2minpjct 2Min Pjct

Yoongi, a fim de chamar a atenção de Jimin, escrevia coisas fofas em sua mesa antes dele chegar e saía novamente, entrando apenas depois do menor, podendo ver sua reação ao ler o que havia escrito. Isso perdurou por semanas, deixando Jimin mais ativo nas aulas. Até que Jimin resolve chegar mais cedo e pega no flagra o cara com quem havia trocado poucas palavras escrevendo em sua mesa.



Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fluffy #admirador-secreto #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
1
494 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Escrito por: @Min_HyeMoon/@Min_HyeMoon

Capa por: @summeritx

Plot doado por: @minie_swag/@minie_swag


~~~~

Park Jimin era o aluno mais popular do colégio Bangtan Sonyeondan. Como uma pessoa extrovertida, era simpático com todos, até mesmo os que não mereciam. Por fora, era um garoto seguro que sabia o que queria da vida e que não se preocupava com relacionamentos; por dentro, um cara sensível e romântico que estava à procura do seu príncipe encantado. Aos seus 17 anos, quase 18, Jimin nunca tivera um namorado, ele nunca havia achado o homem perfeito — que era como Taehyung, seu melhor amigo, chamava o tipo ideal do menor.

Nestes últimos meses Jimin via tudo em sua vida dar errado. Ele estava sem motivação pra fazer qualquer coisa, principalmente estudar. Tudo começou quando o pai de Tae, o único amigo que ele realmente confiava, recebeu uma proposta de emprego no Japão, obrigando Tae a ir com ele.

Após isso, uns dias depois, seus pais resolveram se separar. Não que fosse novidade pra Jimin que o casamento deles não estava indo bem, eles viviam brigando ediscutindo, seu pai até já havia traído sua mãe com a melhor amiga dela, tendo um filho que sua mãe nunca o permitiu conhecer.

Jimin pensou que seria melhor os dois separados, pois acabariam as brigas, mas tudo parecia pior. Seu pai nem se importava com ele, nem mandava "Oi, filho, tudo bem?"; já sua mãe descontava todas suasfrustrações nele, sempre o insultando, e, pra piorar, Jimin havia perdido seu emprego e nãoestava conseguindo outro. Sem motivação e alguém que esteja ao seu lado, Jimin via-se desanimado e recebendo notas baixas no colégio. Nem parecia o garoto extrovertido de antes, mal falava com alguém.

Particularmente hoje, tudo estava dando errado pra Jimin. Seu despertador não tocou e sua mãe nem fez questão de chamá-lo, teve que ir pro colégio sem nem ao menos tomar um copo de leite.

Ao chegar lá foi direto pra sua sala, como estava fazendo nestes últimos meses, pra evitar falar com alguém. O que Jimin não esperava era que, quando se sentasse em sua mesa, veria que havia algo escrito nela. "Eu amo seu sorriso." Jimin abriu um enorme sorriso, fazendo seus olhinhos virarem dois risquinhos. Apesar de não ter certeza se era pra ele mesmo, o menor se sentiu feliz; nunca ninguém elogiava seu sorriso, a primeira coisa em que as pessoas reparavam era seu dente levemente torto.

O dia passou rapidamente aos olhos de Jimin.

Min Yoongi, o garoto mais tímido do colégio, não tinha muitos amigos. Na verdade, tinha somente um: Hoseok. Yoongi sempre teve dificuldade de fazer novas amizades, não tinha ideia do que conversar com alguém ou como não deixar uma conversa morrer. Isso sem dizer que ele era tímido demais, somente em ter atenção das pessoas suas bochechas queimavam, ficando em um tom avermelhado. Isso quando não começava a gaguejar pelo nervosismo.

Como a maioria dos alunos — sendo garotas ou garotos —, ele era apaixonado por Jimin. Yoongi sentia que não conseguiria dizer a Jimin algo a mais que um oi. Eles não tinham o costume de se falar quando se viam nos corredores do colégio devido a timidez do maior. Hoseok sempre incentivou Yoongi a tentar puxar assunto com Jimin, mas Yoongi sempre fugia.

Como todos, Yoongi percebeu quando Jimin começou a mudar. Ele não sorria mais com frequência e nem falava com todos, sempre chegando e indo direto pra sala. O maior se sentia mal com aquilo; ao contrário da vida de seu amado onde tudo estava indo mal, em sua vida as coisas estavam dando certo.

Yoongi havia conseguido um emprego de meio período na biblioteca da cidade, seus pais conseguiram empregos aqui em Busan e vão vir morar com ele, conseguiu uma bolsa na faculdade de Seul...

Tudo estava dando certo, mas ele não se sentia feliz, pois Jimin não estava feliz. Então, em uma manhã, ele resolveu ir mais cedo pra o colégio, indo direto pra sala. Yoongi nunca foi bom em dizer algo, mas sempre foi bom em escrever, então resolveu que tentaria animar o dia de Jimin, deixando-o uma mensagem na carteira dizendo como Yoongi achava seu sorriso perfeito. Não era mentira, uma das coisas que o maior mais amava em Jimin era seu sorriso e seu dentinho torto.

Após escrever, o maior saiu da sala e ficou disfarçando no corredor até o menor entrar e, assim, viu Jimin com um imenso sorriso no rosto olhando pra sua carteira.

— Eu prometo que este será o primeiro de vários — disse Yoongi pra si mesmo. Logo em seguida, foi pra sua carteira.

No dia seguinte Yoongi fez o mesmo que o dia anterior, deixando uma mensagem fofa pra Jimin, algo que ele tivesse certeza que era pra ele. "Sei que você o odeia, mas eu acho seu dente levemente torto adorável." Mais uma vez, o maior encontrou Jimin sorrindo pra sua mesa, e foi assim durante semanas.

Jimin encontrava-se mais disposto e alegre, voltando a sua rotina; até suas notas no colégio aumentaram. O menor, apesar de ter muitos amigos, não era elogiado com frequência. Uma parte do Jimin sentia que ele havia encontrado seu príncipe encantado; a outra dizia que era uma garota ou era somente alguém zoando com a cara dele, mas a parte sonhadora era maior.

Era uma sexta-feira, Jimin resolveu que iria mais cedo pro colégio pois queria pegar quem estava escrevendo em sua mesa. Ele não esperava encontrar Min Yoongi, o garoto que Jimin tanto achava fofo, escrevendo em sua mesa. Quando o maior viu Jimin, suas bochechas ficaram vermelha e ele abaixou a cabeça, envergonhado por ter sido pego no flagra.

Jimin sorriu, vendo como Yoongi ficou adorável todo envergonhado. O menor já havia notado Yoongi e sempre pensou que o maior tinha medo dele, já que todas as vezes em que Hoseok tentou fazer os dois conversar, Yoongi fugia. Jimin até já tinha pensado em falar com ele, mas Yoongi não dava brecha, sempre era somente um "Oi" envergonhado e o mais velho saía quase correndo.

— Então é você que está escrevendo em minha mesa? — perguntou Jimin quando viu que Yoongi não diria nada.

— Sim — falou Yoongi baixo.

— Por quê? — Esta era uma dúvida que estava em sua cabeça.

— Por-porque eu, eu... — Yoongi respirou fundo pra tentar falar algo sem gaguejar, mas era difícil, já que nem sabia como iria se justificar pro menor. — Eu-eu vi... que que você esta-tava tris-triste...

— Oh, então você escreveu aquelas coisas pra me animar? — Yoongi assentiu sem olhar pra Jimin. — Que fofo! Obrigado realmente animou meu dia, Mas tem algo que eu não entendo... Por que você fez isto? Você parece ter medo de mim... — expôs Jimin, ainda confuso com toda aquela situação.

— Eu não te-tenho me-medo de você. — Jimin pensou que Yoongi desmaiaria ou explodiria de tão vermelho.

Antes que Yoongi resolvesse abrir a boca novamente, Hoseok entrou na sala, olhando pra os dois e principalmente pra Yoongi.

— Oi, Jimin. — Sorriu pro menor.

— Oi, Hoseok. — Retribuiu o sorriso.

— Eu estava procurando você, Yoon. — Yoongi finalmente levantou a cabeça, olhando pra Hoseok. — Mas acho que eu estou atrapalhando algo. Me desculpe, eu converso com você depois.

Hoseok ia saindo, mas Yoongi o parou.

— Eu-eu converso com Jimin de-depois — falou Yoongi, olhando pra Jimin.

— Ok, depois da aula nós conversamos.

Jimin saiu da sala, deixando Hoseok e Yoongi sozinhos.

— O que foi isto? — perguntou Hoseok. — Eu já vi você gaguejando quando tá com vergonha, mas assim...

— Você sabe que eu gosto dele — disse Yoongi, já conseguindo falar normalmente e menos vermelho.

— Mas então, sobre o que vocês estavam conversando? — perguntou Hoseok, indo se sentar em sua carteira e Yoon sentou na sua, que era perto da dele.

— Ele me pegou escrevendo na mesa dele — revelou Yoongi, deitando a cabeça na mesa. Ele já havia contato pra Hoseok no segundo dia e o amigo o incentivou a continuar.

— O que você falou?

— Nada, você chegou na hora. — Yoongi suspirou. — Nem sei o que eu iria falar.

— Diz a verdade, o pior que você vai ouvir é que ele não sente o mesmo, talvez isso te ajude. Se ele disser que sente algo, vocês podem ficar juntos, e se ele não sentir nada, você pode finalmente seguir em frente.

— Ele não sente nada por mim, eu já sei, e mesmo assim não consigo parar de gostar dele.

— Sabe que isso é paixonite de colégio, assim que terminarmos a escola, o que não falta muito, e começarmos a faculdade, você nem vai lembrar dele.

— Então não adianta eu dizer o que eu sinto, não fará diferença alguma. Vou apenas dizer que eu não gosto de ver as pessoas mal e por isto fiz isso.

— Não, Yoon, é melhor você contar o que sente e ter uma resposta do Jimin. Não quero ver você depois pensando "E se eu tivesse contado pra ele e ele sentisse algo por mim? Nós poderíamos estar juntos."

— Decida se acha ou não que eu posso esquecer ele — falou Yoon, um pouco nervoso.

— Calma aí Yoon, eu to dizendo que você deve sim falar com ele; nada melhor do que dizer o que sente. Não sei se você tá totalmente certo que ele não sente nada por você, e sim, eu penso que você pode esquecê-lo, mas não perca a oportunidade de dizer o que sente.

Assim que Hoseok fechou a boca, alguns alunos começaram a entrar. Minutos depois a sala já estava com todos os alunos e o professor.

O dia passou rápido aos olhos deYoongi, que nem sabia como falaria com o menor, e devagar pra Jimin, que estava ansioso pra conversar com Yoongi. No intervalo Jimin até tentou falar com o maior, mas ele saiu praticamente correndo da sala e Jimin não o viu no refeitório, então, pra não correr risco de Yoongi fugir, Jimin arrumou suas coisas rapidamente e ficou na porta, esperando-o. Já Yoongi saiu tranquilamente da sala com Hoseok, achando que Jimin havia esquecido e levando um susto quando deu de cara com menor no corredor.

— Podemos conversar agora, Yoon? — Yoongi sentiu suas bochechas queimarem e seu coração disparar ao ouvir Jimin chamá-lo de Yoon.

Ele olhou pra Hoseok e depois assentiu com a cabeça.

— Então já vou indo, tchau pra vocês. —Jimin e Yoongi acenaram pra ele.

— Podíamos conversar na soverteria que tem aqui perto, o que se acha?

Yoongi assentiu, e os dois foram rumo à sorveteria. Quando chegaram, escolheram seus sovertes e se sentaram em uma mesa perto da grande janela que dava pra ver a rua.

— Você é uma pe-pessoa muito le-legal.. —Jimin sorriu.

— Muito obrigado. Esse é o motivo? — Yoongi assentiu. —Mas as coisas que você escreveu... são verdades ou eram só pra me deixar feliz?

Jimin tentou disfarçar que isso o incomodava, mas não conseguiu. Achou fofo e ficou feliz por Yoongi achá-lo legal, porém se sentiu triste pela possibilidade do maior só ter escrito aquelas coisas por pena.

—Eu... Eu go-gosto de você — revelou Yoongi de cabeça baixa, mexendo no seu sorvete; o maior resolveu seguir o conselho de Hoseok. Yoongi só queria que Jimin falasse que não sentia nada por ele, ou algo que o magoaria paradar-lhe força paraesquecê-lo.

Jimin olhou-o com cara de espanto, não sabia o que dizer a Yoongi, não esperava ouvir isto do maior.

—Gostar como amigo? — Jimin viu Yoongi negar sem o olhar, o maior ficava cada vez mais vermelho. — Então é por isso que você sempre tá fugindo de mim? — Yoongi assentiu. — Eu pensava que você, por algum motivo, tinha medo de mim.—Jimin sorriu, vendo Yoongi comer o sorvete todo envergonhado. —Eu não vou mentir pra você, Yoon, eu não posso dizer que estou apaixonado por você...

Jimin sentiu seu coração se apertar ao ver Yoongi triste. O maior esperava que Jimin não sentisse nada por ele, só não pensou que doeria tanto saber disso pelo mesmo.

— Mas nós nem nos conhecemos direito. — Yoongi olhou-o sem entender o que Jimin dizia. — Eu pensei... Que tal nós sairmos em um encontro pra nos conhecermos melhor?

— Um... Um encontro?

— Sim. Você topa ir em um encontro comigo? — Yoongi pensou que iria desmaiar ali mesmo, seu coração batia forte dentro do peito e parecia ter milhões de borboleta em sua barriga.

— Si-sim.

— Ótimo. — Jimin sorriu. — Pode ser no sábado? — Yoongi assentiu. — Que horas?

— Eu to tra-trabalhando na biblioteca da ci-cidade, eu saio às 18.

— Então nos vemos às 20 horas? — Yoongi assentiu.

— Eu te-tenho que que ir, da-daqui apouco eu trabalho — disse Yoongi, levantando-se e pegando sua mochila.

Jimin fez o mesmo, e os dois foram lado a lado até a porta do estabelecimento.

— Então... — falou Jimin, ficando de frente pra Yoongi e o entregando seu celular. — Coloca seu número pra gente combinar melhor. — Yoongi pegou-o com as mãos um pouco trêmulas e anotou seu número, entregando o seu celular pra Jimin fazer o mesmo. — Até mais, Yoon.

Jimin entregou o celular pra o maior, deu-lhe um beijo na bochecha e saiu. Yoongi ficou um tempo parado com a mão onde Jimin havia beijado, sorrindo, depois pegou rapidamente seu celular e mandou uma mensagem pra Hoseok enquanto ia pro trabalho.

Yoonie:Adivinha quem vai ter um encontro?!

07/09 {12:55}

Hobi:Como assim??
07/09 {12:56}

Yoonie:Eu me declarei pro Jimin. Ele disse que não teria como ser apaixonado por mim sem nem me conhecer, então me chamou pra um encontro e eu aceitei. Vai ser no sábado à noite, eu to surtando internamente.

07/09 {12:58}

Hobi:Fico feliz por você, Yoon! Mais tarde eu vou aí, aproveito e durmo aí pra te ajudar amanhã com sua roupa.
07/09 {12:59}

Yoonie:Obrigado, Hobi. Tenho que ir, tchau!

07/09 {12:59}

Quando Jimin chegou em casa sua mãe não estava, dando-o um momento de paz, então correu pra seu quarto, deitando na cama e ligando pra Taehyung. Desde que ele foi embora, os dois criaram uma rotina: Jimin chegava do colégio e ligava para Tae pra ambos dizerem como foi sua manhã, e depois à noite ligava novamente pra conversarem até adormecerem.

— Jimin, o que aconteceu? Você sempre me liga quando chega do colégio... Foi sua mãe, né? O que aquela megera fez? Me diz que saio daqui e vou aí falar umas poucas e boas pra ela, não vai ter ninguém que me segure aqui! — falou Tae apressado, fazendo Jimin rir. —O que você tá rindo?

— De você, nem me deixa falar. Minha mãe não fez nada, pelo menos nada ainda. Eu saí mais cedo pra ir pro colégio, aí ela tava dormindo, e cheguei em casa agora e ela não está.

— Por que você me ligou só agora?

— É que eu saí com Yoongi pra comer sorvete depois que saímos do colégio —respondeu Jimin sorrindo.

— Yoongi? Min Yoongi? O garoto tímido que estuda com a gente há anos? O Yoongi que anda com Hoseok? — perguntou Tae, surpreso.

— Conhecemos outro Yoongi, por acaso?

— Não, mas eu pensava que ele tinha medo de você. — Jimin riu.

— Eu também, até disse isso pra ele.

— Mas então, por que vocês saíram juntos tão de repente?

— Se lembra da pessoa misteriosa que escreve na minha mesa?

— Ai, meu Deu, é ele! —gritou Tae, fazendo Jimin afastar o celular do ouvido.

— Quer me deixar surdo, criatura? E sim, é ele.

— Como você descobriu?

— Se lembra que você falou pra eu ir mais cedo pra pegar a pessoa no flagra? Então, eu fiz isso. Tae, eu pensei que ele ia explodir, ele tava muito vermelho e gaguejando demais, muito fofo.

— Mas então, ele te disse por que estava fazendo isso?

— Na verdade, na hora que ele ia dizer o Hoseok chegou, aí não deu mais pra falar, mas combinamos de falar depois do colégio, por isso fomos pra soverteria. Ele disse que gosta de mim, Tae, que me viu triste, então fez isso. Eu achei tão fofo!

— E você, Jimin, sente algo por ele? — Jimin suspirou, virando-se e ficando deitado de lado.

— Eu não sei, sabe? Eu confesso que tava me apaixonando pela pessoa que me deixava as mensagens, mas é confuso agora... Eu mal o conheço.

— E o que você vai fazer?

— Eu já fiz. Chamei ele pra um encontro amanhã à noite pra nos conhecermos —contou Jimin, sorrindo.

— Fico feliz por alguma coisa boa ter te acontecido, Jimin. Me diz, pra onde vocês vão?

— Pra falar a verdade, eu ainda não sei. Tenho que ver onde dá pra levá-lo com o dinheiro que eu tenho guardado, que não é muita coisa. — Jimin suspirou triste. Aquele era um dinheiro que ele havia guardado escondido de sua mãe, pois sabia que ela iria querer o dinheiro se visse.

— Mudando de assunto, como vão as coisas aí na sua casa? Ontem à noite você não falou muito.

— Aconteceu o de sempre... — Antes que Jimin falasse mais algo, ele escutou um barulho de porta se abrindo e logo em seguida sendo batida com força. — Tae, eu ligo pra você à noite, minha mãe chegou.

— Ok, mas à noite você vai me contar tudo!

— Tá, tchau.

— Tchau.

Jimin desligou, levantando-se, e quando estava indo em direção à porta, sua mãe apareceu com uma cara não muito boa.

— O que você tava fazendo? — disse seriamente.

— Eu tava falando com o Tae — falou baixo, quase num sussurro.

— Ah, bonito, antes de arrumar a casa ou fazer comida fica aí batendo papo com seu amiguinho. Nem pra trabalhar presta! —expôs rudemente. — Está esperando o que, Park Jimin, pra arrumar aquela bagunça que tá na cozinha e fazer o almoço? — ordenou, logo em seguida, saindo do cômodo.

Jimin desceu rapidamente pra cozinha, encontrando a maior bagunça. Suspirou; seria uma tarde longa.

O dia de Yoongi também não foi um dos melhores. A biblioteca lotou, não dando tempo nem pra Yoongi respirar, ele nem conseguiu pensar muito no encontro. Quando deu seu horário, sentia-se exausto, queria somente sua cama.

Ao chegar em casa, encontrou Hoseok deitado em seu sofá, o que não assustou Yoongi. Ele havia dado a chave de seu apartamento pro amigo já fazia tempo, uma vez que toda as vezes Hoseok ficava na porta esperando até Yoongi chegar.

— Finalmente chegou — disse Hoseok ainda no sofá.

— Eu nunca vi aquela biblioteca tão cheia como hoje — comentou Yoongi, jogando-se na poltrona que ficava ao lado do sofá que Hoseok estava.

— É semana de prova pro primeiro e segundo ano, sem dizer que muitos estão estudando pra conseguir passar nas provas pra faculdade.

— Eu havia esquecido disso. Preciso tomar um banho e dormir — disse Yoongi, levantando-se.

— E a nossa conversa?

— Nós podemos conversar amanhã — falou Yoongi, indo, em seguida, direto pro banheiro tomar um banho demorado pra relaxar.

Deitado em sua cama com seu pijama quentinho, pronto pra dormir, resolveu dar uma olhada no celular, vendo que tinha duas mensagens.

Mãe:Yoon, meu amor, não se esqueça que domingo eu e seu pai chegaremos aí.

07/09 {17:49}

Yoonie:Ok, mãe. Vou buscar vocês na rodoviária, só me dizer o horário.

07/09 {19:59}

Jimminie:Oie, Yoon, sei que provavelmente você vai estar trabalhando, mas queria saber se está de pé o encontro de amanhã?
07/09 {16:24}

Yoonie:Oi, Jimminie! Está de pé, sim.

07/09 {20:01}

Yoongi estava tão cansado que nem esperou uma resposta de Jimin. Bloqueou a tela do celular, deixando-o na cômoda do lado da cama, e dormiu.

No dia seguinte Yoongi acordou superanimado, pois seria o dia do encontro com Jimin, então se levantou às 8 horas, já que não gostava de acordar muito tarde pra dar tempo de arrumar a casa antes de ir trabalhar. Foi direto pro banheiro, fazendo suas higienes matinais, e, em seguida, foi pra cozinha, encontrando Hoseok dormindo todo torto no sofá.

Tomou um copo de café e comeu um pão. Em seguida, resolveu já arrumar a bagunça que Hoseok sempre fazia em seu apartamento, na sala mesmo havia copo sujo perto do sofá e uma vasilha com resto de pipoca na mesa de centro; isso sem falar nas roupas jogadas no chão.

— Hoseok não sabe o que é roupa suja ou lixeira, nem pia — disse, recolhendo tudo que estava jogado.

Yoongi conseguiu arrumar toda a casa enquanto seu amigo continuava dormindo no sofá. Só após terminar tudo que pegou o celular, vendo que havia mensagens do Jimin.

Jimminie:Bom dia, Yoonie.
08/09 {07:15}

Jimminie:Espero não te incomodar te chamando assim. É que Hoseok já te chama de Yoon, queria te dar um apelido que só eu o chamasse.
08/09 {07:15}

Yoongi sorriu ao ver a mensagem de Jimin.

Yoonie:Bom dia. Você pode me chamar de Yoonie, mas com uma condição...

08/09 {10:03}

Yoonie:Eu poder te chamar de Jimminie.

08/09 {10:03}

Jimminie:Tá combinado, Yoonie.
08/09 {10:04}

Yoonie:O que você faz acordado às 7 horas da manhã em um sábado?

08/09 {10:05}

Jimminie:Eu trabalhava cedo nos sábados e acostumei
08/09 {10:05}

Aquilo não era totalmente mentira. Jimin realmente trabalhava na parte da manhã aos sábados e domingos, mas esse não era o verdadeiro motivo dele ter acordado tão cedo. O motivo era sua mãe, que naquele dia resolveu acordar às seis horas da manhã e acordar Jimin aos gritos pra arrumar a casa, falando como Jimin era inútil e não fazia nada.

Aquilo o machucava muito, pois ele sempre tentou fazer de tudo pra ajudar sua mãe. Esteve ao lado dela quando houve a separação, esta pela qual ela o culpou, dizendo que eram felizes até Jimin nascer; quando trabalhava, dava quase todo seu salário em casa e até mesmo sempre ajudava na limpeza da casa, mas ela nunca reconhecia o que ele fazia e sempre o machucava com palavras, ofendendo-o.

Ele achou que Yoongi não precisava saber disso, pelo menos não agora.

Yoonie:Você trabalhava de quê?

08/09 {10:06}

Jimminie:Eu trabalhava como balconista em uma padaria perto de casa.
08/09 {10:06}

Yoonie:Jimminie, por que você tava tão pra baixo?

08/09 {10:07}

Yoonie:Se não quiser contar, tudo bem.

08/09 {10:07}

Jimminie:Não é só uma coisa, são várias.
08/09 {10:08}

Jimminie:E algumas muito pessoais.
08/09 {10:08}

Jimminie:Então eu posso te falar outro dia, porque não sei se seria um assunto legal pra se falar em um encontro...
08/09 {10:09}

Encontro. Esta simples palavra fazia o coração do Yoongi bater tão forte que ele chegou a pensar que estava tendo um infarto, sentia um frio imenso na barriga.

Yoonie:Por mim tudo bem, mas se precisar de alguém pra conversar, eu to aqui.

08/09 {10:10}

Jimminie:Obrigado, Yoonie.
08/09 {10:10}

Jimminie:Me passa seu endereço.
08/09 {10:11}

Yoonie:Você tem carro???

08/09 {10:11}

Jimminie:Não ksks, nem carta eu tenho, vou pedir um táxi pra nós irmos.
08/09 {10:12}

Yoonie:Eu também não tenho carro e nem sequer carta ksks.

08/09 {10:12}

Yoonie:Meu endereço é ****.

08/09 {10:13}

Jimminie:Tenho que ir, Yoonie. Vou ficar a manhã inteira ocupado, e você trabalha na parte da tarde, então... Até às oito.
08/09 {10:13}

Yoonie:Até!

08/09 {10:13}

Após se despedir de Yoongi, Jimin voltou a lavar a louça com medo de que sua mãe aparecesse. Ela havia tirado toda a louça do armário dizendo que estava sujo e fez Jimin lavar tudo. Ele não sabia quando teria um tempo de descanso e sabia que Yoongi trabalharia à tarde, então precisou mandar uma mensagem pra pegar o endereço dele.

Yoongi, assim que terminou de falar com Jimin, viu Hoseok o olhando estranho, só então percebeu que ainda sorria igual um idiota. Esse era o efeito que Jimin lhe causava.

— Por que tava sorrindo pro celular, Yoon? — perguntou Hoseok, sentando-se no sofá.

— Eu tava falando com o Jimminie —respondeu, indo, em seguida, se sentar no sofá perto de onde Hoseok tava.

— Jimminie? Falou com o cara uma vez e já tá intimo dele — comentou Hoseok, zoando Yoongi.

— Fica quieto. Agora me diz, por que você dormiu no sofá, sendo que tem um quarto de hóspedes? Você poderia aproveitar, já que quando meus pais chegarem você realmente vai ter que dormir no sofá.

— Eu tava assistindo um filme, depois fiquei com preguiça de deitar no quarto.

— Ah! Por isso deixou minha sala parecendo um chiqueiro?

— Não tava um chiqueiro —disse Hoseok, revirando os olhos.

— Não? Tinham suas roupas, copo e vasilha, tudo sujo e jogado pela minha sala. Espero que você não faça isso quando meus pais estiverem aqui, sabe como minha mãe é com bagunça.

— É, eu sei, ela é igual você.

— Não, ela é pior. Eu penso duas vezes antes de tacar um chinelo em alguém.—Os dois riram, lembrando-se de uma vez quando eram mais novos e deixaram uma bagunça na sala da casa onde Yoongi morava com seus pais. A mãe de Yoongi tacou um par de chinelos nos dois, um acertando a barriga de Hoseok e outro a testa de Yoongi.

— É, sua mãe é perigosa.—Eles riram.—Seus pais chegam que dia?

— Amanhã. Meu pai vai começar a trabalhar só semana que vem, e minha mãe no final do mês, mas eles quiseram vir antes, tanto pra arrumar tudo como pra passar mais tempo comigo, pois não sei quando verei eles quando eu for pra Seul, já que eu também vou estar trabalhando. — Yoongi suspirou.

Ele havia conseguido um bom emprego de meio período perto do campus da faculdade. Ele combinou com o seu chefe que começaria na segunda semana de dezembro, assim poderia pelo menos participar da formatura do colégio. Também conseguiu um quarto bem barato no campus; ele dividiria com um dos alunos.

— Fico feliz por vocês, eu não tive essa sorte, mas meus pais prometeram que sempre que der, vão me visitar, e eu farei o mesmo.

Os pais de Hoseok, assim como os de Yoongi, moram em Daegu. Ambos foram emancipados pra virem pra Busan e estudar, já que os colégios de Daegu não eram muito bons. Os dois haviam arrumado emprego juntos, então Hoseok nem poderia ir visitar seus pais antes do começo das aulas da faculdade.

— Eu sinto muito, Hoseok.

— Não sinta. Eu vou realizar meu sonho, fazer a faculdade que eu amo, então isso será somente um sacrifício pra realizá-lo. Mas vamos parar de falar disso, vamos falar da sua ida na sorveteria com Jimin.—Yoongi contou tudo, desde quando chegaram à soverteria ao beijo na bochecha que Jimin lhe deu.—Eu não entendo como vocês vão conversar, porque você não consegue nem falar duas palavras sem gaguejar a cada sílaba —disse Hoseok, rindo.

— Há, há, há. To morrendo de rir —disse Yoongi ironicamente.

— Mas então, você não faz ideia de onde ele vai te levar?

— Não, e também não faço ideia do que vestir.

— Eu vou te ajudar. Nós precisamos escolher algo bonito que não seja tão elegante, pois vai que eleteleva para um lugar mais simples; mas também não pode ser muito simples, temos que pensar que ele pode te levar para qualquer lugar, desde um lugar simplesparaum mais chique.

— Ele não vai me levar a um lugar elegante, Hoseok. No máximo em uma hamburgueria.

— Por que você acha isto?

— Porque nós estudamos em um colégio público e ele disse que tá desempregado. De onde ele vai tirar dinheiro pra me levar em um lugar elegante, Hoseok?

— Vai saber, vai que ele quer te causar uma boa impressão.

— Eu que sou afim dele, eu que devia tentar causar uma boa impressão.

— Tá, então vamos vestir em você algo simples mas bonito, ok?

— Ok.

Os dois passaram a manhã escolhendo a roupa, Hoseokescolhia umlooke fazia Yoongivestir pra ver como ficava. Ficaram tão entretidos nisso queYoongiperdeu a hora do trabalho, chegando meia hora atrasado.

JáJiminpassou a manhã inteira faxinando, sua mãe sólhedeu sossego quando já eram mais de três da tarde.Jiminaproveitou pra tirar um cochilo pra não parecer tão morto no encontro comYoongi.

O dia passou voando pra ambos, pra Jimin porque dormiu a tarde inteira, acordando em cima da hora e mandando mensagem praYoongique iria se atrasar um pouco; epra Yoongiporque, assim como no dia anterior, a biblioteca lotou, fazendo-o chegar tarde em casa e respondendo à mensagem deJimincom "Também vou me atrasar um pouco".

Jimin saiu de casa às 20:22 escondido da sua mãe, que havia tomado uns calmantes e apagou. Quando chegou na frente do prédio que Yoongi lhe passou o endereço, o maior estava o esperando. No momento que em que avistou Jimin, deu um sorriso pequeno eadentrouo carro.

— O-oi — disse Yoongi, vendo o motorista o olhar estranho.

— Oi, Yoonie. — Jimin deu lhe um beijo na bochecha, fazendo Yoongi ficar todo corado. Yoongi percebeu que o motorista fechou totalmente a cara e olhou pra frente. — Algum problema? — falou Jimin baixo ao perceber que Yoongi olhava pro motorista.

— Nada de ma-mais. — Yoongi olhou pra Jimin todo corado.

— Você fica muito fofo, envergonhado: gagueja e fica todo vermelhinho. — Jimin passou seu dedo indicador nas bochechas coradas de Yoongi.

O caminho foi tranquilo,Jiminficou olhando pela janela, já Yoongi ficou reparando no motorista, que se manteve de cara feia o caminho todo e nem sequer deu uma olhada pros dois no banco detrás.Yoongisabia o porquê daquilo, ele conhecia muito bem aquele olhar, aquela cara feia; era a mesma cara que seus tios por parte de pai fizeram quandoYoongiassumiu ser gay. Aquilo oincomodava,mas não deixaria que issoestragassesua noite comJimin.

Quando chegaram ao destino, pagaram o motorista, que deu um olhar de nojo pros dois antes delessaíremdo carro; olhar queJiminnem reparou, já que estava mais concentrado olhando pra o local.

Somente quandosaíramdo carro que puderam reparar na roupa que cada um vestia. Jiminvestia umacamisetarosa bebê, umacalçajeans azul-claro rasgada no joelho e umtênisbranco; jáYoongiusava uma camiseta preta social dobrada até o cotovelo, uma calça jeans preta e umtênispreto.

YoongianalisouJimindiscretamente, enquanto JiminmediuYoongide cima a baixo na maior cara de pau, ficando chocado em como nunca havia notado comoYoongi era bonito. O maior ficou totalmente vermelho.

— Aqui é um lugar muito especial pra mim —disse Jimin praYoongina entrada de um restaurante simples.—Quando eu era criança, meu pai sempre me trazia aqui.

Os dois entraram juntos, escolhendo uma mesa em um canto e sentando.

— Por quevo-vocêsnãovem ma-mais aqui? — Jimin olhou paraYoongipensando se deveria conversa com mais velho algo tão pessoal, mais por algum motivo se sentia confortável em falar algo assim com o maior.

— Quando eu tinha 12 anos, o casamento dos meus pais, por algum motivo que eu não entendo, começou a ficar abalado. No início eram umasdiscussõespor ter esquecido alguma data, depois porque meu pai sempre chegava tarde, aí minha mãe descobriu que ele tinha um caso com a melhor amiga dela e ela tinha um filho do meu pai. Eles começaram a ter brigas piores por causa da criança, pois minha mãe queria proibir tanto eu como meu pai de ver meu irmão. As brigas começaram a ser maisagressivas,um batendo no outro, tacando coisas um no outro... Até que um dia eles resolveram se separar. Eu pensei que seria melhor, mas meu pai nem me liga mais e minha mãe desconta toda a raiva dela em mim.

Jiminachou que seriadifícilcontar isto praYoongi,mas porincrívelque pudesse parecer, Jimin se sentia mais leve.

— Eu sin-sinto mu-muito... — falou Yoongi, pegando a mão de Jimin em cima da mesa.—Esse é omo-motivo de você estar tri-triste?

— É um dos motivos — disse Jimin, olhando pra suas mãos juntas.

A mão de Yoongi era bem maior do que a de Jimin, ele possuía dedos longos com a mão cheia de veias, já a de Jimin era gordinha com dedos pequenos, lembrava até a mão de um bebê. Yoongi fazia um leve carinho na mão de Jimin.

— Vamos comer algo e conversar sobre nós, depois falamos disso. — Yoongi assentiu.

Eles conversaram sobre tudo.

Jimin disse que conheceu Tae na pré-escola e a partir daquela época se tornaram melhores amigos. Contou como foi difícil vê-lo indo embora, disse que queria fazer faculdade de veterinária, mas não havia conseguido passar pra nenhuma faculdade, então iria fazer algum curso barato na faculdade que tinha em Busan mesmo. Disse sobre seu relacionamento com sua mãe, em como queria arrumar um emprego e voltar a ser independente; que, apesar de dizer pra todos que não queria estar em um relacionamento, sempre sonhou com príncipe encantado e falou que nunca teve coragem de contar pra seus pais que era gay.

Já Yoongi, com bastante dificuldade, já que gaguejava muito, contou que sempre foi amigo de Hoseok, já que suas mães eram amigas desde o colégio e moravam uma do lado da outra. Falou de como seus pais o apoiaram, tanto na decisão de estudar em Busan como de ter assumido ser gay, de como seus tios o rejeitaram por ser o que ele era; contou que não é gago, só gagueja quando está muito nervoso... Também contou que se apaixonou por Jimin desde que o viu pela primeira vez.

Falaram de seus gostos pra músicas, filmes, séries e comidas, programas preferidos e coisas como cor favorita. A única coisa que Yoongi não contou foi sobre a bolsa em Seul, ele viu como Jimin ficou mal quando disse que não passou em nenhuma faculdade, não queria por algum motivo deixá-lo pior.

Quando eles deram por si, eram mais de dez horas da noite e havia somente os dois no restaurante. No momento que foram pagar, tiveram uma "briga" pra ver quem iria pagar, já que Jimin dizia que ele convidou, então ele pagaria, e Yoongi falava que não era justo Jimin gastar suas economias assim. No final, eles dividiram a conta.

Foram para fora do restaurante, Jimin entrelaçou seus dedos nos de Yoongi, que corou. Os dois ficaram de mãos dadas, esperando o táxi que Jimin pediu chegar. Na hora em que chegaram, Jimin soltou a mão de Yoongi somente para entrar e sentar; assim que estava confortável no banco de trás, Jimin não só entrelaçou seus dedos nos de Yoongi como encostou sua cabeça no ombro dele.

O maior olhou pra motorista, que deu um sorriso.

O caminho foi tranquilo e em silêncio, Yoongi só sabia que Jimin estava acordado, pois ele fazia um leve carinho em sua mão com seu polegar. O primeiro destino foi o apartamento de Yoongi.

— Tchau, Yoonie—falou Jimin, soltando da mão de Yoongi e tirando a cabeça do ombro dele, mas sem se afastar muito, tendo seus rostos a milímetros de distância.

— Tcha-tchau.

Tomado por uma coragem que ele nem sabia de onde vinha, Yoongi deu um beijo na bochecha de Jimin, saindo quase correndo do carro. Jimin ficou alguns segundos em choque, não esperando que o maior teria qualquer tipo de atitude assim, já que era muito tímido.

— Um minuto — falou Jimin pra motorista, que assentiu.

O menor saiu do carro e foi em direção a Yoongi, que estava tentando abrir o portão.

—Yoonie...

Yoongi virou-se e, antes mesmo de dizer qualquer coisa, sentiu os lábios de Jimin se chocando com os seus. Começou com um selinho, então surpreendentemente Yoongi pediu passagem, dando um pequeno susto em Jimin que novamente não esperava. Foi um beijo calmo e rápido, pois apesar de querer que não acabasse, Jimin também não queria que a motorista ficasse esperando muito tempo.

Quando se afastaram, ficaram com as testas coladas uma na outra.

—Eu amei nosso encontro e quero que isso aqui...—Apontou pra os dois.—Funcione.—Jimin deu um selinho demorado em Yoongi.—Tchau!

Saiu em direção ao carro, deixando um Yoongi em choque parado ali.

—Me desculpe por ter feito você ficar esperando — falou Jimin após ter ficado distante do apartamento de Yoongi.

— Não precisa pedir desculpa, foi muito lindo e vocês fazem um casal muito fofo — disse a moça sorrindo, fazendo Jimin abrir um enorme sorriso.

— Obrigado.

O resto do caminho não foi mais tão calado, os dois foram conversando sobre o filho da motorista que lembrava muito Jimin e também era gay e de como ele teve medo de contar pra ela que gostava de garotos. Quando chegou, Jimin ficou um pouco triste, porque estava muito boa a conversa.

—Tchau, Hye, foi um prazer te conhecer, espero que nos encontremos novamente.

Ao entrar dentro de casa, Jimin se deparou com sua mãe sentada no sofá com uma cara nada boa.

— Onde você estava até uma hora dessa, Park Jimin?—disse, nervosa.

— Eu saí com um amigo e não vi a hora passar —disse Jimin de cabeça baixa.

— Pra fazer alguma coisa aqui dentro de casa ou trabalhar você não presta, mas bater perna rapidinho você vai —falou nervosa, levantando-se. Jimin se manteve calado.—Vai pro seu quarto que eu não quero mais ver sua cara hoje!

Jimin saiu, rapidamente trancando a porta de seu quarto e se jogando na cama. Pegou o celular pra enviar uma mensagem pra Yoongi.

Jimminie:Eu cheguei bem.

08/09 {22:56}

Yoonie:Espero que sua mãe não tenha brigado com você por ter chegado tão tarde.
08/09 {22:56}

Jimminie:Pra ser sincero, ela falou um monte de merda, mas isso ela faz todos os dias. Não precisa se preocupar.

08/09 {22:57}

Yoonie:Eu sinto muito, Jimminie.
08/09 {22:57}

Jimminie:Não precisa, não é sua culpa.

08/09 {22:57}

Yoonie:Por mim eu passaria a noite falando com você, mas vou ter que acordar cedo amanhã pra buscar meus pais na estação.
08/09 {22:58}

Jimminie:Eu entendo, Yoonie. Então boa noite, bjs.

08/09 {22:58}

Yoonie:Boa noite, Jimminie, bjss.
08/09 {22:58}

Ambos dormiram pensando no encontro e, principalmente, no final dele.

Um mês depois

Durante esse mês, Jimin e Yoongi se tornaram muito próximo. Conversavam sobre tudo, todos os dias após as aulas os dois ficavam conversando até dar o horário de Yoongi ir trabalhar. Quando Jimin chegava em casa, escutava um monte de sua mãe, mas ele sabia que se fizesse algo ou não, ela iria criticar ele.

Nesse tempo, eles haviam somente trocado beijos e carinhos, nada mais íntimo. Jimin gostava do que eles tinham, mas queria ter um relacionamento sério com ele.

Durante este um mês, Jimin se encontrava completamenteapaixonado por Yoongi. Sentia-se como jamais havia se sentido antes, seu coração sempre disparava ao vê-lo, sua barriga parecia que tinha várias borboletas e sempre ficava ansioso pra revê-lo.

Yoongi também queria algo sério com Jimin, mas ele se lembrava de que em menos de dois meses iria embora pra Seul e nem havia contado pro menor. Yoongi não gaguejava mais na presença de Jimin, somente quando o menor resolvia ficar o elogiando.

—O que o Jimin tá fazendo? — perguntou Hoseok a Yoongi.

Era domingo e eles estavam na casa de Hoseok estudando para a prova que teriam segunda. Para Hoseok, se Yoongi estava ali com ele, então Jimin estava fazendo algo muito importante, já que os dois não se desgrudavam mais, deixando até Hoseok um pouco de lado.

— Não sei o que ele deve estar fazendo. Por que a pergunta? — questionou Yoongi, ainda concentrado no livro de química.

—É que ultimamente vocês andam tão grudado, você nem vem mais aqui em casa.

— Você também não vai lá em casa.

— Pra quê? Nos dois dias que eu fui você ficou grudado no celular falando com Jimin.

— Desculpa — falou Yoongi, finalmente olhando pra Hoseok.—É só que a gente vai embora, Hoseok, e ele vai ficar aqui.—Yoongi suspirou, triste.

— Você não contou ainda pra ele que vai embora?

—Eu não falei ainda, você sabe como eu queria isso, e agora...—contou Yoongi, triste.

— Eu sei, mas ele merece saber disso—afirmou Hoseok, colocando a mão no ombro de Yoongi.

— Eu sei, é só que eu não queria perdê-lo.

— É inevitável, Yoongi, você vai embora.

— Ok, eu vou falar hoje pra ele.

Yoongi mandou uma mensagem pra Jimin, marcando de vê-lo em seu apartamento às 15 horas pra conversar. O maior passou a manhã estudando com Hoseok, saindo da casa dele às 14 horas e indo direito pro apartamento se arrumar; já Jimin passou o dia descansando, já que sua mãe resolveu passar o dia na casa de uma amiga. Quando deu 14 horas, começou a se arrumar pra ir pra casa de Yoongi.

Jimin chegou às 15 horas em ponto na porta do apartamento de Yoongi, sua entrada foi liberada rapidamente pelo zelador, uma vez que Jimin vinha todos os domingos. O menor subiu rapidamente as escadas, estava ansioso pra ver Yoongi, eles haviam trocado somente um simples bom dia de manhã.

No primeiro toque da campainha Yoongi apareceu. Ele vestia uma camiseta larga da Eleven deStranger Things, uma bermuda preta até o joelho e um chinelo preto, agora Jimin vestia uma camiseta branca que ia até o cotovelo, uma bermuda bege mais justa no corpo que ia até metade da coxa, umAll Star branco e um óculos de sol.

— Oi, Yoonie — falou Jimin, dando um selinho no maior.

— Oi, Jimminie — disse, dando passagem pra Jimin entrar. Jimin tirou os óculos, colocando-os pendurados na blusa e indo se sentar no sofá, sendo acompanhado por Yoongi.—Vo-você quer al-algo? — Yoongi xingou-se mentalmente por ter gaguejado, mas agora, de frente para Jimin, se sentia nervoso pra contar tudo.

— Não. Aconteceu algo, Yoonie? Você tá nervoso—questionou Jimin, ajeitando-se melhor e ficando sentado de lado, de frente pra Yoongi, que estava sentado do mesmo modo.

— Eu... Eu...—Yoongi respirou fundo e olhou pra seus dedos em seu colo.—Eu vou embora pra Seul depois da formatura.—O maior levantou o rosto pra ver a expressão de Jimin, que tinha os lábios entreabertos, surpreso, pois não esperava ouvir isso.

— Você conseguiu uma bolsa em Seul, não foi? — Yoongi assentiu. Jimin queria muito ficar feliz por Yoongi, mas a dor em seu peito não deixava.—E como a gente fica?

— Não sei, tudo isso parece ser um sonho e às vezes, eu tenho medo de acordar e ver que não é real.

— Eu também me sinto assim, Yoonie, e sinceramente, penso que não devíamos ficar antecipando sofrimentos.

— Como assim?— perguntou Yoongi, sem entender.

— Acho que deveríamos aproveitar esse tempo em que podemos ficar juntos, depois veremos o que fazer—explicou Jimin e, logo em seguida, beijou Yoongi. Os beijos deles sempre eram calmos e lentos, demostrando todo o sentimento que sentiam um pelo outro.

Os dois aproveitaram até a noite juntos, beijando-se e trocando carinho. Quando era por volta da oito da noite, os pais de Yoongi já haviam chegado do serviço e o senhor Min fez questão de levar Jimin pra casa.

Os dias foram passando rápido demais na visão de Yoongi e Jimin. O menor havia conseguido um emprego de meio período em uma lanchonete perto do colégio, ele entrava no mesmo horário que Yoongi, dando para ambos continuarem com as idas na sorveteria após as aulas. A única diferença era que Jimin trabalhava aos domingos, folgando somente um dia durante a semana. Eles aproveitavam qualquer minuto que tinham juntos. Yoongi ia todo domingo na lanchonete em que Jimin trabalhava para, pelo menos, ver o menor.

Neste meio tempo eles não haviam trocado algo mais que mãos bobas, ambos eram virgens e não queriam apressar nada, pois ainda estavam se conhecendo. Jimin sempre quis esperar por seu príncipe encantado, e Yoongi só havia trocados uns beijos — ele era tímido demais pra dar o primeiro passo e as pessoas com que ele já havia ficado nunca tentaram nada além de beijos —, e queriam que fosse algo especial. Os dois chegaram até a dormir juntos na casa de Yoongi, mas ambos não pensavam que estavam prontos pra isso.

O dia da formatura havia chegado e com ele, um aperto no coração de Jimin e Yoongi, que sabiam que seria o último dia deles juntos. Ambos estavam em sua casa se arrumando. Era uma quinta-feira, Jimin pegou uma folga, e no dia anterior foi o último dia de Yoongi na biblioteca.

A formatura começaria ao meio-dia, os pais de Yoongi buscariam Jimin, já que sua mãe disse que não perderia o tempo dela. Às 11:40 em ponto, os Min's apareceram na porta da casa de Jimin. O menor vestia um blazer e calça social cinza, uma blusa social branca, uma gravata preta e um sapato social preto. Quando Jimin entrou no carro, sentando-se atrás com Yoongi, pôde ver como ele estava vestido, trajava uma roupa social totalmente preta e não usava gravata.

Jimin deu um selinho em Yoongi, cumprimentando-o, e a seus pais também.

— Você está lindo—elogiou Yoongi, olhando pra Jimin e pegando a mão dele, entrelaçando seus dedos.

— Você também está lindo, Yoonie.—Jimin deu um selinho em Yoongi, forçando um sorriso.—Você não está usando gravata, por quê?

— Odeio gravatas, me sinto sufocado.

O restante do caminho foi em silêncio. Quando chegaram ao colégio, foram direto pra sala, pois a professora faria uma última reunião com os alunos. Os dois sentaram-se junto com Hoseok que, dos três, era o único que estava feliz.

— Boa tarde, pessoal—disse a professora ao entrar na sala. Ela começou a repassar o que ela estava falando durante toda a semana, tanto Jimin como Yoongi nem sequer prestaram a atenção no que ela falava, os dois estavam concentrados em seus pensamentos de que era hoje era último dia deles juntos.—Então vamos, vocês já sabem onde vão sentar.

Todos saíram da sala, pegando a beca na porta. Yoongi e Jimin se mantiveram de mãos dadas todo o momento. Houve um discurso feito por um dos alunos da sala deles, mas novamente ambos não prestaram atenção. Durante o tempo em que estavam juntos, eles não falaram de como seria nesse dia, como eles ficariam, pois ambos tinham medo do que aquilo significava e agora que havia chegado,eles não sabiam o que fazer.

Após a foto com todos, Jimin saiu de lá sem nem ao menos falar com Yoongi, que até ia atrás dele, mas seus pais o param pra parabenizá-lo. O menor foi direto pro banheiro do colégio e retirou sua gravata. Jimin olhou-se no espelho, já escorriam lágrimas por seu rosto. Ele sabia que não ia aguentar mais tempo ali com Yoongi sem chorar.

Seu peito doía. Ele nunca pensou que doeria tanto quando começou com tudo isso, ele não sentia nada além de um sentimento de gratidão pelo que Yoongi havia feito por ele, e agora se encontrava completamente apaixonado pelo maior.

Jimin jogou uma água no rosto. Quando terminou de secar o mesmo, viu Yoongi parado na porta.

— Você saiu sem dizer nada— falou Yoongi, saindo da porta e ficando de frente para Jimin.

— Eu precisava ficar um pouco sozinho... — explicou Jimin, jogando o papel no lixo.

— Você tá bem?— perguntou, fazendo um leve carinho nas bochechas vermelhas de Jimin.

— Como eu estaria bem com tudo isso, Yoonie?— questionou Jimin, tirando a mão de Yoongi de seu rosto e a segurando.

— Eu sei que é difícil. Eu gosto de você, Jimin, há muito tempo, não sabe como me dói ir embora.

— Eu quero ir embora, Yoongi, não quero ficar fingindo que estou bem.

— Ok, nós vamos embora, eu vou só avisar meus pais e Hoseok.— Yoongi deu um beijo na testa de Jimin e saiu do banheiro, indo até onde seus pais estavam.— Mãe, pai— chamou, tendo a atenção de ambos que estavam antes conversando com um dos professores.— O Jimin não está se sentindo muito bem, então vou o levar embora.

— Ok, filho, fala que mandamos melhoras pra ele e se você for dormir fora, nos avise, ok?— Yoongi assentiu, indo atrás agora de Hoseok que estava falando com alguns colegas, mas assim que viu Yoongi, se afastou, indo em direção ao amigo.

— Yoon, os meninos estavam falando que vão fazer uma festa de despedida com os formandos e falaram pra eu chamar você e o Jimin pra ir também — comunicou Hoseok, animado.

— Não vai rolar, Hobi, eu quero passar este último dia somente com o Jimin, sem dizer que nós ainda não tivemos uma conversa de como ficaremos, e nem eu e nem ele estamos com clima pra festa.

— Percebe-se, vocês ficaram com esta cara de enterro o tempo todo, parece que tá morrendo alguém.

— Hobi, entenda, se você estivesse com seu grande amor e soubesse que a partir de amanhã só Deus sabe quando você o veria, como você estaria?

— Tá bom, eu entendi. Mas você não pode desistir da bolsa, Yoon!

— Eu não vou, só vim avisar que eu to indo embora com Jimin e que eu encontro com você amanhã às 9 horas no aeroporto, combinado?

— Combinado... Yoongi, espera.— Hoseok o chamou quando ele já estava saindo, mas Yoongi voltou assim que ouviu o maior o chamar.— Eu sei que posso me arrepender disso, mas...— Pegou sua chave do bolso.— Vocês vão precisar de um lugar calmo pra conversar e de privacidade. Você falou que a mãe dele não é muito legal e querendo ou não, vocês não terão muita privacidade por causa de seus pais, então vocês podem ir lá pra casa, já que eu vou chegar somente de madrugada mesmo. Mas como uma condição: se forem transar, transem no quarto de hóspede! Nada de transar na minha sala ou no meu quarto, estamos entendidos?— avisou, entregando a chave pra Yoongi, que a pegou e o abraçou.

— Muito obrigado, Hobi, você é o melhor amigo de todos!— Yoongi soltou o abraço.— Nos vemos amanhã.

Yoongi foi em direção ao banheiro, vendo Jimin o esperando encostado na parede perto da porta.

— Vamos—disse Yoongi, pegando na mão de Jimin, que assentiu.

Os dois pegaram um táxi. Jimin foi o caminho todo segurando a mão de Yoongi e com a cabeça apoiada em seu ombro, só percebeu que não estava nem na sua casa e nem na de Yoongi quando desceram do carro.

— Onde a gente tá? — questionou Jimin quando viu Yoongi abrindo o portão do prédio onde estavam.

— Estamos indo pro apartamento do Hoseok— explicou, abrindo o portão pra Jimin entrar.— Ele vai pra festa na casa de um dos nossos colegas depois da formatura e disse que só volta de madrugada, e nós precisávamos de um lugar calmo pra conversar, então ele ofereceu o apartamento dele.

Os dois subiram em silêncio de mãos dadas, não demorou pra chegar no apartamento de Hoseok já que ficava no terceiro andar.

— Você quer comer algo?— perguntou Yoongi quando havia já entrado no apartamento.

— Não, obrigado— falou Jimin, sentando-se no sofá, sendo acompanhado por Yoongi.

— Já são mais de cinco da tarde, Jimin, você deve estar com fome. Você mesmo me disse que não comeu nada antes de ir pra formatura.

— Eu não estou com fome.

— Mas vai comer! Eu vou cozinhar algo rápido pra nós dois comermos e depois conversamos—determinou Yoongi, indo pra cozinha.

Jimin ficou o tempo todo quieto na sala, esperando Yoongi, que não demorou muito pra vir com dois pratos com lámen. Os dois comeram em silêncio.

— Como a gente vai ficar com isto tudo?— indagou Jimin depois que Yoongi voltou da cozinha, onde foi levar os pratos de ambos.

— Não posso, na verdade, não devo pedir pra me esperar, pois não é coisa de um a dois anos, mas sim cinco, Jimin. Cinco anos que eu vou viver em Seul, sem data pra vir visitar você ou meus pais, porque também vou estar trabalhando.

— Então é nosso fim—declarou Jimin com os olhos marejados.

— Você nem imagina como isso me dói— lamentou Yoongi, já com lágrimas escorrendo em seu rosto.

— É nosso último dia juntos, Yoonie, quero passar esta noite junto com você—disse Jimin, juntando suas testas e olhando nos olhos de Yoongi.

— O que você quer fazer primeiro? — perguntou Yoongi beijando a ponta do nariz de Jimin, que sorrio.

— Que tal assistirmos um filme qualquer, só pra ficarmos aqui juntinhos — sugeriu Jimin.
Yoongi ligou a televisão e escolheu um filme. Ambos tiraram o paletó, a gravata e os sapatos pra se sentirem mais à vontade.

Passaram o dia somente aproveitando a presença um do outro e, durante o filme, trocaram somente beijos e carinhos.

Eram quase oito da noite quando acabaram de ver o último filme, os dois se encontravam deitados no sofá com Jimin praticamente deitado em cima de Yoongi, e inúmeros sacos de batatinhas em cima da mesinha de centro.

— Acho melhor arrumar essa bagunça antes que Hoseok chegue — disse o mais velho, levantando-se do sofá.

— Eu te ajudo.

Os dois arrumaram a sala, deixando tudo exatamente como estava.

— O que a gente faz agora? — perguntou Yoongi, sentando-se no sofá.

— Podíamos fazer algo pra comer — sugeriu Jimin. — Que tal um bolo?

— Claro, só precisamos ver se tem ingredientes pra fazer um bolo — disse Yoongi, indo em direção pra cozinha. — Você quer bolo de quê?

— Bolo de prestígio — respondeu Jimin, indo atrás do mais velho.

Yoongi olhou nos armários de Hoseok pra ver se havia algo pra preparar o bolo que Jimin queria, mas não encontrou nada.

— Vamos ter que ir comprar — falou Yoongi, olhando no relógio que estava em seu pulso. — Tem um mercadinho aqui na frente que só fecha às oito, se formos logo lá conseguimos comprar as coisas. — Jimin sorriu.

O dois foram até a sala e colocaram seus sapatos, antes de sair o mais velho pegou sua carteira, e seguiram juntos pra o mercadinho. Após comprarem tudo, foram direto pra casa de Hoseok.

— Nós podemos dividir o trabalho pra ser mais rápido — sugeriu Yoongi, tirando as compras das sacolas. — Eu faço a massa e você o recheio, e quem terminar primeiro faz a cobertura.

— Por mim tudo bem.

Fizeram o bolo rindo de histórias que contavam um para o outro, ambos naquele momento nem lembravam do que estaria por vir no dia seguinte.

— Não é porque fomos nós dois que fizemos, mas este bolo tá muito bom — comentou Jimin depois de ter comido o primeiro pedaço.

O menor nem esperou o bolo esfriar como Yoongi havia dito, estava ansioso pra saber como o bolo havia ficado.

— Está realmente bom — disse Yoongi após pegar um pedaço do bolo que estava no prato de Jimin.

— Nossa, já tá muito tarde — falou Jimin após ver que eram mais de dez horas em seu celular. — Demoramos tudo isso pra fazer um bolo. — Pegou seu prato e colocando na pia.

— Você quer dormir ou fazer mais alguma coisa? — perguntou Yoongi.

Ele levantou-se, indo para perto de Jimin que estava escorado na pia.

— Eu estou cansado, acho melhor dormimos, sem dizer que você tem que levantar cedo amanhã — lembrou Jimin triste.

Os dois arrumaram a cozinha juntos e seguiram pra o quarto de hóspede. Tiraram sapatos, meias e calças, e se deitaram um de frente pro outro, ficando uns bons minutos em silêncio.

—Eu te-

Jimin interrompeu-o, colocando a mão em sua boca com os olhos marejados.

— Não diga isso, essas palavras só vão tornar tudo mais difícil pra nós dois—disse Jimin, já deixando algumas lágrimas escorrer por seu rosto, que foi limpo pelo polegar de Yoongi.

— Mas você já sabe o que eu vou dizer, Jiminnie.

— Sim, mas é diferente ouvir sair da sua boca, e vai doer mais, Yoonie—explicou Jimin, chorando.

— Acho melhor dormirmos—disse Yoongi, limpando o rosto de Jimin, que concordou com a cabeça, deitando no peito de Yoongi e ouvindo o coração do mais velho bater fortemente.

A noite foi difícil, Yoongi só conseguiu dormir depois que Jimin caiu no sono, o que não foi fácil. Yoongi levantou cinco horas da manhã, acordando Jimin pra irem para o seu apartamento comer algo e se arrumar. Antes de sair do apartamento, Yoongi acordou Hoseok para ele não perder a hora.

O percurso foi totalmente silencioso. Quando chegaram ao apartamento, os Min's estavam já acordados tomando café da manhã na cozinha.

— Min Yoongi, eu te disse pra me avisar se fosse dormir fora, e você nada, né? Se não fosse pelo Hoseok, eu teria ficado a noite em claro, preocupada— repreendeu-o senhora Min quando Yoongi e Jimin entraram na cozinha.

— Bom dia pra senhora também, mãe— disse Yoongi, sentando-se com Jimin ao seu lado.

— Bom dia pra vocês— falou senhora Min, sorrindo.

— Bom dia, senhora e senhor Min— cumprimentou Jimin, baixo.

— Bom dia— disse senhor Min, sentando-se à mesa.

Ninguém falou mais nada durante o café da manhã, mas às vezes, o senhor e a senhora Min trocavam olhares tristes, pois ambos sabiam o quanto seu filho e Jimin estava sofrendo com isso.

Após o café, Jimin e Yoongi foram pro quarto e tomaram banho separados. Yoongi emprestou uma roupa sua pra Jimin vestir, e ficaram deitados juntos, somente aproveitando a presença um do outro até dar a hora de ir pro aeroporto.

A cada instante em que iam se aproximando do aeroporto, ambos sentiam seus corações se apertarem cada vez mais. Chegaram lá com os olhos lacrimejando, mas tentaram ser fortes. Já a senhora Min começou a chorar assim que eles chegaram. Yoongi e Hoseok deram um abraço nos dois, com a única diferença que, em Jimin, Yoongi não só abraçou como o beijou — beijo esse que ambos não queriam que acabasse. Ali, derramaram a primeira lágrima.

Yoongi e Hoseok já estavarazoavelmentelonge quando Jimin chamou Yoongi e foi até ele.

— Eu prometo te esperar— falou Jimin, dando seu dedo mindinho.

— Jimin, são cinco anos!— disse Yoongi com a voz um pouco falha por conta do choro.

— Eu não ligo, eu vou te esperar.

— Eu não posso fazer isso com você.

— Você não está me pedindo nada, eu estou fazendo isso porque quero— garantiu Jimin.

— Eu prometo que vou voltar pra você.— Yoongi juntou seus dedos mindinhos em sinal de promessa e os beijou. Jimin fez o mesmo.

Ambos soltaram seus dedos e deram seu último beijo entre lágrimas. Quando Yoongi se virou pra ir embora, a senhora Min abraçou Jimin de lado. O menor ficou no aeroporto com os pais de Yoongi até ver o avião do maior decolar.

Yoongi chorava em seu assento dentro do avião, sendo consolado por Hoseok, que dizia que eles dariam um jeito de se ver antes mesmo da faculdade acabar.

Jimin foi pra casa de carona com os Min's, que disseram que, se ele precisasse de algo, podia contar com eles. Ao entrar em casa, Jimin encontrou sua mãe no sofá, séria.

— Onde você passou a noite?— Sua mãe levantou do sofá, indo até ele. Jimin não estava com paciência pra aquilo, ele só queria se trancar em seu quarto e chorar.

— Eu dormi na casa do Yoongi, ele foi embora hoje— disse Jimin, passando por ela pra ir pro seu quarto, mas foi impedido por a mesma que segurou seu braço.

— Ah, seu amigo que, diferente de você, presta pra algo e dá orgulho pros seus pais. Eu achei que, andando com ele, você se tornaria menos inútil, mas to vendo que você não tem mais jeito.

Jimin sentiu seus olhos ficarem marejados, mas decidiu não chorar na frente dela, então soltou seu braço e foi pra seu quarto, trancando-o e chorando em seu travesseiro. Tentou até ligar pra Tae, mas só dava caixa postal. Ficou trancado até ouvir sua mãe dizendo que iria sair, então resolveu ir ao quarto dela escondido e pegar umas besteiras que ela escondia para comer.

Ao abrir uma gaveta, Jimin encontrou várias cartas embaixo de sacos de salgadinho. Jimin até deixaria de lado, se não tivesse uma carta escrito "Para: Park Jimin". O menor pegou-a, vendo que estava escrito Universidade B.H. Jimin conhecia muito bem esta universidade, era a de Seul, a mesma que Yoongi foi pra estudar. Jimin abriu-a rapidamente e caiu aos prantos quando leu "Aprovado".

Com a carta na mão, foi correndo pra seu quarto, pegando seu celular e ligando pra Taehyung.

— Oi, Jimin. Desculpe não ter atendido antes, é que eu havia saindo e esqueci o celular em casa. Cheguei só agora.

— Eu passei, Tae!— disse Jimin, chorando.

— Passou no que, Jimin? Por que você tá chorando?— questionou Tae, preocupado.

— Na B.H, Tae! Minha mãe escondeu a carta de mim.

— Pera, o quê?

— Isso mesmo que você ouviu, ela escondeu a carta de mim e agora não sei o que fazer.

— Como assim não sabe, Jimin? Você vai pra Seul estudar lá, você ganhou uma bolsa pra fazer o que você sempre sonhou!

— Eu não tenho dinheiro pra viajar ou lugar pra ficar. Como vou conseguir tão rápido um emprego?

— Nós daremos nosso jeito. Você vai pra Seul, sim, mas antes você precisa sair dessa casa. Você já fez 18 anos, não precisa dela e está trabalhando agora.

— Eu vou falar com os Min's, quando Yoon foi embora eles disseram que eu poderia contar com eles, vou ver se não posso ficar um tempo lá.

Jimin ligou pra senhora Min, dizendo tudo o que aconteceu, tudo o que sua própria mãe fez consigo e, antes mesmo de pedir moradia, ela ofereceu o apartamento de Yoongi onde eles moravam para Jimin ficar, e o menor aceitou.

Ele pegou todas as suas coisas e deixou uma carta pra sua mãe, dizendo que a perdoava e deixou um dinheiro pra ela se manter naquele mês. Apesar de tudo, ela era sua mãe e Jimin não queria carregar consigo nenhuma mágoa dela. Este também era um dos motivos pra ele estar saindo de lá sem nem falar nada com ela pessoalmente.

Ele foi recebido de braços abertos pela família Min, que o tratou como filho.

Um mês e meio depois

Já era meio de janeiro, faltando somente duas semanas pra começar as aulas na faculdade. Neste tempo, Yoongi só trabalhava e ficava trancado no quarto sozinho, já que nem sorte de pegar um quarto com Hoseok ele teve. Jimin, nesse tempo, não havia nem o respondido, e quando ligava, o menor nunca atendia; Yoongi já estava pensando que Jimin havia voltado atrás com a promessa e estava seguindo sua vida. Além disso, quando ligava pra seus pais, eles diziam que não tinham mais contato com Jimin.

O que Yoongi não sabia era que Jimin estava morando com seus pais, sendo tratado como um filho e que o menor, durante este tempo, estava preparando sua ida pra Seul e queria fazer uma surpresa. Ele sabia que se falasse com Yoongi, iria acabar contando tudo, mas mantinha contato com Hoseok, que estava o ajudando com o plano. Taehyung ajudaria Jimin, dando-lhe a passagem pra ir pra Seul, já Hoseok estava o ajudando a arrumar um emprego lá, e o senhor e a senhora Min pagaram o primeiro mês do dormitório da faculdade para ajudar Jimin.

Nesse tempo também, o menor não teve contato com sua mãe e nem soube notícias dela.

Segunda-feira era o pior dia pra Yoongi, pois era o dia que mais enchia a cafeteria, porque a maioria das pessoas passava domingo bebendo e precisavam trabalhar na segunda, então iam lá beber um café forte. O Min chegava tão cansado em casa que corria pra sua cama pra dormir, porém neste dia, quando ele abriu a porta de seu dormitório, ele não o encontrou vazio como todos os dias, mas sim com Jimin parado no meio do quarto com uma mala na mão.

— Jimminie?— Yoongi não estava acreditando no que estava vendo, seu coração disparou e suas mãos começaram a suar, sua barriga parecia que tinha várias borboletas.

— Oi, Yoonie— disse Jimin, sorrindo ainda mais com os olhos marejados. O menor estava também com o coração disparado e suas mãos tremiam um pouco. Yoongi, com lágrimas nos olhos, correu em direção ao menor, que soltou a mala no chão. Ele tocou as bochechas de Jimin pra ter certeza que aquilo era real, não mais um sonho.— Eu estou aqui, Yoonie, e agora posso dizer sem medo de te perder...— disse Jimin, encostando sua testa na de Yoongi e o olhando nos olhos. — Eu te amo.

Yoongi abriu um enorme sorriso e derramou a primeira lágrima — que não era de tristeza, mas sim de felicidade e de saudade.

— Eu também te amo, meu amor.— Yoongi grudou os lábios dos dois em um beijo,que foi encerrado com vários selinhos.— Como você veio pra cá?

— É uma longa história... Mas teremos tempo, já que vamos dividir o dormitório.

Jimin acariciou o rosto molhado de Yoongi, encostando seus narizes. Yoongi subiu sua mão, que estava antes na cintura de Jimin, para o pescoço do menor, fazendo um leve carinho. Primeiro, o maior somente encostou seus lábios em um selinho, Jimin que tomou a iniciativa, beijando o mais velho e logo em seguida aprofundando mais o beijo.

Naquele momento só existiam os dois. Eles não precisavam de pedidos de namoro com pétalas jogadas ao chão ou algo do tipo, eles se amavam e era isso que importava. Afinal, o amor não precisa de rótulos.

16 de Junho de 2021 às 19:47 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS Nos encontre também no wattpad, sweet, spirit e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~