não ter sido favorável por inúmeras razões, talhando a modéstia, apontando noutra direção.

Julho é um dos meses mais bonitos do ano. Nos dias nublados a alma se recolhe para encontrar abrigo numa leitura que agregue. Nos ensolarados, momento de fechar os olhos e abrir os braços, deixar o coração falar, os raios de sol te acarinharem e te mostrarem as belezas que o inverno possui.

Anda, vai. Se você quiser, eu seguro na sua mão.

16 de Junho de 2021 às 19:19 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Mary uma joaninha itinerante que atende por Maria, Mary, Marisol, que ama previsão do tempo e também contar histórias. na maior parte do tempo, invisível.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~